Edital do concurso de Bom Sucesso PB

Download Edital do concurso de Bom Sucesso PB

Post on 20-Jul-2015

330 views

Category:

Services

3 download

TRANSCRIPT

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    EDITAL DE CONCURSO PBLICO No 01/2015 O Prefeito Municipal de Bom Sucesso/PB, no uso de suas atribuies legais, torna pblico a abertura de inscries e normas estabelecidas, para a realizao de concurso pblico destinado ao preenchimento de cargos de provimento efetivo do quadro permanente de pessoal da Prefeitura Municipal de Bom Sucesso/PB, de acordo com o anexo I, a. E Concurso Pblico destinado ao preenchimento de cargos de provimento provisrio do quadro temporrio, os quais subsistiro enquanto os referidos programas existirem, de acordo com anexo I, b, ser os programas federais: Centro de Ateno Psicossocial (CAPS), regulamentado pela Portaria n 336/GM de 19 de fevereiro de 2002, do Ministrio da Sade, e aos Servios de Convivncia e Fortalecimento de Vnculos (SCFV), regulamentado pela Resoluo n 01 de 21 de fevereiro de 2013, do Conselho Nacional de Assistncia Social (CNAS), observado o disposto no art. 37, inciso II, da Constituio Federal e art. 81, inciso II, da Lei Orgnica do Municpio, e, ainda, na Lei Municipal n 143/97 (Regime Jurdico nico); na Lei Municipal n 152/97 (Estatuto dos Servidores Municipais); na Lei Municipal n 158/98 (Plano de Carreira, Cargos e Salrios, e alteraes posteriores); e na Lei Municipal no 396, de 26 de maro de 2015, consoante s regras e condies estabelecidas neste Edital. 1. DISPOSIES PRELIMINARES E ESPECIAIS: 1.1 - O concurso pblico destina-se a seleo pblica de candidatos para provimento de cargos, vagos ou a vagar, existentes nos Quadros Permanente de Pessoal do Municpio de Bom Sucesso/PB, os quais podero ser preenchidos durante seus prazos de validade. 1.2 - Os cargos vagos a serem preenchidos encontram-se dispostos no ANEXO I, que parte integrante deste edital. 1.3 - O concurso pblico ser realizado pela pessoa jurdica de direito privado, constituda na forma de empresa individual, denominada de INSTITUTO BELCHIOR, com sede na Rua Coronel Cndido de Assis, no 377, Trreo, Centro, Pombal/PB, CEP 58.840-000, inscrita no CNPJ/MF no 14.600.206/0001-67, com e-mail institutobelchiorconsultoria@hotmail.com e site www.institutobelchior.com.br, sob a fiscalizao da Comisso do Concurso , constituda pela Portaria n 032/2014, expedida pelo Chefe do Poder Executivo Municipal. 1.4 - A empresa responsvel, a Prefeitura Municipal e a Comisso do Concurso no repassaro aos candidatos qualquer manual do candidato, a fim de faz-lo (a) ler este edital na ntegra. 2. DOS REQUISITOS: 2.1 - Para a investidura nos cargos previstos no presente Concurso Pblico, ser exigido dos candidatos aprovados o preenchimento dos seguintes requisitos bsicos:

    2.1.1 - Ser brasileiro nato ou naturalizado ou, ainda, portugus com residncia permanente no pas, desde que atendidos os princpios de reciprocidade, previstos no 1o do art. 12 da Constituio Federal; 2.1.2 - Estar em dia com as obrigaes eleitorais; 2.1.3 - Estar quite com as obrigaes militares, no caso de candidatos do sexo masculino; 2.1.4 - Possuir escolaridade exigida neste edital para o exerccio das atribuies do cargo; 2.1.5 - Possuir os documentos exigidos como pr-requisitos para investidura no cargo para o qual ir concorrer; 2.1.6 - Estar inscrito e devidamente quite com o respectivo conselho da profisso, quando for o caso;

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    2.1.7 - Ter idade mnima de 18 (dezoito) anos at a data da posse; 2.1.8 - Possuir documento probatrio, na forma definida por Lei, os candidatos menores de 18 (dezoito) anos j emancipados; 2.1.9 - Estar apto fsica e mentalmente para o exerccio do cargo para o qual ir concorrer, no sendo permitida deficincia incompatvel com as atribuies do cargo e; 2.1.10 - Comprovar ter residncia fixa na comunidade onde atuar, no caso do cargo de Agente Comunitrio de Sade (ACS).

    3. DAS INSCRIES: 3.1 - A inscrio do (a) candidato (a) implicar o conhecimento e aceitao prvia das normas e condies estabelecidas neste edital, o (a) qual no poder alegar desconhecimento.

    3.1.1 - Objetivando evitar nus desnecessrio, o (a) candidato (a) dever recolher o valor da inscrio somente aps tomar conhecimento de todos os requisitos e condies exigidos para o concurso pblico.

    3.2 - As inscries para o concurso pblico sero realizadas exclusivamente pela internet, iniciando-se s 08h00min do dia 22/04/2015 e encerrando-se s 23h59min do dia 15/05/2015 (horrio de Braslia), de acordo com o item 3.3 deste captulo. 3.3 Para inscrever-se, o (a) candidato (a) dever acessar o endereo eletrnico www.institutobelchior.com.br durante o perodo das inscries e, por meio dos links referentes ao concurso pblico, efetuar sua inscrio, conforme os procedimentos estabelecidos a seguir:

    3.3.1 - Ler e aceitar as condies exigidas para a inscrio no concurso pblico, preencher o formulrio de inscrio e transmitir os dados pela internet; 3.3.2 - Efetuar o pagamento da importncia referente inscrio por meio de boleto bancrio ou dbito em conta corrente de banco(s) conveniado(s), de acordo com as instrues constantes no endereo eletrnico da pgina de inscries, at sua data limite, nos seguintes valores: cargos de nvel fundamental = R$ 60,00 (sessenta reais); cargos de nvel mdio = R$ 80,00 (oitenta reais) e cargos de nvel superior = R$ 100,00 (cem reais); 3.3.3 - O boleto bancrio, disponvel no endereo eletrnico www.institutobelchior.com.br, dever ser impresso para o pagamento do valor da inscrio, aps a concluso do preenchimento do formulrio de inscrio via internet, em qualquer banco do sistema de compensao bancria; 3.3.4 - O pagamento do valor da inscrio poder ser efetuado em dinheiro ou cheque do prprio candidato.

    3.3.4.1 - O pagamento efetuado por meio de cheque somente ser considerado quitado aps a respectiva compensao. 3.3.4.2 - Em caso de devoluo do cheque, qualquer que seja o motivo, considerar-se- automaticamente sem efeito a inscrio.

    3.3.5 - Em caso de feriado ou evento que acarrete o fechamento de agncias bancrias e ou correspondentes bancrios na localidade em que se encontra o candidato, o boleto dever ser pago antecipadamente.

