enfermagem marinha 2016 - .... ramsay d) glasgow 5) (unirio2015) ... constituem-se respostas...

Download Enfermagem Marinha 2016 - .... Ramsay d) Glasgow 5) (UniRio2015) ... Constituem-se respostas avaliadas

Post on 11-Nov-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1 www.mcaconcursos.com

    Terapia Intensiva Prof. Srgio Porto

    Neurologia

    No conheo nenhuma frmula infalvel para obter o sucesso,

    mas conheo uma forma infalvel de fracassar: tentar agradar a todos.

    (John F. Kennedy)

    MCA concursos - PAIXO PELO SEU FUTURO!

    Enfermagem

    Marinha 2016

    Terapia Intensiva 2

    http://kdfrases.com/frase/104659http://kdfrases.com/frase/104659http://kdfrases.com/autor/john-f.-kennedy

  • 2 www.mcaconcursos.com

    Terapia Intensiva Prof. Srgio Porto

    ASSISTNCIA DE ENFERMAGEM EM NEUROINTENSIVISMO. # Revio Anato/Fisiologica. # Avaliao neurolgica. # Coma. # Escalas de coma. # Hipertenso intracraniana. # Monitorizao da PIC. # Medidas de Neuroproteo. # Principais Doenas.

    OBJETIVOS DOS CUIDADOS AO CLIENTE NEUROLGICO Preservar e restaurar a funo do sistema nervoso Oferta de glicose e oxignio adequada s necessidades do tecido Avaliao sistemtica e a documentao dos principais sinais e sintomas relacionados funo do SNC Sistema Nervoso Central > rgo central que coordena praticamente todos os sistemas orgnicos; > Influncia direta nos sistemas: Imune, Endcrino e Msculares; > Influncia modulada por percepes sensoriais que transmitem ao crebro o ambiente interno e externo; > Crebro direcionando nossas resposta a influncia ambiental. SNC: RECEBE ESTMULOS SENSORIAIS PELOS NEURNIOS E ENVIA OS IMPULSOS MOTORES. Diviso Anatmica: Encfalo; Protegidos pelas meninges Medula Espinhal;

    SN Perifrico > Nervos cranianos e espinhais. Diviso Funcional: Sensorial; Integradora; Motora > somtica e autnoma. Ricamente vascularizado (BARREIRA HEMATOENCEFALICA). CIRCULAO

    REQUER 15% DO DBITO CARDACO GLOBAL; FEITA ATRAVS DAS CARTIDAS INTERNAS E VERTEBRAIS.

    CIRCULAO CEREBRAL

    Artrias: Cartida interna; Comunicante ant. e posterior; Cerebral anterior;

    Cerebral mdia; Cerebral posterior; Vertebral; Espinhal anterior; Tringulo de Willis.

    Barreira Hemato enceflica FLUXO SANGNEO CEREBRAL

    Crebro: 750 ml de sangue / min = > 15% do DC e 20% do consumo de O2 cerebral.

    FSC normal: 50-60 ml /100g /min

    Se o FSC cai: diminui funo neuronal e depois, h leso cerebral irreversvel. Se o FSC aumenta: edema cerebral e reas de hemorragia.

  • 3 www.mcaconcursos.com

    Terapia Intensiva Prof. Srgio Porto

    AUTO-REGULAO Mecanismos que mantm o FSC constante mediante a flutuao da PAM. Baseados na RVC PPC = compensado por vasodilatao; PPC = compensado por vasoconstrico.

    Tem dois hemisfrios unidos pelo corpo caloso.

    MENINGES Tecido conjutivo e fibroso; Funo de proteo e suporte nutricional para o crebro e medula espinhal; Compostas pelas:

    Dura-mter; Aracnide; Pia-mter;

    LCR: flui pelos ventrculos e espaos subaracnide. Ptns, glicose e ausncia de eritcitos; Nutrio e proteo; Incolor e transparente;

    UNIDADES FUNCIONAlS

    Neurnio:

    Formam uma rede de + ou - 12bilhes no total;

    esto na parte cortical: (pensamento, conscincia, sentimentos, movimentos motores voluntrios e memria);

    So de diferentes tipos;

    Todas as informaes e atividades passam pelos neurnios.

