Fisiologia Vegetal II - Anatomia Vegetal

Download Fisiologia Vegetal II - Anatomia Vegetal

Post on 25-Jun-2015

767 views

Category:

Documents

4 download

TRANSCRIPT

Fascculo 06 Lara Regina Parra de Lazzari

Biologia

ndiceFisiologia Vegetal II Anatomia vegetal ................................................................................................................................ 1 Relaes hdricas na planta .................................................................................................................. 2 Exerccios ....................................................................................................................................... 5 Gabarito ......................................................................................................................................... 8

Anatomia vegetalIdentificao de estruturas internas do caule e da raiz de angiospermas Feixes vasculares com distribuio em anel. Dicotiledneas Monocotiledneas Feixes vasculares com distribuio difusa.

Estrutura primria Presena de epiderme e de xilema e floema primrios

Caule Epiderme sem plos absorventes. Vasos condutores (xilema e floema) reunidos em feixes vasculares. Endoderme e periciclo raramente presentes

Raiz Epiderme com plos absorventes.Vasos condutores com disposio alternada (radial). Endoderme e periciclo presentes Sem epiderme; felognio formado por clulas do parnquima cortical; cmbio interfascicular formado por clulas do parnquima interfascicular; medula com parnquima medular Caule

Medula com xilema; clulas da endoderme com estrias de Caspary Dicotiledneas Monocotiledneas Medula com parnquima medular; clulas da endoderme com reforo em U

Presena de periderme, xilema e floema primrios e secundrios, felognio e cmbio vascular Estrutura secundria Principlamente em dicotiledneas

Meristemas:

Raiz Sem epiderme, crtex e endoderme; felognio formado por clulas do periciclo; cmbio formado por clulas do periciclo e do procmbio; medula com xilema - tecidos indiferenciados e com alto poder mittico - crescimento e formao de tecidos permanentes (conduo, revestimento, preenchimento e sustentao). - crescimento longitudinal (primrio) - extremidades do caule e da raiz - origina a estrutura primria da planta.

a. Meristemas primrios:

b. Meristemas secundrios: - crescimento em espessura (secundrio) - cmbio e felognio - origina (principalmente em dicotiledneas) a estrutura secundria da planta.1

Relaes hdricas na planta OsmoseSempre que uma clula viva estiver em um meio cuja concentrao de solutos difere da concentrao de seu citoplasma, ocorrer osmose. Nesse processo, ocorre maior passagem de gua (solvente) do meio cuja soluo menos concentrada (soluo hipotnica) para o meio cuja soluo mais concentrada (soluo hipertnica) atravs de uma membrana semi-permevel at que os dois meios fiquem equilibrados (com solues isotnicas).

Presses envolvidas no processo da osmoseO vacolo da clula gera uma PO (presso osmtica), tambm chamada de Si (suco interna), que a favor da entrada de gua na clula. Conforme a clula vai-se tornando trgida, surge uma presso de reao da parede celular, de fora para dentro: PT (presso de turgor) ou M (resistncia da membrana celulsica ou parede celular). A resultante das duas presses Sc (suco celular) ou DPD (dficit de presso de difuso). O processo descrito acima pode ser resumido na seguinte equao: Sc = Si - M ou DPD = PO - PT (esta ltima a mais apropriada) Comportamento de uma clula vegetal em diferentes solues

Parede celulsica Citoplasma

Clula trgida (Si = M e Sc = 0) Vacoloturg ncia

1

2 2 1

Soluo externa Clula plasmolisada (Sc = Si e M = 0) Membrana plasmtica destacada de parede celular Clula dessecada (murcha) (Sc = Si + M e M

Recommended

View more >