escl log rev - ?· rios de telefonia celular (caixa de som, carregadores, adaptadores, câmeras,...

Download ESCL LOG REV - ?· rios de telefonia celular (caixa de som, carregadores, adaptadores, câmeras, dentre…

Post on 01-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • SINCOMAVI 1

    LOGSTICA REVERSAAcordos Setoriais e Termos de Compromisso

  • 2 SINCOMAVI

    1. INTRODUO I - Agrotxicos, seus resduos e emba-lagens, assim como outros produtos cuja em-balagem, aps o uso, constitua resduo peri-goso, observadas as regras de gerenciamento de resduos perigosos previstas em lei ou re-gulamento, em normas estabelecidas pelos rgos do Sisnama, do SNVS e do Suasa, ou em normas tcnicas;

    II - Pilhas e baterias;

    III - Pneus;

    IV-leoslubrificantes,seusresduoseembalagens;

    V - Lmpadasfluorescentes, de vaporde sdio e mercrio e de luz mista;

    VI - Produtos eletroeletrnicos e seus componentes.

    As empresas instaladas em So Paulo devem responder ainda pela

    legislao estadual. A Resoluo SMA 045/2015 determina o

    estabelecimento de sistemas de logstica reversa para os

    seguintes casos:

    I - Produtos que, aps o consumo, re-sultamem resduos consideradosde signifi-cativo impacto ambiental:

    a) leo lubrificante usado e contami-nado;

    A Lei n 12.305/10, que instituiu a Po-ltica Nacional de Resduos Slidos (PNRS), determina a responsabilida-de compartilhada dos geradores de resdu-os: fabricantes, importadores, distribuido-res, comerciantes, cidados e titulares de servios de manejo dos resduos slidos urbanos. Diante da dificuldade dos comer-ciantes em atender as exigncias impostas pela legislao, o Sincomavi, a Federao do Comrcio de Bens, Servios e Turismo do Estado de So Paulo (FecomercioSP) e a Confederao Nacional do Comrcio de Bens, Servios e Turismo (CNC) realizaram esforos conjuntos em busca de acordos setoriais para tornar possvel o cumpri-mento das obrigaes previstas.

    Com o advento do decreto n 9.177, de 23 de outubro de 2017, que regulamenta o artigo 33 da PNRS, as determinaes contidas nos sistemas de logstica reversa foram esten-didas a todos os no signatrios de acor-dos setoriais ou termos de compromisso, estabelecendo um efeito vinculante. Ou seja, todos os comerciantes, independen-temente do porte, que no aderirem aos acordos j firmados, podem ser autuados pela fiscalizao por no atenderem a le-gislao em vigor.

    Apenas para esclarecimento, so obriga-dos atualmente, segundo a PNRS, a estru-turar e implementar sistemas de logstica reversa, mediante retorno dos produtos aps o uso pelo consumidor, de forma in-dependente do servio pblico de limpeza urbana e de manejo dos resduos slidos, os fabricantes, importadores, distribuido-res e comerciantes de:

  • SINCOMAVI 3

    b) leo Comestvel;

    c)Filtrodeleolubrificante automotivo;

    d) Baterias automotivas;

    e) Pilhas e Baterias portteis;

    f) Produtos eletroeletrnicos e seus componentes;

    g)Lmpadasfluorescentes,devapordesdio e mercrio e de luz mista;

    h) Pneus inservveis; e

    i) Medicamentos domiciliares, vencidos ou em desuso.

    II - Embalagens de produtos que com-ponham a frao seca dos resduos slidos urbanos ou equiparveis, exceto aquelas classificadascomoperigosaspela legislao

    brasileira, tais como as de:

    a) Alimentos;

    b) Bebidas;

    c) Produtos de higiene pessoal, perfu-maria e cosmticos;

    d)Produtosdelimpezaeafins;e

    e) Outros utenslios e bens de consumo, a cri-trio da Secretaria de Estado do Meio Ambien-te, ou da Companhia Ambiental do Estado de So Paulo - CETESB.

    III - As embalagens que, aps o consumo do produto, so consideradas resduos de significativoimpactoambiental,taiscomoasde:

    a) Agrotxicos; e

    b)leolubrificanteAutomotivo.

    Veja mais

    Lei 12.305, de 02 de agosto de 2010http://www.mma.gov.br/port/conama/legiabre.cfm?codlegi=636

    Resoluo Secretria do Meio Ambiente (SMA) n 45, de 23 de junho de 2015http://www.ambiente.sp.gov.br/legislacao/resolucoes-sma/resolucao-sma-45-2015/

    Cetesb - Logstica Reversahttp://cetesb.sp.gov.br/logisticareversa/

  • 4 SINCOMAVI

    2. Acordos Setoriais Firmados

    At o momento, as empresas represen-tadas pelo Sincomavi que comercializam lmpadas, pilhas e baterias j contam com acordos setoriais firmados. Tambm j foi assinado um termo de compromisso para logstica reversa de produtos eletro-eletrnicos de uso domstico com a Com-panhia Ambiental do Estado de So Paulo (Cetesb) por intermdio da FecomercioSP. O Sincomavi acompanha ainda o anda-mento do acordo setorial sobre embala-gens de tintas.

    Vale lembrar que o Sincomavi est apto a representar nos acordos somente os comr-

    3. Lmpadas

    cios varejistas de material de construo, maquinismos, ferragens, tintas, louas e vidros instaldos nas seguintes cidades: So Paulo (Capital), Aruj, Barueri, Biriti-ba-Mirim, Caieiras, Cajamar, Carapicuba, Cotia, Embu, Embu-Guau, Ferraz de Vas-concelos, Francisco Morato, Franco da Ro-cha, Guararema, Guarulhos, Itapecerica da Serra, Itapevi, Itaquaquecetuba, Jandi-ra, Juquitiba, Mairipor, Osasco, Pirapora do Bom Jesus, Po, Rio Grande da Serra, Salespolis, Santa Isabel, Santana de Par-naba, Suzano e Taboo da Serra.