    Neuroglia:

    Tecidos de sustentao;

    Capacidade Mitotica;

    So:

    Micrglia;

    Astrcitos

    (Barreira hematoencefalica);

    Oligodendrcitos (mielina / Cels. de Schuwann)

    Condutividade do impulso.

    SINAPSES:

    VIA DE MO NICA, DO N PARA O N Qumica: Maior utilizao; Fendas pr e ps sinapticas; Utilizam-se de Neurotransmissores.

    Eltrica: Menor utilizao; Corrente ionica; Ocorrem nas junes comunicantes (GAP).

    Podem ser bloqueados, repetitivos ou mesmo potencializados. NEUROTRANSMISSORES.(NT): NR PRODUZ E ARMAZENA APENAS UM NICO NT

    Acetilcolina (receptores muscarinicos); Noraepinifrina;

    GABA (ac. Gama aminobutirico / hiperpolarizante); Epinifrina (receptores alfa e , beta e ); Histamina; Glicina (despolarizantes); Serotonina; Glutamato (despolarizantes); Substncia P; Endorfinas.

  • 4 www.mcaconcursos.com

    Terapia Intensiva Prof. Srgio Porto

    Liberados pela entrada de Ca na membrana pr sinptica e recaptadas p/ reutilizao. COMPONENTES DO ENCFALO FOSSA ANTERIOR CREBRO

    CONTM 2 HEMISFRIOS CEREBRAIS COM 4 LOBOS CADA UM UNIDOS PELO CORPO CALOSO, DIVERSAS COLEES

    DE CORPOS CELULARES (GANGLIOS DA BASE); SUBSTNCIA CINZENTA (sem mielina)

    CAMADA MAIS EXTERNA; COMPOSTA POR CORPOS NEURONAIS (CORTEX);

    SUBSTNCIA BRANCA (mielinizada): COMPOSTA PELO PROLONGAMENTO DOS NEURNIOS QUE SE CONECTAM AS PARTES DO ENCFALO. COMPONENTES DO ENCFALO FOSSA MDIA (DIENCFALO)

    TLAMO CENTRO DE RETRANSMISSO SENSORIAL E MOTORA, E DA DOR; TODOS OS IMPULSOS SENSITIVOS (EXCETO OLFATO), LGICOS, RELATIVOS MEMRIA.

    HIPOTLAMO INTERAO NEUROENDOCRINA, FUNO VISCERAL CONTROLA E REGULA O SNA (S e P), MANTM REGULAO HDRICA, TRMICA, DO SONO, DA PA, DAS EMOES E DO CENTRO DA FOME.

    HIPFISE

    PRODUO DE HORMNIOS (CRESCIMENTO, ANTIDIURTICO) QUE ATUAM NA FUNO RENAL, PANCRETICA, GONADAL, ETC... LOBO TEMPORAL SENTIDO DO PALADAR, OLFATO E AUDIO E MEMRIA DE CURTO PRAZO. LOBO FRONTAL CONTROLA O AFETO, PERSONALIDADE, RACIOCNIO, INIBIO DE IMPULSOS. LOBO PARIETAL

    INTERPRETAO DAS SENSAES, NOO DO ESQUEMA CORPORAL.

    LOBO OCCIPITAL RESPONSVEL PELAS SENSAES VISUAIS.

    TRONCO CEREBRAL # Mesencfalo > reflexos auditivos e visuais.

    # Ponte > vias motoras e sensoriais. # Medula oblonga > ligao com o encfalo. Arreflexia de tronco = Morte Enceflica

  • 5 www.mcaconcursos.com

    Terapia Intensiva Prof. Srgio Porto

    1) (UniRio2014) Com relao ao desvio de comissura labial para esquerda, pode-se inferir que a leso enceflica

    encontra-se ao nvel de emergncia do seguinte par craniano:

    a) II par (ptico) b) III par (oculomotor) c) VII par (Facial) d) V par (Trigmeo) 2) (UniRio2015) Em uma pessoa com leso cerebral, uma pupila no dilatada e no reativa unilateral sbita um mau

    sinal. Quando o aumento da presso intracraniana empurra o tronco cerebral para baixo (herniao uncal), h uma

    presso em um nervo craniano, causando dilatao da pupila. O nervo envolvido neste processo o:

    a) ptico. (2) b) Hipoglosso. (12) c) Oculomotor.(3) d) Troclear. (4) e) Trigmio. (5)

    COMPONENTES DO ENCFALO FOSSA POSTERIOR TRONCO CEREBRAL CENTRO DE CONTROLE RESPIRATRIO, AUTONMICO E DE AXNIOS MOTORES QUE PASSAM PARA A MEDULA ESPINHAL; ORIGEM DOS 10 PARES DE NERVOS CRANIANOS.

