Ermelino 199

Download Ermelino 199

Post on 09-Jul-2015

88 views

Category:

Design

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Ermelino

TRANSCRIPT

<ul><li><p>raleste@gmail.com - Tel. 2031-2364 1A QUINZENA DE DEZEMBRO DE 2014ANO XI - N.o 199</p><p>anuncio.indd 1 8/27/14 9:51 AM</p><p>PG. 2PG. 6</p><p>1 Concurso de Fotografia do </p><p>Grupo Acontece</p><p>Parque Ibirapuera ter dois shows por dia com luzes e projees</p><p>PG. 5</p><p>Grupo Educacional Drummond realiza exame de troca de </p><p>faixa de judPG. 5</p><p>Inscries abertas para Circuito de Rua e Caminhada</p><p>PG. 5</p><p>A Subprefeitura de Er-melino Matarazzo convida a todos para participar do Circuito de Rua e Cami-nhada com a Famlia que ir acontecer no dia 21 de dezembro</p><p> O Circuito Popular de Corridas de Rua um even-to que oferece provas de corrida e de caminhada em diferentes Subprefeituras de So Paulo ao longo do ano. A participao totalmente gratuita e atende a todos, desde pessoas que buscam recreao...</p><p>Saiba como ficar mais confiante</p><p>PG. 7</p><p>Quem no gostaria de ser feliz? Apesar de a frmula para a alegria ainda no ter sido descoberta, um dos caminhos para ficar com um sorriso constante no rosto passa pela autoconfiana. Valorizando a si mesma, voc certamente aumenta as chan-ces de se dar bem no amor e em outros aspectos da vida; saiba mais nas prximas fotos.</p><p>Faa questo de ser trata-da com gentileza e carinho. No se conforme apenas com doses espordicas do melhor tratamento que voc merece. Ao contrrio do que muita gente pensa, o sentimento de posse no .....</p></li><li><p>1 QUINZENA DE DEZEMBRO DE 2014PG 2</p><p>Como o Brasil se saiu em 13 rankings mundiais em 2014</p><p>So Paulo - Quando se compara o desempenho do Brasil em rankings globais possvel ter uma ideia clara do quanto o pas avanou nos ltimos anos e do quanto ainda falta para percorrer. De 13 rankings publicados nos l-timos meses, o Brasil ficou nas piores posies em pelo menos trs. Entre 51 pases analisados, o Brasil ficou em penltimo em eficincia da sade pblica, por exemplo. J quando o assunto educao, o pas s supera a ndia em investimentos por aluno. Mas algumas boas notcias: o Brasil o 5 pas com melhores polticas para o meio ambiente e, em uma dcada, subiu 10 posies em ranking que mede a produo cientfica de uma nao. Veja o desempenho do pas em 13 rankings: </p><p>Melhores pases para se fazer negcios</p><p>120 lugar de 189 pases, o estudo foi divulgado em outu-bro de 2014. </p><p>Competitividade das naes</p><p> 39 lugar de 43 pases, o estudo considerou 83 fatores, abrangendo temas como eco-nomia, comrcio internacional, poltica fiscal, crdito, tecno-logia, produtividade e capital humano.</p><p>Combate corrupo69 lugar de 175 pases, </p><p>no ranking de combate cor-rupo da ONG Transparncia Internacional.</p><p>Cidades mais perigo-sas</p><p>5 lugar de 50 municpios, posio: Macei (5), Fortaleza (7) e Joo Pessoa (9) segundo ranking lanado anualmente pela ONG Conselho Cidado pela Seguridade Social Pblica e Justia Penal.</p><p>Piores congestiona-mentos</p><p>1 lugar das Amricas, po-sio: Rio de Janeiro (1); So Paulo (3), cidades analisadas: 63 do continente americano.</p><p>Produo cientfica13 lugar do mundo, os </p><p>pases analisados foram em levantamento global.</p><p>Investimento por aluno</p><p>34 lugar de 35 pases, quanto o assunto investi-mento de um pas na educao por aluno, o Brasil est em pe-nltimo lugar - o pas s perde para a ndia.</p><p>Conhecimento em raciocnio e lgica</p><p>38 lugar de 44 pases, no resultado do Programa Internacional de Avaliao de Alunos (PISA).</p><p>Eficincia em sade pblica </p><p>50 lugar de 51 pases, o Brasil ficou em penltimo lugar atrs de pases como Ir.</p><p>Melhores pases para ser me</p><p>76 lugar do mundo, entre 178 pases analisados.</p><p>Naes que mais contri-buem para o meio ambiente </p><p>5 lugar de 125 pases, o Brasil o 5 que mais contribui com polticas de sustentabilida-de do mundo.