era vargas era 1930-1945vargas - colegiosantarosa .era vargas 1930-1945 era vargas. era vargas

Download ERA VARGAS ERA 1930-1945VARGAS - colegiosantarosa .ERA VARGAS 1930-1945 ERA VARGAS. ERA VARGAS

Post on 11-Nov-2018

237 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • ERA VARGAS1930-1945

    ERA VARGAS

  • ERA VARGAS (1930-1945)

    Perodo marcado pelaatuao poltica deGetlio Vargas nahistria brasileira daprimeira dcada dosculo XX.

  • Transformaes poltico-sociais do perodo

    Crescimento da populao urbana em relao agrria;

    Importncia da indstria na economianacional;

    Ampliao do poder dos empresrios dascidades;

    Os setores mdios urbanos cresceram emnmero e conquistaram maior importncia navida poltica do pas.

  • Fases do governo de Vargas

  • Governo Provisrio 1930-1934

    Suspenso da Constituio Republicana de 1891.

    Fechamento dos rgos do Poder Legislativo(Congresso Nacional, Assemblias Legislativas eCmaras Municipais)

    Indicao de interventores militares ligados aotenentismo para chefiar os governos estaduais.

    O objetivo era desmontar a estrutura poltica da1. Repblica baseada no poder dos coronis-fazendeiros.

  • REVOLUO CONSTITUCIONALISTA DE 1932

    Vargas revelou-se centralizador e preocupadocom a questo social e interessado em defenderas riquezas nacionais.

    A oposio (PRP) assustada e desejosa da voltadas prticas existentes na 1. Repblica se alia aoPartido Democrtico, pois estavam descontentescom a nomeao do interventor Joo Alberto Linse Barros para governar So Paulo.

    A oposio exigia a nomeao de um interventorpaulista e civil, Vargas cedeu presso e nomeouPedro de Toledo, o que no silenciou a oposio.

  • Exigiam tambm novas eleies parapresidente e a convocao de uma AssembliaConstituinte, pois os ricos fazendeiros aindacontrolavam o sistema eleitoral fraudulento.

    Em maio de 1932, os estudantes paulistas Martins, Miragaia, Drusio e Camargomorreram num confronto com a polcia numamanifestao pblica contra o governo Vargas.

    Formou o MMDC com as siglas dos nomes dosestudantes que se tornou smbolo domovimento constitucionalista.

  • No dia 9 de julho de 1932, a revoluo mobilizouarmas e 30 mil homens de So Paulo para lutarcontra o governo federal.

    Indstrias paulistas contriburam fabricandomaterial de guerra (granadas, mscaras contragases, lana-chamas e capacetes).

    As tropas paulistas isoladas do resto do pas noreceberam o apoio esperado dos outros estados,somente mato Grosso acompanhou as tropaspaulistas.

    Aps trs meses de lutas, muitos mortos eferidos, os paulistas foram derrotados pelastropas federais.

  • Os paulistas obtiveram uma vitria poltica,pois o governo federal procurou evitarindispor-se com a elite de um estado quetinha grande poder socioeconmico.

    Garantiu-se as eleies para a AssembliaNacional Constituinte.

  • Governo Constitucional (1934-1937)

    Em 16 de julho de 1934 foi promulgada a Nova Constituio, cujos principais pontos eram:

    01.Voto Eleio para os poderes Executivo e Legislativo

    passam a ser por meio do voto secreto; As mulheres adquiriram o direito ao voto; Analfabetos, mendigos, militares at o posto de

    sargento e pessoas sem direitos polticos no podiam votar;

    Criao de uma justia eleitoral para zelar das eleies.

  • 02.Direitos trabalhistas

    Instituio do salrio mnimo;

    Jornada de trabalho de 8 horas dirias;

    Proibio do trabalho de menores de 14 anos;

    Frias anuais remuneradas;

    Indenizao na demisso sem justa causa.

    03.Nacionalismo econmico

    Proteo das riquezas naturais do pas como jazidas minerais e quedas de gua capazes de gerar energia.

  • Essa Constituio estabelecia que o primeiro presidente seria eleito pelo voto indireto pelos membros da Assemblia Constituinte.

    Vargas saiu vitorioso recebendo 175 votos contra 59 de Borges de Medeiros.

    Nesse perodo ganha destaque na vida pblica do pas dois grupos polticos com ideologias bastante diferentes: o Integralismo e o Aliancismo.

  • INTEGRALISMO

  • INTEGRALISMO

    Lder: escritor Plnio Salgado.

    1932: Plnio Salgado, intelectuais e polticos lanaram o manifesto Nao, expondo os princpios do Integralismo.

    Era de inspirao nazifascista e criou-se a AIB (Ao Integralista Brasileira)

    Conquistou a simpatia de empresrios, parcela da classe mdia e parte dos oficiais das foras armadas.

  • Combatia o comunismo, pregava o nacionalismo extremo, existncia de um Estado centralizado e forte, a disciplina e a hierarquia dentro da sociedade, a entrega do poder a um nico chefe.

    Os integralistas eram submetidos a uma rgida disciplina, vestiam uniforme com camisas verdes e desfilavam pelas ruas como tropa militar, gritando a saudao ANAU! que em tupi significa voc meu parente.

    Atacavam agressivamente os adversrios de outras organizaes polticas.

