Entenda o Orçamento Público

Download Entenda o Orçamento Público

Post on 08-Jun-2015

7.307 views

Category:

News & Politics

6 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Entenda o Oramento PblicoGuia Prtico para atender os interesses do servidor pblico da CNSP (Confederao Nacional dos Servidores Pblicos) www.cnsp.org.br

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. Entenda oOramento PblicoGuia prtico para atender osinteresses do servidor pblico</li></ul><p> 2. 2 Confederao Nacional dos Servidores PblicosEntenda o Oramento Pblico uma obra realizadapela Confederao Nacional dos Servidores Pblicospor meio da Fundao do Desenvolvimento Administrativo Fundap.Confederao Nacional dosServidores PblicosPresidente: Antonio TuccilioDiretor Financeiro e Coordenador:Wagner Dalla CostaRua Doutor Bettencourt Rodrigues,88, 6 andar, conjunto 602CEP 01017-010 So Paulo, SP(11) 3105-7940www.cnsp.org.brFundapDiretor Executivo:Geraldo BiasotoDiretor do Projeto:Carlos Alberto Monteiro de AguiarCoordenador do Projeto:Fabio Jungmann CardosoColaboradoresEquipe tcnica: Pesquisa e texto:Graziella Caleffi da Silva RamosLuiz Laerte FontesConsultoria tcnica:Rua Cristiano Viana, 428Heilio KohamaCEP 05411-902 So Paulo, SP(11) 3066-5500Projeto grfico e editorao:www.fundap.sp.gov.br. Arco W Comunicao &amp; Design 3. Entenda o Oramento Pblico 3SumrioApresentao..................................................................5Entenda o Oramento Pblico..................................7Projetos saem do Executivo.........................................9.A importncia do Planejamento Oramentrio.... 10Instrumentos do Sistema dePlanejamento Integrado............................................. 11.Plano Plurianual........................................................ 11.Lei de Diretrizes Oramentrias.......................... 12Lei de Oramento Anual....................................... 14.Montagem do Planejamento Integrado................ 17Origem do dinheiro...................................................... 19Crditos oramentrios............................................... 21.Prazos da elaborao e aprovao......................... 24.Momentos para apresentar reivindicaes..........26 .Anexo............................................................................. 30A Lei de Responsabilidade Fiscal eas despesas com o pessoal...................................... 30.Obras e trabalhos consultados.................................40 4. 4 Confederao Nacional dos Servidores Pblicos 5. Entenda o Oramento Pblico 5ApresentaoMais fora para nossas reivindicaesEm nossos contatos com diretores e assessores de entidades que representamo servidor pblico, em todo o Brasil, pudemos perceber que ainda existe certodesconhecimento sobre a mecnica que envolve o Oramento Pblico. Ou seja, aforma como as despesas so planejadas com base nas expectativas das receitas emtodas as esferas (Unio, Estados, Municpios e Distrito Federal).Conhecer o processo que leva ao Oramento Pblico fundamental para asentidades de servidores pblicos porque s assim possvel fazer, na hora e damaneira certa, as justas reivindicaes que merecemos ver atendidas. por isso que a Confederao Nacional dos Servidores Pblicos (CNSP) lana esteGuia. Ele representa uma ferramenta importante para o entendimento das leis quedefinem o Oramento Pblico em especial o Plano Plurianual, a Lei de DiretrizesOramentrias, a Lei de Oramento Anual e a Lei de Responsabilidade Fiscal eaponta os prazos e as formas de apresentarmos nossas reivindicaes.Alm de distribuir esta obra em todo o Brasil, a CNSP permitir sua consulta atravsdo seu site (www.cnsp.org.br), inclusive abrindo a possibilidade de servidorespblicos esclarecerem dvidas, e estimular a realizao de cursos sobre oOramento Pblico por parte das entidades.Entendemos que toda reivindicao melhorias de condies de trabalho ereajustes salariais, por exemplo deve considerar o que a legislao determina. Econhecendo a legislao ser possvel descobrir caminhos que amparam, de formaslida, nossos direitos. Com isso, abrem-se os caminhos para dilogos mais realistasentre entidades de servidores pblicos e o Poder Pblico.Esperamos que a leitura deste Guia beneficie o trabalho das entidades de todo o Brasil.Antonio TuccilioConfederao Nacional dos Servidores PblicosPresidente 6. 