ftima, ontem e hoje

Download FTIMA, ONTEM E HOJE

Post on 09-Jan-2017

218 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    FTIMA, ONTEM E HOJE

    O artigo que se segue foi retirado do discurso proferido pelo Padre Nicholas Gruner na abertura da Conferncia Ftima: A Nossa ltima Oportunidade realizada em Roma de 14 a 18 de Maio de 2012. O Padre Gruner est frente de um dos maiores Apostolados de Ftima do mundo e publica a revista The Fatima Crusader, que a publicao mais divulgada do seu Apostolado. O Apostolado lanou agora a Fatima TV em Roma e na rea do Lcio e a Fatima TV WorldWide na Internet (Ver mais pormenores na pgina 78). Neste artigo extrado do seu discurso, o Padre Gruner salienta a importncia de Ftima para a nossa vida de hoje, embora a Mensagem urgente de Nossa Senhora tenha comeado em Ftima, Portugal, h j 95 anos.

    pelo Padre Nicholas Gruner, S.T.L., S.T.D. (Cand.)

    Bom dia, e que Deus vos Abenoe! Gostaria de comear com uma Av-Maria, porque sei como Nossa Senhora soluciona a minha falta de preparao ou de capacidade suficientes. (Reza-se a Av-Maria.) As aparies de Ftima aconteceram j h muito tempo, no ver de muita gente. Foi exactamente h 95 anos que, no dia 13 de Maio (ontem), Nossa Senhora apareceu pela primeira vez. E h pessoas que pensam que talvez devesse haver algo mais recente do que uma Mensagem j com 95 anos. Mas o facto que esta Mensagem, como afirmou o Papa Joo Paulo II, mais relevante e mais urgente hoje do que o era quando Nossa Senhora apareceu pela primeira vez naquele lugar. Gostaria de rever um pouco daquilo que Nossa Senhora fez, para podermos compreender de que modo a Mensagem se refere a ns e ao nosso tempo. O Papa Bento XV pediu Virgem Santssima que lhe mostrasse o caminho para sairmos da Primeira Grande Guerra. Aquando da primeira apario de Nossa Senhora em Ftima, em Maio de 1917, o Papa Bento XV j era Papa h quase trs anos. E, antes disso, tivera uma grande experincia como diplomata do Vaticano. Ele tentou tudo o que sabia para trazer a paz ao mundo do seu tempo. At que reconheceu que era impossvel; que s os esforos humanos no bastavam, e que ele precisava da ajuda do Cu para a obter. Escreveu, pois, sobre este assunto, uma carta que dirigiu ao Cardeal Vigrio de Roma, e ele mesmo no se cansou de instar junto de Nossa Senhora, para que Ela lhe mostrasse o caminho certo. Estava-se a 5 de Maio de 1917. E oito dias mais tarde, a 13 desse ms de Maio, a Virgem Santssima desceu a Ftima. E voltou a descer durante seis meses, para explicar o que tinha de se fazer, e que no havia outro caminho que nem mesmo alguma nova mensagem de mais algum ou de qualquer outro lugar poderia contradizer ou substituir esta Mensagem que Ela confiara aos Pastorinhos em Ftima. A Mensagem em si mesma muito simples; mas, tendo-a eu vindo a estudar h 35 anos,

    http://www.fatima.org/port/crusader/cr102/cr102pg02.pdf

  • 2

    O Cardeal Renato Martino, do Vaticano, na Conferncia de 2012 sobre Ftima com o Padre Nicholas Gruner.

    O Padre Paul Kramer, o Padre Gruner e o Cardeal Martino, que tem na mo o livro do Padre Kramer, O suicdio de se alterar a F na Liturgia.

    Alguns dos Bispos que Assistiram Conferncia Ftima: A Sua ltima Oportunidade ( esquerda, em cima) Os Bispos Maipan, Malzaire, Andreazza, Mosconi, Bispo Vera Plasencia. ( esquerda, em baixo) (Dr. Peter McNelis, Coordenador do Workshop dos Bispos) O Arcebispo Datubara, os Bispos Thakur e Ghebremedhin, o Arcebispo Barwa, e os Bispos Khoarai, Ponnumuthan, Hombach e Borwah.

    O Patriarca Capucci, um Arcebispo da Palestina, com o Padre Gruner.

    Os Bispos Mosconi, Khoarai e Andreazza; o Bispo Vera Plasencia, nas suas vestes episcopais especiais, usadas na Audincia Pontifcia.

    http://www.fatima.org/port/crusader/cr102/cr102pg02.pdf

  • 3

    feitos agora, devo confessar que incrvel ver quantas desculpas arranjaram os homens tanto no clero como leigos para no lhe obedecer.

    Os Membros do Parlamento e os eleitores tm uma obrigao para com

    as crianas por nascer

    Lembro-me de quando escrevi aos Membros do Parlamento do Canad sobre a Constituio que era preciso que prestassem ateno e protegessem as crianas por nascer na nova Constituio de 1981. E, embora a minha carta fosse muito simples, fiquei admirado como pde ela ser to mal interpretada. Assim, resolvi escrever outra vez, agora uma carta curtssima: Exm Senhor, Membro do Parlamento: Se V. Ex no proteger as crianas por nascer, ir para o Inferno. Ento eles compreenderam. E isso era, na sua essncia, a Mensagem do Papa Pio XI na sua Encclica, ao dizer que os legisladores no tm como simples opo, mas sim como uma obrigao, protegerem as crianas por nascer, os inocentes. a obrigao deles. Perante Deus, no h partidos polticos que os desculpem. Eles tomaram em mos a obrigao de proteger as crianas por nascer, de proteger todos os inocentes com as suas leis e sanes apropriadas, tal como o Papa Pio XI salientou na sua Encclica Casti Connubii em 1930. E essa regra no muda s por terem passado tantos anos. Semelhantemente, a Mensagem de Ftima algo que Nossa Senhora disse ao Santo Padre e aos Bispos que, ao aceitarem o cargo de Papa ou de Bispo, aceitaram tambm essa tarefa, essa responsabilidade de Lhe obedecerem a este respeito, porque no h nenhum outro meio alm deste.

