excertos do livro mozart, - .excertos do livro mozart, ... muito diferente das que têm sido...

Download Excertos do livro MOZART, - .Excertos do Livro Mozart, ... muito diferente das que têm sido editadas

Post on 09-Dec-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

1

Excertos do Livro

Mozart, Esse desconhecido

de Delmar Domingos de Carvalho

AVISO

Quem me avisa, meu amigo . Provrbio

Muito se tem escrito e falado sobre Mozart. Sendo, assim, porqu mais um trabalho dedicado a este gnio? Investigando a sua vida e a sua obra, com profundidade e mente aberta, este ser muito dotado para a msica, como para a matemtica e at para os idiomas, continua envolvido em algo misterioso. H um Mozart enigmtico. Eis a razo desta obra, muito diferente das que tm sido editadas. Por isso, neste trabalho, vamos procurar analisar, investigar, reflectir, discernir e usar a nossa capacidade epigensica, com a finalidade de desvendar alguns dos mistrios que envolvem a vida e obra deste gnio, incompreendido H anos que temos vindo a ler diversas biografias sobre Mozart; h anos que ouvimos as suas composies musicais que nos elevam nossa verdadeira Ptria Celestial; h anos que temos procurado ir aos locais onde esteve ou viveu desde sua terra natal Salzburg, ustria, sua amada Londres at quela onde nasceu para o santo etreo monte, a nossa querida Viena; h anos que estudamos as suas obras, que investigamos o misterioso Mozart. Uma das suas peras, a bem conhecida e misteriosa, Flauta Mgica, ser um dos temas mais importantes deste trabalho. Inesgotvel e apaixonante, ir ser alvo de profunda e diversificada anlise.

2

Temos visto que A copiou B; B copiou C; D copiou M; E copiou Z, e, que, como evidente, cada um tem o seu ponto de vista, muito embora, em muitos casos, a repetio seja a nota principal o que nos causa dOs erros, assim, se vo repetindo, e alguns at convm...., seguindo os mtodos escolsticos que Mozart, esprito livre e criador, detestava! Nesta obra, surgem elementos inditos, concluses que nunca foram publicadas. Apesar disso, este rduo trabalho no encerra conhecimentos infalveis, jamais. No estado evolutivo actual, mesmo nos que j subiram ao cimo da Montanha, no h senhores da Verdade Absoluta. Esta, em nossa humilde opinio, s existe na Sempre-Essncia Existncia, designao criada por Max Heindel, o mensageiro da Ordem Rosacruz, que, nos princpios do sculo XX, divulgou alguns dos ensinamentos bsicos da Sabedoria dos verdadeiros Iniciados da Ordem Rosacruz, designadamente, no Conceito Rosacruz do Cosmo, sobre o Absoluto, o Ser Ilimitado, onde tudo existe, desde o Universo limitado, mas em expanso, logo aumentando seus limites, at aos 6 restantes Planos Csmicos, onde evoluem Hierarquias Divinas. Como do nada, nada se cria, logo esta obra tem por base algo que outras pessoas j nos legaram, a quem devemos gratido, como a Mozart e a tantos outros que, por obras valorosas, da Lei da Morte se libertaram. Como j afirmmos, existem vrios dados, aspectos da sua vida e obra, pouco focados e alguns inditos, que so da nossa inteira responsabilidade. Em alguns casos, sabemos que iro gerar alguma polmica, no sentido positivo desta disposio de esprito. Sabemos que muitos no vo gostar; pacincia, se assim for. Todos te mos o direito liberdade de expresso e criao, no respeito pela vida e pelas opinies diversas. No conjunto de todas elas, quais faces prismticas da Verdade, esperamos que a Luz cristalina irradie. Em resumo: este livro trata de temas pouco investigados, alguns, que saibamos, jamais foram alvo de investigaes, apresenta um novo e Velho Mozart. Esperamos contribuir para que todos amem, ainda mais, a obra mozartiana, o seu universalismo, que a anttese da globalizao, como a sua expresso de fraternidade universal, desenvolvendo a nossa gratido para com Mozart, como para com todos os que legaram Humanidade obras de valor, libertadoras, em todas as reas da actividade humana. Sua msica vence credos, dogmas, racismos, separatismos; baseada na Matemtica, na Numerologia Crist, na Geometria, ela arauta da msica do Futuro. Vamos procurar desvendar... o Mozart, Esse Desconhecido. Cada qual tem esse dever; cada um de ns deve exercer as suas capacidades intelectuais e anmicas, na descoberta de novas faces da Verdade, tendo sempre presente que nenhum ser humano infalvel.