    Seu lema era: Deus, Ptria e Famlia.

    Foram criados mais de mil ncleos da AIB no Brasil.

  • ALIANCISMO

  • O ALIANCISMO

    A Aliana Nacional Libertadora (ANL) era uma corrente poltica contrria a AIB, seus membros eram chamados aliancistas.

    Reunia vrios grupos de vrias tendncias: socialistas, anarquistas e comunistas.

    Seu programa poltico inclua: nacionalizao das empresas estrangeiras, o no pagamento da dvida externa, reforma agrria, garantia de liberdades individuais.

    Seu lema era: Po, terra e liberdade Com seu crescimento, o governo Vargas apoiado por

    conservadores, considerou a ANL ilegal em junho de 1935, ordenando a priso de seus lderes, alegando estar planejando um golpe de estado.

    Filinto Muller, chefe da polcia, acusava-os de serem controlados por perigosos comunistas e financiado por estrangeiros.

  • A INTENTONA COMUNISTA - 1935

    Revolta militar planejada pelos comunistas em resposta ao fechamento da ANL.

    A revolta ocorreu em novembro de 1935 nos batalhes do RN, PE e RJ.

    A rebelio foi logo controlada pelas foras governamentais, mas serviu de pretexto para alguns setores do governo radicalizarem o regime poltico.

    E em nome do perigo comunista, prenderam milhares de sindicalistas, operrios, militares e intelectuais acusados de atividades subversivas contra o governo.

  • GOVERNO DITATORIAL 1935 A 1937

    Aproximava a data das eleies, e Vargas deveria entregar o mandato em 1938, pelo contrrio, ele queria continuar no poder.

    No final de setembro de 1937, o servio secreto denunciou um plano dos comunistas, o PLANO COHEN, para acabar com o regime democrtico no Brasil.

    O plano era uma farsa do governo, com a ajuda dos integralistas.

    Foi decretado estado de guerra e a polcia prendeu grande nmero de adversrios do governo.

    No dia 10 de novembro, o Congresso foi cercado e decretou o fechamento do Legislativo e outorgou uma nova constituio para o pas, iniciando assim, o GOVERNO DITATORIAL.

  • Nesse perodo, foi instaurado o estado de emergncia onde o governo podia invadir casas, prender pessoas, julg-las e conden-las.

    Vargas detinha amplos poderes em suas mos, seus atos no podiam ser submetidos nem justia.

    Os estados perdem sua autonomia, os governos estaduais foram entregues aos interventores.

    Em comemoraes pblicas nas capitais, as bandeiras estaduais foram queimadas para simbolizar a morte do federalismo.

  • Os partidos polticos foram extintos e as eleies suspensas.

    Proibio de greves e manifestaes contrrias ao governo.

    Perseguio, torturas e mortes de milhares de cidados.

    Utilizao da propaganda para conquistar a simpatia popular (populismo)

    Em 1939, o governo criou o DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda), diretamente ligado ao governo encarregado de coordenar a propaganda oficial e censurar os meios de comunicao social como rdio, cinema, teatro e imprensa.

  • Criou-se o programa de rdio obrigatrio Hora do Brasil, que divulgava as realizaes do governo.

    Produo de milhares de cartazes que apresentavam Vargas como o salvador da Ptria.

    O Ministrio da Educao foi outro rgo importante na exaltao da figura de Vargas, sendo tomadas vrias medidas para difundir a ideologia do governo:

    1. Obrigatoriedade do ensino de moral e civismo.

    2. Canto coral com repertrio musical nacionalista;

    3. Desfiles e paradas de estudantes em comemorao de datas cvicas;

    4. Adoo de livros didticos que promoviam o culto Getlio Vargas e seu governo.

  • O governo encomendava canes com letras favorveis sua poltica a compositores famosos como: Ataulfo Alves, Wilson Batista, etc.

    Em 1943, em homenagem ao aniversrio de Vargas, Benedito Lacerda e Darci de Oliveira compuseram o Salve 19 de abril, sendo gravado por Dalva de Oliveira. Veja a letra:

    Se veio ao mundoFoi Deus quem quisO timoneiro que est com o leme do meu pasE pra que siga o rumo certo o meu BrasilDeus que lhe d muitos 19 de abril.

    Muitos intelectuais resistiram ditadura Vargas, Graciliano Ramos por exemplo acusado de participar da ANL, foi preso em 1936, e depois escreveu Memrias do Crcere.

  • POLTICA ECONMICA

    Vargas procurou agir em defesa da cafeicultura, proibindo o plantio de novas mudas num perodo de trs anos.

    Ordenou a queima de milhes de sacas de caf estocadas nos depsitos do governo com o objetivo de evitar a superproduo e recuperar o preo do produto.

    Para diversificar a produo agrcola, incentivou o cultivo de outros produtos como o algodo, cana-de-acar, leos vegetais e frutas tropicais.

  • INDUSTRIALIZAO O governo Vargas procurou estimular o desenvolvimento

    industrial com o objetivo de substituir os importados tomando as seguintes medidas:

    01. Aumentou os impostos sobre a importao;02.Diminuiu os impostos sobre a indstria nacional,

    estimulando a produo e o consumo de produtos nacionais.

    03. Fundou empresas estatais para atuar nos campos siderrgico e minerao criando duas empresas:

    Companhia Vale d