6 Confederao Nacional dos Servidores Pblicos 7. Entenda o Oramento Pblico 7Entenda oOramento PblicoAplicar com competncia os recursos quearrecada um grande desafio do Poder Pblicoem todas as suas esferas. Os valores arrecadadoscom os tributos e com os servios que oGoverno presta pertencem comunidade edevem ser usados para atender as necessidadeseconmicas e sociais da populao, e permitir oAdministrao diretadesenvolvimento do Pas com ordem e justia. ou centralizada composta por rgosPara fazer bom uso de sua arrecadao, ligados diretamente indispensvel que o Governo disponha ao poder centralde um instrumento que contribua para (federal, estadual ou municipal). Por exemplo,a gesto eficiente. Esse instrumento o um ministrio ou umaOramento Pblico, um dos mais antigos secretaria de Estado.recursos da administrao pblica brasileirae que tem, entre suas funes, controlar e Administrao indireta ou descentralizada aplicar os valores recolhidos para manter composta por entidadesem funcionamento os servios pblicos. com personalidadeO Oramento compreende as receitas e jurdica prpria, criadasdespesas de todas as unidades e entidades da para realizar atividadesadministrao direta e indireta. de Governo de forma descentralizada. Por exemplo, autarquias, fundaes, empresas pblicas e sociedades de economia mista. 8. 8 Confederao Nacional dos Servidores PblicosA Constituio Federal de 1988definiu o modelo oramentrioatual, que forma o Sistema dePlanejamento Integrado (tambmdenominado Processo dePlanejamento-Oramento). Eledeve ser montado atravs de trsinstrumentos: Plano Plurianual(PPA), Lei de DiretrizesOramentrias (LDO) e Lei deOramento Anual (LOA).Plano Plurianual Estabelecediretrizes, objetivos e metas daadministrao pblica para mdioprazo (quatro anos).Lei de Diretrizes Oramentrias Define as metas e prioridades daadministrao pblica e orienta aelaborao da Lei de Oramento Anual.Lei de Oramento Anual Dispesobre a previso de receita e afixao de despesas, considerando osprogramas do governo e as despesasnecessrias para esses programas epara a administrao pblica. 9. Entenda o Oramento Pblico 9Projetos saem do ExecutivoA Constituio determina que cabe ao Executivo a iniciativa dosprojetos de lei relacionados ao Oramento Pblico. Nas quatroesferas Unio, Estados, Distrito Federal e Municpios , no que foraplicvel, o Legislativo e o Judicirio encaminham suas propostasoramentrias ao Executivo, que faz a consolidao de todas,redige o projeto de lei e o encaminha ao Legislativo para emendase aprovao.Nas quatro esferas, o Oramento Pblico segue os seguintes passos:Elaborao compete ao Poder Executivo;Estudo e aprovao compete ao Poder Legislativo;Execuo compete ao Poder Executivo;Controle e fiscalizao compete ao Poder Legislativo; eAvaliao compete ao Poder Executivo.A Lei Complementar no 101/2000, conhecida como Lei deResponsabilidade Fiscal (LRF), tornou o Oramento Pblicouma pea de planejamento e controle e introduziu progressosimportantes no processo oramentrio. Com a vigncia daLei, os trs instrumentos Plano Plurianual, Lei de DiretrizesOramentrias e Lei de Oramento Anual no mais podemser elaborados simplesmente para cumprir formalidade legal.O Oramento Pblico deve ser bem desenvolvido e mostrar-secompatvel com a situao financeira presente e futura de cadargo e entidade. E deve representar com transparncia a definioda poltica econmico-financeira da administrao pblica e osprogramas de trabalho do Governo. 