    No podemos chamar Bem ao Mal nem chamar Mal ao Bem

    Foi j h uns 15 anos que eu escrevi um ensaio a que nunca respondeu ningum, nem mesmo um telogo. Ora eu no estou aqui para julgar ningum nem o Papa, nem um Bispo, nem algum padre, nem algum mais. excepo de quando ouo confisses, no meu dever julgar ningum. Mas sim tenho apuntado cuidadosamente a ordem moral objectiva que a Sagrada Escritura nos ensina: que ns no podemos chamar Bem ao Mal, nem chamar Mal ao Bem. E, na ordem moral objectiva, um pecado mortal, um assunto gravemente srio no obedecer ordem que Nossa Senhora de Ftima deu ao Papa e aos Bispos para Lhe consagrarem a Rssia do modo que a Mesma Senhora especificou. Apercebo-me agora de que fiz uma afirmao politicamente incorrecta. Esta afirmao no coisa que seja popular. Conheo telogos que so progressistas, e conheo outros que, sendo muito tradicionais, tm uma opinio contrria. Mas ainda no

    http://www.fatima.org/port/crusader/cr102/cr102pg02.pdf

  • 4

    houve nenhum que respondesse ao argumento que eu apresentara, a despeito de eu o ter tornado pblico muitas vezes ao longo dos anos em que tenho divulgado a Mensagem de Ftima. Embora eu tenha estudado o assunto extensivamente e feito sobre ele muita pesquisa, sou tratado como a Mensagem de Ftima. No faam caso dele, que ele acaba por desaparecer. No faam caso de Nossa Senhora de Ftima, que Ela acaba por desaparecer. Se no fizermos caso destes factos, destes argumentos e destas razes, a Senhora e a Sua Mensagem simplesmente desaparecero. Mas Nossa Senhora de Ftima e a Sua Mensagem no desaparecero. Os comentadores dos eventos que agora esto a acontecer no mundo podem ver que, com toda a certeza, os castigos da guerra e da fome (anunciados em Ftima) no desaparecero num futuro prximo.

    Os Media escondem de si, Leitor, toda a verdade

    A Virgem Santssima deu-nos uma Mensagem de como ter paz no mundo; e que s Ela nos poder valer. Mas talvez lhe falte, Leitor, alguma perspectiva. Poder dizer-me: At agora no aconteceu nada de verdadeiramente dramtico. Mas isso porque os comentadores, os jornais, os editores, escritores, e as pessoas a quem a maior parte do mundo presta realmente ateno as pessoas que falam na televiso, na imprensa estabelecida, e assim por diante no esto a dar-lhe toda a verdade. As pessoas que esto a soldo do inimigo no chamaram a nossa ateno para o facto de que, desde que a famlia humana desprezou a Mensagem de Nossa Senhora, houve 1.686.570.000 (para cima de mil milhes e meio!) de mortes violentas como resultado directo de se ter ignorado Nossa Senhora de Ftima. E os media no nos deram uma tal perspectiva. Nestes 95 anos em que se ignorou Nossa Senhora de Ftima tivemos de pagar um preo terrvel; mas, por muito mau que tenha sido, esse preo ser exigido a dobrar ou a triplicar nos anos mais prximos, se continuarmos a ignorar Nossa Senhora por muito mais tempo. H alguns meses atrs, a populao mundial ultrapassava os sete bilies de pessoas. Diz a Sagrada Escritura, e outras profecias tambm o dizem, que entre um e dois teros de toda a populao que entre um e dois teros da Humanidade ser dizimada na guerra que h-de vir. No sei o que ser preciso para ns acordarmos; talvez tenhamos de ver este assunto na NBC ou na CBS ou ler algum comentador no New York Times para finalmente o tomarmos a srio. E talvez digamos para ns mesmos que estamos a tomar a srio a Mensagem de Ftima; mas eu penso que no a tomamos suficientemente a srio. que ns temos muitas prioridades; s vezes dou comigo a pensar como que vou passar o dia, entre o que devo fazer hoje desde que me levanto e fao a minha leitura, e fao o meu trabalho, e falo com pessoas com que Deus quer que eu fale, e assim por diante. E cada dia tem s 24 horas, e eu tenho a certeza de que a minha vida no to ocupada como a dos Bispos ou a do Papa. O que temos que fazer da Mensagem de Ftima a prioridade nmero um.

    http://www.fatima.org/port/crusader/cr102/cr102pg02.pdf

  • 5

    DEVEMOS gritar as verdades de Deus do cimo dos telhados!

    No h nada mais srio, nada mais importante, nada mais urgente do que a Mensagem que Nossa Senhora nos deixou em Ftima. E isto algo que eu no sei como dizer. Estou a lembrar-me de uma carta que recebi de um Bispo idoso h muitos anos. Penso que ele estava em Ottawa. E o que ele me dizia na sua carta era, basicamente: Senhor Padre Gruner, se no tivesse levantado tanto a voz, se no tivesse gritado connosco, talvez tivssemos comeado a prestar-lhe ateno. Eu respondi-lhe, dizendo: Muito lhe agradeo o seu interesse e a sua advertncia. Mas se me puder dizer como poderei eu fazer