ete estacao de tratamento de esgoto

Download ETE Estacao de Tratamento de Esgoto

Post on 12-Jul-2015

432 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

DELTA AMBIENTAL Grupo Delta VinilEstaes Compactas de Tratamento de Esgotos Sanitrios

Estaes Compactas de Tratamento de Esgoto - ECTE

DELTA AMBIENTAL Grupo Delta VinilEstaes Compactas de Tratamento de Esgotos Sanitrios

Estaes de tratamento de efluentes1) APRESENTAO

A Delta Ambiental oferece diversas opes de Estaes de tratamento de efluentes, com o intuito de poder adequar a melhor soluo em termos de custo/benefcio para cada situao em particular. As propostas de soluo em tratamento de esgotos so feitas de forma personalizada, considerando inmeras variveis, garantindo assim que nossos clientes recebam atendimento diferenciado. Oferecemos a execuo de projetos em CAD, memoriais e todo o suporte tcnico de forma gratuita, atravs de profissionais especializados na rea. Nosso sistema foi especificamente projetado, o que garante uma eficincia de 80 a 90% no tratamento do esgoto (remoo de DBO - demanda bioqumica de oxignio). Tendo em vista que o esgoto sanitrio essencialmente orgnico, o tratamento biolgico se apresenta como o mais indicado. Entre os principais sistemas produzidos, esto: ETE anaerbia (Reator RAFA/UASB + Filtro Biolgico) ETE Mista (Sistema anaerbio + aerbio) ETE tipo Lodos ativados ETE Mista modular Tratamento primrio diversos acessrios Separadores de gua e leo Peas especiais sob encomenda

As ETEs Delta Ambiental baseiam-se nos parmetros das normas ABNT NBR 7229/93 e 13696/97 e tem o aval e acompanhamento da Engenheira qumica especializada Ana Paula Silva, CREA RS 128.711. Alm do melhor custo / benefcio, a Delta oferece qualidade, garantia de 10 anos em todos os equipamentos em fibra, suporte tcnico e atendimento personalizado. Nosso compromisso com a qualidade de nossos produtos garante a tranquilidade tcnica e ambiental para nossos parceiros. Vantagens do sistema: Alta capacidade de remoo de carga orgnica; Processo muito mais econmico do que os mtodos tradicionais; Garantia de estanqueidade total, evitando contaminao do lenol fretico; Facilidade de instalao (equipamentos prontos, sem necessidade de montagens e/ou rejuntamentos no local, podendo ser enterrados sem a necessidade de paredes de conteno);

DELTA AMBIENTAL Grupo Delta VinilEstaes Compactas de Tratamento de Esgotos Sanitrios

Estaes de tratamento de efluentesSimplicidade operacional; Baixo impacto em ambientes urbanos (rudo, odor, visual); Vida til do material: 40 anos

2) CARACTERSTICAS: Reatores Anaerbios de Fluxo Ascendente (RAFA ou UASB): Consiste em um tanque de PRFV (plstico reforado de fibra de vidro), projetado especificamente para essa finalidade, totalmente fechado, onde ser lanado o esgoto domstico. um mtodo econmico e bastante simples, que trabalha com bactrias anaerbicas, no sendo necessrio nenhum sistema de ventilao. O fluxo hidrulico funciona por gravidade, sem uso de bombas. Filtros Anaerbios Biolgicos: um ps-tratamento que remove compostos orgnicos e nitrognio na forma solvel, contribuindo para uma eficincia global na remoo de DBO de at 90%. O filtro anaerbio consiste em um tanque PRFV (polister reforado de fibra de vidro), tambm com medidas e formato especfico. O efluente lanado na parte inferior do tanque, atravs de tubo que chega at a parte inferior do mesmo, em seguida passa por uma tampa furada / meio suporte / calha vertedora. As bactrias presentes no lodo disperso estabilizam-se (fixam-se) no meio suporte. O meio suporte o elemento filtrante usado, podendo ser argila expandida ou at mesmo pedra brita, dependendo do porte do equipamento em questo. Obs: necessrio que o filtro trabalhe com o Reator Anaerbio. Reator Aerbio: Nesses reatores ocorrem as reaes bioqumicas de minimizao da matria orgnica presente. A biomassa lodo existente no reator se utiliza dessa matria orgnica como substrato (alimento) para se desenvolver. Com a entrada contnua de alimento, na forma de DBO5 e na presena de oxignio, introduzidos pelo aerador, os microorganismos crescem e se reproduzem continuamente.

3)

APLICAO

As estaes da Delta Ambiental so perfeitamente aplicadas para tratar os esgotos de residncias, conjuntos residenciais, edifcios de escritrios, shopping centers, indstrias com efluentes orgnicos, chcaras, hotis, motis, pousadas, restaurantes, condomnios residenciais e comerciais, pequenos bairros e distritos urbanos.

DELTA AMBIENTAL Grupo Delta VinilEstaes Compactas de Tratamento de Esgotos Sanitrios

Estaes de tratamento de efluentes4) FUNCIONAMENTO DOS SISTEMAS:

Sistema Anaerbio Sistema Misto (aerbio + anaerbio) Sistema Aerbio SISTEMA ANAERBIO As estaes de tratamento anaerbias caracterizam-se basicamente pela ausncia de fase aerada no processo de tratamento. O princpio de tratamento totalmente biolgico e anaerbio, ou seja, a degradao do esgoto ocorre atravs de bactrias anaerbias (que no necessitam de oxignio para sobreviverem). Essas estaes so compostas basicamente por reatores anaerbios (RAFA / UASB) seguidos de filtros biolgicos anaerbios, sem uso de nenhum equipamento eltrico acoplado ao sistema. Uma das grandes vantagens do sistema, pois essa caracterstica possibilita reduo de custos de funcionamento, operao e manuteno da ETE, bem como possibilita menor investimento na aquisio destas. Estes equipamentos so produzidos especificamente para a finalidade e por isso produzem um efluente que atende plenamente aos padres estabelecidos pelos rgos ambientais, pois tm uma eficincia de 80% a 85% na remoo de DBO (demanda bioqumica de oxignio).

