equipamento de prote†ƒo individual – epi. o que © equipamento de...

Download EQUIPAMENTO DE PROTE‡ƒO INDIVIDUAL – EPI. O que © Equipamento de Prote§£o Individual? ‰ todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo

Post on 21-Apr-2015

214 views

Category:

Documents

1 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • EQUIPAMENTO DE PROTEO INDIVIDUAL EPI
  • Slide 2
  • O que Equipamento de Proteo Individual? todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo trabalhador, destinado proteo de riscos suscetveis de ameaar a segurana e a sade no trabalho. O que Equipamento Conjugado de Proteo Individual? Todo aquele composto por vrios dispositivos, que o fabricante tenha associado contra um ou mais riscos que possam ocorrer simultaneamente e que sejam suscetveis de ameaar a segurana e a sade no trabalho.
  • Slide 3
  • Cabe ao empregador quanto ao EPI : a) a) Adquirir o EPI adequado ao risco de cada atividade; b) b) Exigir seu uso; c) c) Fornecer ao trabalhador somente o aprovado pelo rgo nacional competente em matria de segurana e sade no trabalho; d) d) Orientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado a sua guarda e conservao; e) e) Substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado; f) f) Responsabilizar-se pela higienizao e manuteno peridica; e, g) g) Comunicar ao MTE qualquer irregularidade observada.
  • Slide 4
  • Cabe ao empregado quanto ao EPI: Usar apenas para a finalidade a que se destina; Responsabilizar-se pela guarda e conservao; Comunicar ao empregador qualquer alterao que o torne imprprio para uso; e, Cumprir as determinaes do empregador sobre o uso adequado.
  • Slide 5
  • Cabe ao fabricante e ao importador cadastrar-se junto ao rgo nacional competente em matria de segurana e sade no trabalho; solicitar a emisso do CA; solicitar a renovao do CA quando vencido o prazo de validade estipulado pelo rgo nacional competente em matria de segurana e sade do trabalho; requerer novo CA quando houver alterao das especificaes do equipamento aprovado;
  • Slide 6
  • A) Comercializar ou colocar venda somente o EPI, portador de CA; B) Comunicar ao rgo nacional competente em matria de segurana e sade no trabalho quaisquer alteraes dos dados cadastrais fornecidos; C) Comercializar o EPI com instrues tcnicas no idioma nacional, orientando sua utilizao, manuteno, restrio e demais referncias ao seu uso; D) Fazer constar do EPI o nmero do lote de fabricao; E) responsabilizar-se pela manuteno da qualidade do EPI que deu origem ao Certificado de Aprovao - CA; F) comercializar ou colocar venda somente o EPI, portador de CA; G) Comunicar ao rgo nacional competente em matria de segurana e sade no trabalho quaisquer alteraes dos dados cadastrais fornecidos;
  • Slide 7
  • H) comunicar ao rgo nacional competente em matria de segurana e sade no trabalho quaisquer alteraes dos dados cadastrais fornecidos; I) fazer constar do EPI o nmero do lote de fabricao; e, J) providenciar a avaliao da conformidade do EPI no mbito do SINMETRO, quando for o caso; K) fornecer as informaes referentes aos processos de limpeza e higienizao de seus EPI, indicando quando for o caso, o nmero de higienizaes acima do qual necessrio proceder reviso ou substituio do equipamento, a fim de garantir que os mesmos mantenham as caractersticas de proteo original.
  • Slide 8
  • QUEM RECOMENDA O USO DE EPI? Compete ao Servio Especializado em Engenharia de Segurana e em Medicina do Trabalho - SESMT, ou a Comisso Interna de Preveno de Acidentes - CIPA, nas empresas desobrigadas de manter o SESMT, recomendar ao empregador o EPI adequado ao risco existente em determinada atividade. Nas empresas desobrigadas de constituir CIPA, cabe ao designado, mediante orientao de profissional tecnicamente habilitado, recomendar o EPI adequado proteo do trabalhador.
  • Slide 9
  • OBRIGADA GRATUITAMENTE A empresa OBRIGADA a fornecer aos empregados, GRATUITAMENTE, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservao e funcionamento, nas seguintes circunstncias: sempre que as medidas de ordem geral no ofeream completa proteo contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenas profissionais e do trabalho; enquanto as medidas de proteo coletiva estiverem sendo implantadas; e, para atender a situaes de emergncia.
  • Slide 10
  • Atendidas as peculiaridades de cada atividade profissional, e observado o disposto no item acima, o empregador deve fornecer aos trabalhadores os EPI adequados, de acordo com o disposto no ANEXO I da Norma Regulamentadora. As solicitaes para que os produtos que no estejam relacionados no ANEXO I, da NR, sejam considerados como EPI, bem como as propostas para reexame daqueles ora elencados, devero ser avaliadas por comisso tripartite a ser constituda pelo rgo nacional competente em matria de segurana e sade no trabalho, aps ouvida a CTPP, sendo as concluses submetidas quele rgo do Ministrio do Trabalho e Emprego para aprovao.