    3.4 - A partir de 20/05/2015, o (a) candidato (a) poder conferir no endereo eletrnico do Instituto Belchior se os dados da inscrio foram recebidos e o valor da inscrio foi pago. Em caso negativo, o (a) mesmo (a) dever entrar em contato com o Servio de Atendimento ao Candidato (SAC) do Instituto Belchior, atravs do endereo de email institutobelchiorconsultoria@hotmail.com ou do telefone (0xx83) 3431-2384, de segunda a sexta-feira (dias teis), das 09h00min s 16h00min (horrio de Braslia), para verificar o ocorrido.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    3.4.1 - A inscrio somente ser confirmada aps a comprovao do pagamento do valor da inscrio. 3.4.2 - Ser cancelada a inscrio com pagamento efetuado com um valor menor do que o estabelecido, e as solicitaes de inscrio cujos pagamentos forem efetuados aps a data de encerramento da mesma. 3.4.3 - O (A) candidato (a) inscrito no dever enviar qualquer documento de identificao, sendo de sua exclusiva responsabilidade a informao dos dados cadastrais no ato de inscrio, sob as penas da lei. 3.4.4 - O Instituto Belchior e nem o Poder Executivo Municipal se responsabilizam por solicitaes de inscrio no recebidas por motivo de ordem tcnica dos computadores, falhas de comunicao, congestionamento das linhas de comunicao, bem como outros fatores de ordem tcnica que impossibilitem a transferncia de dados. 3.4.5 - O descumprimento das instrues para inscrio implicar sua no efetivao.

    3.5 - Ao inscrever-se, o candidato dever indicar no formulrio de inscrio o cargo, conforme tabela constante no ANEXO I deste edital e da barra de opes do formulrio de inscrio via internet. 3.6 - Ao inscrever-se neste Concurso Pblico, recomendado ao () candidato (a) observar atentamente as informaes sobre a aplicao das provas, mencionadas no Captulo 6 deste edital, uma vez que poder concorrer apenas para um dos cargos neles previstos.

    3.6.1 - O (A) candidato (a) que efetivar mais de uma inscrio ser confirmada apenas a ltima inscrio, sendo as demais canceladas. 3.6.2 - No sendo possvel identificar a ltima inscrio efetuada, a primeira ser considerada vlida se o pagamento tiver sido efetuado no prazo. 3.6.3 - O cancelamento das inscries ter como base os procedimentos descritos a seguir:

    a) as datas em que forem efetivados os pagamentos dos boletos bancrios e; b) sendo a data de pagamento dos boletos bancrios a mesma, ser considerado o nmero do pedido registrado em cada boleto bancrio.

    3.7 - As informaes prestadas no formulrio de inscrio sero de inteira responsabilidade do (a) candidato (a), reservando-se ao Municpio de Bom Sucesso/PB e ao Instituto Belchior o direito de excluir do Concurso Pblico aquele (a) que no preencher o formulrio de forma completa e correta e/ou fornecer dados inverdicos ou falsos. 3.8 - Efetivada a inscrio, no sero aceitos pedidos para alterao da opo de cargo, bem como no haver, em hiptese alguma, devoluo da importncia paga. 3.9 - No haver iseno total ou parcial do valor da inscrio, exceto para os candidatos amparados pelo Decreto Federal n 6.593, de 02 de outubro de 2008 e Lei Municipal n 395, de 16 de maro de 2015.

    3.9.1 - Far jus iseno total do pagamento do valor da inscrio, o (a) candidato (a) que, cumulativamente: a) comprovar inscrio no Cadastro nico para Programas Sociais do Governo Federal de que trata o Decreto Federal n 6.135, de 26 de junho de 2007, por meio de indicao do Nmero de Identificao Social (NIS) na ficha de inscrio disponvel na internet e; b) for membro de famlia de baixa renda nos termos do Decreto acima supracitado; 3.9.2 Nos termos da Lei Municipal n 395, de 16 de maro de 2015, fica isento do pagamento do valor da inscrio o candidato doador de sangue fidelizado, que comprovar ter doado sangue, no mnimo, por duas vezes no perodo de 1 (um) ano anteriormente a data de publicao deste Edital.

    3.9.2.1 A comprovao dever ser efetuada por meio do envio de documento expedido pela entidade coletora para o endereo do INSTITUTO BELCHIOR, Rua Coronel

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    Cndido de Assis, no 377, Trreo, Centro, Pombal/PB, CEP 58.840-000, atravs de SEDEX, com data de postagem at 27/04/2015. 3.9.2.2 Considerar-se-, para efeito de concesso da iseno, somente doaes efetuadas rgos oficiais ou entidades credenciadas pela Unio, Estados ou Municpios.

    3.9.3 - A iseno dever ser solicitada durante o perodo de 22/04/2015 a 27/04/2015, no prprio formulrio de inscrio, no site www.institutobelchior.com.br, ocasio em que o (a) candidato (a) dever, obrigatoriamente, indicar o seu Nmero de Identificao Social (NIS) atribudo pelo cadastro nico, bem como declarar-se membro de famlia de baixa renda. 3.9.4 - O Instituto Belchior ir consultar o rgo gestor do cadastro nico a fim de verificar a veracidade das informaes prestadas pelo (a) candidato (a). A declarao falsa sujeitar o (a) mesmo (a) s sanes previstas em lei, aplicando-se, ainda, o disposto no pargrafo nico do artigo 10 do Decreto Federal n 83.936 de 6 de setembro de 1979.

    3.10 - O (A) candidato (a) interessado (a) que preencher os requisitos descritos no subitem 3.9.1 e desejar solicitar iseno de pagamento do valor de inscrio dever faz-lo ao se inscrever, conforme descrito no subitem 3.3, atravs de preenchimento das informaes constantes no requerimento de iseno, por meio do site www.institutobelchior.com.br.

    3.10.1 - Os pedidos de iseno de pagamento da inscrio sero analisados e julgados pelo Instituto Belchior. 3.10.2 No ser concedida iseno de pagamento do valor da inscrio ao () candidato (a) que: a) deixar de efetuar o pedido de inscrio com iseno de pagamento pela internet; b) omitir informaes e/ou torn-las inverdicas; c) fraudar e/ou falsificar documento.

    3.11 - A qualquer tempo, podero ser realizadas diligncias relativas situao declarada pelo candidato, deferindo ou no seu pedido. 3.12 - A partir do dia 30/04/2015, o (a) candidato (a) dever verificar no endereo eletrnico do Instituto Belchior (www.institutobelchior.com.br) os resultados da anlise dos pedidos de iseno do pagamento da inscrio deferidos e indeferidos, observados os motivos do indeferimento dos pedidos de iseno. 3.13 - O (A) candidato (a) que tiver seu requerimento de iseno do valor da inscrio indeferido, poder apresentar recurso no prazo de 2 (dois) dias teis aps a publicao no site (www.institutobelchior.com.br).

    3.13.1 - Aps a anlise dos recursos, ser divulgada a relao dos requerimentos deferidos e indeferidos no site do Instituto Belchior (www.institutobelchior.com.br).

    3.14 - Os (As) candidatos (as) que tiverem seus pedidos indeferidos e desejem participar do Concurso Pblico, devero gerar o boleto para pagamento no site do Instituto Belchior e pagar a inscrio at a data do encerramento das inscries (15/05/2015). 3.15 - No sero aceitas inscries atravs de depsito em caixa eletrnico, via postal, fac-smile (fax), transferncia ou depsito em conta corrente, DOC, ordem de pagamento, condicionais e/ou extemporneas, ou por qualquer outra via que no as especificadas neste edital. 3.16 - No sero aceitas as solicitaes de inscrio que no atenderem rigorosamente ao estabelecido neste edital. 3.17 - O Municpio de Bom Sucesso/PB e o Instituto Belchior eximem-se das despesas com viagens e estadia dos (as) candidatos (as) para prestar as provas do Concurso Pblico. 3.18 - A qualquer tempo, poder-se- anular a inscrio, prova ou nomeao do (a) candidato (a), desde que sejam identificadas falsidades de declaraes ou irregularidades nas provas ou documentos, garantindo-se ao () mesmo (a) a ampla defesa e o contraditrio.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    3.19 - O (a) candidato (a) com deficincia que necessitar de condio especial para realizao da prova dever solicit-la, mediante simples requerimento, assinado e com firma reconhecida, enviado durante o perodo de inscrio, via SEDEX, ao Instituto Belchior, com sede na Rua Coronel Cndido de Assis, n 377, Centro, Pombal/PB, CEP 58840-000, com postagem at a data de 08/05/2015.

