entomofauna e gastrÓpodes relacionado À .entomofauna e gastrÓpodes relacionado À cultura da...

Download ENTOMOFAUNA E GASTRÓPODES RELACIONADO À .ENTOMOFAUNA E GASTRÓPODES RELACIONADO À CULTURA DA PITAYA

Post on 11-Nov-2018

228 views

Category:

Documents

8 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • ENTOMOFAUNA E GASTRPODES RELACIONADO CULTURA

    DA PITAYA NO MUNICPIO DE TOM-AU, PAR.

    Carlos Wagner da Silva Costa; Ailton Corecha De Souza; Mrcia Alessandra

    Brito de Aviz dos Santos.

    O alvo deste trabalho cientifico foi identificar os visitantes florais, polinizadores e os

    insetos que causam danos aos claddios e aos frutos de Pitaya variedades (Hylocereus e

    Selenicereus), em trs propriedades com diferentes tipos de controle e compara-los

    estatisticamente utilizando teste de Turkey. Por haver grande deficincia de informaes

    da espcie, principalmente quando se refere s pragas e a polinizao relacionada

    planta. Muitos agricultores familiares e grandes produtores esto de olho nesse novo

    mercado, e esto investindo no cultivo da Pitaya para o comercio no municpio de

    Tom-au, situado no nordeste do estado do Par. A pesquisa teve como base artigos

    que referem sobre a entomofauna e a planta Pitaya, e vrios insetos como formigas e

    abelhas se mostram presentes em abundancia nos cactos, flores e frutos, e dependendo

    do estgio da fruta alguns insetos podem ser benficos ou no para a fruta. As abelhas

    no so os melhores polinizadores da flor pela disposio dos seus rgos, sua

    polinizao resulta em um fruto menor do que feita manualmente, mas elas podem ser

    influencia. As abelhas irapu so as mais presentes, porm outras abelhas como a

    Melipona Quadrifasciata frequentam se houver uma abertura manual da flor durante o

    dia. Os morcegos insetvoros so um dos polinizadores potenciais da flor, sendo assim,

    qualquer inseto noturno pode ajudar a polinizao da flor, lhes atraindo. Deste modo, a

    pesquisa foi feita em perodos distintos em plantaes de produtores diferentes no

    municpio de Tom-au, foi feito o registro das espcies atravs de observaes e

    coletas feitas atravs de armadilhas. Desse modo, trazendo um maior conhecimento

    sobre a entomofauna relacionado planta perene Pitaya.

    PALAVRAS-CHAVE: Pitaya; Dragon-fruit; Entomofauna; Tom-Au, Inseto.

    (1) Estudante de Engenharia Agrcola da UFRA/Campus Tom-au, e-mail:

    carloswagner2003@gmail.com. (2

    Professor da UFRA/Campus Tom-au, e-mail:. ailton.souza@ufra.edu.br (3)

    Vice-diretora da UFRA/Campus Tom-au, e-mail:. marcia.aviz@ufra.edu.br

    mailto:carloswagner2003@gmail.commailto:ailton.souza@ufra.edu.brmailto:marcia.aviz@ufra.edu.br

  • A COMPREENSO DA ESTRUTURA ARGUMENTAL DE VERBOS

    PSICOLGICOS: EVIDNCIAS DO OLHAR PREFERENCIAL

    Mayrla Freitas da SILVA1; Alice Corra GARCIA2; Diemerson da Silva

    RIBEIRO3; Flavyanne Santos Serro ALMADA4; Ruth de Jesus RAMOS5; Ana

    Paula Martins ALVES6.

    Nossa pesquisa fundamentou-se na hiptese inatista de aquisio da linguagem, uma

    vez que compreendemos que as lnguas naturais possuem caractersticas particulares,

    que sero adquiridas pelas crianas e somadas aos princpios universais em seu processo

    de aquisio da linguagem. Todavia, dentre um conjunto de itens lexicais disponveis

    aquisio da linguagem, a categoria verbal apresenta-se como complexa para as

    crianas, tendo em vista seu aspecto relacional e abstrato. Mais especificamente, os

    verbos do tipo psicolgicos expressam uma propriedade abstrata, localizada no sujeito

    da sentena, e, por isso, acreditamos que estes apresentam-se como mais problemticos

    e difceis compreenso de crianas em processo de aquisio da linguagem. Destarte,

    esta pesquisa teve por escopo investigar a compreenso da rede temtica de verbos

    psicolgicos de sentimento por crianas falantes nativas do Portugus brasileiro com

    idade entre 3 e 5 anos, por meio de um estudo de compreenso de sentenas. Para tanto,

    desenvolvemos um estudo experimental, atravs da Tcnica de Fixao Preferencial do

    Olhar, no laboratrio itinerante montado em uma escola pblica municipal de Tom-

    Au. O estudo piloto contou com a participao de 15 crianas e teve um desenho

    experimental do tipo 2x2, uma vez que tnhamos duas variveis independentes

    manipulveis dividindo-se em dois nveis cada uma, papel temtico do sujeito e papel

    temtico do objeto. Os resultados preliminares evidenciaram que verbos psicolgicos

    em que o experienciador est na posio de sujeito exigem um menor custo cognitivo de

    processamento para crianas pequenas, ao passo que aqueles em que o experienciador

    apresentam-se na posio sinttica de objeto exigem maior custo cognitivo.

    Acreditamos que este resultado se d, principalmente, ao fato de o verbo, cujo

    experienciador est na posio de sujeito, apresentar aspecto menos agentivo, o que no

    causaria uma quebra de expectativa e, por isso, seriam mais acessveis compreenso

    de crianas pequenas.

    Palavras-chave: Verbos psicolgicos, aquisio da linguagem, olhar preferencial.

