estratégia de matrícula 2018 - ?· subsecretaria de planejamento, ... passe pelo procedimento...

Download Estratégia de Matrícula 2018 - ?· SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ... passe pelo procedimento anual…

Post on 30-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Estratgia de Matrcula 2018

  • Estratgia de Matrcula 2018

    1. DIRETRIZES GERAIS

    1.1. FUNDAMENTAO

    A Estratgia de Matrcula normatiza o acesso e a permanncia do estudante na Rede Pblica de

    Ensino para o ano letivo subsequente, em cumprimento ao disposto na legislao vigente.

    1.2. COMPETNCIAS

    1.2.1. SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ACOMPANHAMENTO E AVALIAO

    (SUPLAV)

    Cabe SUPLAV, anualmente, em consonncia com a Subsecretaria de Educao Bsica (SUBEB) e

    a Subsecretaria de Gesto de Pessoas (SUGEP), submeter ao Secretrio de Estado de Educao o

    plano de elaborao participativa da Estratgia de Matrcula e do Calendrio Escolar em

    cumprimento ao Regimento Interno da Secretaria de Estado de Educao do Distrito Federal

    (SEEDF).

    1.2.2. COORDENAO DE PLANEJAMENTO E AVALIAO (COPAV)

    Cabe COPAV a superviso das aes implementadas pela Diretoria de Acompanhamento da Oferta

    Educacional (DIOFE), no que se refere elaborao do documento Estratgia de Matrcula.

    1.2.3. DIRETORIA DE ACOMPANHAMENTO DA OFERTA EDUCACIONAL (DIOFE)

    a) Cabe DIOFE, coordenar a elaborao das normas para o procedimento de acesso e permanncia

    na Rede Pblica de Ensino e Instituies Educacionais Parceiras, bem como orientar e controlar sua

    execuo.

    b) Cabe, ainda, propor, elaborar e acompanhar a Estratgia de Matrcula anual para a Rede Pblica

    de Ensino e Instituies Educacionais Parceiras, por meio da Gerncia de Organizao do Sistema de

    Ensino e da Oferta Educacional (GEOF).

    1.2.4. COORDENAES REGIONAIS DE ENSINO (CRE) E UNIDADES ESCOLARES

    (UE)

    a) Cabe s CRE e s UE da Rede Pblica de Ensino e as Instituies Educacionais Parceiras, cumprir

    todos os itens previstos neste documento, referente ao ano letivo de 2018, inclusive, divulg-lo a

    toda Comunidade Escolar.

    1.3. ETAPAS DO PROCESSO DE MATRCULA

  • Estratgia de Matrcula 2018

    1.3.1. RENOVAO DE MATRCULA: Procedimento interno de confirmao do interesse do(a)

    responsvel, quando o(a) estudante for menor de idade, ou do(a) prprio(a) estudante, quando maior

    de idade, regularmente matriculado(a) no corrente ano, em permanecer na Rede Pblica de Ensino

    ou em Instituies Educacionais Parceiras, no ano letivo de 2018, conforme critrios estabelecidos

    nos itens 2.1.1. e 2.1.2. deste documento.

    1.3.2. REMANEJAMENTO ESCOLAR (RE): Procedimento interno que permite, ao() estudante

    regularmente matriculado(a) na Rede Pblica de Ensino, no ano letivo de 2017, solicitar/requerer

    mudana para outra UE, para o ano letivo de 2018, mais prxima de sua residncia, do trabalho do(a)

    estudante ou do(a) responsvel, ou para outra de sua preferncia, conforme critrios estabelecidos no

    item 2.2. deste documento.

    1.3.3. MATRCULA NOVA: Procedimento externo de acesso Rede Pblica de Ensino para

    estudantes no matriculados(as) no ano letivo de 2017 e que nela queiram ingressar no ano letivo de

    2018. As inscries para ingresso nas Etapas (Educao Infantil Pr-Escola, Ensino Fundamental e

    Ensino Mdio) e/ou na Modalidade da Educao de Jovens e Adultos (EJA) sero realizadas por

    meio do Central nica de Atendimento Telefnico (Telematrcula/156), conforme Cronograma das

    Etapas de Matrcula, constante no item 5.1. deste documento. A inscrio para a Educao Especial

    ser realizada nas CRE em articulao com a UNIEB/UNIPLAT.

    1.3.4. EFETIVAO DE MATRCULA: Procedimento para confirmao da matrcula para todos

    (as) os(as) estudantes contemplados(as) com uma vaga nas etapas de RE e de Matrcula Nova,

    conforme critrios estabelecidos nos itens 2.2. e 2.4. deste documento.

    1.4. GARANTIA DE ATENDIMENTO

    a) O atendimento nas diferentes etapas e modalidades da Educao Bsica gratuito, conforme

    preconiza o inciso I do Art. 208 da Constituio Federal, cabendo SEEDF promover a chamada

    escolar obrigatria, utilizando o Telematrcula/156 e a internet por meio do site www.se.df.gov.br,

    para realizao das inscries, ressalvados os casos de crianas e de adolescentes em situao de

    medidas protetivas e/ou populao em situao de rua, previstos no item 1.10 deste documento.

    b) O atendimento da Educao Bsica dos 4 aos 17 anos na Rede Pblica de Ensino passa a ser

    obrigatrio, conforme disposto na legislao vigente.

    c) A extenso do atendimento da Educao Infantil epata Creche (4 meses de vida a 3 anos)

    http://www.se.df.gov.br/

  • Estratgia de Matrcula 2018

    gradativa e est assegurada de acordo com a disponibilidade de vaga.

