Educacao a Distancia Das Emergencias

Download Educacao a Distancia Das Emergencias

Post on 25-Nov-2015

6 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • VII Encontro de pesquisa em educao da UFPI: Teresina, PI, 2012 ISSN: 23168013

    GT 17 - Educao e Novas Tecnologias

    EDUCAO A DISTNCIA DAS EMERGNCIAS?

    Orientanda: Raimunda Nonata da Silva Machado (UFPI) Orientador: Prof. Ps-PhD Francis Musa Boakari (UFPI)

    Resumo A Educao a Distancia das Emergncias constitui um exerccio de reflexo acerca das preocupaes que nos inquietam na pesquisa atual. Analisa como o espao virtual vem impulsionando processos de formao na rea da diversidade e as contribuies que a educao a distncia pode oferecer para o desenvolvimento dessas polticas de conhecimento, considerando os avanos no campo das tecnologias da informao e comunicao. Aborda o desenvolvimento da educao a distncia nas universidades brasileiras no mbito do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB) e do Programa Rede de Educao para a Diversidade do Ministrio da Educao (MEC), bem como, a oferta do Curso de Especializao em Gesto de Polticas Pblicas em Gnero e Raa (GPP-GeR), mais especificamente, a partir das experincias de uma integrante da equipe da Universidade Federal do Maranho (UFMA). Pontua algumas das possibilidades bsicas do sistema de organizao de aprendizagem virtual Moodle, que colaboram para o fortalecimento do uso da modalidade de educao a distncia na contemporaneidade. Para tanto, mantm o dilogo com os documentos oficiais (planejamento e legislao) e alguns estudiosos da temtica em questo como: Aboud (2006), Castells (2002), Dias; Leite (2010), Heilborn (2010), Louro (2000), Moore; Kearsley (2010), Silva (2010), Silva (2010a) e Silva (2011). Adota uma abordagem qualitativa sociocultural e sinaliza para as tentativas de incorporao de temas da rea da diversidade nas prticas sociais, por meio da educao a distancia, ao mesmo tempo em que sugere perspectivas de prticas docentes com autonomia para o consumo e produo de tecnologias da informao e comunicao como ferramentas que colaboram na construo dos conhecimentos da diversidade. Questionamentos que problematizam estas preocupaes fazem parte destas reflexes crticas. Palavras-chave: Educao a distncia. Diversidades. Gesto em Polticas Pblicas.

  • 2

    VII Encontro de pesquisa em educao da UFPI: Teresina, PI, 2012 ISSN: 23168013

    1 INTRODUO

    A criao de um cenrio tecnolgico tem possibilitado transformaes

    sociais que, segundo Castells (2002), so prticas que produzem uma nova sociedade: a

    sociedade em rede, com uma nova estrutura social dominante; uma economia

    informacional global e uma nova cultura, a cultura da virtualidade real, as quais,

    tambm produzem outras formas de incluso e excluso social.

    No bojo dessas transformaes, encontram-se as instituies educacionais

    enfrentando o desafio de propiciar a democratizao do acesso aos meios eletrnicos;

    estimular o manuseio desses equipamentos e formar alunos/as e professores/as para sua

    utilizao nas mediaes pedaggicas. Esto em construo alternativas de interao

    para ensinar e aprender!

    Explorar a complexidade que existe no desenvolvimento de prticas

    educativas com o uso de tecnologias da informao e comunicao nos instiga a refletir

    sobre a utilizao da modalidade de educao a distncia (EaD) no contexto da

    sociedade informacional. (CASTELLS, 2002)

    Dentro dos limites deste estudo, no desejamos aprofundar se as tecnologias

    da informao e comunicao esto incorporadas na prtica docente, mas sim, seus

    impactos na gesto do conhecimento, por meio da educao a distncia.

    Com esse propsito, discutiremos como o espao virtual vem

    impulsionando processos de formao na rea da diversidade no mbito do Sistema

    Universidade Aberta do Brasil e as contribuies que a educao a distncia pode

    oferecer para o desenvolvimento de polticas de conhecimento que atendem a rea da

    diversidade, mediante dilogo com documentos oficiais (planejamento e legislao) e

    alguns estudiosos da temtica em questo, dentre os quais, destacamos: Aboud (2006),

    Castells (2002), Dias; Leite (2010), Heilborn (2010), Louro (2000), Moore; Kearsley

    (2010), Silva (2010), Silva (2010a) e Silva (2011).