    MESENCFALO (CONECTA A PONTE E O CEREBELO): REFLEXO PUPILAR; PONTE - CONTROLE DA FC, FR E PA. BULBO (MEDULA OBLONGA): TRANSMITE AS FIBRAS MOTORAS DO ENCFALO PARA A MEDULA ESPINHAL E VICE-

    VERSA. CEREBELO RECEBE AMOSTRA DE TODOS OS ESTMULOS SENSORIAIS ASCENDENTES E MOTORES DESCENDENTES, RESPONSVEL PELO EQUILBRIO, PELA COORDENAO DOS MOVIMENTOS E PELO TNUS VASCULAR, COMPATIBILIZA A INFO C/ A AO. Aes inibitrias ou exitatrias Coordenao dos movimentos

  • 6 www.mcaconcursos.com

    Terapia Intensiva Prof. Srgio Porto

    Barreira hematoencefalica. Barreira LCR nos 4 ventriculos ( D; E; 3 e 4). Circulao.

    Cartidas e vertebrais; Jugulares ext e internas.

    Medula espinhal

    Extenso dos hemisfrios cerebrais; Elo de ligao central com a periferia (pele e msculos); Nervos espinhais (cervicais, torcicos, lombares, sacrais, etc); Coluna vertebral (33 ossos); Nervos perifricos.

    AVALIAO NEUROLGICA Conscincia ---------------------------- Coma Alterao do nvel de conscincia como indicativo de algum grau de falncia cerebral.

    AVALIAO NEUROLGICA / ENF Objetiva preservar e restaurar as funes do sistema nervoso central mantendo uma boa oferta de energia e

    oxignio

    AVALIAO DO CONTEDO DA CONSCINCIA E ORIENTAO No contedo so realizadas as seguintes avaliaes:

    Ateno e concentrao; Memria; Estado afetivo; Linguagem; Raciocneo e orientao.

    Alteraes mais comuns...

    Letargia ou sonolncia: Cliente acorda ao estmulo auditivo, est orientado no tempo, espao e pessoa, responde lenta e vagarosamente ao estmulo verbal, elaborao de processos mentais e atividade motora.

    # Cessado o estmulo verbal, retorna ao estado de sonolncia.

    Pupilas

    Freqncia

    Respira tria

    Respos tas

    Motoras

    Reflexos

    Avaliao Nvel de Consci

    ncia

    Enfer meiro

  • 7 www.mcaconcursos.com

    Terapia Intensiva Prof. Srgio Porto

    Estado confusional agudo ou delirium: sintomas de incio agudo, de carter flutuante e com intervalos de lucidez.

    # Pode apresentar um ou + sintomas # No ateno aos estmulos empregados; Diminuio da capacidade de concentrao; Desorganizao e incoerncia do pensamento;

    Desorientao em relao ao lugar e ao tempo; Distrbios de memria; Rebaixamento do nvel de conscincia (sonolncia); Entre outros...

    Obnubilao: Cliente muito sonolento, ou seja, necessita ser estimulado intensamente, com associao de estmulo auditivo mais intenso e estmulo ttil.

    # Pode responder a comandos simples ex.: Quando solicitado para colocar a lngua para fora da boca. # Pode responder apropriadamente ao estmulo doloroso.

    Estupor ou Torpor: Mais sonolento, no responsivo, necessitando de estimulao dolorosa para responder em geral de maneira inespecifica.

    # Responde apropriadamente ao estmulo doloroso, apresenta resposta com sons incompreensveis e/ou com abertura ocular.

    Coma: Estado em que o indivduo no demonstra conhe

View more >