faculdades de ensino superior da paraÍba fesp - jessica... · de ensino superior da paraíba –...

Download FACULDADES DE ENSINO SUPERIOR DA PARAÍBA FESP - Jessica... · de Ensino Superior da Paraíba – FESP,

Post on 20-Nov-2018

216 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • FACULDADES DE ENSINO SUPERIOR DA PARABA FESP CURSO DE BACHARELADO EM DIREITO

    JSSICA LIRA DE OLIVEIRA

    A REINCIDNCIA COMO REPOSTA NEGATIVA A PROPOSTA DA

    RESSOCIALIZAO DO SISTEMA PRISIONAL BRASILEIRO

    CABEDELO-PB 2016

  • JSSICA LIRA DE OLIVEIRA

    A REINCIDNCIA COMO REPOSTA NEGATIVA A PROPOSTA DA

    RESSOCIALIZAO DO SISTEMA PRISIONAL BRASILEIRO

    Trabalho de Concluso de Curso em forma de Artigo cientfico apresentado Coordenao do Curso de Bacharelado em Direito, pela Faculdade de Ensino Superior da Paraba FESP, como requisito parcial para a obteno do ttulo de bacharel em Direito. rea: Direito Penal Orientadora: ProfMs. Herleide Herculano Delgado

    CABEDELO-PB 2016

  • JSSICA LIRA DE OLIVEIRA

    A REINCIDNCIA COMO REPOSTA NEGATIVA A PROPOSTA DA

    RESSOCIALIZAO DO SISTEMA PRISIONAL BRASILEIRO

    Artigo Cientfico apresentado Banca Examinadora de Artigos Cientficos da Faculdade Superior da Paraba FESP como exigncia para obteno do grau de Bacharel em Direito.

    APROVADO EM _____/_______2016

    BANCA EXAMINADORA

    ___________________________________________ Prof Ms. Herleide Herculano Delgado

    ORIENTADORA-FESP

    ___________________________________________ Prof Ms. Ana Clara Montenegro Fonseca

    MEMBRO- UFPB

    ___________________________________________ Prof Ms. Cludio Marcos Romero Lameiro

    MEMBRO- MAURCIO DE NASSAU

  • AGRADECIMENTOS

    Primeiramente a Deus, por ter me dado sade e animo para superar as

    dificuldades ao decorrer do tempo.

    Aos meus pais, Jos Lima e Maria Luiza, pelo amor e compreenso

    incondicional que foram dedicados a mim. Sem eles, nada disso estaria

    acontecendo.

    Aos amigos que sempre me deram incentivo para continuar a jornada, e em

    especial Flavio Elton o qual sempre se dedicou desde incio do curso, a me ajudar

    quando mais precisei.

    A minha orientadora Herleide Herculano que dividiu comigo seu brilhantismo

    e conhecimento, fazendo-me ampliar a viso do Sistema Prisional brasileiro.

    E a todos que diretamente ou indiretamente fizeram parte da minha

    formao, o meu muito obrigada.

  • Por que dele e por ele, para ele so todas as coisas

    Dedico

  • SUMRIO

    1 CONSIDERAES INICIAIS ........................................................................ 07

    2 A REINCIDNCIA COMO RESPOSTA NEGATIVA

    RESSOCIALIZAO .................................................................................... 09

    2.1 UMA BREVE REFLEXO SOBRE O CRIME E O DIREITO DE PUNIR .... 10

    2.2 CARACTERSTICAS DA ORGANIZAO DO SISTEMA BRASILEIRO.... 11

    2.3 A RESSOCIALIZAO COMO FORMA RESTRITIVA DE DIREITOS ....... 13

    2.4 OS PROBLEMAS DA RESSOCIALIZAO ............................................... 15

    3 CONSIDERAES FINAIS........................................................................... 23

    REFERNCIAS ................................................................................................ 25

  • 7

    A REINCIDNCIA COMO REPOSTA NEGATIVA A PROPOSTA DA

    RESSOCILIZAO DO SISTEMA PRISIONAL BRASILEIRO

    Jssica Lira de Oliveira

    Herleide Herculano Delgado

    RESUMO

    Tendo por objetivo traar um estudo acerca da reincidncia como resposta negativa ressocializao no sistema prisional, no caso brasileiro, o presente texto mostra como a instituio onde o apenado cumpre a pena, em face do atual modelo do sistema prisional, termina por atuar como forma de restrio de direitos. Este artigo de natureza terica foi elaborado com uma metodologia que discute a questo objeto deste trabalho, explicitando de que forma o sistema falha como ferramenta de ressocializao, quais os motivos e de que forma poderia o sistema prisional realmente funcionar para a finalidade a que se destina. O estudo a ser realizado ser, sobretudo, de pesquisa bibliogrfica e de levantamento de dados, abordando a temtica de forma tcnica e interpretativa. A leitura e interpretao da doutrina acerca do tema exposto ser fundamental e bsico para a construo do texto. Havendo neste trabalho uma reflexo acerca da eficcia do questionado sistema prisional brasileiro, elencando de que forma procede para direcionar o apenado durante o seu processo de ressocializao. Palavras chaves: Direito Penal. Ressocializao. Reincidncia. Restrio de Direitos.

