escravos da religiao

Download Escravos Da Religiao

Post on 15-Jul-2016

4 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

alforrias; clero catlico; rio de janeiro; sculo XIX

TRANSCRIPT

  • 122

    UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE FILOSOFIA E CINCIAS SOCIAIS PROGRAMA DE PS-GRADUAO EM HISTRIA SOCIAL

    Vanessa Gomes Ramos

    Os Escravos da Religio Alforriandos do clero catlico no Rio de Janeiro Imperial (1840-1871)

    Dissertao de Mestrado

    Rio de Janeiro

  • 123

    Maro de 2007

    Os Escravos da Religio Alforriandos do clero catlico no Rio de Janeiro Imperial (1840-1871)

    Vanessa Gomes Ramos

    Dissertao de mestrado apresentada ao Programa de Ps-Graduao em Histria Social do Instituto de Filosofia e Cincias Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro, como requisito para a obteno do grau de Mestre em Histria.

    Orientador: Prof. Dr. Manolo Garcia Florentino

    Rio de Janeiro

  • 124

    Maro de 2007 Os Escravos da Religio Alforriandos do clero catlico no Rio de Janeiro

    Imperial (1840-1871)

    Vanessa Gomes Ramos

    Orientador: Prof. Dr. Manolo Garcia Florentino

    Dissertao de Mestrado submetida ao Programa de Ps-Graduao em Histria Social -Instituto de Filosofia e Cincias Sociais, da Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ, como parte dos requisitos necessrios obteno do Ttulo de Mestre em Histria Social.

    Aprovada por:

    _______________________________________________

    Prof. Dr. Manolo Garcia Florentino Orientador Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

    _______________________________________________

    Prof. Dra. Ana Lugo Rios Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

    _______________________________________________

    Prof. Dr. Jos Roberto Ges Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)

    _______________________________________________

    Prof. Dr. Francisco Jos Silva Gomes Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

    _______________________________________________

    Prof. Dr. Carlos Engemann Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

  • 125

    Rio de Janeiro / Maro de 2007

    Ficha Catalogrfica

    RAMOS, Vanessa Gomes. Os Escravos da Religio Alforriandos do clero catlico no Rio de Janeiro Imperial (1840-1871) - Vanessa Gomes Ramos. Rio de Janeiro: UFRJ, PPGHIS, 2007.

    xii, 158 f.: 31 cm.

    Orientador: Manolo Garcia Florentino

    Dissertao (Mestrado) UFRJ / IFCS / Programa de Ps-Graduao em Histria Social, 2007.

    Referncias Bibliogrficas: f. 154-158. 1 Escravido. 2 Rio de Janeiro. 3 Alforria. 4 Clero catlico.

    I Ramos, Vanessa Gomes. II Universidade Federal do Rio de Janeiro, Programa de Ps-Graduao em Histria Social. III Ttulo

  • 126

    Resumo

    O trabalho tem como um de seus objetivos mais gerais apresentar, por meio das cartas de alforria, numa amostra de 370 registros, a especificidade da escravido exercida por clrigos catlicos na cidade do Rio de Janeiro. Na historiografia brasileira h uma variedade de autores que buscaram identificar os padres de alforria em diferentes regies do pas. Todavia, as manumisses concedidas pelo clero catlico, diludas no conjunto total das alforrias, no nos permitem perceber uma possvel peculiaridade eclesistica. Dessa forma, procuramos estabelecer especificamente os padres de alforria do clero. Alm de evidenciar as diferenas, no tocante escravido, entre as prticas do clero regular e do secular.

    Os escravos e os alforriandos de eclesisticos so o principal objeto desta pesquisa, cuja base emprica constitui-se de cartas de alforria, documento manuscrito de natureza cartorria, emitidas pelo clero catlico e registradas no primeiro, segundo e terceiro Ofcios de Nota do Rio de Janeiro, no perodo de 1840 a 1871. Alm de inventrios post-mortem de alguns padres seculares encontrados no Arquivo Nacional.

    Identificamos os padres de tipo de alforria, naturalidade e sexo dos alforriandos do religio. Alm tambm de identificar os tipos de formao familiar mais recorrentes no plantel eclesistico, evidenciando os arranjos familiares formados para a sada do cativeiro. Ainda, realizamos uma, ainda, incipiente anlise sobre a temtica da liberdade e seus diferentes significados, discutindo a polmica questo da alforria condicional e o sentido desta para o alforriado.