Descritivo REATORES UASB / RAFANos Reatores Anaerbios de Fluxo Ascendente em Manto de Lodo - UASB ocorre a primeira etapa biolgica do tratamento. Nesses reatores, a biomassa cresce dispersa no meio, e no aderida a um meio suporte especialmente includo. A prpria biomassa, ao crescer, pode formar pequenos grnulos, correspondente aglutinao de diversas bactrias. Estes pequenos grnulos, por sua vez, tendem a servir de meio suporte para outras bactrias. A granulao auxilia no aumento da eficincia do sistema, mas no fundamental para o funcionamento do reator. A concentrao de biomassa no reator bastante elevada, justificando a denominao de manta de lodo. Devido a esta elevada concentrao, o volume requerido para os reatores anaerbios de manta de lodo bastante reduzido, em comparao com os outros sistemas de tratamento.

DELTA AMBIENTAL Grupo Delta VinilEstaes Compactas de Tratamento de Esgotos Sanitrios

Estaes de tratamento de efluentesO fluxo do lquido ascendente. Como resultado da atividade anaerbia, so formados gases (principalmente metano e gs carbnico), as bolhas dos quais apresentam tambm uma tendncia ascendente. De forma a reter a biomassa no sistema, impedindo que ela saia com o efluente, a parte superior dos reatores de manta de lodo apresenta uma estrutura que possibilita as funes de separao e acmulo de gs e de separao e retorno dos slidos (biomassa). Os slidos sedimentam na parte superior desta estrutura piramidal, escorrendo pelas suas paredes, at retornarem ao corpo do reator. Pelo fato das bolhas de gs no penetrarem na zona de sedimentao, a separao slido-lquido no prejudicada. TDH TEMPO de DETENO HIDRULICA indicado para os REATORES UASB.Temperatura do esgoto (C) Tempo de deteno hidrulica ( h ) Mdia diria Mnimo (durante 4 a 6 hs)

16 - 19 20 - 26 > 26

> 10 - 14 > 6 - 9 > 6

> 7 - 9 > 4 - 6 > 4

Fonte: Adaptado de Lettinga & Hulshoff Pol (1991)

EXEMPLO SISTEMA ANAERBIO

DELTA AMBIENTAL Grupo Delta VinilEstaes Compactas de Tratamento de Esgotos Sanitrios

Estaes de tratamento de efluentes

SISTEMA AERBIO As ETEs desta categoria caracterizam-se pelo tratamento totalmente aerado, que ocorre em reatores especiais. Nesses reatores ocorrem as reaes bioqumicas de minimizao da matria orgnica presente. A biomassa lodo existente no reator se utiliza dessa matria orgnica como substrato (alimento) para se desenvolver. Com a entrada contnua de alimento, na forma de DBO 5 e na presena de oxignio, introduzidos pelo aerador, os microorganismos crescem e se reproduzem continuamente.

SISTEMA MISTO As estaes de tratamento mistas caracterizam-se pela existncia de uma fase anaerbia de tratamento, seguida por fase aerbia, onde ocorre a oxigenao do efluente. Devido a essa diferena bsica com relao as ETEs anaerbias, neste tipo de sistema se consegue uma eficincia de tratamento acima de 90% na remoo de DBO, o que aliado a outros equipamentos perifricos pode proporcionar o reuso do efluente. O sistema composto por reatores UASB seguidos de reatores aerados (lodos ativados) ou filtros bio aerados. Os equipamentos so totalmente estanques e hermticos, produzidos em fiberglass de alta resistncia qumica e mecnica, atendendo todas as especificaes das normas vigentes. As resinas polister utilizadas so especificas para atender o que determina o item 5.2 da NBR 7229/93 e 4.1.3 da NBR 13969/97 principalmente no que se refere resistncia ao ataque qumico de substncias contidas no esgoto afluente ou geradas no processo de digesto dos esgotos. TDH TEMPO de DETENO HIDRULICA indicado para os LODOS ATIVADOS como ps tratamento de reatores UASBParmetros para REATORES de LODOS ATIVADOS como ps-tratamento de reatores UASB Reator Aerbio Idade do lodo (d) Relao A/M F/M (kgDBO/dia.kgSSVTA) TDH Tempo de Deteno Hidrulica (h) 6 10 0.25 0.40 35

DELTA AMBIENTAL Grupo Delta VinilEstaes Compactas de Tratamento de Esgotos Sanitrios

Estaes de tratamento de efluentesEXEMPLO DE SISTEMA MISTO

SISTEMA MISTO ETE MODULAR A ETE Modular um conjunto de tratamento com reatores associados em srie em um s mdulo, que inclui: reator anaerbio de manto de lodo, filtro biolgico areado submerso, decantador secundrio e cmara de desinfeco com pastilhas de cloro, todos com fluxo hidrulico no sentido ascendente. Concebido sob a tica da preservao ambiental, objetivando o tratamento de esgotos com eficinc

Recommended

View more >