ficha tÉcnica - lge.ces.uc.ptlge.ces.uc.pt/pdf/lge_referencial_  · ficha tÉcnica título...

Download FICHA TÉCNICA - lge.ces.uc.ptlge.ces.uc.pt/pdf/LGE_Referencial_  · FICHA TÉCNICA Título Referencial…

Post on 18-Jan-2019

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

2

FICHA TCNICA

TtuloReferencial de Formao para a Igualdade de Gnero na Ao Municipal EditorCES Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra AutoriaVirgnia FerreiraJoana Almeida Carolina Leite Mnica Lopes Rosa Monteiro Cludia MriasSandra Saleiro Data da Ediodezembro 2016

Conceo GrficaFrancisco Horta e Vale (CH Academy)

URL: http://lge.ces.uc.pt/outputs.php#primeiro_cont

FormatoBrochado

NdICE

Introduo 6

Mainstreaming da perspetiva da igualdade de gnero 18

Urbanismo e ambiente 22

Mobilidade e transportes 26

Segurana e preveno da violncia no espao pblico 28

Cultura, desporto e juventude 30

Educao 36

Sade e ao social 40

Gesto de pessoas, formao e emprego 46

Violncia no trabalho 50

O meu Municpio pela IgualdadeLocalmente Construmos uma Vida Melhor para Mulheres e Homens

Introduo

RefeRencial de foRmao paRa a igualdade de gneRo na ao municipal

7

Este referencial parte integrante do conjunto de metodologias e instrumentos conce-

bidos no mbito do Projeto Local Gender Equality: Mainstreaming de Gnero nas Comuni-

dades Locais (LGE), em resposta ao apelo a propostas relativas ao desenvolvimento de

instrumentos e mtodos promotores da igualdade de gnero ao nvel local do programa

PT07: Mainstreaming Gender Equality and Promoting Work Life Balance. O Centro de Estu-

dos Sociais coordenou o projeto, em parceria com a CH Academy e cinco Cmaras Mu-

nicipais (Ferreira do Alentejo, Lagoa-Algarve, Mangualde, Pombal e Pvoa de Lanhoso).

O LGE teve como ambio inspirar, motivar e facilitar a mudana no mbito da igualdade

de gnero nas comunidades locais. Em linha com o proposto pelo programa de financia-

mento, o seu objetivo geral foi desenhar, testar, validar e disseminar ferramentas e meto-

dologias de trabalho inovadoras, adequadas, teis, acessveis e transferveis para suporte

das autarquias e sua rede de parceiros locais, nas suas aes para integrar a perspetiva da

igualdade de gnero de modo transversal a todas as reas e domnios da interveno ao

nvel local, como sejam a educao, a cultura, a economia, o urbanismo, a mobilidade, o

ambiente, a ao social e a governao.

de modo mais especfico, o projeto procurou:

Identificar reas chave (reas crticas de mainstreaming da igualdade de gnero) para

a recolha de informao e para formulao de medidas e aes nos processos de pla-

neamento organizacional (vertente interna) e territorial (vertente externa), atravs do

recurso anlise documental e auscultao de diferentes stakeholders (representantes

de autarquias e de consultoras, agentes locais e especialistas).

Elaborar ferramentas de suporte ao mainstreaming da perspetiva da igualda-

de de gnero a nvel local, quer ao nvel da estrutura interna das instituies (es-

trutura do emprego e governao, gesto de pessoas e comunicao), quer ao

nvel dos diversos domnios de atuao exterior destas estruturas (cidadania participa-

tiva, emprego, sade educao, cultura, juventude e desporto, urbanismo, mobilidade

e segurana, ambiente, ao social e violncia) nas seguintes dimenses: diagnstico,

operacionalizao, implementao, monitorizao e avaliao. Estas ferramentas fo-

ram disponibilizadas numa plataforma que congrega os vrios outputs do projeto LGE.

Testar e validar os instrumentos e metodologias desenhados nas autarquias portugue-

sas, cobrindo reas geogrficas com perfis demogrficos e socioeconmicos diversos.

Pretendeu-se no apenas apresentar os instrumentos e respetivos objetivos e resultados

8

esperados, mas tambm experimentar com as pessoas no terreno, numa lgica de de-

monstrao dos produtos, tendo em vista a construo de convergncias e compromis-

sos facilitadores da incorporao.

Promover a reflexo das autarquias sobre a mudana social desejada no mbito da igual-

dade de gnero, combatendo as injustias observadas, contribuindo-se, deste modo, para

a capacitao das estruturas de governao.

Realizar intercmbio de percursos, produtos e boas prticas ao nvel da igualdade de g-

nero entre os parceiros nacionais e parceiro transnacional, atravs de encontros e semi-

nrio final de disseminao.

divulgar e disseminar as novas solues desenhadas e experimentadas junto dos po-

tenciais utilizadores/incorporadores dos instrumentos e mtodos produzidos, atravs da

conceo e dinamizao de aes de formao, de aes de divulgao e do seminrio

final.