</p><p>Cidades mais diverti-das</p><p>18 lugar de 1.830 munic-pios, posio do Rio de Janeiro, a nica representante brasilei-ra na lista.</p><p>TIRAGEM: 25.000 EXEMPLARES</p><p>CIRCULAO: ERMELINO MATARAZZO, PONTE RASA, VILA CISPER, VILA UNIO, A.E CARVALHO, JARDIM PEDRO NUNES, </p><p>GUARULHOS, PENHA E CANGAIBA</p><p>Diretor Geral: Geraldo Malta</p><p>Diretor de Redao: Divaldo Rosa - MTb: 42448</p><p>As matrias assinadas so de exclusiva responsabilidade dos colaboradores e no representam, necessariamente, a opinio do Jornal. Os nomes dos diretores, colaboradores e representantes comerciais no mantm vnculo empregatcio com a empresa.</p><p>REDAO/PUBLICIDADE: 2031-2364 / 2513-0928 </p><p>Revisora: Suseli Corumba dos Santos</p><p>Diagramador: Sergio Avante </p><p>Avenida dos Guachos, 166 - Cep: 08030-360 - So Paulo SP - raleste@gmail.com</p><p>O jornal de Ermelino &amp; Ponte Rasa Filiado AJORLESTE Associao dos Jornais da Zona Leste</p><p>Acontece Agora Empresa Jornalstica Ltda. CNPJ: 03.115.443/0001-16</p><p>Jornalista: Silmara Galvo</p><p>Depto. Jurdico: Agilson M. Oliveira</p><p>Diferencie a tristeza comum da depresso</p><p>no existiam, dificuldade de concentrao, perda ou au-mento de apetite, alto grau de pessimismo, indeciso, insegurana, insnia, falta de vontade em fazer atividades antes prazerosas, sensao de vazio, irritabilidade, ra-ciocnio mais lento, esqueci-mento, ansiedade, angustia. Alm disso, o indivduo pode apresentar alguns sintomas fsicos que os mdicos no conseguem encontrar causas aparentes, como: dores de barriga, m digesto, azia, constipao, flatulncia, ten-so na nuca e nos ombros, dores de cabea, dores no corpo, presso no peito entre outros. Estes so alguns dos indcios da depresso. Mas, se houver dvida, procure um especialista para ter um diagnostico e tratamento corretos. No tenha medo ou vergonha de expressar o que realmente est sentin-do e vivenciando, pois esses profissionais iro se basear nestes dados para poderem prescrever um tratamento e a partir da, o paciente voltar a ter qualidade de vida, com alegria e bem estar.</p><p>Atualmente, a depresso afeta 340 milhes de pessoas em todo o mundo, ou seja, uma em cada cinco pessoas em algum momento da vida j apresentou ou apre-sentar quadro depressivo. Segundo a Organizao Mundial de Sade (OMS), essa deve se tornar a prin-cipal doena nos prximos vinte anos. Mas o que depresso? um distrbio emocional, hoje reconheci-do como doena. Segundo as modificaes no Cdigo Internacional de Doenas (DSM-V), caracterizada por tristeza profunda e baixa autoestima, que pode ser desencadeada pelo estresse, assedio moral, jornada de trabalho muito extensa, pro-blemas financeiros, falta de emprego, cobrana pessoal, frustraes, luto e tambm por causas biolgicas. H uma alterao qumica no crebro do paciente, onde os neurotransmissores no so produzidos de maneira satisfatria. Entre eles esto a serotonina, noradrena-lina e dopamina, que so substncias que transmitem impulsos nervosos entre as clulas. Nestes casos necessrio que o paciente procure um profissional da rea de sade mental, no caso um psiclogo ou psi-quiatra, para que seja feita uma avaliao do caso. Se a pessoa for diagnostica-da um quadro depressivo, dever iniciar um processo de psicoterapia, em que ir rever sua postura diante dos problemas, e tambm um tratamento medicamento-so, para adequar quimica-mente a produo destes </p><p>neurotransmissores. Aps dcadas de estudos a res-peito da depresso, o novo Cdigo Internacional de Doenas (DSM-V), resolveu incluir dentro do quadro da depresso o luto, que ante-riormente no era aceito. Isto faz com que a depresso desencadeada pela perda de um ente querido seja aceita como doena, e tambm possa ser tratada adequa-damente. </p><p>No uma simples tristeza</p><p>H uma grande diferena entre tristeza e depresso. A tristeza pode ocorrer de-sencadeada por algum fato do cotidiano, onde a pessoa realmente sofre com aquilo at assimilar o que est acon-tecendo e geralmente no dura mais do que quinze a vinte dias. J a depresso se instala e se no for tratada pode piorar e passar por trs estgios: leve, mode-rada e grave. Geralmente a pessoa pode apresentar dois ou mais dos seguintes sintomas: apatia, falta de motivao, medos que antes </p><p>Quer ver sua marca em destaque no maior veculo de Comunicao da Regio. Aproveite nossas promoes de </p><p>anuncios!