10. 10 Confederao Nacional dos Servidores Pblicos A importncia do Planejamento Oramentrio Em seus vrios estgios de preparao, o Oramento representa uma estimativa de receita e uma previso de despesas para determinado ano. Deve ser elaborado buscando identificar as necessidades sociais e, para que se consiga estabilidade econmica, tem que aperfeioar a justa captao de recursos da sociedade e permitir o competente emprego dos recursos no atendimento das demandas da sociedade. Arrecada esses recursos e, em contrapartida, oferece servios essenciais como educao, cultura, sade, saneamento, justia, segurana etc. De certa maneira, o processo oramentrio constitui um sistema pelo qual as preferncias do eleitorado so traduzidas em atividades, projetos e programas que visam satisfazer as demandas por bens pblicos. 11. Entenda o Oramento Pblico 11Instrumentos do Sistemade Planejamento IntegradoPlano PlurianualAprovado por lei, o Plano Plurianual tem duraode quatro anos. Atravs dele, procura-se ordenaras aes do Governo para atingir as metas eobjetivos fixados para esse perodo. Sua vignciase inicia a partir do segundo ano do mandatodo representante do Executivo (Presidente daRepblica, Governador de Estado ou do DistritoFederal, ou Prefeito) e se encerra ao final doprimeiro ano do mandato do Chefe do Executivosubsequente. Ou seja, sua vigncia aconteceem trs anos do mandato do Governo queo elaborou e um ano do Governo seguinte.Essa defasagem se faz necessria para permitirao novo Governo, depois de empossado, opleno acesso s contas pblicas e situaofinanceira existente. Ao proceder a avaliao dasituao e considerar a capacidade da mquinapblica, pode estabelecer suas expectativasfuturas e propor seu Plano Plurianual. Almdisso, a defasagem serve, em tese, para garantirque o que foi iniciado no Governo anterior,tenha continuidade no Governo seguinte. Senecessrio, o Plano Plurianual pode ser alteradopor lei durante sua vigncia. 12. 12 Confederao Nacional dos Servidores Pblicos Nenhum investimento poder ser iniciado sem prvia incluso no Plano Plurianual ou sem lei que autorize sua incluso. Da mesma maneira, nenhum investimento cuja execuo ultrapasse um exerccio financeiro poder ser iniciado sem prvia incluso no Plano Plurianual. Nos dois casos, sob pena de crime de responsabilidade. O Plano Plurianual orienta a elaborao dos demais planos e programas do Governo, e o prprio oramento anual. As peas oramentrias devem relacionar-se entre si e o Plano Plurianual deve conter todas as aes de forma coordenada. Lei de Diretrizes Oramentrias A finalidade da Lei de Diretrizes Oramentrias estabelecer as metas e prioridades da administrao pblica presentes no Plano Plurianual, ou seja, representa o planejamento operacional da administrao pblica. Suas regras de elaborao aplicam-se s quatro esferas da Federao Unio, Estado, Distrito Federal e Municpios. As emendas ao projeto da Lei de Diretrizes Oramentrias s sero aprovadas se compatveis com o Plano Plurianual. De acordo com o Art. 165, da Constituio Federal de 1988, a Lei de Diretrizes Oramentrias compreender: Metas e prioridades da administrao pblica; Orientao para elaborar a Lei de Oramento Anual; Apresentao das alteraes na Entre as determinaes legislao tributria; da Lei de DiretrizesOramentrias sobre a Estabelecimento da poltica de aplicao daspoltica geral de pessoal agncias financeiras oficiais de fomento;est a formulao de Autorizao para contratao e plano de carreira, concesso de vantagens aos cargos e salrios doservidor pblico. servidores pblicos. 