    Importante: no existe nenhum tipo de taxa para a adeso aos acordos setoriais.

    Os produtos considerados nesse acordo setorial so as lmpadas tubulares, fluorescentes compactas e modelos contendo mercrio, sdio ou mistas.

    O comerciante interessado em participar do Sistema de Logstica Reversa de Lmpa-das dever enviar a solicitao ao Sinco-mavi por meio do e-mail convenios@sinco-mavi.org.br, que encaminhar o processo ao departamento tcnico do programa, gerenciado pela Reciclus (Associao Bra-sileira para a Gesto da Logstica Reversa). A implantao dos pontos de coleta segue critrios tcnicos, como nmero de habi-tantes, rea urbana, densidade populacio-nal, domiclios com energia eltrica, poder

    aquisitivo, infraestrutura viria e acessibil-idade. Em outras palavras, a Reciclus, com base nos dados informados pela loja inter-essada, verifica a viabilidade de implan-tao do ponto de coleta na loja. bom ressaltar que j foram escolhidos pontos de coleta em algumas regies da Grande So Paulo.

    Os dados necessrios para dar incio ao processo de solicitao junto Reciclus so os seguintes:

  • SINCOMAVI 5

    Os comrcios que no operarem como pon-tos de coleta em razo das dificuldades tc-nicas sero incentivados a participar por meio de aes de divulgao do progra-ma, educao e orientao do consumidor. Alm disso, indicaro aos consumidores os pontos de coleta mais prximos.

    Aps o perodo de escolha dos pontos de coleta, que ainda no foi finalizado, os co-mrcios que serviro como pontos de in-formao tero disposio material para a divulgao do programa e, dessa forma, participar do sistema e cumprir a legisla-o vigente em relao s lmpadas.

    Empresa:CNPJ:Endereo:Telefone:Responsvel:

    4. Pilhas e BateriasOs itens envolvidos nesse acordo so as baterias portteis, pilhas comuns de zinco-man-gans, pilhas alcalinas e pilhas recarregveis.

    Os lojistas que vendem pilhas e baterias esto obrigados por lei a responder pelo recolhimento e destinao ambiental-mente adequada dos itens ps-uso. Para atender a legislao, os comerciantes pre-cisam aderir ao termo de compromisso es-pecfico, possuir coletor para pilhas e bate-rias portteis, disponibilizar local coberto para o coletor e proceder o envio das pil-has e baterias portteis para os fabricantes e importadores. O Sincomavi mantm em

    sua sede, somente para as empresas do segmento, um ponto de coleta secundrio de pilhas e baterias portteis.

    Para dar incio ao processo de inscrio para o funcionamento como posto de cole-ta de pilhas e baterias, o comerciante pre-cisar fornecer algumas informaes ao Sincomavi. Tambm ser necessrio envi-ar uma cpia por e-mail do contrato social e do carto do CNPJ.

  • 6 SINCOMAVI

    Razo Social: Nome Fantasia: CNPJ: N CNAE principal: Atividade de comrcio: Nire (Nmero de Identificao do Registro de Empresas Junta Comercial): Endereo completo: ( obrigatrio informar o endereo no qual ser instalado o ponto de entrega primrio)

    Pessoa de contato Nome completo: Telefone: E-mail:

    Representante Legal Nome Completo: CPF: Telefone: E-mail:

    INFORMAES NECESSRIAS

    1

    2

    3

    O nico custo previsto para a implantao do sistema de Logstica Reversa de Lmpa-das a entrega dos produtos ps-uso rece-bidos nos postos de coleta secundrios. Ou seja, aps ter atingindo a capacidade mx-ima do coletor, o comerciante dever se deslocar a um ponto de coleta secundrio para a entrega das pilhas e baterias. Para facilitar, o coletor para pilhas poder

    ser feito a partir de embalagens de pro-dutos usados, como: potes plsticos de achocolatado, latas de ao de leite, gales plsticos para molhos ou garrafes de gua de 5 litros. Para se valer desses itens, ser necessrio retirar os rtulos, fazer a limpe-za total, com lavagem, e secar. Logo aps, basta colar a etiqueta do programa, que ser enviada pelo Sincomavi por e-mail, na embalagem para o coletor estar pronto.

    Veja mais

    Cartilha Logstica Reversa de Pilhas e Baterias no Estado de So Paulo FecomercioSPhttp://www.fecomercio.com.br/logistica-reversa/files/LR_comerciantes.pdf?v2

    4

  • SINCOMAVI 7

    5. EletroeletrnicosOs produtos ps-consumo que constam no termo de compromisso com a Cetesb so os seguintes: computadores pessoais de uso domstico (desktop, notebook, netbook, laptop, notepade, e-readers e similares); acessrios (CPU, mouse, teclado, telas, moni-tores, modens, roteadores, reprodutores de mdia, scanners, projetores de vdeo, HD externo, nobreaks, estabilizadores de tenso e similares); telefones celulares; acess-rios de telefonia celular (caixa de som, carregadores, adaptadores, cmeras, dentre outros); fones de ouvido e autofalantes em geral; cmeras fotogrficas, cmeras de se-gurana, webcam e anlogas; smartwatches, equipamentos e acessrios eletrnicos para o uso desportivo e outros wearables; impressora