    3.19.1 - O (a) candidato (a) dever encaminhar, em anexo ao requerimento, o laudo mdico (original ou cpia autenticada), expedido no perodo de at 180 dias anteriores a data de publicao deste edital no rgo oficial do Municpio de Bom Sucesso, que justifique o atendimento especial solicitado. 3.19.2 - O (a) candidato (a) que no realizar o procedimento descrito no item 3.19 e 3.19.1 at a data de 08/05/2015, seja qual for o motivo alegado, no ter a condio atendida. 3.19.3 - O atendimento s condies solicitadas ficar sujeito anlise de viabilidade e razoabilidade do pedido.

    3.20 - A lactante que necessitar amamentar durante a realizao da prova, poder faz-lo em sala reservada, desde que a requeira, observando os procedimentos constantes a seguir para adoo das providncias necessrias:

    3.20.1 - Encaminhar sua solicitao, mediante simples requerimento assinado e com firma reconhecida, durante o perodo de inscrio, via SEDEX, ao Instituto Belchior, com sede na Rua Coronel Cndido de Assis, n 377, Centro, Pombal/PB, CEP 58.840-000, at a data de 08/05/2015; 3.20.2 - No haver compensao do tempo de amamentao em favor da candidata; 3.20.3 - A criana dever ser acompanhada por pessoa responsvel por sua guarda (familiar ou terceiro indicado pela candidata) e permanecer em ambiente reservado; 3.20.4 - A lactante dever apresentar-se no respectivo horrio para o qual foi convocada com o acompanhante e a criana lactente; 3.20.5 - No ser disponibilizado pelo Instituto Belchior pessoa responsvel pela guarda da criana, acarretando candidata a impossibilidade de ter acesso ao local de provas acompanhada do menor; 3.20.6 - Nos horrios previstos para amamentao, a candidata lactante poder ausentar-se temporariamente da sala de prova, acompanhada de uma fiscal; 3.20.7 - Na sala reservada para amamentao, ficaro somente a candidata lactante, a criana e uma fiscal, sendo vedada a permanncia de babs ou quaisquer outras pessoas que tenham grau de parentesco ou de amizade com a candidata.

    4 DAS INSCRIES PARA OS PORTADORES DE DEFICINCIAS: 4.1 - s pessoas portadoras de deficincia, assegurado o direito de inscrio no presente Concurso Pblico para cargos cujas atribuies sejam compatveis com a deficincia de que so portadoras, submetendo-se, quando convocadas, a exame oficial que decidir, terminantemente, sobre a possibilidade do exerccio do cargo. 4.2 - De acordo com os dispositivos constantes no art. 37 do Decreto 3.298 de 20 de dezembro de 1999, fica assegurado o percentual de 5% (cinco por cento) das vagas oferecidas destinadas a portadores de deficincia fsica e/ou sensorial e/ou intelectual.

    4.2.1 - Caso a aplicao do percentual de que trata o pargrafo anterior resulte em nmero fracionado, este dever ser elevado at o primeiro nmero inteiro subsequente, desde que no ultrapasse 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas por cargo nos termos do Art. 37, 2, do Decreto Federal n 3.298, de 20/12/99.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    4.2.2 - Caso matematicamente no se atinja o percentual mnimo de que trata o item anterior, os (a) candidatos (as) com deficincia concorreram em igualdade de condies com os demais.

    4.3 - Ressalvadas as disposies especiais definidas, os (as) candidatos (as) com deficincia participaro do Concurso Pblico em igualdade de condies com os (as) demais candidatos (as), no que diz respeito ao horrio de incio, aos locais de aplicao, ao contedo e correo das provas, aos critrios de aprovao e a todas as demais normas que regem este Edital. 4.4 - Somente sero consideradas pessoas com deficincia aquelas que se enquadrem nas categorias discriminadas no artigo 4 do Decreto Federal n 3.298, de 20 de dezembro de 1999, alterado pelo Decreto Federal n 5.296, de 02 de dezembro de 2004, e as contempladas pelo enunciado da Smula 377 do Superior Tribunal de Justia. 4.5 - O (A) candidato (a) com deficincia auditiva que necessitar utilizar aparelho auricular no dia das provas dever enviar laudo mdico especfico para esse fim, at o trmino das inscries, conforme item 4.7. Caso o (a) mesmo (a) no envie o referido laudo, no poder utilizar o aparelho auricular. 4.6 - No ato de realizao da inscrio o (a) candidato (a) portador (a) de deficincia deve indicar sua condio no formulrio eletrnico.

    4.6.1 - O (a) candidato (a) portador (a) de deficincia que efetuar sua inscrio deve, obrigatoriamente, enviar, VIA SEDEX, laudo mdico atestando a espcie e o grau ou nvel da deficincia, com expressa referncia ao cdigo correspondente da Classificao Internacional de Doena (CID), bem como a provvel causa da deficincia, para o endereo do Instituto Belchior, com sede na Rua Coronel Cndido de Assis, n 377, Centro, Pombal/ PB. CEP 58840-000, at a data de 08/05/2015.

    4.7 - Os (as) deficientes visuais que requererem prova em braile devero levar, no dia de aplicao da prova, reglete e puno para que suas respostas sejam dadas, tambm, em braile; 4.8 - O (a) candidato (a) classificado (a) na forma do disposto no presente edital poder ser submetido avaliao de equipe multiprofissional designada pela Prefeitura Municipal de Bom Sucesso, por ocasio da convocao para nomeao; 4.9 - O no comparecimento avaliao de que trata o subitem 4.8, no prazo a ser estabelecido em edital de convocao, implicar na desistncia do (a) candidato (a). 4.10 - Os (as) candidatos (as) considerados (as) portadores (as) de deficincia, se habilitados (as) e classificados (as), alm de figurarem na lista geral de classificao do cargo para o qual optaram concorrer, tero seus nomes publicados em separado. 4.11 - Caso o (a) candidato (a) no tenha sido qualificado (a) como portador (a) de deficincia ou sua deficincia no tenha sido julgada compatvel com as atribuies do cargo, este passar a concorrer juntamente com os (as) candidatos (as) de ampla concorrncia, observada a rigorosa ordem de classificao. 4.12 - As vagas reservadas a portadores de deficincias no preenchidas revertero aos (s) demais candidatos (as) habilitados (as) de ampla concorrncia, observada a ordem de classificao, conforme pontuao obtida; 4.13 - Os (as) candidatos (as) portadores (as) de deficincia que no atenderem aos dispositivos deste edital, dentro do perodo da inscrio, sero considerados (as) como no portadores (as) de deficincia, no tero provas preparadas, seja qual for o motivo alegado, estando impossibilitado (a) ou no de fazer a prova. 4.14 - O (a) candidato (a) portador (a) de deficincia que, no ato da inscrio, no declarar essa condio, conforme as disposies deste edital, no poder interpor recurso em favor de sua situao.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    5. DAS PROVAS: 5.1 - Para todos os cargos oferecidos, o Concurso Pblico ser realizado em uma nica etapa, consistente na aplicao de prova objetiva, de carter eliminatrio e classificatrio, a qual conter 40 (quarenta) questes de mltipla escolha, com 5 (cinco) alternativas e somente uma correta. 5.2 - Para cada cargo ser aplicada uma prova objetiva, conforme contedo programtico previsto no ANEXO III, sendo as provas, para todos os cargos, realizadas em 07/06/2015, com incio previsto para as 8h00min (horrio de Braslia) e durao mxima de 3 (trs) horas. 5.3 - A aplicao das provas na data prevista depender da disponibilidade de locais adequados a sua realizao. 5.4 - Caso o nmero de candidatos inscritos exceda a oferta de lugares adequados existentes nos colgios localizados na cidade de Bom Sucesso/PB, o Instituto Belchior reserva-se o direito de aloc-los em cidades prximas s determinadas para aplicao das provas, no assumindo qualquer responsabilidade quanto ao transporte e alojamento desses candidatos.