    d) Os turnos de funcionamento das UE pertencentes Rede Pblica de Ensino so matutino,

    vespertino, noturno ou integral.

    e) A carga horria diria de, no mnimo, 5 horas/relgio para o turno diurno, de 4 horas/relgio

    para o turno noturno e de, no mnimo, 7 horas/relgio para o turno integral, conforme previsto no

    Regimento Escolar da Rede Pblica do Distrito Federal, aprovado pela Portaria n 15/2015

    SEEDF.

    f) O atendimento de tempo integral para a Educao Infantil ser ofertado nas demais Instituies

    Educacionais Parceiras, conveniadas com a SEEDF, Creches da Rede Pblica de Ensino, Centro de

    Atendimento Integral Criana (CAIC), Centro de Educao Infantil (CEI), Centro de Educao

    para a Primeira Infncia (CEPI) e CEI 01 de Braslia. Nessas unidades o atendimento realizado em

    tempo integral de 10 horas.

    g) As UE devero encaminhar ao Conselho Tutelar e ao Ministrio Pblico do Distrito Federal e

    Territrios (MPDFT), a relao dos(as) estudantes com os dados atuais, bem como a quantidade de

    faltas daqueles que atingirem o limite de 50% do percentual permitido em Lei, depois de esgotadas

    as aes definidas no Projeto Poltico Pedaggico (PPP) da UE, conforme determina o inciso VII do

    art. 12 da Lei Federal n 9.394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educao Nacional LDB), visando

    o retorno do estudante UE, conforme disposto no inciso XVI, art. 8 do Regimento Escolar da

    Rede Pblica de Ensino do Distrito Federal.

    h) Nos casos em que o(a) estudante infrequente no seja encontrado(a) aps o 31 dia do incio do

    ano letivo, a UE e as Instituies Educacionais Parceiras ficam autorizadas a matricular novos(as)

    estudantes, em tantas quantas forem as vagas decorrentes de infrequncia dos(as) estudantes por

    turma. Caso o(a) estudante infrequente retorne e no haja disponibilidade de vaga na UE em que

    estava matriculado(a), a CRE de vinculao dever encaminh-lo(a) para outra UE onde exista vaga,

    conforme determina o inciso XVI, art. 8 do Regimento Escolar da Rede Pblica de Ensino do

    Distrito Federal.

    i) Em nenhuma hiptese ser negada matrcula nas etapas e modalidades da Educao Bsica em

    funo de documentao incompleta, devendo, neste caso, observar o disposto na legislao vigente

    e, em especial, o art. 254 do Regimento Escolar da Rede Pblica de Ensino do Distrito Federal.

    j) vedado o pagamento de taxas, sob qualquer pretexto, nas UE da Rede Pblica de Ensino, bem

    como em Instituies Educacionais Parceiras.

    k) O estudante da Educao Infantil matriculado na UE da Rede Pblica de Ensino ou em

    Instituies Educacionais Parceiras, cuja matrcula foi lanada no sistema sem a identificao de

  • Estratgia de Matrcula 2018

    uma Deficincia ou Transtorno Global do Desenvolvimento (TGD)/Transtorno do Espectro Autista

    (TEA), dever, no ano de 2018, ser encaminhado pelo Servio Especializado de Apoio

    Aprendizagem (SEAA) e/ou pela Equipe Gestora da UE sua CRE para que seja realizado pelo

    SEAA da CRE/UNIEB o Estudo de Caso no intuito de garantir as adequaes e procedimentos que

    se fizerem necessrios s suas especificidades de atendimento. importante que a criana avaliada

    passe pelo procedimento anual de previso de vagas, para que no ano subsequente seja atendida de

    acordo com os procedimentos sugeridos, conforme orientao da SUPLAV/COPAV/DIOFE e

    SUBEB/Coordenao de Polticas Educacionais para Educao Infantil e Ensino Fundamental

    (COEIF)/Diretoria de Educao Infantil (DIINF)/Coordenao de Polticas Educacionais para

    Etapas, Modalidades e Temticas Especiais de Ensino (COETE)/Diretoria de Educao Especial

    (DIEE).

    l) O atendimento realizado pelo Projeto Centro de Iniciao Desportiva (CID) voltado aos

    estudantes entre 7 e 17 anos do Ensino Fundamental ou Mdio para o ensino de modalidades

    esportivas ou adaptadas, em carter optativo e gratuito, no contraturno das atividades curriculares.

    m) O Programa Escola Comunidade Ginstica nas Quadras (GINQ) a oferta sistemtica de prticas

    corporais de ginsticas e de promoo sade, qualidade de vida e bem estar social direcionado

    integrao da comunidade escolar, estudantes, famlias e comunidade em geral.

    1.5. CAPACIDADE DE ATENDIMENTO

    a) A oferta de vagas ocorre em UE com tipologia adequada para cada etapa e modalidade de ensino.

    A oferta em desacordo com a tipologia s poder ocorrer mediante autorizao da

    SUPLAV/COPAV/DIOFE, conforme dispe o Regimento Escolar da Rede Pblica de Ensino.

    b) A oferta de vagas nas diferentes etapas e modalidades de ensino, e a constituio de turmas,

    obedecidos os limites mnimo e mximo previstos na modulao, ser definida em funo da

    capacidade de atendimento da UE, considerados os critrios pedaggicos (modulao mnima e

    mxima) e fsicos (capacidade fsica).

    c) O limite mximo de estudantes por sala de aula ser aplicado em casos de comprovada

    necessidade conforme o que estabelece a Lei Distrital n 1.426/1997 regula