folha metropolitana 04/11/2012

Download Folha Metropolitana 04/11/2012

Post on 23-Mar-2016

231 views

Category:

Documents

6 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Folha Metropolitana - Guarulhos e Alto Tietê

TRANSCRIPT

  • www.folhametro.com.brGuarulhos, Aruj, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Po, Salespolis, Santa Isabel e Suzano

    Domingo, 4 de novembro de 2012 - Ano 40 . n 12252 - Distribuio gratuita

    Arquiteta d dicas de como aproveitar os pequenos espa-os de forma prtica e ideal para as plantas atuais. Pg. 8

    divulgao

    Adote Dalila!A protetora Mrcia Melegatti cuida de 110 ces no Cecap. A Dalila um dos que esperam um lar. Pg. 6divulgao

    Homicdios caem 11,6% entre janeiro e outubro, aponta PM

    Especialistas do dicas para escolher melhor escola

    cidade Pg. 5

    Guarulhos tem 1,2 mil vagas para curso de ingls online

    Alto Tiet tem 2,6 mil famlias inadimplentes com a CDHU

    cidade

    cidade

    Pg. 4

    Pg. 4

    Dia Do inventorNo dia nacional em homenagem aos inventores, conhe-a brasileiros que fazem parte de seu dia a dia por meio de seus inventos. Enquanto So Paulo tem o Museu Na-cional das Invenes, em Guarulhos a Faculdade Eniac garante espao para que seus alunos do curso de enge-nharia desenvolvam sua criatividade com projetos que podem garantir incluso social a deficientes visuais e pessoas com paralisia cerebral. Pg. 7

    Foragido

    DIAS1540

    A reduo ocorreu na com-parao com o mesmo pero-do do ano passado. Em 2011, foram assassinadas 171 pes-soas em dez meses, contra 151 neste ano. Os dados so do Setor de Assuntos Civis, da Polcia Militar, conce-didos com exclusividade

    Folha Metropolitana. O n-mero de homicdios tambm caiu em outubro em relao ao mesmo ms do ano passa-do. O fechamento do balan-o da Secretaria de Seguran-a Pblica (SSP), entretando, ser divulgado somente no prximo dia 25. Pg. 3

    Atacante santista deu show e foi reverenciado at mesmo pela torcida cruzeirense, que gritou seu nome

    SaMuEl CoSTa / HoJE EM dia / aE

    Slvio CSar

    Neymar marca trs gols e Santos goleia Cruzeiro por 4x0 no Independncia Pg. 12

  • O final de ano est chegando, e com ele se aproxima tam-bm o momento em que a maior parte das pessoas tendem a planejar o novo ano que est por vir, afinal no d para acreditar que com 2012, o mundo tambm acaba, como diz o calendrio Maia. Nesse momento propcio para o planeja-mento e, claro, de matrculas, papais e mames tendem a refletir sobre a escolha da escola ideal para garantir o melhor ensino aos filhos. Pensando nisso, a Folha Metropolitana de hoje traz matria com dicas de especialistas em Educao para auxiliar na resoluo desse dilema.

    E a palavra de ordem aqui cautela. Nada de se deixar seduzir pelo primeiro deslum-bramento pela infraes-trutura da escola, o que muitas vezes no signi-ficar nada alm de um desvio do que realmente deve ser importante no ambiente escolar. Afinal, nenhuma criana ou

    adolescente vai a escola para aproveitar um parque de diverses e, sim, para estudar e aprender valores de convvio social.

    A FM se preocupou em preparar esse matria devido as pu-blicaes que foram feitas pelo jornal ao longo do ano e que, in-felizmente, tiveram como temtica a falta de segurana nas es-colas e o crescente aumento da violncia escolar. Em setembro, a especial PM j atendeu a 13 ocorrncias de violncia escolar esse ano apontou situao de vtimas de bullying especialmente nas escolas estaduais e ouviu especilistas sobre como solucionar o problema e cuidar tanto dos agredidos como dos agressores. E esse tipo de situao no ficou restrita rede pblica de ensino, uma escola infantil particular tambm figurou em publicao no mesmo ms sob o ttulo Criana recebe nove mordidas e pais culpam escola, que trazia tona a histria do pequeno Victor, de dois anos, que, sem vigilncia adequada, durante as atividades escolares, acabou sendo agredido.

    Leia a matria na pgina 5 e aproveite para tirar dvidas. Lembre tambm de conferir se o mtodo de ensino da instituio compatvel com o que gostaria de oferecer para seus filhos. A escolha influenciar os valores que ele levar para a vida.

    pblicas que respondam de forma racional aos anseios coletivos na questo da mobilidade.

    A legislao prope solues que passam pela racionalizao das distncias entre a casa e o trabalho, restrio circulao de vecu-los privados e incentivos ao uso de meios de transporte no motorizados. A medida afeta os municpios com populao superior a 20 mil habitantes, que, no espao de trs anos, sob a pena de ficar impedido de receber recursos fe-derais, devero elaborar e colocar em vigor seus planos de mobilidade urbana integrados.

    Os efeitos negativos dos gargalos na mobili-dade urbana repercutem no s no mbito so-cial, privando o exerccio ordinrio dos direitos fundamentais. Existe, tambm, na esfera eco-nmica, atrasando a prosperidade por imposi-o de intrincados e excessivos custos logsti-cos ao processo produtivo. H que se lamentar ainda, as agresses ao meio ambiente atravs do aumento da emisso de poluentes.