</p><p>2031-23642513-0928</p><p>Ligue e Anuncie ou envie um E-mail </p><p>raleste@gmail.com</p><p>ITAIM PAULISTA - F.: 2025-7777 - AV. MARECHAL TITO, 7003ALPHAVILLE / BARUERI / CAMBUCI / CARAPICUBA / CENTRO / FRANCISCO MORATO / FRANCO DA ROCHA /ITAQUERA / JABAQUARA / LIBERDADE / MAIRIPOR / MAU / GUARULHOS / PIRITUBA / SANTO AMARO / SANTO ANDR / VILA MARIA</p><p>Todos juntos fazem um trnsito melhor.</p><p>Fan 150 ESDI 14/15 a/v 8.020, ou entr. 3.300,+48x199, (t.prazo 12.852,) c/ juros 2,43% a.m. (33,37% a.a.). Bros 150 ESD 14/14 a/v 10.650, ou entr. 2.200,+48x350, (t.prazo 19.000,) c/ bauleto, capacete e documentao inclusos (somente para motos financiadas, com lacrao no Detran e 1 parcela do IPVA). c/ juros 2,59% a.m. (35,84% a.a.). 500X STANDER 14/15 a/v 26.070, ou entr. 10.080,+48x506, (t.prazo 34.368,) c/ juros 2,43% a.m. (33,37% a.a.). Lead 110 14/14 a/v a partir 6.899, ou entr. 2.720,+48x175,33 (t.prazo 11.135,84) Banco Bradesco c/ juros 2,55% a.m. (35,35% a.a.). Tabela sujeita a alterao sem prvio aviso, conforme poltica de comercializao da fbrica.Consulte todas as informaes em nosso showroom.Promoes vlidas somente para os modelos anunciados at o trmino do estoque (2 unidades de cada).Ofertas no cumulativas com outras Imagens ilustrativas. Reservamos o direito de corrigir possveis erros grficos e de digitao.</p><p>JAPAUTOwww.japauto.com.br</p><p>BROS 150 ESD completaMENSAIS R$</p><p>350, + ENTRADA</p><p>BAULETO, CAPACETE EDOCUMENTAO GRTISSomente para Bros</p><p>Papai Noelchegou mais cedo.</p><p>Venha conferir!</p><p>LEAD 110MENSAIS R$</p><p> 175,33 + ENTRADA</p><p> FAN 150 ESDiMENSAIS R$</p><p>199, + PEQUENA ENTR.</p><p>CB 500XSTD</p><p>MENSAIS R$</p><p>506, + ENTRADA</p><p>SUBPREFEITURA DE ERMELINOAv. So Miguel, 5550</p><p>Ermelino Matarazzo-SP</p><p>BANCA RDSAv. Aguia de Haia, 4085</p><p>Jardim Cotinha-SP</p></li><li><p>1 QUINZENA DE DEZEMBRO DE 2014PG 3</p></li><li><p>1 QUINZENA DE DEZEMBRO DE 2014PG 4</p><p>1Garagem com Clulade Segurana</p><p>2 Salo de Festas</p><p>3 Salo de Jogos</p><p>5 Salo Gourmet</p><p>6 Brinquedoteca</p><p>7 Lavanderia Comunitria</p><p>8 Piscina Adulto e Infantil</p><p>9 Churrasqueira</p><p>10 Redrio</p><p>11 Pet Place</p><p>12 Home Office</p><p>13 Playground</p><p>14 Sala de Estudo</p><p>15 Portaria</p><p>Fitness4</p><p>Av. AfonsoLopes Baio, 411So Miguel Paulista</p><p>LOCAL</p><p>Rua JaimeBarcelos, 536So Miguel Paulista</p><p>SHOW ROOM</p><p>11.3672 1806</p><p>Intermediao: Realizao e Incorporao:</p><p>www.clmincorp.com.br</p><p>Participao:</p><p>VERSATILIDADE DE PLANTAS</p><p>LAZER COMPLETODORMITRIOS1 OU 2 VAGASC/ DEPSITO</p><p>Racismo crise! Torcedora gacha usada como bode expiatrio</p><p>Quando assisti aquela gaucha demonstrando toda sua raiva contra o goleiro Aranha, fiquei imaginado de quem seria a culpa de tanto racismo, expresso por aquela mulher. A mdia na-quele momento com suas cmeras focaram aquele rosto bonito de uma des-cendente europia, ai que ficou mais interessante, pois todos ficaram indignados com aquela atitude e come-aram a amaldioar ela. Mas, o que chamou mesmo minha ateno foi que muitos que nem mesmo conhecia a histria regional, onde ela havia nascido se tornaram historiadores, e foram logo generalizando dizendo que todos da regio sul do Brasil so racistas. Ficava pensando quanta ignorncia! </p><p>Mas, meus amigos leito-res e eleitores a culpa no e dela somente, e nem todos os gachos so preconceitu-osos e o mais interessante, a mdia no levou o assunto para o causador dos proble-mas raciais do Brasil, que nesse momento a educa-o pblica oferecida a ns brasileiros como resultado dos impostos altssimos que pagamos. Seriamos ingnu-os se pegssemos