Delmar Domingos de Carvalho

3

MOZART, VIDA E OBRA

PTALA I

INTRODUO

O gnio mais prodigioso que se elevou acima de todos os mestres,

em todas as artes e em todos os tempos. R. Wagner

Em persa, rosanan, quer dizer: os Filhos da Luz; tal como, no antigo egpcio, Phree-Messen designa: Os Filhos da Luz ou do Fogo; Phre, Sol e Mess, Luz. Essa bela e aromtica flor que lhe chamaram ROSA no s a rainha das flores, tambm, um smbolo mtico, mstico e esotrico. Como muitas flores silvestres, basta observar a beleza da me-natura, tem cinco ptalas; so estrelas na terra, de cinco pontas, so pentagramas, parte do actual smbolo Rosacruz, que representa o traje nupcial, o vestido dourado, tecido graas a muito SERVIO feito com PUREZA ao longo de vidas, TAL COMO PURA A REPRODUO ENTRE AS NOSSAS IRMS DO REINO VEGETAL. Desde tempos imemoriais a rosa foi consagrada ao deus Sol; mais tarde, a Vnus, a Estrela da Manh, a Madalena. Nos idiomas francs, como no alemo e no ingls, rosa escreve-se, ROSE; eis as mesmas letras que a palavra EROS, o deus do AMOR. Afinal, a ROSA no a flor do Amor, do Romantismo, da Luz?1 Como escreveu o mdico rosacruz, monge catlico, Angelus Silesius, nome latino, de Johannes Scheffler, nascido, em Breslau, Silsia, agora conhecida por Wroclaw, cidade polaca, aps a II Grande Guerra Mundial, em sua obra: A ROSA SEM PORQU: Floriu em Deus desde o Princpio.; o qual no teve comeo nem ter fim. Ora, a obra de Mozart expresso dos filhos da Luz, dos ROSANAN, ela uma Roscea que d luz ao templo interno de cada ser humano que est crucificado na cruz da matria. As suas composies expressam os coros das esferas csmicas. Por isso, dividimos este trabalho em 12 ptalas, em vez de captulos, numa ligao Harpa Csmica que so as 12 Hierarquias Divinas, as 12 Constelaes Zodiacais, as 12 tribos de Jacob, smbolo astronmico em que apenas h uma feminina que est ligada a Virgo, a Caixa de Ressonncia em que as Cordas da Lira de Apolo so os 7 Logos Planetrios da Escala diatnica. A quem muito amou, sentimento que expressou na Pamina da sua Flauta Mgica, a quem no foi compreendido, antes perseguido, por vezes mal tratado, aqui deixamos esta nossa

1 Nota do Editor: O conceito amor, em grego, pode ser expresso pelas seguintes palavras:(1) ers, que designa o amor paixo, o desejo apaixonado, o amor ardente; (2) philia, que designa o amor composto de amizade e desejo; (3) agap, que designa o amor afeio, o amor devocional ou fraternal. A palavra grega que os dois grandes Iniciados do amor, Joo e Paulo, utilizam nos seus escritos neotestamentrios preferencialmente agap, devido sua conotao espiritual.

4

simples homenagem: Obrigado Mozart, deixastes uma gigantesca Roscea, com mais de 600 ptalas!

VIDA E OBRA I

DATA EM QUE MOZART VEIO DE NOVO AO MUNDO E O SEU VERDADEIRO NOME DO BAPTISMO

144 (1+4+4=9) anos depois de Jacob Boehme 2 ter comeado a escrever a sua obra, A Aurora Nascente, a 27 de Janeiro de 1612, eis que vinha de novo ao mundo, pelas 8 horas P.M., ou seja 20 horas oficial, de 27 de Janeiro de 1756, um Ego que, no dia seguinte, pelas 10h30, foi baptizado na antiga e moderna Catedral de Salzburg, ento um Principado, governado por um Arcebispo, logo a seguir, parte integrante do Pas da Msica, ustria, a quem lhe foi posto o nome de: Joannes Chrysostomus Wolfgangus Theophilus. este o seu verdadeiro nome de baptismo; o resto so cpias de A para B, etc. Portanto, estaro correctos os nomes em que surgem: Johannes, em vez de Joannes; ou Mozart no final do nome; ou com a palavra alem, equivalente a Theophilus, Gottlieb ou Chrisostomus, etc? A resposta clara, aqui a face da Verdade cristalina: para isso h que agradecer aos que criam os arquivos, os preservam, etc, como os de Salzburg e outros. Todos os documentos tm, em nosso ver, um carcter universalista. De acordo com a numerologia crist, em sintonia com o alfabeto germnico, o seu nome igual a 502 ou seja: 5+0+2=7. Um nmero a fixar, pois tem muito valor, ele expressa desde as 7 rosas na cruz, como as 7 virtudes, os 7 sacramentos, os 7 Logos Planetrios diante do Trono, como os 7 dias da semana, as 7 cores do arco-ris, como as 7 notas da escala diatnica, cores e sons intimamente ligados, etc. Mais frente, na Ptala n 3, sero representadas as diversas unies entre as letras e os alfabetos desde o hebraico, fencio, at ao grego, que tm uma ligao ntima, surgem nos diversos dicionrios, como nos valores dos alfabetos germnicos, anglo-saxnicos, latinos, entre estes, o portugus. que cada letra emite um som; cada palavra um conjunto de sons; um nome, ainda mais. Cada som tem a sua vibrao, logo as letras e as palavras emitem as suas vibraes; esto ligadas Matemtica e Geometria que existe na construo e na manuteno do Universo, qual Verbo, Som Criador que deu manifestao a tudo quanto existe, desde a estrelado-mar s estrelas dos cus, do tomo ao ser humano e a outras ondas de vida que involuem e evoluem nos 7 planos csmicos, desde o mais denso, onde esto todos os sistemas solares at ao dos Deuses Criadores, e tudo est no ABSOLUTO A RAZ CSMICA DE TUDO QUANTO EXISTE, cujo plo positivo a VIDA, o ESPRITO, e o negativo, as diversas formas, os diversos seres, as diversas ondas de Vida. 3

2 Jacob Boehme, (1575-1624) rosacruciano, denominado Philosophus Teutonicus, nasceu na Alta Luscia, Alemanha. 3 Conceito Rosacruz do Cosmo, por Max Heindel. Nasceu em Aarhus, Dinamarca, em 23 de Julho de 1865, no seio de uma nobre famlia; morreu em Oceanside, USA, a 6 de Janeiro de 1919.

5

Da as sbias palavras de Santo Isidoro de Sevilha: A Ms