    Portanto, no relato que segue, abordaremos o desenvolvimento da educao

    a distncia nas universidades brasileiras no mbito do Sistema Universidade Aberta

    (UAB), bem como, a oferta do Curso de Especializao em Gesto de Polticas Pblicas

    em Gnero e Raa (GPP-GeR) na Universidade Federal do Maranho, utilizando-se de

    algumas das possibilidades bsicas do sistema de organizao de aprendizagem virtual,

    que colaboram para o fortalecimento do uso da modalidade de educao a distncia na

  • 3

    VII Encontro de pesquisa em educao da UFPI: Teresina, PI, 2012 ISSN: 23168013

    contemporaneidade. Fatores geogrficos e socioculturais locais to importantes como

    deve ser esperado, so tratados somente de modo implcito.

    2 EDUCAO A DISTNCIA NAS UNIVERSIDADES BRASILEIRAS

    Sabemos que a prtica de educao a distncia reconhecida, desde meados

    do sculo XIX, com o ensino por correspondncia, sendo que sua expanso tem sido

    impulsionada, na contemporaneidade, pelos avanos das tecnologias da informao e

    comunicao. Nesse sentido, Moore; Kearsley (2010) apontam cinco geraes de

    educao a distncia para compreendermos seu percurso histrico. Vejamos:

    1. Gerao Ensino por correspondncia: instruo individualizada;

    2. Gerao Transmisso por rdio e televiso: comunicao unidirecional com

    recursos de imagem e udio;

    3. Gerao Universidades Abertas: Abordagem sistmica das universidades abertas -

    transmisso com orientaes face a face,

    4. Gerao Teleconferncia: interao em tempo real

    5. Gerao Internet/web: ambiente virtual apia os princpios construcionistas, o

    papel dos/as mediadoras/es, visando aprendizagens colaborativas e maior integrao das

    mdias.

    As potencialidades tecnolgicas de cada gerao vo ampliando,

    historicamente, as possibilidades de interao e interatividade1 que favorecem

    aprendizagens individuais e coletivas. Na EaD os sistemas de ensino e aprendizagem

    so transformados e reorganizados para suprir as necessidades instrucionais e de

    conhecimento da sociedade (ABOUD, 2010, p.18).

    o que acontece com a implementao do projeto de criao do Sistema de

    Universidade Aberta do Brasil (UAB)2 em 2005. Trata-se de um sistema integrado por

    universidades pblicas que oferece cursos de nvel superior para camadas da populao

    que tm dificuldade de acesso formao universitria, por meio da metodologia da

    educao a distncia.

    Com as possibilidades do sistema UAB tornou-se possvel desenvolver,

    ainda, o Programa Rede de Educao para a Diversidade do Ministrio da Educao

    para realizar diversos cursos com a finalidade de disseminar o desenvolvimento de

    metodologias educacionais com insero de temas das reas da diversidade na formao

    de educadores e gestores pblicos, tais como: educao do campo, indgena, ambiental,

  • 4

    VII Encontro de pesquisa em educao da UFPI: Teresina, PI, 2012 ISSN: 23168013

    integral, direitos humanos, relaes tnico-raciais, gnero e orientao sexual, gnero e

    diversidade na escola, sade na escola, culturas e histria dos povos indgenas, Estatuto

    da Criana e do Adolescente, produo de material didtico para a diversidade, e outros

    (BRASIL, 2012). No quadro que segue, destacamos as instituies que tiveram, por

    exemplo, projetos aprovados para implementao do Curso de Especializao em

    Gesto de Polticas Pblicas em Gnero e Raa (GPP-GeR).

