enem 2018 1° dia - caderno 1 - azul .enem 2018 1° dia - caderno 1 - azul quest£o -...

Download ENEM 2018 1° dia - Caderno 1 - Azul .ENEM 2018 1° dia - Caderno 1 - Azul Quest£o - Proposta de

Post on 08-Nov-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • ENEM 2018 1 dia - Caderno 1 - Azul

    Questo - Proposta de redao

  • Resoluo:

    O Enem manteve a tradio de abordar um relevante tema social. Neste ano, a propostaconvidava o participante a apresentar seu ponto de vista sobre a Manipulao do

  • comportamento do usurio pelo controle de dados na internet.

    A princpio, era importante compreender que, inscrita em uma questo mais abrangente,a popularizao do uso de sites de notcias e redes sociais, entre outros recursos digitais,a situao-problema mostrava um recorte mais especfico: o uso de dados do internautapara controlar seus comportamentos, por meio de algoritmos. Como em propostasanteriores, a coletnea de textos motivadores apresentou textos oficiais para balizar areflexo, como os dados divulgados pelo IBGE com os nmeros de usurios quanto aognero, faixa etria e finalidade de uso da rede , alm de textos jornalsticos quedestacavam a influncia dos meios digitais em aspectos relacionados a consumo eacesso a notcias. Entretanto, nesse contexto, evidenciava-se a iluso de liberdade deescolha muitas vezes gerada pelos algoritmos.

    Com base na coletnea, ento, fica evidente que o uso de meios digitais na atualidade,de modo a evitar ou, ao menos, diminuir a manipulao causada pela seleo edirecionamento de informaes a pblicos especficos, torna-se o principal desafio paraos internautas. Uma anlise da situao-problema poderia abranger causas que dificultamuma seleo mais crtica das informaes pelos usurios. O enorme volume deinformaes e notcias em tempo real pode ser considerado um fator complicador nessecontexto, j que o usurio muitas vezes no tem discernimento para avaliar se asinformaes so idneas de fato, ou se h algum tipo de direcionamento, seja paracomprar um determinado produto ou votar em um candidato especfico nas eleies.

    Uma das possveis implicaes a serem apresentadas a tendncia, na sociedadecontempornea, de que cidados passem a ser vistos apenas como consumidores, oueleitores, massa de manobra, sendo valorizados devido aos valiosos dados quedisponibilizam, mesmo sem terem conscincia, ao aderir a servios e redes sociais,mesmo os gratuitos.

    As propostas de interveno decorrem das causas exploradas na argumentao. fundamental explicitar agente social, modo de execuo e resultados esperados com aadoo das medidas.

    Entre outras intervenes que deveriam estar devidamente articuladas problematizao desenvolvida na argumentao do texto seria pertinente propor, paracombater, portanto, a manipulao de que os internautas so alvo, a ampliao demedidas que j vm sendo adotadas por redes sociais, como o envio de lembretes aousurio sobre suas configuraes de privacidade, por exemplo. importante, tambm,que o internauta fique atento ao aceitar termos e condies de uso para esses servios,uma vez que comum que o indivduo simplesmente clique em aceitar sem ter clarezado que, de fato, est aceitando ao criar um perfil em uma rede social.

    Campanhas de esclarecimento, veiculadas nas prprias redes sociais, direcionadas aopblico jovem, poderiam alertar sobre os perigos de aceitar como verdadeiras todas asinformaes veiculadas nos meios digitais, em especial as que viralizam e cujas fontesso desconhecidas. importante que essas campanhas apresentem estratgias para osusurios, como a checagem de mais de uma fonte, que deve ser confivel, a fim de que

  • os dados sejam confrontados e assim o internauta possa definir seu prprio ponto devista, evitando ser manipulado. rgos governamentais, como o Ministrio da Cultura; nasociedade civil, faixas etrias especficas, como os jovens, por exemplo; bem comocoletivos e ONGs tambm poderiam exercer relevante papel na conscientizao emobilizao de diversos grupos sociais. Esses so apenas alguns exemplos possveis,podendo o participante considerar outros agentes sociais, modos de execuo efinalidades da medida apresentada.

  • Questo 06

    Resoluo:

    No terceiro pargrafo do texto, afirma-se que os direitos humanos devem ser o alicercepara todo o progresso. Na sequncia, a diretora-geral da Unesco afirma que esseprocesso precisa comear o quanto antes nas cadeiras das escolas, o que indica queessa discusso deve ser feita desde a educao bsica.

  • Questo 07

    Resoluo:

    Na propaganda, o jogo entre a pergunta e a resposta, o emprego do verbo largar e ouso da forma verbal ir se acostumando so traos que remete lngua de informalidade,tpicos da oralidade.

  • Questo 08

    Resoluo:

    O texto transcreve um dilogo entre duas personagens, uma das quais pergunta outra osignificado de uma palavra (famigerado). Quando aquele que interroga solicita ao outroque lhe explique o sentido do termo em linguagem de dia de semana, deseja umaexplicao simples e coloquial.

