engenheiro eletricista

Download Engenheiro Eletricista

Post on 27-Oct-2015

53 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • CONCURSO PBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS NO QUADRO DE PESSOAL DA SANEAMENTO DE GOIS S.A. - SANEAGO

    Domingo, 20 de janeiro de 2008

    CARGO ENGENHEIRO ELETRICISTA

    CCAADDEERRNNOO DDEE PPRROOVVAASS OOBBJJEETTIIVVAA EE DDIISSCCUURRSSIIVVAA

    Leia atentamente as instrues abaixo.

    1 . Este caderno de provas composto de 40 (quarenta) questes objetivas e 2 (duas) questes discursivas, conforme itens 61 e 69 do edital. Confira-o todo e solicite sua substituio, caso apresente falha de impresso ou esteja incompleto.

    2 . Leia cuidadosamente o que est proposto nas provas. 3 . As instrues de preenchimento do carto-resposta das questes objetivas, previstas nos itens 63

    e 64 do edital, encontram-se no carto-resposta. 4 . As instrues de preenchimento do caderno de respostas da prova discursiva, previstas nos itens

    71 a 75 do edital, encontram-se no caderno de respostas. 5 . O candidato poder utilizar os espaos de rascunho deste caderno de provas antes de transcrever

    as respostas definitivas para o caderno de resposta da prova discursiva. 6 . Se desejar, poder utilizar a folha intermediria de respostas, no final deste caderno, para registrar

    as alternativas escolhidas. 7 . Durante as provas, o(a) candidato(a) no dever levantar-se sem autorizao prvia ou comunicar-

    se com outros(as) candidatos(as). 8 . Os fiscais no esto autorizados a fornecer informaes acerca desta prova.

    Identificao do candidato

  • 2

  • 3LNGUA PORTUGUESA

    Leia o texto abaixo. As questes de 1 a 4 referem-se a ele.

    CORPO E LINGUAGEM O que as cincias sociais nos tm mostrado que somos profundamente alterados pelo meio social

    em que vivemos. No, as alteraes no so de superfcie. O nosso corpo um produto social. Sentimos em funo de convenes. Toda a nossa relao para

    com o mundo medida pela linguagem. Conheci um homem que aprendeu desde cedo a detestar miolo. O horror era tanto que nunca teve coragem sequer de prov-lo. Um dia foi jantar em casa de amigo. Havia couve-flor empanada, que ele comeu e repetiu com enorme prazer. Ao final da refeio, comentou com a dona da casa: Divina, a couve-flor empanada. Que couve-flor? miolo... O pobre homem teve de correr para o banheiro, e vomitar. Houve alguma alterao fsica na situao? No. O corpo j havia gostado do alimento? Qual foi a mudana? A palavra.

    Mas a palavra s ocorre no meio social. Durkheim afirma que no h dvidas de que a linguagem e, conseqentemente, o sistema de

    conceitos que ela traduz, produto de uma elaborao coletiva. O corpo um produto da sociedade, como tambm o so a prpria razo e o pensamento.

    ALVES, Rubem. Filosofia da cincia: introduo ao jogo e suas regras. 3. ed. So Paulo: Brasiliense, 1982. p. 197-198. [Adaptado].

    QUESTO 1 A tese do texto pode ser resumida na frase:

    a) As cincias sociais so importantes para mostrar os fatos relacionados aos homens. b) Uma palavra capaz de mudar toda a convico de uma pessoa. c) O corpo um produto social, visto que sofre as interferncias da linguagem. d) A linguagem, por ocorrer em meio social, fruto de uma conveno.

    QUESTO 2 A passagem do texto em que contada a histria do homem que detestava miolo serve para

    a) contradizer a tese do autor. b) reforar a tese do autor. c) refutar a tese do autor. d) desviar a tese do autor.

    QUESTO 3 No texto, as aspas funcionam como

    a) realces do discurso do autor. b) destaques do discurso do senso comum. c) ndices de ironia do discurso do autor. d) indicadoras de discursos diferentes.

    QUESTO 4 As formas verbais houve e havia gostado, usadas nas frases Houve alguma alterao fsica na situao? e O corpo j havia gostado do alimento? (3 pargrafo), indicam que o fato de gostar do alimento

    a) anterior a uma possvel alterao fsica do corpo. b) indiferente a uma possvel alterao fsica do corpo. c) posterior a uma possvel alterao fsica do corpo. d) simultneo a uma possvel alterao fsica do corpo.

  • 4QUESTO 5 Observe a tirinha abaixo.

    Disponvel em: . Acesso em: 5 nov. 2007.

    Pela leitura da tirinha, CORRETO depreender que a) Filipe sente-se indignado por no poder explicar a Mafalda o que alma. b) o sentido que Filipe atribuiu a pirambaba necessariamente aquele imaginado por Mafalda. c) Mafalda no consegue fazer com que Filipe raciocine por si mesmo. d) Filipe consegue depreender um possvel sentido de pirambaba, mesmo sem explicao.

    MATEMTICA

    QUESTO 6 Uma loja oferece uma geladeira para venda nas seguintes condies: entrada de 50% do valor, mais uma parcela de R$ 515,00, um ms aps a compra. Um cliente prope pagar, pela mesma geladeira, uma entrada de R$ 391,00, mais duas parcelas mensais e iguais, a primeira um ms aps a compra. Se a loja cobra taxa de 3% ao ms, e o regime o de juros compostos, para que a proposta do cliente seja equivalente oferta feita pela loja, o valor da parcela dever ser de

    a) R$ 309,00. b) R$ 391,36. c) R$ 318,27. d) R$ 306,00.