  • 127

    Abstract

    The purpose of this work is understand, through the enfranchisement letters, in a sample of 370 registrations, the specificity of the slavery exercised by Catholic clergymen in the city of Rio de Janeiro. In the Brazilian historiography there is a variety of authors that looked for to identify the enfranchisement patterns in different areas of the country. Though, the manumissions granted by the Catholic clergy, diluted in the total group of the enfranchisements, they don't allow to notice us a possible peculiarity ecclesiastical. In that way, we tried to establish the patterns of enfranchisement of the clergy specifically. Besides evidencing the differences, concerning the slavery, among the practices of the regular clergy and of the secular.

    The slaves and the alforriandos of the clergy are the main object of this research, whose empiric base is constituted of enfranchisement letters emitted by the Catholic clergy and registered in the first, second and third Ofcios de Nota of Rio de Janeiro, in the period from 1840 to 1871. Besides some secular priests' inventories post-mortem found in the National File.

    We established the patterns of enfranchisement type, naturalness and sex of the "slaves of the religion." Beyond also of identifying the more appealing types of formation relative in the ecclesiastical plantel, evidencing the "family arrangements" formed for the exit of the captivity. Still, we accomplished a, still, incipient analysis on the theme of the freedom and their different meanings, discussing the "controversy" subject of the conditional enfranchisement and the sense of this for the alforriado.

  • 128

    Agradecimentos

    Ao meu professor e orientador Manolo Garcia Florentino. Este trabalho no poderia ter sido concludo sem a sua orientao amiga e (pra l de bastante) paciente. Sua contribuio transcende esta dissertao. Desde 2002 vem me ensinando a arte de fazer Histria e o real sentido de ser historiador.

    CAPES pelo financiamento desta pesquisa, sem o qual tudo seria mais complicado.

    professora Ana Rios no poderia deixar de expressar especial agradecimento. A convivncia com ela desde a graduao tem sido de inestimvel valor. Na ocasio do Exame de Qualificao suas observaes deveras pertinentes foram cruciais ao desenvolvimento da pesquisa. A voc, muito obrigada.

    Ao professor Jos Roberto Ges por suas to importantes consideraes de ordem metodolgica que sero, inclusive, muito teis num futuro trabalho de doutorado, alm de sua gentileza durante o Exame de Qualificao.

    Aos professores das disciplinas cursadas ao longo do primeiro ano de mestrado: Francisco Jos, Joo Fragoso, Mnica Grin e Didier Lahon. Os debates em sala de aula foram de grande valia para a elaborao e enriquecimento do trabalho.

    Aos funcionrios do Arquivo Nacional, especialmente Rosane e Stiro, sempre prontos a ajudar com boa vontade.

    s meninas da Ps, Gleidis e Sandra, sempre solcitas a resolver as pendengas burocrticas. Agradeo aos sorrisos sempre estampados e aos divertidos papos nas horas de folga, s vezes em horas nem to folgadas assim...

    Ao colega Carlos Engemann. Sua enriquecedora colaborao durante a poca da graduao se faz muito presente neste trabalho.

    Jana, pelas oportunas discusses seja no IFCS, nos cafs da Manon ou no ap da Glria. Obrigada pelo apoio nas horas de dificuldades.

    Aos meus amigos (incluindo os consangneos) de fora da rbita acadmica, essenciais a minha vida. Graas a Deus, so muitos e no caberia numer-los nestes breves

  • 129

    agradecimentos. Todos nem imaginam o quanto me ajudaram. Obrigada pela amizade sincera e pelos preciosos momentos de descontrao.

    minha famlia devo muito mais que gratido. Meus pais, Aprigio e Celeste, meu irmo Douglas, encarnam o verdadeiro sentido da palavra famlia. Obrigada pelo apoio e amor incondicionais.

    A Renato, meu porto seguro. Mais que simplesmente marido: meu companheiro e amigo inseparvel. Aturou com pacincia inesgotvel, at os 48 do segundo tempo, meus surtos e chiliques. Obrigada por estar presente em cada pgina dessa dissertao.

  • 130

    SUMRIO

    LISTA DE GRFICOS......................................................................................10 LISTA DE TABELAS ........................................................................................11

    EPGRAFE..........................................................................................................12 INTRODUO ..................................................................................................13

    CAPTULO I Rumo liberdade....................................................................17 1. A Alforria na historiografia ...........................................................................18

    2. Acordos para a liberdade ................................................................................27 3. Coartaes, prestaes, trocas meandros da liberdade ................................30 4. A alforria paga preos e valores ..................................................................34

    CAPTULO II Padres das alforrias eclesisticas .......................................43 1. Tipos de alforria..............................................................................................49

    2. Africanos e crioulos entre os escravos do clero .............................................61 3. Homens e mulheres servos da religio ........................................................68

    CAPTULO III A