13. Entenda o Oramento Pblico 13J a Lei de ResponsabilidadeFiscal determina que a Lei deDiretrizes Oramentrias tratedestes pontos:Equilbrio entre receitas e despesas principio do equilbrio oramentrio;Critrios e forma de limitao de empenho;Normas relativas ao controle de custos e avaliao dos resultados dos programasfinanciados com recursos dos oramentose tambm sobre as condies e exignciaspara transferncias de recursos a entidadespblicas e privadas.A Lei de Responsabilidade Fiscalestabelece, ainda:Avaliao do cumprimento das metasrelativas ao ano anterior;Demonstrativo das metas anuais, instrudocom memria e metodologia de clculos quejustifiquem os resultados pretendidos;Evoluo do patrimnio lquido.A vigncia da Lei de Diretrizes Oramentrias de um ano. Sua elaboraoe aprovao se do no ano imediatamente anterior e rege o oramento doano seguinte. Esta lei compe o planejamento do Governo, pois, alm deser fixada a cada ano, tambm coloca em prtica o que est estabelecido noPlano Plurianual e estipula regras para a elaborao dos oramentos anuais. 14. 14 Confederao Nacional dos Servidores Pblicos Lei de Oramento Anual a pea legal que prev todas as receitas e fixa todas as despesas do Governo. DeveVeja a Lei deResponsabilidade Fiscal ser elaborada de forma compatvel com oe as despesas com Plano Plurianual e com a Lei de Diretrizeso pessoal no Anexo Oramentrias. Cabe a toda unidade da(pgina 30). administrao pblica definir as prioridades de gasto, com algumas limitaes, constitucionais ou legais. A Lei de Responsabilidade Fiscal, por exemplo, determina os percentuais mximos permitidos para a folha de pagamento dos servidores. A Lei de Oramento Anual subdivide-se em trs oramentos:Despesas de capital 1) Oramento Fiscal: refere-se aos trs poderes,As realizadas com o seus fundos, rgos e entidades da administraopropsito de formar e/ direta e indireta, inclusive fundaes institudas e ou adquirir ativos reais, mantidas pelo Poder Pblico. Envolve receitas queabrangendo, entre outras sero aplicadas nos gastos com pessoal, custeioaes, o planejamento da mquina administrativa, transferncias para e a execuo de outras entidades governamentais, bem comoobras, a aquisio deequipamentos, as despesas que iro gerar novos gastosinstalaes, material (chamadas de despesas de capital),permanente, ttulos em que os tributos so a principal representativos do fonte de recursos. capital de empresas ouentidades de qualquernatureza bem como asamortizaes de dvidae concessesde emprstimos. 15. Entenda o Oramento Pblico 152) Oramento de Investimento: corresponde aos investimentosrealizados em empresas onde o Governo, direta ou indiretamente,detm maioria do capital social com direito a voto.3) Oramento da Seguridade Social: abrange todas asentidades e rgos a ela vinculados, seja da administrao direta ouindireta, assim como os fundos e fundaes institudos e mantidospelo Poder Pblico.O oramento fiscal e o de investimento tero entre suas funes a dereduzir desigualdades inter-regionais. Considera-se que se os recursosfinanceiros forem aplicados corretamente, tero importncia valiosapara resolver os problemas de desigualdades entre as regies do Pas.Seguridade Social Tem como objetivoproteger a cidadania, ou seja, os direitose obrigaes das pessoas. De acordo coma Constituio Federal de 1988, ela composta da:1) Previdncia Social Funciona como umseguro social exclusivo para quem contribuie visa garantir uma renda ao segurado-contribuinte.2) Assistncia Social Para proteo aosnecessitados, no depende de contribuio.3) Sade Pblica Promove a reduode risco de doenas e o acesso a serviosbsicos de sade e saneamento, tambmno depende de contribuio. 16. 16 Confederao Nacional dos Servidores Pblicos A Lei de Oramento Anual dever estar Renncia fiscal acompanhada de demonstrativos de quando o Governo, em efeitos de renncia fiscal bem como dequalquer esfera, abre mo de receber algum medidas de compensao a essa renncia tipo de imposto para e ao aumento de despesas obrigatrias de estimular, proteger ou carter continuado. Tambm deve estar atrair alguma atividade contida na Lei de Ora...</p>