  • Questo 09

    Resoluo:

    O fragmento mostra que, apesar de uma tradio sociolgica e literria tratar o brasileirocomo cordial e hospitaleiro, dados sobre o comportamento do internauta do pasindicam clara dominncia de postagens preconceituosas, o que nega a cordialidade e ahospitalidade outrora apregoadas.

  • Questo 10

    Resoluo:

    A resposta correta aquela que afirma: incorpora seletivamente o discurso do seuopressor, pois, durante o poema ("Quebranto") de Cuti, o eu lrico seleciona situaesnas quais se explicitam a opresso e o racismo, por exemplo, na abordagem policialtruculenta e no preconceito de ser obrigado a usar a entrada de servio. Tal processoatua no texto como se o prprio eu lrico pudesse agir, ao mesmo tempo, como opressore oprimido, num movimento que evidenciaria a crtica.

  • Questo 11

    Resoluo:

    O termo body art designa uma vertente da arte em que o corpo tomado como meio deexpresso e suporte para realizao da manifestao artstica. Tal manifestao pode serobservada na fotografia de Henrique Almeida, em que se notam partes do corpo humanosendo utilizadas como suporte privilegiado de expresso.

  • Questo 12

    Resoluo:

    Texto em que predomina a funo referencial da linguagem visa principalmente ainformar. Para tanto possui estas marcas:

    - verbos em terceira pessoa: j podem, foi desenvolvido;

    - preciso conceitual: o app sincroniza um udio, o usurio, ento, pode ouvir anarrao em seu celular;

    - valorizao da denotao: Deficientes visuais j podem ir a algumas salas de cinema eteatro.

    Esses elementos criam efeito de objetividade necessrio para atingir o resultadocomunicativo a que se destina.

  • Questo 13

  • Resoluo:

    Ao comparar os textos, percebe-se que o segundo apresenta uma viso ampliada acercada no realizao de exerccios, uma vez que considera aspectos sociais da vidacotidiana dos indivduos, tais como a alta carga de trabalho ou o tempo desperdiado notransporte.

  • Questo 14

    Resoluo:

    Segundo o texto, as candidatas a miss deixaram de expor suas medidas para apresentardados sobre a violncia contra mulheres no Peru. Com isso, elas subverteram a funosocial de suas falas, colocando-as em favor de uma nova causa: a defesa dos direitosdas mulheres.

  • Questo 15

    Resoluo:

    No plano da forma, o texto marcado pela repetio (por meio de anforas) da expresso preciso, que projeta a necessidade do enunciador em esconder as suas emoes. Huma consciente cautela em relao aos urubus, que alegorizam a ao da censura e darepresso social.

  • Questo 16

    Resoluo:

    Os trechos Somente uma rvore, grande e esgalhada mas com pouqussimas folhas,abre-se em farrapos de sombra. nico ser nas cercanias, a mulher magra, ossuda, seurosto est banhado de vento. No se v o cabelo, coberto por um pano desidratado. Masseus olhos, a boca, a pele tudo de uma aridez sufocante. e A mulher esvaziadaemudece, se dessangra, se cristaliza, se mineraliza. J quase de pedra como a pedraa seu lado. indicam que a personagem e o ambiente descritos compartilhamcaractersticas que remetem desertificao, no plano fsico, e solido, no planometafrico.

    O trecho Somente uns tufos secos de capim empedrados crescem na silenciosa baixadaque se perde de vista. revela que o ambiente descrito caracterizado como seco e nocomo exuberante, o que permite descartar a alternativa C.

  • O fragmento Como se andasse para aquela baixada largando para trs suas noes desi mesma. No tem retratos na memria. leva a descartar a alternativa D, na medida emque deixa claro que a personagem em questo no est presa a nenhum aspecto de seupassado.

    Pode-se eliminar a alternativa E, uma vez que o texto afirma que a personagem caminha,ou seja, no est imobilizada (Como se andasse para aquela baixada... e mas ostraos de sua sombra caminham...).

  • Questo 17

    Resoluo:

    A ironia do texto est presente na descrio bem humorada da perda de um celular (2pargrafo) e na comparao dessa situao com o fim de um relacionamento afetivo (1pargrafo).

  • Questo 18

    Resoluo:

    Nos quatro pargrafos do texto, utiliza-se a mesma estratgia argumentativa: oenunciador apresenta uma expectativa, para, em seguida, mostrar que ela no secumpre. Em alguns casos, emprega-se inclusive o conector de oposio: Voc planejapassar um tempo em outro pas, trabalhando e estudando, mas o universo (...) e Voctreina para a maratona mais desafiadora de todas, mas no chegar (...).

  • Questo 19

    Resoluo:

    As falas presentes no 1 quadrinho indicam que o personagem em questo mudou deopinio sobre determinado assunto, e os quadrinhos seguintes sugerem que ele fez issopor interesse e no por uma motivao sincera.As palavras "cobro" e "preo", presentes nos 2 e 3 quadrinhos aludem a uma relao decomercializao estimulada pela internet.Assim, pode-se afirmar que, de acordo com a tira, as opinies e os pontos de vistaexpostas na internet no so reflexo de manifestaes sinceras. Pelo contrrio, sodeterminados por interesses.

  • Questo 20

    Resol