empreendedorismo e segurança pública

Download Empreendedorismo e Segurança Pública

Post on 05-Jun-2015

324 views

Category:

Documents

43 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

A criminalidade é um problema mundial que interfere diversos setores da sociedade. A sensação de insegurança também afeta o empreendedorismo, que apesar de não apresentar uma ligação direta com o tema pode resultar em falta de lucro ou prejuízo quando instalado, por exemplo, em uma área de conflito ou considerada violenta. As MPEs tem uma grande papel no desenvolvimento do país. Elas representam 99% das empresas brasileiras e são responsáveis por 52% dos empregados com carteira assinada (CLT). (Apresentação feita em junho de 2013)

TRANSCRIPT

  • 1. O impacto da atividade daPolcia Militar na vida doempreendedorJunho | 2013

2. Empreendedores:quem so eles? 3. Os empreendedores iniciaisGnero/Aano2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011Masculino 57,6% 53,2% 56,6% 50,0% 56,2% 47,6% 52,7% 47,0% 50,7% 51,4%Feminino 42,4% 46,8% 43,4% 50,0% 43,8% 52,4% 47,3% 53,0% 49,3% 48,6%Total 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0% 100,0%Brasil: distribuio dos empreendedores iniciais por gneroFonte: Relatrio GEM.Empreendedores iniciaisEmpreendedores que em um prazo de 3,5 anos iniciaram um empreendimentoformal ou informal, ou realizaram aes no sentido de iniciar um empreendimento. 4. A mulherno mercado 5. A mulher no mercado De cada 100 empreendedores iniciais (envolvidos na criao denegcio ou que j tm negcio com at 42 meses), 49 tmcomando feminino no Brasil. Mdia mundial (54 pases pesquisados) 37. Mulheres preferem negcios como esttica e tratamento de beleza,comrcio de vesturio, fornecimento de comida preparada econfeces. Homens preferem atividades ligadas manuteno e reparao deveculos automotores, minimercados, lanchonetes e similares, etransporte de passageiros.Fonte: Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 6. Participao da mulher no estadode So Paulo (em %)Fonte: Elaborado pelo SEBRAE-SP, a partir da PNAD/IBGE. Dados efetivos at 2009. 7. Aumento daescolaridade dosempreendedoresno Estado deSo Paulo 8. Aumento do nvel de escolaridade dosempreendedores no Estado de So PauloFonte: Elaborado pelo SEBRAE-SP, a partir da PNAD/IBGE. 9. A importncia dos negciosde pequeno porteno cenrio econmico 10. A importncia dos negcios de pequenoporte no cenrio econmico Pequenas empresas participam mais doprocesso de desenvolvimento do Brasil. Matriz do desenvolvimento no se apoia maisapenas nas grandes empresas, mas noencadeamento de atividades que envolvemempresas de todos os portes. 11. A importncia dos negcios depequeno porte no cenrio econmicoParticipao das MPEs na economia brasileira99% das empresas67% das pessoas ocupadas (*)52% dos empregados com carteira assinada (CLT)62% das empresas exportadoras1% do valor das exportaes20% do PIB(*) Estado de So PauloFonte: Elaborado pelo Sebrae-SP a partir de RAIS/MTE, IBGE, Sebrae-NA e Funcex. 12. Faturamento das MPEsFonte: SEBRAE-SP/ Seade. Nota: Deflacionado pelo INPC(IBGE).Variao (%)no ms no ano em 12 mesesSetores de atividade Abr 13 Jan - Abr 13 Abr 13Mar 13 Jan - Abr 12 Abr 12Estado de So Paulo 1,0 4,3 6,1SetoresIndstria 9,6 3,4 7,7Comrcio 2,0 4,0 9,3Servios -3,5 4,8 1,3RegiesRMSP -0,2 7,4 8,4Interior 2,2 1,1 3,6Grande ABC -11,0 6,3 10,9Municpio de So Paulo 1,0 12,6 11,3Faturamento Real MPEs do Estado de So Paulo 13. Onde esto os MPEs?Local de trabalho ContaprpriaEmpregador Total dosempreendedoresInstalao da empresa (1) 35,7% 86,8% 44,5%Propriedade rural (2) 3,5% 5,2% 3,8%Domiclio prprio ou doempregador27,3% 3,5% 23,3%Local designado pelo cliente 21,8% 3,5% 18,6%Veculo automotor 5,7% 0,5% 4,8%Via ou rea pblica 5,7% 0,4% 4,8%Outros 0,2% - 0,2%Total 100,0% 100,0% 100,0%Distribuio (%) dos empreendedores segundo o local de trabalhoEstado de So Paulo, 2011Fonte: Elaborado pelo Sebrae-SP a partir de PNAD/ IBGE.Notas:(1) Loja, oficina, fbrica, escritrio ou galpo.