    (1) Estudante de Letras - Lngua Portuguesa da UFRA/Campus Tom-Au, e-mail:

    mayrlafreitas02@gmail.com (2)

    Estudante de Letras - Lngua Portuguesa da UFRA/Campus Tom-Au, e-mail: garcia.garciaalice1985@gmail.com (3)

    Estudante de Letras - Lngua Portuguesa da UFRA/Campus Tom-Au, e-mail:

    diemersonsilva288@gmail.com (4)

    Estudante de Letras - Lngua Portuguesa da UFRA/Campus Tom-Au, e-mail:

    flavyanne.serrao@gmail.com (5)

    Estudante de Letras - Lngua Portuguesa da UFRA/Campus Tom-Au, e-mail:

    ruthdejesus18@gmail.com (6)

    Professora/Orientadora da UFRA/Tom-Au, e-mail: anamarinsalves@gmail.com

    mailto:mayrlafreitas02@gmail.commailto:mayrlafreitas02@gmail.commailto:garcia.garciaalice1985@gmail.commailto:diemersonsilva288@gmail.commailto:flavyanne.serrao@gmail.commailto:flavyanne.serrao@gmail.commailto:ruthdejesus18@gmail.commailto:ruthdejesus18@gmail.commailto:anamarinsalves@gmail.com

  • BRIQUETES DE SERRAGEM: ALTERNATIVA PARA ELIMINAO DE

    RESDUOS ORGNICOS DO MUNICPIO DE TOM-AU/PA

    Myrella Katlhen da Cunha de ARAUJO1; Maria do Perptuo Socorro Progene

    VILHENA2; Michele Velasco Oliveira da SILVA3; Gildenilson Mendes DUARTE4.

    Para reduzir a perda da biodiversidade nos ecossistemas florestais, reduzir as emisses de CO e

    CO2 e, reduzir as mudanas climticas, est ocorrendo mundialmente uma grande busca por

    fontes de energia sustentveis para substituio de fontes no-renovveis. A briquetagem surge

    como alternativa ao uso de combustveis fsseis e proporcionando sustentabilidade e

    salubridade ao meio ambiente, produtores dos resduos e, a comunidade na produo de um

    material ecolgico utilizado em fornos de padarias, caldeiras, olarias e indstrias, com eficiente

    poder de queima devido suas propriedades fsicas e qumicas como uma fonte de energia

    sustentvel. Assim esta pesquisa tem como objetivo destinar o material residual slido para

    fabricar combustvel slido, por meio da produo de briquetes de serragem. Alm de analisar e

    avaliar a matria prima e suas propriedades fsico-qumicas e qumicas. A coleta da serragem foi

    realizada em serrarias locais da regio, em pequenas lascas e serragem de madeira amarela no

    tratada (sem componentes qumicos), no qual passou por processos de seleo, estocagem,

    lavagem, secagem e moagem. Na serragem foram realizadas anlises de C, N, Mg, P, K, Ca e,

    posteriormente os metais que sero realizados no Laboratrio de Solo e Anlise Qumica do

    Museu Paraense Emilio Goeldi. Os resultados de serragem apresentaram concentraes de C

    54,87%; N 0,10%; P 0,02 mg/kg; K >0,001 mg/kg; Ca 318,81 mg/kg. Essas anlises qumicas

    so a primeira etapa para avaliar se a composio do produto orgnico (serragem) utilizado para

    a produo do briquete pode haver ou, no a liberao de gases txicos. No final da fase da

    produo do briquete sero realizadas anlises fsico-qumicas e qumicas para avaliar se o

    mesmo pode beneficiar o produtor e ao meio ambiente reduzindo o uso de recursos naturais

    explorados e descartados.

    Palavras-chave: Briquete, Serragem, Resduo.

    (1)Estudante de Engenharia Agrcola da UFRA/Campus Tom-Au, e-mail:

    myrellaengenharia@outlook.com; (2)

    Professora/Orientadora da UFRA/Campus Tom-Au, e-mail: sprogene@hotmail.com; (3)

    Professora/Orientadora da UFRA/Campus Tom-Au, e-mail:

    michele.velasco.mv@gmail.com; (4)

    Professor/Orientador da UFRA/Campus Tom-Au, e-mail: gildenilsonmd@gmail.com.

    mailto:gildenilsonmd@gmail.com

  • O CUSTO COGNITIVO NO PROCESSAMENTO DE ANFORAS INDIRETAS

    NO PORTUGUS BRASILEIRO

    Alice Corra GARCIA1; Ana Paula Martins ALVES2.

    Segundo Marcuschi (2001), a anfora indireta (AI) um caso de referncia textual, ou

    seja, de induo ou ativao de referentes no processo que se constitui por questes

    lexicais. A esse respeito Marcuschi refora ainda que a AI uma espcie de ao

    remtica e temtica simultaneamente na medida em que traz a informao nova e a

    velha, ou seja, produz uma tematizao remtica. Nesse contexto, este trabalho tem

    como objetivo investigar o custo cognitivo no processamento de anforas indiretas

    realizado por alunos do 5 ano do Ensino Fundamental. Desse modo, nossos objetivos

    especficos so: 1) descrever o processo de retomada na recuperao do antecedente de

    anforas indiretas; 2) analisar o tempo de reao na recuperao do antecedente de uma

    anfora indireta. Situado no campo de estudo da Psicolingustica Experimental, este

    trabalho de pesquisa em andamento contou com a participao de 20 alunos de uma

    escola pblica municipal de Tom-Au/Par, com idade entre 10 e 11 anos. A coleta

    experimental se deu pelo mtodo de Priming no qual pode ser traduzido como pr-

    ativao, concede em uma tcnica que se utiliza

Recommended

View more >