era getúlio vargas

Download Era Getúlio Vargas

Post on 07-Jul-2015

139 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

INSTITUTO DE ENSINO INTELLECTUS QUADRO RESUMO ERA VARGAS - PROF. CSAR ROBRIO PAG.01GOVERNO PROVISRIO (1930-1934)Nomeado presidente, Getlio Vargas usufrua de poderes quase ilimitados e, aproveitando-se deles, comeou a tomar polticas de modernizao do pas. y Criou novos ministrios - como o Ministrio do Trabalho, Indstria e Comrcio e o Ministrio da Educao e Sade; y Nomeou interventores de estados. Na prtica, os estados perdiam grande parte da sua autonomia poltica para o presidente. y Continuou com a Poltica de Valorizao do Caf (PVC) e criou o Conselho Nacional do Caf e o Instituto do Cacau, atendendo assim a algumas das reivindicaes das oligarquias cafeeiras. y Lei da Sindicalizao, que vinculava os sindicatos brasileiros indiretamente - por meio da cmara dos deputados - ao Presidente. Vargas pretendia, assim, tentar ganhar o apoio popular, para que estes apoiassem suas decises (a poltica conhecida como populismo). Derruba a Constituio brasileira, reunindo enormes poderes no Brasil. Isso despertou a indignao dos opositores, principalmente oligarcas e a classe mdia paulista, que estavam desgostosos com o governo getulista. A perda de autonomia estadual, com a nomeao de interventores, desagradou ainda mais. Por mais que Getlio tenha percebido o erro e tentado nomear um interventor oligarca paulista, os paulistas j arquitetavam uma revolta armada, a fim de defender a criao de uma nova Constituio.

GOVERNO CONSTITUCIONAL (1934-1937)Importantes caractersticas da Carta de 1934: *Poder executivo com direito de interveno nas reas poltica e econmica. *O cargo de Vice-presidente foi extinto; *As mulheres passaram a ter direito a voto *Voto secreto universal. Havia deputados eleitos indiretamente por sindicatos (deputados classistas) *Estabelecimento da Justia Trabalhista, concedendo os primeiros direitos trabalhistas *Criao da Justia Eleitoral (garantindo a lisura das eleies) e da Justia Militar *Eleies indiretas para o 1o. Presidente constitucional: vence Getlio Vargas, derrotando Borges de Medeiros. A partir de 1934, crescem no Brasil duas tendncias polticas. A primeira delas era o nazi-fascismo; a segunda, o socialismo marxista. Ambas criticavam o Estado burgusliberal e a "democracia" por ele desenvolvida. Contudo elas possuam diferenas inconciliveis. Convm destacar a importncia desses dois grupos polticos para nossa Histria, j que foram os primeiros grupos surgidos imbudos de uma ideologia, superando os projetos pretritos, puramente regionalistas. O fascismo brasileiro (Integralismo), conhecido pela sigla de AIB (Ao Integralista Brasileira), foi criado por Plnio Salgado em 1932. Preconizava a criao de um Estado ditatorial ultranacionalista e anticomunista. Este fascismo caboclo impressionava a classe mdia, o alto clero e parcelas reacionrias da sociedade em geral. Seu lema era a trilogia "Deus, ptria e famlia". Usavam uniformes verdes, o sigma grego que parece um "E" como logotipo do partido e uma saudao ("Anau!"), como a dos nazistas. Criam no "Estado integral", uma ditadura de partido e chefe nicos.

GOVERNO DITATORIAL (1937-1945)Getlio, j ditador, instaurou o Estado Novo e apresentou a nova Constituio, a Polaca, pois se baseava na Constituio da Polnia. Ela concentrou todos os poderes nas mos do presidente, autoridade suprema do Estado, que coordena os rgos representativos de graus superiores, dirige a poltica interna e externa, promove ou orienta a poltica legislativa de interesse nacional e superintende a administrao do pas. Principais modificaes introduzidas pela carta de 37: *o presidente podia dissolver o Congresso e expedir decretosleis; *os partidos foram extintos; aboliu-se a liberdade de imprensa e instituiu-se a censura prvia; *interventores nomeados passaram a governar os Estados; * instituiu-se a pena de morte; *o mandato presidencial foi prorrogado "at a realizao de um plebiscito", que jamais aconteceria. Para censurar a imprensa, orientar a opinio pblica e fazer propaganda do regime, foi criado o DIP (Departamento de Imprensa e Propaganda). com o intuito de projetar Getlio Vargas como o "Pai dos Pobres" e o "Salvador da Ptria". Em 1938 o movimento integralista tentou tomar o poder num episdio conhecido como putsch integralista. O levante, que contou com a participao de centenas de militantes, chegou at o Palcio da Guanabara, local em que o ditador Getlio Vargas vivia com sua famlia. O prprio Vargas na ocasio empunhou arma para defender de dentro do Palcio sua posio, depois que toda a Guarda j havia se rendido aos revoltosos. O levante integralista fracassou e muitos militantes de seu movimento foram violentamente perseguidos pela ditadura intitulada Estado Novo