  • Slide 11
  • CERTIFICADO DE APROVAO (CA) Consiste em documento emitido pelo DNSST - Departamento de Segurana e Sade do Trabalhador, o qual atesta que o equipamento rene condies de servir ao fim a que se presta. Alm do C.A., o fabricante dever apresentar o C.R.F. - Certificado de Registro de Fabricante, e o importador, o C.R.I. - Certificado de Registro de Importador, ambos tambm emitidos pelo DNSST.
  • Slide 12
  • Para fins de comercializao o CA concedido aos EPI ter validade: de 5 (cinco) anos, para aqueles equipamentos com laudos de ensaio que no tenham sua conformidade avaliada pelo SINMETRO (Sistema Nacional de Metrologia e Qualidade Industrial); do prazo vinculado avaliao da conformidade no mbito do SINMETRO, quando for o caso;
  • Slide 13
  • Todo EPI dever apresentar em caracteres indelveis e bem visveis, o nome comercial da empresa fabricante, o lote de fabricao e o nmero do CA, ou, no caso de EPI importado, o nome do importador, o lote de fabricao e o nmero do CA. Na impossibilidade de cumprir o determinado o item anterior, o rgo nacional competente em matria de segurana e sade no trabalho poder autorizar forma alternativa de gravao, a ser proposta pelo fabricante ou importador, devendo esta constar do CA.
  • Slide 14
  • Da competncia do Ministrio do Trabalho e Emprego - MTE Cabe ao rgo Nacional: Cadastrar o fabricante ou importador de EPI; receber e examinar a documentao para emitir ou renovar o CA de EPI; estabelecer, quando necessrio, os regulamentos tcnicos para ensaios de EPI; emitir ou renovar o CA e o cadastro de fabricante ou importador; fiscalizar a qualidade do EPI; suspender o cadastramento da empresa fabricante ou importadora; e, cancelar o CA.
  • Slide 15
  • Cabe ao rgo Regional do MTE: Fiscalizar e orientar quanto ao uso adequado e a qualidade do EPI; Recolher amostras de EPI; Aplicar, na sua esfera de competncia, as penalidades cabveis pelo descumprimento desta NR.
  • Slide 16
  • LISTA DE EQUIPAMENTOS DE PROTEO INDIVIDUAL
  • Slide 17
  • A - EPI PARA PROTEO DA CABEA A.1 - CAPACETE Possuem, geralmente, uma cor para cada funo na obra (engenheiros, encarregados ou mestres, carpinteiros, armadores, eletricistas, encanadores, ajudantes, etc.), no intuito da melhor identificao e visualizao de equipes de trabalho dentro da obra. Geralmente so de material plstico com suporte interno regulvel (carneira), sendo que alguns tm viseiras adaptadas.
  • Slide 18
  • TIPOS DE CAPACETES a) Impactos de objetos sobre o crnio; Exemplo: numa obra de Construo Civil. b) choques eltricos; c) capacete para proteo do crnio e face contra agentes trmicos
  • Slide 19
  • c) Proteo do crnio e face contra riscos provenientes de fontes geradoras de calor nos trabalhos de combate a incndios.
  • Slide 20
  • A.2 - CAPUZ Capuz de segurana confeccionado em lona tratada com fechamento em velcro. Proteo do usurio contra riscos trmicos (calor). Proteo do crnio e pescoo contra respingos de produtos qumicos;
  • Slide 21
  • B - EPI PARA PROTEO DOS OLHOS E FACE B.1 - CULOS culos em policarbonato resistente a impactos e choques fsicos de materiais slidos e lquidos como: fragmentos de madeira, ferro, respingos de produtos cidos, custicos, entre outros. Proteo contra raios UVA e UVB. Apoio nasal e proteo lateral no mesmo material da lente. Hastes tipo esptula com ajuste de comprimento para melhor adaptao ao rosto do usurio.
  • Slide 22
  • TIPOS DE CULOS Contra impactos de partculas volantes; Contra luminosidade intensa; Contra radiao ultra-violeta;
  • Slide 23
  • Contra radiao infra- vermelha; Contra respingos de produtos qumicos.
  • Slide 24
  • B.2 PROTETOR FACIAL Produzido com lente de policarbonato. Com ele o trabalhador tem seu rosto protegido contra partculas,estilhaos, farpas e respingos. O protetor basculante, podendo ser levantado quando seu uso for desnecessrio. Possui grande rea de proteo medindo 19,5cm de largura e 20cm de altura.
  • Slide 25
  • TIPOS DE PROTETOR FACIAL Contra impactos de partculas volantes; Contra respingos de produtos qumicos; Contra radiao infra vermelha; Contra luminosidade intensa.
  • Slide 26
  • B.3 - MSCARA DE SOLDA Composto de escudo confeccionado em fibra prensada, com carneira de plstico com regulagem de tamanho. O Escudo fabricado com visor fixo que suporta uma placa de cobertura e o filtro de luz. Protege os olhos e face do usurio contra impactos de partculas volantes multi-direcionais e radiaes provenientes de servios de soldagem.
  • Slide 27
  • TIPOS DE MSCARA DE SOLDA Contra impactos de partculas volantes; Proteo dos olhos e face contra radiao ultra -violeta; Proteo dos olhos e face contra radiao infra- vermelha; Proteo d

View more >