A Metodologia Participativa de Projeto inspirou a conceo de todas as atividades reali-

zadas no mbito do LGE, pelo que podemos afirmar que os produtos que dele resultaram

ancoram a chancela de quem vivencia as problemticas da governao dos territrios ten-

do em vista alcanar nveis superiores de coeso e incluso social. O projeto foi, com efeito,

desenvolvido com base em metodologias participativas desde o diagnstico de necessi-

dades, obtido atravs de vrios focus groups realizados nas cinco cmaras municipais que

integraram a equipa do projeto (que instrumentos e ferramentas poderiam ser teis?), at

conceo das solues propostas. Assim, a conceo, experimentao e validao das

metodologias e instrumentos disponibilizados foram feitas em coconstruo no apenas

com os seus destinatrios finais diretos (pessoal tcnico e dirigente dos municpios),

mas tambm os indiretos (nomeadamente representantes, pessoal tcnico e dirigente,

de stakeholders relevantes nos vrios domnios de atuao municipal). Numa primeira

fase, realizaram-se dois focus groups em todas as Cmaras parceiras; numa segunda fase,

as oficinas de pr-validao foram cruciais para avaliao da pertinncia e potencialidades

dos instrumentos propostos; numa terceira fase, estes foram testados em cinco projetos-

piloto (cada um incidindo em reas especficas); por fim, foram realizadas cinco aes de

formao de dois dias, que contaram com 111 participantes e nas quais foi ainda possvel

colher contributos que enriqueceram a galeria de boas prticas que fecha cada um dos oito

guias concebidos.

RefeRencial de foRmao paRa a igualdade de gneRo na ao municipal

9

desse trabalho colaborativo resultaram os seguintes produtos:

Kit de ferramentas para diagnsticos participativos

Oito Guias para a Integrao a Nvel Local da Perspetiva da Igualdade de Gnero em:

1. Urbanismo e Ambiente

2. Mobilidade e Transportes

3. Segurana e Preveno da Violncia no Espao Urbano

4. Cultura, desporto, Juventude e Lazer

5. Sade e Ao Social

6. Educao

7. Gesto de Pessoas, Formao e Emprego

8. iolncia no Trabalho

ndice Municipal de Igualdade de Gnero

Ao que se acrescenta o presente Referencial de Formao para a Integrao da Perspetiva

da Igualdade de Gnero na Ao Municipal.

Entende-se, assim, a razo pela qual as propostas e as indicaes de contedo aqui conti-

das s podem ser compreendidas se a sua consulta for feita em simultneo com a dos res-

tantes produtos disponibilizados pelo LGE, especialmente dos oito Guias para a Integrao

a Nvel Local da Perspetiva da Igualdade de Gnero nas vrias reas da ao municipal.

Perfil de Entrada

O pblico-alvo constitudo, mas no de forma exclusiva, pelo

pessoal tcnico e dirigente de autarquias e de organizaes

da sociedade civil implicadas na promoo da igualdade en-

tre mulheres e homens quer a nvel concelhio quer nacional.

Funcionrios/as e agentes da administrao central, regional

e local, docentes, investigadores/as e formadores/as cujas

atividades se relacionem com as questes do poder local e

do planeamento urbano integram igualmente o pblico-alvo

considerado.

Pblico-alvo: Pessoal

tcnico e dirigente da

administrao pblica

local, dirigentes de as-

sociaes e outros/as

profissionais interessa-

dos/as.

10

Objetivo geral

O objetivo geral do referencial familiarizar e/ou reforar os

conhecimentos e a compreenso relativamente igualdade

de gnero, como primeiro passo para a mudana de atitu-

des e para a incorporao de uma perspetiva sensvel s de-

sigualdades sexuais e sociais nas atividades quotidianas do pessoal tcnico e dirigente

das autarquias. Para cumprir esse objetivo o referencial prope a familiarizao com os

conceitos e as estratgias e ferramentas que permitem promover a igualdade de gnero e

a compreenso do modo como esta pode ser operacionalizada em diversos domnios tem-

ticos tais como: urbanismo e ambiente; mobilidade e transportes, segurana e preveno

da violncia no espao urbano; cultura, desporto, juventude e lazer; ao social e sade;

educao; gesto de pessoas, formao e emprego; e violncia no trabalho.

Objetivos especficos

Concretamente, procura-se, com este referencial de formao:

Reforar a atitude de dirigentes e pessoal tcnico das autarquias relativamente aos prin-

cpios de igualdade de gnero e s metodologias que possibilitam a sua incorporao nas

atividades de regulao e gesto da vida local;

Melhorar a eficcia da governao e do funcionamento municipal no controlo de prticas

sociais discriminatrias em razo do sexo e no cumprimento da legislao nacional em

matria de igualdade de gnero;

dotar estes agentes de competnci