    N INSTITUIO REGIO UF MODALIDADE 1 UFPA Regio Norte PA EXTENSO 2 UFBA Regio Nordeste BA ESPECIALIZAO 3 UFBA Regio Nordeste BA EXTENSO 4 UFMA Regio Nordeste MA ESPECIALIZAO 5 UFPB Regio Nordeste PB ESPECIALIZAO 6 UFPE Regio Nordeste PE EXTENSO 7 UFPI Regio Nordeste PI ESPECIALIZAO 8 UFPI Regio Nordeste PI EXTENSO 9 UFS Regio Nordeste SE ESPECIALIZAO

    10 UNEB Regio Nordeste BA EXTENSO 11 UFMS Regio Centro-Oeste MS ESPECIALIZAO 12 UnB Regio Centro-Oeste DF ESPECIALIZAO 13 UFSM Regio Sul RS EXTENSO 14 UFES Regio Sudeste ES ESPECIALIZAO 15 UFMG Regio Sudeste MG EXTENSO 16 UNIMONTES Regio Sudeste MG ESPECIALIZAO 17 UNIMONTES Regio Sudeste MG EXTENSO 18 UFV Regio Sudeste MG ESPECIALIZAO 19 UFOP Regio Sudeste MG ESPECIALIZAO

    Fonte: http://sisuab.capes.gov.br/sisuab/PesquisasUAB. Acesso em: 09 out. 2012.

    As primeiras aproximaes com esta realidade instigam-nos com diversos

    questionamentos: Quais as preocupaes dos/as mediadoras/es para a realizao deste

    curso? O que leva a maior incidncia da regio nordeste na oferta do Curso GPP-GeR?

    Como o Programa Rede de Educao para a Diversidade est sendo efetivado nas

    instituies integrantes do sistema UAB que tiveram seus projetos de desenvolvimento

    desses cursos aprovados?

    No intencionamos dar respostas acerca desses questionamentos e outras

    problematizaes que podem, ainda, surgir na discusso das possibilidades da educao

    a distncia, em explorar conhecimentos da rea da diversidade na contemporaneidade.

    Todavia, podemos apontar situaes que nos incomodam nessa realidade e, por isso, nos

  • 5

    VII Encontro de pesquisa em educao da UFPI: Teresina, PI, 2012 ISSN: 23168013

    fazem pensar e construir uma representao possvel, no dilogo entre nossa experincia

    como professora neste curso, os documentos oficiais e autores/as que analisam a

    dinmica da educao a distncia.

    Logo, nesse contexto de implementao do Sistema UAB e do Programa

    Rede de Educao para a Diversidade que iremos refletir, a seguir, sobre as

    possibilidades da educao a distncia na formao continuada de profissionais da

    educao e gestores pblicos para o tratamento das temticas da diversidade.

    3 O AMBIENTE VIRTUAL MOODLE REFLETINDO DIVERSIDADE

    A Universidade Federal do Maranho (UFMA) foi credenciada no sistema

    UAB, em maro de 2006, para ofertar cursos de extenso, aperfeioamento, graduao e

    ps-graduao a distncia, atravs do Ncleo de Educao a Distncia NEaD. Com

    isso, ampliou as formaes continuada e inicial de 500 (quinhentos) alunos

    matriculados no ano de 2007 para 3.000 (trs mil) alunos em 2008 (TEIXEIRA, 2008).

    Nessa direo, a UFMA, contemplou diversos cursos da Rede de Educao

    para a Diversidade3 em parceria com Ministrio da Educao (MEC), por meio da

    Secretaria de Educao Continuada, Alfabetizao e Diversidade (SECADI-MEC). So

    alguns deles:

    Curso de Extenso e Aperfeioamento:

    Educao do Campo 210h

    Educao Integral e Integrada 180h

    Mediadores de Leitura e Educao em Direitos Humanos 120h

    Educao em Direitos Humanos 200h

    Gnero e Diversidade na Escola (GDE) 200h

    Curso de Especializao:

    Formao em Educao do Campo 390h

    Educao em Direitos Humanos 380h

    Gesto de Polticas Pblicas em Gnero e Raa (GPP-GeR) 390h.

    Por tratar de temas de nosso interesse, como as questes de gnero e raa,

    focalizaremos, neste estudo, o Curso GPP-GeR, problematizando sobre como o espao

    virtual vem impulsionando processos de formao na rea da diversidade no mbito do

    Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB), bem como as contribuies que a

  • 6

    VII Encontro de pesquisa em educao da UFPI: Teresina, PI, 2012 ISSN: 23168013

    educao a distncia pode oferecer para o desenvolvimento dessas polticas de

    conhecimento?