INSTITUTO DE ENSINO INTELLECTUS QUADRO RESUMO ERA VARGAS - PROF. CSAR ROBRIO PAG.02GOVERNO PROVISRIO (1930-1934)Quando quatro estudantes paulistanos (Martins, Miragaia, Drusio e Camargo) so assassinados no dia 23 de Maio de 1932, diversos setores da sociedade paulista se mobilizam com o evento, e toda a sociedade passa a apoiar a causa constitucional. No dia 9 de Julho do mesmo ano, a revoluo explode pelo estado. Os paulistas contavam com apoio de tropas de diversos estados, como Rio de Janeiro, Minas e Rio Grande do Sul, mas Getlio Vargas foi mais rpido e conseguiu reter esta aliana, isolando So Paulo. Sem qualquer apoio, os flancos paulistas ficaram vulnerveis, e o plano de rpida conquista do Rio de Janeiro transformou-se em uma tentativa desesperada de defender o territrio estadual. Sem sada, So Paulo se rende. Mesmo com a vitria militar, Getlio Vargas atende alguns pedidos dos republicanos, e aprova a Constituio de 1934. O estado de So Paulo no conseguiu a adeso de praticamente nenhum outro estado brasileiro. Os paulistas, chefiados por Isidoro Dias Lopes, permaneceram isolados, sem adeso das demais unidades da federao. Para reprimir a rebelio paulista, Vargas enfrentou srias dificuldades no setor militar, pois inmeros generais simplesmente recusaram a misso, tendo em vista que estes temiam a ameaa de perder os cargos. Percebendo o dbil apoio que tinha no seio da cpula do Exrcito, e a fim de conquist-lo, Vargas rompeu em definitivo com os tenentes, que no eram bem vistos pelos oficiais legalistas. Em 3 de outubro de 1932, em meio a crise militar e apesar dela, Getlio conseguiu esmagar a revolta paulista.

GOVERNO CONSTITUCIONAL (1934-1937)Os integralistas alimentavam o sonho de atingir o poder com o apoio de Vargas. A ANL (Aliana Nacional Libertadora) congregava as oposies a Vargas, tendo uma linha discretamente socialista marxista. A ANL opunha-se a todos os totalitarismo de direita, preconizava a criao de um Estado democrtico, popular, o cancelamento do pagamento da dvida e externa, a efetuao de uma reforma agrria e a nacionalizao das empresas estrangeiras. O crescimento da ANL, sob o comando de Lus Carlos Prestes, incomodava as elites dirigentes. Vargas inicia a represso aos membros da ANL, obrigando-os a agir na clandestinidade. O Partido Comunista do Brasileiro que se associara ANL opta pela revoluo armada para tomar o poder. Um levante difuso, heterogneo, mal planejado, mal executado, ao final de novembro de 1935 sufocado por Getlio, que decreta estado de stio. O levante conhecido com o nome de Intentona Comunista. Toda a oposio de esquerda foi violentamente reprimida.Os polticos comearam a desconfiar dos planos continustas de Vargas logo que ele comeou a afastar militares legalistas do comando de reas estratgicas e, em seus lugares, nomeou oficiais de sua confiana. Para dar mais "veracidade" necessidade de um golpe, o governo forjou um plano mirabolante, pelo qual os comunistas tomariam o poder: era o Plano Cohen. A fobia ao comunismo decorrente de hbil propaganda propiciou ao governo conseguir a decretao de um "estado de guerra" em plena paz e a adeso de vrios governadores. Neutralizadas as oposies de esquerda (desde 35 abatidas), no foi difcil para Vargas esvaziar a resistncia liberal. A 10 de novembro de 1937, pretextando a "salvao nacional" contra o perigo comunista, o Congresso foi cercado, a resistncia liberal dominada e uma Constituio outorgada, a Polaca (redigida por Francisco Campos).

GOVERNO DITATORIAL (1937-1945)Em 1939 iniciou a guerra. Todos supunham que a propenso de Getlio era de apoio s potncias do Eixo, em funo da posio dos generais. No entanto, Getlio comeou a aproximar-se da democracia. No o fez de graa, porm. Exigiu dos Estados Unidos, como compensao pelo esforo de guerra que faria, cedendo bases em Belm e em Natal e fornecendo minrio, borracha e outros gneros, duas importantssimas concesses. Primeiro, a criao de uma grande siderrgica que viria a ser a Companhia Siderrgica Nacional, a CSN, matriz de nossa industrializao. Segundo, a devoluo ao Brasil das reservas de ferro e mangans de Minas Gerais e da Estrada e Ferro Vitria-Minas, em poder dos ingleses. Com elas se constituiu a Companhia Vale do Rio Doce que nas dcadas seguintes teve um crescimento prodigioso. Toda essa negociao se coroou quando Getlio consegue que Roosevelt viesse a Natal, em sua cadeira de rodas, para conversar com ele, consolidando aqueles acordos e obtendo do Brasil a remessa de uma fora armada para a batalha da Itlia. Em 1943 aprovado a Consolidao das Leis do Trabalho (CLT). Com a vitria dos Aliados na guerra, cresceu o movimento de redemocratizao do Brasil, que logo se configurou como incompatvel com a presena de Getlio no governo. Ele tentou conduzir o processo e para isso criou, com a mo esquerda, o PTB, para dar voz poltica aos trabalhadores; e com a mo direita, o PSD, para expressar os potentados da administrao pblica, com os quais governara. Gerando desconfiana em todos, Getlio finalmente caiu, num golpe militar encabeado por Ges Monteiro e Eurico Gaspar Dutra, seu Ministro da Guerra. O governo foi entregue ao Supremo Tribunal Federal, que convocou e realizou eleies, nas quais se defrontaram, representando as foras nominalmente democrticas, o Brigadeiro Eduardo Gomes e, na vertente oposta, o ge

Recommended

View more >