    5.4.1 - Havendo alterao da data prevista, as provas somente podero ocorrer em sbados, domingos ou feriados.

    5.5 - A confirmao da data e as informaes sobre horrio e locais de realizao das provas sero divulgadas oportunamente por meio de edital de convocao, a ser publicado no Dirio Oficial do Municpio e no site do Instituto Belchior (www.institutobelchior.com.br), e por meio de cartes informativos que podero ser consultados no site do Instituto Belchior. 5.6 - O (a) candidato (a) que no conseguir acessar o carto informativo at o 3 (terceiro) dia que antecede a aplicao das provas, ou havendo dvidas quanto ao local, data e horrio de realizao das provas, dever entrar em contato com o Servio de Atendimento ao Candidato (SAC) do Instituto Belchior, atravs do endereo de email, institutobelchiorconsultoria@hotmail.com, ou por meio do telefone (0xx83) 3431-2384, de segunda a sexta-feira (dias teis), das 09h:00min s 16h:00min (horrio de Braslia). 5.7 - Ao (a) candidato (a) somente ser permitida a realizao das provas na respectiva data, local e horrio indicado no carto informativo e no site do Instituto Belchior. 5.8 - Os eventuais erros de digitao verificados no carto informativo do (a) candidato (a) ou erros observados nos documentos impressos entregues ao () mesmo (a) no dia da realizao das provas, quanto ao nome, nmero de documento de identidade, sexo, data de nascimento e endereo, devero ser comunicados ao Instituto Belchior at o terceiro dia aps a realizao da prova para fins de correo.

    5.8.1 - O (A) candidato (a) que no solicitar as correes dos dados pessoais nos termos do item anterior, dever arcar, exclusivamente, com as consequncias advindas de sua omisso.

    5.9 - Caso haja inexatido na informao relativa opo de cargo e/ou condio de candidato com deficincia no carto informativo, o (a) candidato (a) dever entrar em contato com o Servio de Atendimento ao Candidato (SAC) do Instituto Belchior, atravs do endereo de email, institutobelchiorconsultoria@hotmail.com, ou pelo telefone (0xx83) 3431-2384, de segunda a sexta-feira (dias teis), das 09h:00min s 16h:00min (horrio de Braslia).

    5.9.1 - A alterao de opo do cargo somente ser processada na hiptese do dado expresso pelo (a) candidato (a) em seu formulrio de inscrio ter sido transcrito erroneamente para o carto informativo, disponvel no site do Instituto Belchior. 5.9.2 - No ser admitida troca de opo de cargo. 5.9.3 - O (A) candidato (a) que no entrar em contato com o SAC no prazo mencionado ser o exclusivamente responsvel pelas consequncias advindas de sua omisso.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    5.10 - Somente ser admitido sala de provas o (a) candidato (a) que estiver portando documento de identidade original que bem o (a) identifique, tais como, carteiras e/ou cdulas de identidade expedidas pelas Secretarias de Segurana Pblica, pelas Foras Armadas, pela Polcia Militar, pelo Ministrio das Relaes Exteriores, cdula de identidade para estrangeiros; cdulas de identidade fornecidas por rgos pblicos ou conselhos de classe que, por fora de lei federal, valham como documento de identidade, como, por exemplo, s da OAB, CREA, CRM, CRC etc., certificado de reservista, passaporte, carteira de trabalho e previdncia social, carteira nacional de habilitao (com fotografia, na forma da Lei n 9.503/97), bem como carteiras funcionais do Ministrio Pblico; carteiras funcionais expedidas por rgo pblico que, por lei federal, valham como identidade.

    5.10.1 - No sero aceitos como documentos de identidade: certides de nascimento, CPF, ttulos eleitorais, carteira nacional de habilitao sem foto, carteiras de estudante e carteiras funcionais sem valor de identidade. 5.10.2 - Os documentos devero estar em perfeitas condies, de forma a permitir, com clareza, a identificao do (a) candidato (a). 5.10.3 - Caso o (a) candidato (a) esteja impossibilitado (a) de apresentar, no dia de realizao das provas, documento de identidade original, por motivo de perda, roubo ou furto, dever apresentar documento que ateste o registro da ocorrncia em rgo policial, expedido h, no mximo, 30 (trinta) dias anteriores realizao das provas, sendo, ento, submetido identificao especial, compreendendo coleta de dados, de assinaturas e de impresso digital em formulrio prprio. 5.10.4 - A identificao especial ser exigida, tambm, do (a) candidato (a) cujo documento de identificao gere dvidas quanto fisionomia, assinatura, condio de conservao do documento e/ou prpria identificao.

    5.11 - No haver segunda chamada ou repetio de prova. 5.11.1 - O (a) candidato (a) no poder alegar quaisquer desconhecimentos sobre a realizao da prova como justificativa de sua ausncia. 5.11.2 - O no comparecimento s provas, qualquer que seja o motivo, caracterizar desistncia do (a) candidato (a) e resultar em sua eliminao do concurso pblico. 5.11.3 - No haver remarcao de provas em razo de circunstncias pessoais dos (as) candidatos (as), ainda que de carter fisiolgico como gravidez, doena temporria, leso ou outra circunstncia qualquer.

    5.12 - Nas Provas, o (a) candidato (a) dever assinalar as respostas na folha de respostas, que ser o nico documento vlido para a correo da prova. O preenchimento da folha de respostas ser de inteira responsabilidade do (a) candidato, que dever proceder em conformidade com as instrues especficas contidas na capa do caderno de questes. Em hiptese alguma haver substituio da folha de respostas por erro do (a) candidato (a).

    5.12.1 - No dever ser feita nenhuma marca fora do campo reservado s respostas ou assinatura, pois qualquer marca poder no ser considerada, prejudicando o desempenho do (a) candidato (a). 5.12.2 - Os prejuzos advindos de marcaes feitas incorretamente na folha de respostas sero de inteira responsabilidade do (a) candidato (a). 5.12.3 - No sero computadas questes no assinaladas ou que contenham mais de uma resposta, emenda ou rasura, ainda que legvel. 5.12.4 - Em nenhuma hiptese ser permitido aos (s) candidatos (as) permanecerem com o caderno de questes e as folhas de respostas aps o trmino do tempo de prova.