    Esta realidade social nos instiga reflexo sobre um projeto comunicacional

    local criado pela convergncia das tecnologias das telecomunicaes e a capacidade de

    conexes eletrnicas dos computadores. Trata-se da idealizao de outro espao social

    de ensino e aprendizagem, o espao da virtualidade, no qual a distncia no apenas um

    aspecto geogrfico, mas tambm pedaggico (MOORE, KEARSLEY, 2010). Os

    recursos tecnolgicos entram neste cenrio como instrumentos que promovem ou criam

    barreiras no tocante s estratgias e consequentemente, os resultados obtidos.

    Este espao foi construdo com o auxlio de ferramentas que possibilitam a

    organizao, o gerenciamento e as vrias formas de interaes entre: aluno/contedo,

    aluno/mediador e aluno/alunos, mediante a utilizao de recursos da internet para

    comunicao sncrona (contato simultneo ou em tempo real) como o chat (sala de bate-

    papo) e comunicao assncrona (contato por meio da disponibilizao e troca de

    mensagens em tempos variados), tais como: frum de discusso, correio eletrnico,

    portflio, dentre outros.

    Estas ferramentas podem ser organizadas, por meio da criao de contas de

    usurios e senhas em sistemas fechados, tais como: Aulanet, Claroline, eFront, e-

    Proinfo, Teleduc, Moodle4, dentre outros. De acordo com Silva (2011, p. 18), o sistema

    Moodle o que possui maior aceitao no Brasil e no mundo, j que desde sua criao,

    em 2001, j foram identificadas milhares de instituies em mais de 200 pases que o

    utilizam para atender a diferentes tipos de pblico e necessidades.

    Na UFMA, o curso GPP-GeR desenvolvido no Ambiente Virtual de

    Aprendizagem Moodle (AVA Moodle), disponibilizado no sitio:

    http://www.avapg.ufma.br para formar profissionais aptos/as a atuar no processo de

    elaborao, monitoramento e avaliao de programas e aes que possam assegurar a

    transversalidade e a intersetorialidade de gnero e raa em todas as polticas pblicas

    (HEILBORN, 2010, p. 12).

    Conforme Silva; Nunes (2009), no Curso GPP-GeR esto matriculados:

    servidores/as das trs esferas da Administrao Pblica; integrantes dos Conselhos de

    Direitos da Mulher; dos Conselhos de Educao; dirigentes de organismos no-

    governamentais ligados temtica de gnero e da igualdade tnico-racial e gestores/as

    das reas de educao, sade, trabalho, segurana e planejamento que possuam diploma

    de nvel superior, em qualquer rea do conhecimento e que desejem aprofundar os

  • 7

    VII Encontro de pesquisa em educao da UFPI: Teresina, PI, 2012 ISSN: 23168013

    fundamentos tericos e prticos relativos a Gesto de Polticas Pblicas em Gnero e

    Raa. O objetivo principal de cunho terico-prtico apoiar participantes na aquisio

    de conhecimentos bsicos sobre questes de gnero e raa a fim de retroalimentar o seu

    envolvimento no planejamento e na execuo de aes governamentais nestas reas.

    Estes participantes esto distribudos em 6 (seis) plos da UAB do Estado

    do Maranho. So eles: Caxias, Cod, Santa Ins, Humberto de Campos, Graja e

    Imperatriz, contando com uma equipe tcnico-pedaggica formada por: 6 tutores/as, 4

    professores/as especialistas, 1 coordenadora de tutoria, 1 coordenadora geral e um

    tcnico administrador do ambiente Moodle.

    O AVA Moodle foi desenvolvido por Martin Dougiamas na perspectiva

    socioconstrutivista, com o desejo de propiciar a construo/reconstruo do

    conhecimento, a autoria, a produo de conhecimento em colaborao com os pares e a

    aprendizagem significativa do aluno (SILVA, 2011, p.18). O uso desta plataforma para

    a realizao do Curso GPP-GeR permite, aos sujeitos envolvidos, usufrurem das

    dimenses tecnolgicas, pedaggicas e dialgicas que as tecnologias da informao e

    comunicao podem disponibilizar numa sala de aula on-line. Para Silva (2010, p. 219): Uma sala de aula online no apenas o conjunto de ferramentas infotcnicas mas tambm um ambiente que se auto-organiza nas relaes estabelecidas pelos sujeitos com os objetos tcnicos que interagem e afetam-se mutuamente ao longo do processo de construo do conhecimento. Neste sentido, preciso que o desenho didtico contemple uma intencion...