    QUESTO 7

    Seja a transformao

    =

    yx

    3003

    yx

    T . A imagem da regio delimitada pelo tringulo retngulo de

    hipotenusa 22 ba + pela transformao T outro tringulo cuja medida da rea

    a) 90% da rea do tringulo original. b) 900% da rea do tringulo original. c) 800% da rea do tringulo original. d) 30% da rea do tringulo original.

    Espao para rascunho

  • 5QUESTO 8 A populao de bactrias de uma determinada cultura cresce a uma taxa proporcional ao nmero de bactrias presentes a qualquer tempo. No instante inicial, havia 200 bactrias e, aps uma hora, observa-se que h 300 bactrias presentes. O tempo necessrio para que o nmero de bactrias existentes seja 600 pode ser dado pela expresso

    a) 23ln

    3ln.

    b) 32ln

    2ln.

    c) 32ln

    3ln.

    d) 23ln

    2ln.

    QUESTO 9

    No plano complexo, o subconjunto dos nmeros definido por { }41z1z:CzM =++= representa a) um segmento de reta. b) uma hiprbole. c) uma parbola. d) uma elipse.

    QUESTO 10

    Um reservatrio para gua tem o formato de um tronco de cone obtido pela rotao de 0360 , em torno do eixo x , do trapzio definido pela regio delimitada pelo segmento de reta de extremidades ( )1,0A e ( )4,6B e pela projeo ortogonal desse segmento sobre o eixo x . Considerando-se o metro como a unidade de medida no sistema de coordenadas e 14,3= , a quantidade mxima de gua possvel que pode ser armazenada pelo reservatrio :

    a) 152 760 litros b) 122 990 litros c) 131 880 litros d) 118 890 litros

    HISTRIA E GEOGRAFIA DE GOIS QUESTO 11 Em 1822, o Brasil tornou-se formalmente um pas independente de Portugal. Em Gois, o principal reflexo da emancipao poltica foi

    a) o crescimento econmico em virtude da suspenso da cobrana do quinto de ouro. b) o movimento separatista no norte de Gois, explicado pelas fortes diferenas culturais e econmicas com

    o sul da provncia. c) o surgimento de oligarquias locais que controlaram o poder poltico durante o Imprio. d) a perda da regio do atual Tringulo Mineiro para Minas Gerais, em virtude da nova reestruturao

    poltica feita no Brasil.

  • 6QUESTO 12

    Oligarquia e revoluo so duas palavras que caracterizam bem a histria poltica de Gois durante o perodo republicano. As oligarquias aspiravam permanncia dos grupos polticos familiares no poder; as revolues visavam a substituio desses grupos polticos. Sobre a poltica em Gois nesse perodo, CORRETO afirmar:

    a) A deposio de Mauro Borges pelo Regime Militar de 64 explica-se, em parte, pela defesa do governador goiano da posse do presidente Joo Goulart no chamado Movimento da Legalidade, em 1961.

    b) O vigoroso combate dos coronis goianos, liderados pela oligarquia dos Caiado que expulsou os revolucionrios da Coluna Prestes de Gois, demonstrou a slida articulao entre poder local e regional em Gois.

    c) A Revoluo de 1909 marcou o fim da oligarquia dos Caiado que, aliada de Xavier de Almeida, procurou racionalizar o sistema tributrio em Gois.

    d) A Revoluo de 1930 foi meramente uma alternncia de oligarquias, uma vez que o governo de Pedro Ludovico no produziu mudanas polticas, econmicas e administrativas relevantes em Gois.

    QUESTO 13 Os tropeiros registram o nascimento da j desaparecida Roncador de Gois. Ali se registrava o grosso comrcio da feira de burros e das muladas vindas das Minas Gerais.

    VAZ, Coelho. Dirio de tropeiro: poemas. Goinia: Kelps, 2002. p. 45.

    O poema sobre os tropeiros, os principais responsveis pelo transporte de mercadorias no sculo XIX e parte do sculo XX em Gois. Sobre a relao dos meios de transportes com a economia goiana desse perodo, INCORRETO afirmar:

    a) O principal produto de exportao era o gado vivo, que, por se autotransportar, supria as carncias de meios de transporte da poca.

    b) Os principais produtos importados por Gois, no sculo XIX, eram o sal, o ferro e a plvora, transportados basicamente pelos tropeiros.

    c) O papel decisivo dos tropeiros na economia durou at a construo da estrada de ferro, no sculo XX, quando se dinamizou a economia agropecuria goiana.

    d) As principais trocas comerciais de Gois eram feitas com o Par, atravs dos rios Araguaia e Tocantins, rios amplamente navegveis.

    QUESTO 14 O Cerrado a segunda maior formao vegetal do Brasil, sendo superada apenas pela Floresta Amaznica. Originalmente, essa formao estendia-se por uma rea de 2 milhes de km2, abrangendo dez estados brasileiros. Considerando a relao entre a vegetao de Cerrado, o clima e o solo, CORRETO afirmar:

    a) O regime hdrico marcado pela escassez de chuvas em boa parte do ano contribui para a formao de solos ricos em ferro e alumnio e para a constituio da vegetao tpica do bioma (caracte

Recommended

View more >