essa mu-lher como bode expiatrio de nossos problemas tnicos, pois sabemos que no somos formados ou educados para dialogar e debater assuntos </p><p>dessa esfera, e sim adestra-dos para somente obedecer aquilo que a industrial cul-tural brasileira prope para ns seguirmos. </p><p>O racismo e o bullying em suas diversas modalida-des esto presentes todos os dias em nosso meio social, e no existem manifesta-es contra isso, e somente ficamos horrorizados com a atitude daquela mulher, pois ela foi flagrada pela mdia, mas quando vemos atitudes como essa no fa-cebook, na escola, na rua, somente curtimos, mas no </p><p>comentamos nada para impedir tal atitude. Isso me leva a crer que no somen-te somos adestrados, mas tambm somos marionetes daqueles que governam nossas mentes, dinheiro e crenas.</p><p>Assim, concluo que no adianta colocar a culpa em uma pessoa pelo racis-mo histrico que o Brasil tem! Pois quando temos a oportunidade de mudar o quadro poltico do pas atravs das eleies no fazemos isso. Acredito que uma pessoa no muda um </p><p>pas, mas um eleitorado bem instrudo poder e pode fazer a diferena. Enquanto no entendemos que polticas pblicas so realizadas atravs daqueles que colocamos no poder a mudana no ocorrer. Para compreendermos o multiculturalismo e o sin-cretismo que existe em nossa nao ser necessrio construirmos mentes pen-santes atravs da leitura e da reflexo, debates e dilogos e acima de tudo lutar por uma educao de qualidade.</p><p>A escola no uma mquina de reprovar, diz </p><p>secretrio da EducaoEle explica que a proposta da rede investir na aprovao com mrito tambm pelo es-foro, com garantia de apoio </p><p>pedaggico e avaliao de toda a trajetria do aluno.</p><p>O fim da aprovao auto-mtica na rede municipal de So Paulo est mantido, com a avaliao correspondente e eliminatria. O secretrio Csar Callegari disse em en-trevista ao jornal Folha de S.Paulo que todo o esforo da escola, professores e gestores ser empreendido no sentido de promover a recuperao do estudante. Ao final, o conselho de classe se manifestar so-bre a sua evoluo ou no. O secretrio de Educao Csar Callegari defende o processo como parte de uma reestruturao que busca estimular o envolvimento de estudantes e familia-res. claro que tem que estudar para passar, o que ns precisamos ter agora aprovao com mrito, com condies de desenvolver, e so essas as orientaes que desde o comeo esto sendo passadas para todas as escolas. So elas no fi-nal, as escolas, os conselhos de classes, os conselhos de escola que vo avaliar se a criana, se o jovem, tem ou no tem condies de pros-seguir com os seus estudos no ano seguinte. Para o secretrio, as demais aes implementadas na rede, como o boletim bimestral em todas as escolas e notas de zero a dez, facilitam o acompanhamento de pais e alunos e estimulam o esfor-o. Essa histria de passar e ir passando sendo empurra-do ano a ano, sem ter conhe-cimento a respeito daquilo que foi ensinado, no pode mais acontecer, porque che-ga um certo momento da vida em que a criana ou jovem j adulto vai ter que pagar o preo daquilo que no aprendeu. Quando ns estabelecemos de novo as notas de zero a dez, por-</p><p>que elas no existiam, eram conceitos completamente incompreensveis pelas fa-mlias, exatamente para permitir que aquele bom aluno, aquele que se esfora, ele possa verificar a quali-dade do seu mrito, do seu esforo, disse. O aluno, para passar, tem que estu-dar, tem que trabalhar para que fazer que os deveres de casa aconteam, as famlias tm que acompanhar, com-pletou Callegari.</p><p> AvaliaoA avaliao a cada dois </p><p>meses, podendo ser mensal em alguns casos, permite que se acompanhe a evolu-o ao longo do ano letivo. A ateno das famlias ao boletim e aos fatores que possam estar interferindo na aprendizagem dos alunos. No final do ano, toda a traje-tria levada em considera-o, incluindo o histrico de faltas, na avaliao sobre a potencialidade daquele alu-no para progredir de srie. O apoio pedaggico com-plementar...</p></li></ul>