fito bactérias

36
FITOSSANIDADE Profª Mary Anne Lopes Marques [email protected] (88) 882-8679/9710-9467/92380545

Upload: mileny-mendonca

Post on 30-Oct-2014

216 views

Category:

Documents


0 download

TRANSCRIPT

Page 1: FITO bactérias

FITOSSANIDADE Profª Mary Anne Lopes Marques

[email protected]

(88) 882-8679/9710-9467/92380545

Page 2: FITO bactérias

Agentes Causais das Doenças de Plantas

Page 3: FITO bactérias

BACTÉRIAS FITOPATOGÊNICAS

Page 4: FITO bactérias

POSIÇÃO TAXONÔMICA

2 DIVISÕES: Divisão Gracilicutes: bactérias Gram-negativas

Divisão Firmicutes: bactérias Gram-positivas

Reino: Procaryotae

Page 5: FITO bactérias

A CÉLULA BACTERIANA

Page 6: FITO bactérias

CARACTERÍSTICAS DAS BACTÉRIAS FITOPATOGÊNICAS

Baciliformes (>), exceto Steptomyces (filamentosa).

Flagelos (>): monotríquias, lofotríquias ou peritríquias.

Nomenclatura – trinômios (subsp. ou pv.).

Page 7: FITO bactérias

Patovar (pv.) => nomenclatura subespecífica : Bactérias patogênicas a um hospedeiro ou grupo de hospedeiros. Xanthomonas axonopodis pv. citri (Cancro Cítrico) Xanthomonas campestris pv. campestris (crucíferas =>podridão negra).

Page 8: FITO bactérias

bastonetes ou bacilos

Page 9: FITO bactérias

Camada espessa de peptideoglicano

Membrana plasmática

Esquema de parte da parede celular e da membrana plasmática de bactéria Gram +

PAREDE CELULAR – BACTÉRIA GRAM POSITIVA

Page 10: FITO bactérias

Camada lipoprotéica externa, espessa

Camada de peptideoglicano

Membrana plasmática

Esquema de parte da parede celular e da membrana plasmática de bactéria Gram -

PAREDE CELULAR – BACTÉRIA GRAM NEGATIVA

Page 11: FITO bactérias

GRAM - GRAM +

TÉCNICA DE COLORAÇÃO DE GRAM

Page 12: FITO bactérias

CURVA DE CRESCIMENTO

Page 13: FITO bactérias

Penetração, multiplicação e sintomas causados por fitobactérias

Page 14: FITO bactérias

DISSEMINAÇÃO

Page 15: FITO bactérias

PRINCIPAIS GÊNEROS DE BACTÉRIAS FITOPATOGÊNICAS

Agrobacterium: bastonete reto, móvel por um a seis flagelos, G(-), colônia branca, habitantes do solo. Ex.: A. tumefaciens – galha de coroa em caule e raiz de roseira e alface.

Page 16: FITO bactérias

Clavibacter: bastonete pleomórfico, imóvel, G(+), aeróbio estrito. Ex.: C. michiganensis – cancro em tomate.

PRINCIPAIS GÊNEROS DE BACTÉRIAS FITOPATOGÊNICAS

Page 17: FITO bactérias

PRINCIPAIS GÊNEROS DE BACTÉRIAS FITOPATOGÊNICAS

Erwinia: bastonete reto, móvel por flagelos peritríquios, colônia branca ou amarela, G(-), anaeróbio facultativo. Ex.: E. carotovora – podridão mole em batata.

Page 18: FITO bactérias

PRINCIPAIS GÊNEROS DE BACTÉRIAS FITOPATOGÊNICAS

Pseudomonas: bastonete reto (raramente curvo), móvel (lofotríquia), G(-), aeróbio estrito, colônia branca, cinza-claro ou creme. Ex.: P. solanacearum – murcha em batata, pimentão, feijão comum, feijão caupi, berinjela, fumo.

Page 19: FITO bactérias

PRINCIPAIS GÊNEROS DE BACTÉRIAS FITOPATOGÊNICAS

Xanthomonas: bastonete reto, móvel por um único flagelo (monotríquia), G(-), aeróbio estrito, colônia quase sempre amarela. Ex.: X. campestris – podridão negra em couve, couve-flor, rabanete, repolho.

Page 20: FITO bactérias

PRINCIPAIS GÊNEROS DE BACTÉRIAS FITOPATOGÊNICAS

Xylella: bastonete reto (pode haver ligeiramente curvo), imóvel, G(-), aeróbio estrito, colônia despigmentada, lisa ou rugosa, nutricionalmente fastidiosas, habitante do xilema, a transmissão é feita por insetos vetores. Ex.: X. fastidiosa – Pierce da videira.

Page 21: FITO bactérias

PRINCIPAIS GÊNEROS DE BACTÉRIAS FITOPATOGÊNICAS

Streptomyces: as bactérias produzem hifas vegetativas, com micélio que produz cadeias de esporos (~fungos), G(+), aeróbio estrito, habitantes do solo. Ex.: S. scabies – sarna em batata.

Page 22: FITO bactérias
Page 23: FITO bactérias

SINTOMAS: os primeiros subsídios para a diagnose. Principais sintomas: Lesões locais: manchas, necroses, queimas, etc., em folhas, caules, frutos, órgãos de reserva; Tumores/galhas: hipertrofia e hiperplasia Agrobaterium. Murchas vasculares: gên. Pseudomonas, Clavibacter e Xylella. Podridão mole: enzimas pectinolíticas Erwinia carotovora. Cancro: tecido vascular parênquima; Xanthomonas. Morte dos ponteiros: galhos e brotações novas; Erwinia amylovora. SINAL: pus.

Page 24: FITO bactérias

Apodrecimento + Odor;

Órgãos de reserva; Comuns a certos gêneros.

Podridão mole

Page 25: FITO bactérias

Cancro

Page 26: FITO bactérias

Murcha

Page 27: FITO bactérias

Morte das pontas

Page 28: FITO bactérias

Clorose variegada do citros (Xylella fastidiosa)

Page 29: FITO bactérias

Clavibacter michiganensis pv michiganensis

Cancro

Murcha

Page 30: FITO bactérias

sarna

Page 31: FITO bactérias

Streptomyces scabies

SARNA

Page 32: FITO bactérias

Tumores

Page 33: FITO bactérias

Tumores

Page 34: FITO bactérias

ANASARCA EXSUDAÇÃO

Típico de bacterioses de plantas

Page 35: FITO bactérias

Gravidade das doenças em culturas exploradas economicamente;

Facilidade de disseminação;

Dificuldade de controle:

Velocidade de penetração Velocidade de multiplicação Antibióticos (reisitência, toxicidade e custo elevado)

IMPORTÂNCIA DAS FITOBACTERIOSES

Page 36: FITO bactérias

Até a próxima aula!