    1 CONSIDERAES INICIAIS

    A questo a ser tratada nessa pesquisa a seguinte: o modelo de

    ressocializao adotado no Brasil representa uma restrio dos direitos

    fundamentais do apenado por no ser considerado um regime jurdico eficaz na

    devoluo do ex detento ao convvio social? esta uma indagao a qual se faz

    necessrio uma ampla reflexo, em face de um contexto que insiste em manter-se

    conveniente, mesmo com o passar dos anos.

    *Aluna do 9 perodo do Curso de Bacharelado em Direito da Fesp Faculdades, semestre 2016.1. E-mail: jessica.lira93@hotmail.com. ** Mestre em Direito Econmico pela Universidade Federal da Paraba. Especialista em Direito Tributrio pela Universidade Anhanguera. Professora e Pesquisadora da Fesp Faculdades. Membro do Grupo NUPOD Ncleo para Pesquisa dos Observadores do Direito (DGP/CCJ/UEPB). Membro da Comisso de Estudos Tributrios da OAB-PB, atuou como orientadora desse TCC. E-mail: herleideherculano@hotmail.com

    mailto:jessica.lira93@hotmail.com

  • 8

    Ressocializar reiterar uma pessoa novamente ao convvio social. trabalhar

    na perspectiva de recuperar aquela pessoa que por algum motivo se desviou das

    condutas corretas, e fez coisas reprovveis pela sociedade, recebendo punio

    sobre isso, de acordo com a gravidade da conduta praticada.

    O modelo de ressocializao adotado no Brasil no considerado eficaz e,

    por isso, representa uma restrio aos direitos fundamentais do apenado que, aps

    o cumprimento da sua pena, no encontra o amparo necessrio sua reinsero

    social. E esta falta de acompanhamento pode implicar em reincidncia, onde o ex

    apenado retorna ao crcere por consequncia sua dificuldade se inserir junto

    coletividade.

    interessante a abordagem destes pontos em face de um nmero

    considervel de presos que se tornam reincidentes. Isto ocorre por vrios fatores,

    dentre eles, merece destaque a dificuldade de recepo dos ex apenados perante a

    sociedade que os exclui e os devolve marginalidade, em muitos casos.

    Portanto, se faz necessria a discusso acerca da real eficcia social do

    sistema prisional junto aos seus apenados, identificando aspectos tidos por padres

    no objetivo da ressocializao. Logo, as implicaes inerentes ao cumprimento da

    pena influenciam o apenado, muitas vezes brutalizando-o ou mesmo criando marcas

    psicolgicas que levar por toda a sua vida posteriormente, afetando a sua

    reinsero junto coletividade.

    A resposta indagao acerca de o sistema de ressocializao aplicado no

    Brasil ser um regime jurdico eficaz na devoluo do ex detento ao convvio social

    de fundamental importncia para a sociedade como um todo, pois estes indivduos

    margem da sociedade necessitam de recuperao como ser humano, capacitados,

    de modo a que busquem uma nova vida. O que nem sempre possui contribuio

    tambm da sociedade, alm do sistema prisional em seu esforo por ressocializar.

    Este estudo descreve o que ocorre na realidade no sistema prisional

    brasileiro, analisando a ressocializao como forma, muitas vezes, de restrio de

    direitos fundamentais. O trabalho aponta os problemas da organizao do sistema,

    fundamentando o objeto debatido em face de dados estatsticos e da opinio de

    nobres doutrinadores, os quais corroboram para o exerccio analtico do trabalho

    apresentado.

    O trabalho buscar uma viso alm do negativo, objetivando descobrir

    tambm os efeitos positivos que h de serem exemplos para a recuperao dos

  • 9

    indivduos. E quando falamos de ressocializao tambm nos referimos a

    readaptao, realocao no mercado de trabalho, reinsero na vida domstica, os

    cursos educacionais e outros meios os quais so utilizados como ferramentas para

    tentar o resgate do cidado.

    2 A REINCIDNCIA COMO RESPOSTA NEGATIVA RESSOCIALIZAO

    Ser a reincidncia uma resposta negativa a uma ineficaz ressocializao

    proposta pelo sistema prisional brasileiro? uma questo a se debater,

    principalmente por esta ser uma discusso ainda no resolvida. O sistema prisional

    ainda no parece ter encontrado a frmula adequada que ensejasse os melhores

    resultados na atividade de reinserir um ex detendo na sociedade.

    Uma pesquisa do IBGE utilizada por fonte para o CNJ fez uma contabilidade

    da ascenso da populao carcerria brasileira, elencado no relatrio da pesquisa o

    seguinte grfico:

  • 10

    Logo, inegvel o crescimento dessa populao carcerria, o que implica

    em uma superlotao, bem como uma maior exigncia de polticas pblicas junto ao

    Estado que, por sua vez, tem gastos cada vez maiores com a manuteno da

    estrutura dos presdios brasileiros. Este crescimento pode representar um indicador

    de que a ressocializao no tem cumprido o seu papel de reintegrar o apenado ao

    convvio social.

    Portanto, em face de uma legtima necessidade iremos tecer a seguir uma

    conveniente reflexo acerca do sistema prisional brasileiro e de que forma ele no

    acaba por atuar como agente causador de restrio de direitos fundamentais, em

    face de uma ressocializao ineficaz. E como essa ineficcia

Recommended

View more >