    5.13 - O (A) candidato (a) dever comparecer ao local de realizao das provas munido de caneta esferogrfica transparente de tinta preta ou azul.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    5.13.1 - O (A) candidato (a) dever preencher os alvolos na folha de respostas da prova objetiva com caneta esferogrfica transparente de tinta preta ou azul.

    5.14 - O (A) candidato (a), ao terminar a prova, entregar ao fiscal da sala o caderno de questes e a folha de respostas personalizada. 5.15 - O (A) candidato (a) que tenha solicitado atendimento diferenciado para a realizao das provas poder ser auxiliado para transcrio das provas, ocasio que ser designado um fiscal devidamente treinado para essa finalidade. 5.16 - Durante a realizao das Provas no ser permitida nenhuma espcie de consulta ou comunicao entre os (as) candidatos (as), nem a utilizao de livros, cdigos, manuais, impressos ou quaisquer anotaes. 5.17 - O (A) candidato (a) dever conferir os seus dados pessoais impressos na folha de respostas, em especial seu nome, nmero de inscrio, nmero do documento de identidade e opo de cargo. 5.18 - Motivar a eliminao do (a) candidato (a) do concurso pblico, sem prejuzo das sanes penais cabveis, a burla ou a tentativa de burla a quaisquer das normas definidas neste edital ou a outras relativas ao certame, aos comunicados, s instrues ao () candidato (a) ou s instrues constantes da prova, bem como o tratamento indevido e descorts a qualquer pessoa envolvida na aplicao das provas.

    5.18.1 - Por medida de segurana, os candidatos devero deixar as orelhas totalmente descobertas, observao dos fiscais de sala, durante a realizao das provas.

    5.19 - Poder ser excludo do concurso pblico o (a) candidato (a) que: A) apresentar-se aps o horrio estabelecido, no se admitindo qualquer tolerncia; B) apresentar-se em local diferente da convocao oficial; C) no comparecer s provas, seja qual for o motivo alegado; D) no apresentar documento que bem o (a) identifique; E) ausentar-se da sala de provas sem o acompanhamento do (a) fiscal; F) ausentar-se do local de provas antes de decorrida uma hora do incio das provas; G) fizer anotao de informaes relativas s suas respostas no comprovante de inscrio ou em qualquer outro meio que no o autorizado pelo Instituto Belchior no dia da aplicao das provas; H) ausentar-se da sala de provas levando folha de respostas, caderno de questes ou outros materiais no permitidos; I) estiver portando armas, mesmo que possua o respectivo porte; J) lanar mo de meios ilcitos para a execuo das provas; K) no devolver integralmente o material recebido; L) for surpreendidos em comunicao com outras pessoas ou utilizando-se de livro, anotao, impresso no permitido ou mquina calculadora ou similar; M) estiver fazendo uso de qualquer tipo de aparelho eletrnico ou de comunicao (bip, telefone celular, relgio de qualquer espcie, agenda eletrnica, notebook, palmtop, receptor, gravador, smartphone ou outros equipamentos similares), bem como protetores auriculares; N) perturbar, de qualquer modo, a ordem dos trabalhos, incorrendo em comportamento indevido. 5.20 - O (A) candidato (a), ao ingressar no local de realizao das provas, dever desligar qualquer aparelho eletrnico que esteja sob sua posse, ainda que os sinais de alarme estejam nos modos de vibrao e silencioso.

    5.20.1 - Recomenda-se ao () candidato (a), no dia da realizao da prova, no levar nenhum dos aparelhos indicados nas alneas L e M do item 5.19. Caso seja necessrio o (a) mesmo (a) portar algum desses aparelhos eletrnicos, estes devero ser acondicionados no momento da identificao em embalagem especfica a ser fornecida pelo Instituto Belchior, exclusivamente para tal fim, devendo permanecer desligados embaixo da mesa/carteira durante toda a aplicao da prova. 5.20.2 - aconselhvel que os (as) candidatos (as) retirem as baterias dos celulares, garantindo que nenhum som seja emitido, inclusive, do despertador, caso esteja ativado.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    5.21 - Poder, tambm, ser excludo do certame o (a) candidato (a) que estiver utilizando ou portando em seu bolso, bolsas, sacolas, mochilas e similares, os aparelhos eletrnicos indicados nas alneas L e M do item 5.19, aps o procedimento estabelecido no subitem 5.20.1 deste captulo. 5.22 - Os demais pertences pessoais dos (as) candidatos (as), tais como, bolsas, sacolas, bons, chapus, gorros ou similares, culos escuros e protetores auriculares, devero ser acomodados em local a ser indicado pelos fiscais de sala e ali permanecer at o trmino da prova.

    5.22.1 - O Instituto Belchior e o Municpio de Bom Sucesso/PB no se responsabilizaro por perda ou extravio de documentos, objetos ou equipamentos eletrnicos ocorridos no local de realizao das provas, nem por danos neles causados.

    5.23 - Os (As) candidatos (as) podero ser submetidos (as) ao sistema de deteco de metal no dia da realizao das provas. 5.24 - No dia da realizao das provas, na hiptese do nome do (a) candidato (a) no constar nas listagens oficiais relativas aos locais de prova estabelecidos no edital de convocao, o Instituto Belchior proceder incluso do (a) mesmo (a), desde que apresente o boleto bancrio acompanhado respectivamente da comprovao de pagamento ou do comprovante de dbito em conta.

    5.24.1 - A incluso de que trata o item 5.24 ser realizada de forma condicional e ser analisada pelo Instituto Belchior na fase do julgamento das provas objetivas com o intuito de verificar a pertinncia da referida inscrio. 5.24.2 - Constatada a improcedncia da inscrio, a mesma ser automaticamente cancelada, independentemente de qualquer formalidade, considerados nulos todos os atos dela decorrentes.

    5.25 - A inviolabilidade do sigilo das provas ser comprovada no momento de romper o lacre das sacolas de provas mediante termo formal e na presena de 03 (trs) candidatos (as) nos locais de realizao das provas. 5.26 - Distribudos os cadernos de questes aos (s) candidatos (as) e, na hiptese de verificarem-se falhas de impresso, o (a) coordenador (a) do estabelecimento onde for acontecer a aplicao de provas, antes do incio da prova, diligenciar no sentido de: a) substituir os cadernos de questes defeituosos; b) no havendo nmero suficiente de cadernos para a devida substituio, proceder leitura dos itens onde ocorreram falhas, usando, para tanto, um caderno de questes completo; c) se a ocorrncia verificar-se aps o incio da prova, o (a) coordenador (a) do estabelecimento onde for acontecer a aplicao de provas, aps ouvido o (a) supervisor (a) do Instituto Belchior, estabelecer prazo para reposio do tempo usado para regularizao do caderno.

    5.27 - Quando, aps a prova, for constatado, por meio eletrnico, estatstico, visual, grafolgico ou por investigao policial, ter o (a) candidato (a) utilizado processos ilcitos, sua prova ser anulada e o candidato ser automaticamente eliminado do concurso pblico.

    5.28 - No haver, por qualquer motivo, prorrogao do tempo previsto para a aplicao das provas em razo de afastamento do (a) candidato (a) da sala de prova. 5.29 - Em hiptese nenhuma ser realizada qualquer prova fora do local, data e horrio determinados. 5.30 - Por razes de ordem tcnica, de segurana e de direitos autorais adquiridos, no sero fornecidos exemplares dos cadernos de questes a candidatos ou a instituies de direito pblico ou privado, mesmo aps o encerramento do certame. O (a) candidato (a) dever consultar o site www.institutobelchior.com.br no primeiro dia til aps a aplicao das provas para tomar conhecimento da (s) data (s) prevista (s) para divulgao das questes das provas objetivas, dos gabaritos e/ou dos resultados.

