emissão atmosférica x qualidade do ar

Download Emissão atmosférica x qualidade do ar

Post on 29-Dec-2014

1.798 views

Category:

News & Politics

5 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Apresentação feita pela professora Kirlene Penna, da UVV

TRANSCRIPT

  • 1. EMISSOATMOSFRICA X QUALIDADE DO AR
  • 2. Muito se falou em Qualidade do Ar... Emisso atmosfrica...ndices...padres de emisso Mas para se ter a Qualidade do Ar que almejamos, qual deveria ser o ndice de emisso atmosfrica apropriado? OMS CONAMA IEMA / ES
  • 3. REVISO Qualidade do Ar: Considerando o previsto na Resoluo CONAMA n 05, de 15.06.89,Art. 1 - So padres de qualidade do ar as concentraes de poluentes atmosfricos que, ultrapassadas, podero afetar a sade, a segurana e o bem-estar da populao, bem como ocasionar danos flora e fauna, aos materiais e ao meio ambiente em geral.Pargrafo nico - Entende-se como poluente atmosfrico qualquer forma de matria ou energia com intensidade e em quantidade, concentrao, tempo ou caractersticas em desacordo com os nveis estabelecidos, e que tornem ou possam tornar o ar:I - imprprio, nocivo ou ofensivo sade;II - inconveniente ao bem-estar pblico;III - danoso aos materiais, fauna e flora.IV - prejudicial segurana. ao uso e gozo da propriedade e s atividades normais da comunidade.
  • 4. REVISO Emisso AtmosfricaArt. 3o Para efeito da Resolucao 436 CONAMA/2011 sao adotadas as seguintes definicoes referentes as fontes de emisso:a) controle de emissoes: procedimentos destinados a reducao ou a prevencao da liberacao de poluentes para a atmosfera;b) emissao: lancamento na atmosfera de qualquer forma de materia solida, liquida ou gasosa;c) emissao fugitiva: lancamento difuso na atmosfera de qualquer forma de materia solida, liquida ou gasosa, efetuado por uma fonte desprovida de dispositivo projetado para dirigir ou controlar seu fluxo;d) emissao pontual: lancamento na atmosfera de qualquer forma de materia solida, liquida ou gasosa, efetuado por uma fonte provida de dispositivo para dirigir ou controlar seu fluxo, como dutos e chamines;e) fonte fixa de emissao: qualquer instalacao, equipamento ou processo, situado em local fixo, que libere ou emita materia para a atmosfera, por emissao pontual ou fugitiva;f) limite maximo de emissao (LME): quantidade maxima de poluentes permissivel de ser lancada para a atmosfera por fontes fixas;
  • 5. SO POLUENTES PADRONIZADOS NO BRASIL: Partculas CO Totais em O3 Suspenso NO2 Fumaa SO2 Partculas Inalveis
  • 6. o Material Particulado (MP): todo e qualquer material solido ou liquido, em mistura gasosa, que se mantem neste estado na temperatura do meio filtrante, estabelecida pelo mtodo adotado. - PM10 : menores que 10 microns de dimetro. Ficam retidas no nariz e nasofaringe, podendo ser eliminadas pelo organismo. Estas esto mais sujeitas a fora gravitacional. - PM2,5 : menores que 2,5 microns de dimetro. Alonjam-se no bronquolo terminal. Tem a capacidade de atravessar o sistema respiratrio inferior e alcanar os alvolos pulmonares (WHO, 2006) MP Primrio: emitido diretamente pela fonte; MP Secundrio: formado atravs de reaes qumicas na atmosfera.
  • 7. Segundo o Relatrio da Qualidade do Ar naGrande Vitria (IEMA, 2008) as principaisfontes de poluio so as indstrias de:- pelotizao,- siderurgia,- pedreiras,- cimenteiras,- veculos automotores- outros.
  • 8. Alves et al (2006) fizeram uma anlise da percepoambiental poeira da populao em Serra, vila Velha eVitria, totalizando 653 entrevistados:- 28% extremamente incomodados- 47% muito incomodados- 23% pouco incomodados- 1% nada incomodado.Algumas localidades j definiram a taxa de deposio depoeira sedimentvel que, quando ultrapassados, podemcausar incmodos populao:- Argentina: 10 g/m2/30dias- EUA: 5,5 a 10 g/m2/30dias- Minas Gerais: 5 a 10 g/m2/30dias
  • 9. Tabela 05 e 06 padro CONAMA para clculo IQAObserve que para o parmetro PM 2,5 no h padro fixado.
  • 10. Figura 1 ndice de qualidade do ar considerado ideal pela OMS MP10 mdia de24 horas CONAMA REGULAR: 150 BOM: 50
  • 11. DADOS: RELATRIO QUALIDADE DO AR IEMA 2006PARTCULAS INALVEIS (PM10) Estao Laranjeiras, 2006 Enseada do Su, 2006
  • 12. Nossos padres de qualidade do ar traduzemo conhecimento disponvel no incio dos anos1990, quando menos de 10% dos trabalhossobre poluio do ar e sade humana haviamsido publicados. como se houvesse umadissociao entre a sade humana e apoltica ambiental.
  • 13. MAS, SE OS NDICES ESTO DENTRO DOSPADRES, POR QUE NO PERCEBEMOS ISTONO COTIDIANO?
  • 14. Mercado Mundial do Ao
  • 15. Processo Produtivo do Ao Mercado Nacional
  • 16. PLANEJAMENTO DAS ATIVIDADES DE IMPLANTAO DE CONTROLE DE MATERIAL PARTICULADO - VALE 2007 2008 Jun Set Dez Set Dez Mar 2009 2009 2009 2010 2010 2011Supressores e Polmeros xCarregadores de Navios xWind Fence x x xEnclausurametno das 23 46 59Transferncias de CorreiasPrecipitadores Eletrostticos x x x x
  • 17. ARCELORMITTAL TUBARO: CONTROLE DE MEIOAMBIENTE Precipitadores Umidificao eletrostticos das vias Filtro manga Lava rodas Cinturo verde
  • 18. TRABALHO ANDR NOVAES DA ROCHA UFESIDENTIFICAO DA QUALIDADE DA PARTCULA
  • 19. DADOS: RELATRIO QUALIDADE DO AR IEMA 2011 PARTCULAS INALVEIS (PM10) A ressuspenso de partculas causada pelos veculos responsvel por mais de 60% das Taxas de Emisso de PM10 e PM2,5.
  • 20. Figura: Contribuio do material particulado total na RGV por fontes segundoInventrio 2011Fonte: IEMA (2011)
  • 21. EVOLUO DA FROTA VEICULAR - VITRIA 170000 160000 150000 Queda na produo 140000 de ao 130000 120000 110000 100000 2005 2006 2007 2008 2009 2010
  • 22. Material Particulado Total 68,2% 6,1% 3,7% 1,6% 1,1% 0,8% 2,7% 15,8% Fonte: Plano de Controle de Poluio Veicular do Estado do Esprito Santo PCPV/ES - 2011
  • 23. Mdias Geomtricas Anuais de PTS para cada estao RAMQAr no ano de 2010. Concentrao [g/m3] 39 30 34 36 34 46 18 ndices aceitveis!!! Trabalho: Plano de Controle de Poluio Veicular do Estado do Esprito Santo PCPV/ES 2011
  • 24.

Recommended

View more >