(2) Fazenda, stio, chcara ou granja.Nota: Na tabela, osempreendedores sosegmentados emempregadores (quetrabalham comempregados) e por contaprpria (que trabalham semempregados), independentede serem formalizados ouno. A fonte o InstitutoBrasileiro de Geografia eEstatstica (IBGE). 14. O Empreendedor Individual Trabalha por conta prpria Fatura no mximo at R$ 60.000,00 por ano No tem participao em outra empresa comoscio ou titular Pode ter um empregado contratado quereceba o salrio mnimo ou o piso dacategoria. 15. Perfil do EI Tem entre 25 e 39 anos 43% Trabalham em casa 96% no tm empregados Foco no setor de servios e comrcio, assimcomo a MPE 54% homens e 46% mulheres 38% j praticavam a atividade antes daformalizao 23% estavam desempregados. 16. Os EIs em nmerosO Brasil conta com 2,9 milhes de EIs 69% dos EIs buscaram a formalizao pelaoportunidade de abrir um negcio e ter o CNPJ. 94% dos EIs recomendam a formalizao. A formalizao aumentou 55% o faturamentodos EIs 51% dos EIs afirmam ter melhorado o controlefinanceiro da empresa com a formalizao. Em 2014, o nmero de EIs no Brasil ser de 4,3milhes, contra 4,2 milhes de MPEs. 17. EMPREENDEDORISMOE SEGURANA PBLICAIMPACTO DA ATIVIDADE POLICIALNA ROTINA DOS EMPREENDEDORESSensao de insegurana afeta oempreendedorismo, reduzindoganhos caso o negcio se localizeem rea de conflito ou violenta.Necessidade: Estimular acooperao entre sociedade eao policial para reduzircriminalidade 18. INICIATIVAS DAPOLCIA MILITARQUE BENEFICIAMDIRETAMENTE OEMPREENDEDORISMOwww.prefeitura.sp.gov.br 19. ATIVIDADEDELEGADAhttp://www.saopaulo.sp.gov.br/ 20. Obs: No caso de Roubo a Outros, podemos destacar o rouboa residncia, pedestre e comrcio.Indicadores Criminais na Capital,de Janeiro a Setembro de 2011 - 2012Na rea da Atividade DelegadaDelito 2011 2012 Var Abs Var % 2011 2012 Var Abs Var %Roubo de Veculos 29492 33367 3875 13,1% 1234 1346 112 9,1%Roubo Outros 83419 86748 3329 4,0% 7780 7593 -187 -2,4%Total Geral 112911 120115 7204 6,4% 9014 8939 -75 -1%Fonte: RES. 160/01 CAP SSP SP. Fonte: INFOCRIMATIVIDADEDELEGADA 21. Adotada na capital para combaterarrastes em restaurantes e bares. Grande impacto na atividadeempreendedora. No Estado, 36% das micro epequenas empresas esto inseridasno ramo de servios.VIZINHANA SOLIDRIA 22. Programa de policiamento comunitrio: Age por meio dainterao e permite aproximar a comunidadeempreendedora e Polcia Militar.Facilita denncias e reitera a necessidade de reforo policialquando h ocorrncias, muitas no formalizados via B.O.CONSEG E APOLCIA COMUNITRIAMauricioRummens 23. Desafios para o futuroA Copa do Mundoda FIFA de 2014 24. A Copa do Mundo da FIFA de 2014 A Copa do Mundo da FIFA de 2014 devercorresponder a 2 Paradas Gay e 3 Prmios deFrmula 1. De acordo com o mapeamento doSebrae, encomendado Fundao Getlio Vargas(FGV), haver possibilidades de negcios parapequenos empreendimentos antes, durante eaps o evento Segundo o estudo da Ernest Young realizado emparceria com a FGV, a Copa do Mundo de 2014vai representar um movimento adicional deR$142,39 bilhes no Brasil, entre 2010 e 2014. 25. As conquistas do Brasil com a Copa 26. Setores e nmeros de oportunidadesSETOR NMERO DE OPORTUNIDADESIDENTIFICADAS SPCONSTRUO CIVIL 128MADEIRA E MVEIS 39TEXTIL E VESTURIO 60TURISMO 74PRODUO ASSOCIADA AO TURISMO 65SERVIOS 63AGRONEGCIOS 75TECNOLOGIA DA INFORMAO 80COMRCIO VAREJISTA 122 27. Tipos de oportunidadespara as MPEsREALIZAODE NEGCIOSDESENVOLVIMENTOEMPRESARIAL(INCREMENTO DECOMPETITIVIDADE) 28. Obrigadobcaetano@sebraesp.com.brtwitter.com/bcaetanofacebook.com/bcaetano1