    5.30.1 - As questes das provas objetivas ficaro disponveis no site www.institutobelchior.com.br at o ltimo dia para interposio de recursos referentes ao resultado das provas.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    6. DO JULGAMENTO DAS PROVAS: 6.1 - Para todos os cargos, as provas objetivas sero avaliadas na escala de 0 (zero) a 100 (cem) pontos;

    6.1.1 - Cada questo vale 2,50 pontos (dois inteiros e cinco dcimos); 6.1.2 - Cada questo de mltipla escolha conter somente uma alternativa correta, sendo que a marcao em mais de uma, qualquer tipo de rasura ou nenhuma marcao importar na atribuio de nota 0 (zero) para a questo; 6.1.3 - Sero considerados classificados os (as) candidatos (as) que obtiverem pontuao igual ou superior a 50 (cinquenta) pontos. Os demais candidatos sero excludos do certame.

    6.2 - Para todos os (as) candidatos (as), as provas objetivas sero corrigidas por meio de procedimento manual por equipe competente e responsvel; 6.3 - Sero considerados aprovados os (as) candidatos dentro do limite de vagas oferecidas, considerado a ordem decrescente de pontuao; 6.4 - No caso de alguma (s) questo (es) apresentar (em), dentre as alternativas postas, mais de uma alternativa correta ou no correspondam ao enunciado, ser (o) anulada (s), bonificando os (as) candidatos (as) com a pontuao relativa (s) mesma; 6.5 - No dia de realizao das provas objetivas vedado a qualquer membro da equipe credenciada pela empresa, inclusive, da comisso do certame, fornecer informaes relativas aos contedos e aos critrios de avaliao das mesmas. 6.6 - Em caso de empate na classificao ter preferncia, sucessivamente, o candidato que: a) tiver idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, at a data de publicao do resultado final do certame, conforme o disposto no pargrafo nico do artigo 27 da Lei n 10.741/03 (Estatuto do Idoso); b) obtiver maior pontuao nas questes das prova de Lngua Portuguesa;

    6.6.1 - Permanecendo o empate, ter preferncia o candidato: a) de maior idade; b) tiver exercido efetivamente a funo de jurado no perodo entre a data de publicao da Lei n 11.689/08 e a data de trmino das inscries; c) candidato com maior nmero de filhos.

    7. DOS RECURSOS: 7.1 - Admitir-se- um nico recurso para cada candidato relativamente ao contedo das questes objetivas e gabaritos divulgados, exclusivamente via internet, no site da empresa, www.institutobelchior.com.br, tendo como prazo, peremptrio, 2 (dois) dias teis contados a partir da divulgao oficial do gabarito das respectivas provas. 7.2 - O recurso deve estar devidamente fundamentado. 7.3 - A empresa responsvel pela organizao e realizao do concurso pblico constitui ltima instncia para recurso, sendo soberana em suas decises, razo porque no cabero recursos adicionais. 7.4 - As decises dos recursos sero publicadas atravs de edital no site da Prefeitura Municipal e do Instituto Belchior, juntamente com os resultados definitivos. 7.5 - Caber, ainda, recurso empresa organizadora e realizadora contra erros materiais ou omisses nas respectivas etapas do Concurso Pblico, a saber:

    7.5.1 - Publicao do edital do concurso; 7.5.2 - Inscrio dos candidatos; 7.5.3 - Divulgao dos gabaritos; 7.5.4 - Divulgao do resultado do Concurso Pblico em relatrio constando pontuao da prova objetiva, obedecidos os critrios de desempate do presente edital e; 7.5.5 - Divulgao do resultado final e homologao.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    7.6 - Todos os recursos a serem interpostos devem obedecer a um prazo de 2 (dois) dias teis da publicao de cada etapa, atravs do site www.institutobelchior.com.br, sob pena de indeferimento;

    7.6.1 - Na interposio de qualquer recurso, o candidato deve ser absolutamente claro, objetivo, consistente e fundamentar sua petio. 7.6.2 - Os recursos interpostos que deixarem de apresentar clareza, objetividade, consistncia e fundamentao idnea, assim como, omitir uma das informaes como nome, nmero de inscrio, cargo, prova ou questo, ser, de plano, indeferido.