    Levantamento do Departamento Nacional de Trnsito realizado no ano passado mostrou que, em um perodo de 10 anos, o Brasil evoluiu mais em nmero de veculos do que em cresci-mento populacional. Em 2011 o Denatran re-gistrou uma frota de 70,5 milhes de veculos nmero 121% maior na comparao com a frota em 2001 que era de 32 milhes de ve-culos. Ao mesmo tempo em que a populao brasileira cresceu 12% no perodo, a relao de veculos por habitante saltou de um para cada cinco indivduos em 2001, para pouco mais de um veculo para cada trs habitantes em 2011.

    Por meio do engajamento pleno dos cida-dos que a Nao far valer esta lei. Afinal, o homem destruiu montanhas, rios e flores-tas para impor a simetria montona de sua esttica arquitetnica. Para tanto, foi criando quinas, esquinas, domnios, nveis, pavimen-tos, degraus, arestas, vielas, sentidos, becos e trilhas. Foi-se abrindo vias de circulao fre-ntica que exigiam a mobilidade mecnica em ps de borracha. hora de colocar ordem neste caos tenso e neurtico que compe o emaranhado difuso dos ambientes urbanos. Precisamos reinventar nossos caminhos.

    Vivemos o colapso da mobilidade urbana. O trnsito, cada vez mais lento, decorre desse adensamento crescente de pessoas e veculos. Reflete a falta de gesto integrada entre os en-tes polticos, a escassez de planejamento urba-nstico adequado, e a insuficincia de investi-mento em vias, rodovias e transporte pblico.

    Depois de dezessete anos de tramite e de-bates, a sociedade brasileira hoje tem razes para comemorar o advento da Lei 12.587/2012, que instituiu a Poltica Nacional de Mobilidade Urbana (PNMU). A medida que trouxe novos princpios e diretrizes, a fim de readequar e ordenar os ambientes de circulao compar-tilhada, fomentando a elaborao de polticas

    Uma chance para retomar a marcha

    Escolha que influncia valores para a vida toda

    slvio cs

    ar

    Caminho rduo deve ser percorrido at que o aeroporto atenda bem crescente demanda

    n O Parque Continental re-cebe o Fcil Unidade Mvel a partir desta segunda-fei-ra at o prximo sbado. A unidade ficar instalada na Rua Paulo Freire, altura do n 40 (entre as ruas Visconde de Cairu e Jos Pedro da Silva). A agncia itinerante disponibiliza mais de 700 servios da Prefeitura e do Saae. O ho-rrio de funcionamento de segunda a sexta-feira das 10h s 18h, e no sbado, das 9 s 13 horas.

    Bons tempos aqueles quando os obstculos mobilidade humana eram apenas os naturais e serviam at de inspirao aos grandes poetas. O caminho a que Drummond se referia em seu poema era bem mais amplo e intangvel que as ento buclicas ruas de Itapira do Mato Dentro. Em aluso ao verso, hoje a pedra se converteria num destes congestionamentos que se repro-duzem em progresso geomtrica pelos hor-rios de pico, at no entorno das pracinhas de coreto das cidades do interior de Minas.

    Dimas EDuarDo ramalho

    conselheiro do Tribunal de

    Contas do Estado de so Paulo

    Ponto de Vista

    No meio do caminho tinha uma pedra; tinha uma pedra no meio do caminho

    No se deixe seduzir pela infraestrutura de parque de diverso de algumas escolas. Fique atento ao que realmente importa!

    ANOTEcENA GUARULHENSE

    EdiTORiAL

    OpiniO

    Sede, Redao e Publicidade: Rua Ip, 144 Jardim Guarulhos - Guarulhos - SP

    CEP: 07090-130 - Fone: (11) 2475-7800

    CNPJ : 44 .193.423/0001-40

    Tiragem e distribuio auditada por:

    relatrio em poder da administrao

    Gerente Comercial: alceu dos santos - alceu@folhametro.com.br - Gerente Comercial (Grandes Agncias): ramon Martins silva - ramon@metronews.com.brRedao: redacao@folhametro.com.br. Comercial: comercial@folhametro.com.br. Distribuio: circulacao@folhametro.com.br. Recursos Humanos: nadir.matos@folhametro.com.br

    Noticirio: reportagem local e agncia Estado. Filiado a: aPJ - associao Paulista de JornaisRepresentantes Comerciais em Braslia e Rio de Janeiro: Pereira de souza & cia. ltda. Fones: (61) 3226-6601 / (21) 2544-3070Impresso: FolhaGrfica

    os artigos assinados so de responsabilidade de seus autores.

    Presidente: Paschoal Thomeu (in memoriam)Diretora-Presidente: andra santos Thomeu - Diretor-Geral: orlando reinas Jr.Editor e Jornalista Responsvel: roberto iizuka. Editores: luciene oliveira - luciene@folhametro.com.br e las Domingues - lais@folhametro.com.br. Chefe de Reportagem: Paulo Manso - paulo.red@folhametro.com.br. Editor de Arte: sidney Joo de oliveira - sidney@metronews.com.br. Subeditor de Arte: ricardo leocadio - ricardoleocadio@metronews.com.brDiagramao: rafael dos anjos candido, Mauro Dias dos santos e Neri Gonalves Pereira. Fotos: Guilherme Kastner e silvio cesar. Redao: editoria.geral@folhametro.com.br

    www.folhametro.com.br

    22 Folha metropolitana2 Domingo, 4 de novembro de 2012

  • Domingo, 4 de novembro de 2012 3Folha metropolitana

    Nmero de homicdios cai 11,6% neste anon Alfredo Henrique

    Guarulhos registrou, en-tre janeiro e outubro deste ano, queda de 11,6%