    8. DO RESULTADO FINAL E HOMOLOGAO: 8.1 - O Resultado Final, obtido aps julgamento de eventuais recursos de gabaritos e/ou questes, ou, ainda, erros materiais e omisses, ser emitido por ordem de classificao e publicado no site Prefeitura Municipal e do Instituto Belchior (www.institutobelchior.com.br), em 21/06/2015. 8.2 - A Homologao do Concurso Pblico ato do Chefe do Poder Executivo Municipal, devendo ser procedida aps a verificao de suas regularidades, a qual ser publicada no Dirio Oficial do Municpio e no Dirio Oficial do Estado. 9. DO PROVIMENTO DOS CARGOS: 9.1. - O chefe do poder executivo municipal reserva-se o direito de proceder s nomeaes, durante o perodo de validade do Concurso Pblico, em nmero que atenda s necessidades do servio pblico municipal, de acordo com as vagas existentes, a disponibilidade oramentria e a convenincia da administrao. 9.2 - A nomeao ser feita atravs de publicao no Dirio Oficial do Municpio e por meio de correspondncia oficial, telegrama, SEDEX, dentre outros, unicamente pelo endereo indicado na ficha de inscrio do (a) candidato (a), sendo apenas dele (a) a responsabilidade pela atualizao do endereo junto Secretaria de Administrao e Planejamento do Municpio. 9.3 - O no atendimento convocao feita pelo Municpio pelas formas acima indicadas, transcorrido o prazo de 5 (cinco) dias teis, faz presumir desistncia tcita, obrigando o ente municipal a convocar o (a) candidato (a) seguinte, obedecendo a ordem de classificao. 9.4 - Por ocasio da nomeao, os (as) candidatos (as) convocados devero apresentar documentos originais, acompanhados de uma cpia que comprovem os requisitos exigidos no presente edital para provimento no cargo para o qual concorreu. 9.5 - Obedecida ordem de classificao, os (as) candidatos (as) convocados (as) sero submetidos (as) a exames mdicos admissionais, de reponsabilidade de rgo municipal competente, que avaliar sua capacidade fsica e mental para o desempenho das funes pertinentes ao cargo para o qual concorreram. 9.6 - O resultado do exame mdico admissional vincular a validade do ato de nomeao. 9.7 - No sero aceitos, no ato da nomeao, protocolos ou fotocpias no autenticadas dos documentos exigidos. 9.8 - Os candidatos convocados sero nomeados pelo Regime Estatutrio, sujeitos ao perodo de 3 (trs) anos de estgio probatrio, conforme disposto no art. 41, caput, da Constituio Federal. 9.9 - No ser permitida a posse de candidato com acmulo ilegal de cargos, funes ou empregos pblicos, exceto nos casos expressamente previstos no art. 37, inciso XVI, da Constituio Federal.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    10. DAS DISPOSIES FINAIS: 10.1 - A inscrio do (a) candidato (as) em qualquer cargo do Concurso Pblico importar no conhecimento prvio das disposies contidas neste edital e na tcita aceitao das mesmas, inclusive, eventuais alteraes promovidas, no valendo de escusa obedincia aos seus termos a alegao da falta do seu conhecimento. 10.2 - No ser aceito pedido de alterao de inscrio aps a efetivao da mesma. 10.3 - A inexatido ou falsidade documental, ainda que verificadas posteriormente realizao do presente Concurso Pblico, implicar na eliminao sumria do (a) candidato (a), sendo declarada nula de pleno direito a inscrio e todos os atos dela decorrentes, sem prejuzo de eventuais sanes de carter judicial. 10.4 - O fato de ter sido aprovado dentro do nmero de vagas no Concurso Pblico em tela no gera para o (a) candidato (a) o direito a nomeao imediata, assegurando-lhe, apenas, a expectativa do direito nomeao durante a vigncia do certame, ficando a concretizao desse ato condicionada observncia das disposies legais pertinentes, de exclusivo interesse e convenincia da administrao pblica municipal, observadas as imposies legais de ordem oramentria previstas na Lei n 4.320/64 (Lei de Finanas Pblicas) e Lei Complementar n 101/2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal). 10.5 - O Concurso Pblico ter validade de at 2 (dois) anos, contados a partir da data da sua homologao, podendo ser prorrogado por igual perodo, a critrio do Poder Executivo Municipal. 10.6 - Os vencimentos bsicos, a carga horria, a escolaridade e o quantitativo de vagas correspondentes a cada cargo esto dispostos no ANEXO I deste Edital, sem prejuzo de outras vantagens previstas na legislao Municipal. 10.7 - As atribuies dos cargos so as estabelecidas no ANEXO II. 10.8 - Por ocasio do provimento dos cargos que exigem o registro no respectivo conselho profissional, a situao de adimplncia condio indispensvel para a posse. 10.9 - A discriminao das vagas, requisitos mnimos de escolaridade e salrios so as indicadas no ANEXO I deste edital, devendo o (a) candidato optar por uma, conforme o respectivo cdigo. 10.10 O vnculo dos candidatos empossados nos cargos de mdico psiquiatra, enfermeiro, assistente social, psiclogo, pedagogo, educador fsico, farmacutico-bioqumico, cozinheiro, monitor, tcnico de enfermagem, agente administrativo, recepcionista e auxiliar de servios gerais, vinculados ao Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS), bem como de orientador social, facilitador de oficina de artesanato em geral, facilitador de oficina de dana e expresso corporal, facilitador de oficinas de atividade fsica, lazer e recreao, facilitador de oficina de leitura e brinquedoteca e facilitador de oficina de beleza em geral, vinculados aos Servios de Convivncia e Fortalecimento de Vnculos (SCFV), subsistir enquanto os referidos programas existirem, podendo o Chefe do Poder Executivo Municipal, atravs de lei, tornar os referidos cargos permanentes no quadro de pessoal, observadas as necessidades dos servios pblicos e as possibilidades financeiras do Municpio de Bom Sucesso, conforme disposies contidas na Lei n 4.320/64 (Lei de Finanas Pblicas) e Lei Complementar n 101/2000 (Lei de Responsabilidade Fiscal). 10.11 - vedada a empresa organizadora e realizadora do certame fornecer, por telefone, informaes relativas aos locais e datas de realizao de provas, cabendo, exclusivamente, ao candidato observar rigorosamente as disposies deste edital e ou suas alteraes, com as respectivas publicaes no site www.institutobelchior.com.br. 10.12 - Os casos omissos sero resolvidos pela comisso do concurso pblico juntamente com a empresa realizadora.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    Prefeitura Municipal de Bom Sucesso/PB, 22 de maro de 2015.

    Ivaldo Washington de Lima Prefeito

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    QUADRO DEMOSTRATIVO ANEXO I

    a) Quadros de Provimento Efetivo e Permanente

    DENOMINAO DOS CARGOS

    VENC. BASE ESCOLARIDADE VAGAS

    CARG. HOR.

    SEMANAL LOTAO

    Mdico Plantonista 8,000.00 Sup. Medicina 2 36 horas Sec. de Sade

    Mdico PSF 1 9,000.00 Sup. Medicina 1 40 horas PSF 1

    Mdico PSF 2 9,000.00 Sup. Medicina 1 40 horas PSF 2

    Nutricionista 1,500.00 Sup. Nutrio 1 20 horas Sec. de Sade

    Odontlogo 1,500.00 Sup. Odontologia 1 20 horas Sec. de Sade

    Fisioterapeuta 1,500.00 Sup. Fisioterapia 2 20 horas Sec. de Sade

    Enfermeiro 1,822.00 Sup. Enfermagem 3 40 horas Sec. de Sade

    Farmacutico-Bioqumico 1,500.00 Sup. Farm. + Esp. em Bioqumica 2 20 horas Sec. de Sade

    Tcnico de Enfermagem 788,00 Tcnico em Enfermagem 1 40 horas Sec. de Sade

    Tcnico em Raio-X 788,00 Tcnico em Raio-X 2 24 horas Sec. de Sade

    Cozinheiro (a) 788,00 Nvel Fundamental 3 40 horas Sec. de Sade

    Motorista Categoria D 788,00 Nvel Fundamental 1 40 horas Sec. de Sade

    Agente Comunitrio de Sade 1,014.00 Nvel Mdio 1 40 horas Sec. de Sade (rea abrangente PSF 1 )

    Auxiliar de Servios Gerais 788,00 Nvel Fundamental 1 40 horas Sec. de Sade

    Operador de Mquinas 788,00 Nvel Fundamental 3 40 horas Sec. Infraestrutura

    Eletricista 788,00 Nvel Fundamental 1 40 horas Sec. Infraestrutura

    Coveiro 788,00 Nvel Fundamental 1 40 horas Sec. Infraestrutura

    Pedreiro 788,00 Nvel Fundamental 1 40 horas Sec. Infraestrutura

    Agente de Limpeza Urbana 788,00 Nvel Fundamental 2 40 horas Sec. Infraestrutura

    Engenheiro Civil 1,500.00 Sup. em Engenharia Civil 1 40 horas Sec. de Infraestrutura

    Fiscal de tributos 1.000,00 Nvel Mdio 1 40 horas Se. de Tributao e Finanas

    Msico 788,00 Nvel Mdio 1 40 horas CRAS

    Motorista Categoria D 788,00 Nvel Fundamental 3 40 horas Sec. de Educao

    Cozinheiro (a) 788,00 Nvel Fundamental 2 40 horas Sec. de Educao

    Auxiliar de Servios Gerais 788,00 Nvel Fundamental 3 40 horas Sec. de Educao

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    Enfermeiro 1,822.00 Sup. Enfermagem + Curso de Primeiros Socorros 3 40 horas SAMU

    Tcnico de Enfermagem 788,00 Tcnico em Enfermagem + Curso de Primeiros Socorros 3 40 horas SAMU

    Condutor/Socorrista Categoria D 788,00 Nvel Mdio + Curso de Primeiros Socorros 3 40 horas SAMU

    Auxiliar de Servios Gerais 788,00 Nvel Fundamental 1 40 horas SAMU

    Cozinheiro 788,00 Nvel Fundamental 2 40 horas SAMU

    Vigilante 788,00 Nvel Fundamental 1 40 horas SAMU

    b) Quadro Demonstrativo dos Cargos de Provimento Provisrio e Temporrio I - Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS):

    QUADRO DEMONSTRATIVO

    DENOMINAO DOS CARGOS

    VENC. BASE ESCOLARIDADE VAGAS

    CARG. HOR.

    SEMANAL LOTAO

    Mdico Psiquiatra 5.000,00 Sup. Medicina + Especializao em Psiquiatra ou Sade Mental 1 20 horas CAPS

    Enfermeiro 1.822,00 Sup. Enfermagem 1 40 horas CAPS

    Assistente Social 1.200,00 Sup. Servio Social 1 20 horas CAPS

    Psiclogo 1.200,00 Sup. Psicologia 1 20 horas CAPS

    Pedagogo 1.200,00 Sup. Pedagogia 1 20 horas CAPS

    Educador Fsico 1.200,00 Sup. Educao Fsica 1 20 horas CAPS

    Farmacutico 1.200,00 Sup. Farmcia 1 20 horas CAPS

    Cozinheiro 788,00 Nvel Fundamental 1 20 horas CAPS

    Monitor do CAPS 788,00 Nvel Mdio 4 40 horas CAPS

    Tcnico de Enfermagem 788,00 Tcnico em Enfermagem 2 40 horas CAPS

    Agente Administrativo 788,00 Nvel Mdio 1 40 horas CAPS

    Recepcionista 788,00 Nvel Mdio 1 40 horas CAPS

    Auxiliar de Servios Gerais 788,00 Nvel Fundamental 2 40 horas CAPS

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    II Servio de Convivncia e Fortalecimento de Vnculos (SCFV):

    QUADRO DEMONSTRATIVO

    DENOMINAO DOS CARGOS

    VENC. BASE ESCOLARIDADE VAGAS

    CARG. HOR.

    SEMANAL LOTAO

    Orientador Social 788,00 Ensino Mdio com experincia comprovada em trabalhos sociais ou com grupos 1 40 horas SCFV

    Facilitador de Oficina Artesanato Geral 788,00

    Ensino Mdio com habilidades tcnicas na rea e experincia comprovada 1 40 horas SCFV

    Facilitador de Oficina de Dana e Expresso Corporal 788,00

    Ensino Mdio com habilidades tcnicas na rea e experincia comprovada 1 40 horas SCFV

    Facilitador de Oficina de Atividade Fsica, Laser e Recreao

    1,200.00

    Ensino Superior em Educao Fsica com habilidades tcnicas na rea e experincia comprovada e registro no conselho competente

    1 40 horas SCFV

    Facilitador de Oficina de Leitura e Brinquedoteca 1,200.00

    Ensino Superior em Pedagogia, com habilidades tcnicas na rea e experincia comprovada

    1 40 horas SCFV

    Facilitador de Oficina de Beleza em Geral 788,00

    Ensino Mdio com habilidades tcnicas na rea e experincia comprovada. 1 40 horas SCFV

    OBSERVAES: Os vencimentos constantes deste Anexo so os bsicos, sem a incluso dos adicionais inerentes a cada cargo, previstos em legislao Municipal. No h vagas para deficientes fsicos, tendo em vista o no atingimento do percentual mnimo.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    ANEXO II

    ATRIBUIES DOS CARGOS Mdico Plantonista Prestar atendimento de Urgncia e Emergncia passveis de tratamento a nveis de Pronto

    Atendimento a pacientes tanto adultos como peditricos em demanda espontnea, responsabilizando-se integralmente pelo tratamento clnico dos mesmos; Realizar consultas, exames fsico, solicitar exames subsidirios, analisar e interpretar seus resultados, emitir diagnsticos, emitir atestado mdico quando houver necessidade, prescrever tratamentos, orientar os pacientes, aplicar recursos da medicina preventiva ou curativa para promover, proteger e recuperar a sade do usurio; Fazer uso quando necessrio, de todos os recursos e equipamentos disponveis na Unidade de Sade para o tratamento dos pacientes; Realizar todos os procedimentos inerentes profisso de mdico, dentre eles: Estabilizao de pacientes, suturas, curativos, gesso e outros; Encaminhar pacientes de risco aos servios de maior complexidade para tratamento e ou internao hospitalar (caso indicado), contatar com o hospital ou com a Central de Leitos do SUS, garantindo a continuidade da ateno mdica ao paciente grave, at a sua recepo por outro mdico nos servios de urgncia ou na remoo e transporte de pacientes crticos a nvel intermunicipal, regional e estadual. Garantir a continuidade da ateno mdica ao paciente em observao ou em tratamento nas dependncias da entidade at que outro profissional mdico assuma o caso; Zelar pela manuteno e ordem dos materiais, equipamentos e locais de trabalho; Participar das reunies necessrias ao desenvolvimento da Unidade de Sade; Obedecer ao Cdigo de tica Mdica. Executar outras tarefas correlatas sua rea de competncia

    Mdico PSF 1 e 2 Aplicar os conhecimentos de medicina na preveno e diagnstico das doenas do corpo humano, efetuando exames mdicos, avaliando o estado geral em que o paciente se encontra e emitindo diagnstico com a respectiva prescrio de medicamentos e/ou solicitao de exames, visando promoo da sade e bem estar da populao; Receber e examinar os pacientes de sua especialidade, auscultando, apalpando ou utilizando instrumentos especiais, para determinar o diagnstico ou conforme necessidades requisitar exames complementares ou encaminhar o paciente para outra especialidade mdica; Analisar e interpretar resultados de exames diversos, tais como de laboratrio, Raio X e outros para informar ou confirmar diagnstico;Executar outras tarefas correlatas ao cargo, obedecendo ao Cdigo de tica da Profisso.

    Nutricionista Programar, elaborar e avaliar os cardpios; Calcular os parmetros nutricionais para atendimento da clientela; Promover a avaliao nutricional, planejar, orientar e supervisionar as atividades de seleo, compra, armazenamento, produo e distribuio dos alimentos; Planejar e coordenar a aplicao do teste de aceitabilidade; Estimular a identificao de pessoas portadoras de patologias e deficincias associadas nutrio; Elaborar manual de Boas Prticas nos Servios de Alimentao; Executar outras tarefas correlatas ao cargo e obedecendo ao Cdigo de tica da Profisso.

    Odontlogo Atender, orientar pacientes e executar tratamentos odontolgicos especficos, realizando, entre outras atividades, radiografias e ajuste oclusal, aplicao de anestesia, extrao de dentes, tratamento de doenas gengivais e canais, cirurgias bucomaxilofaciais, implantes, tratamentos estticos e de reabilitao oral, confeco de prtese oral e extra oral. Diagnosticam e avaliam pacientes e planejam tratamento. Realizam auditorias e percias odontolgicas, administra local e condies de trabalho, adotando medidas de precauo universal de biossegurana. Pode desenvolver pesquisas na prtica odontolgica e integrar comisses de normatizao do exerccio da profisso e demais atividades, especialmente as determinadas pelo Programa Sade Bucal.

    Fisioterapeuta Atender pacientes para preveno, habilitao e reabilitao de pessoas utilizando protocolos especficos de fisioterapia, terapia ocupacional e ortoptia; Habilitar pacientes e clientes; Realizar diagnsticos especficos e analisar condies de pacientes; Orienta pacientes, clientes, familiares, cuidadores e responsveis; Avaliar baixa viso; Ministrar testes e tratamentos ortpticos no paciente; Desenvolver programas de preveno, promoo de sade e qualidade de vida; Exercer atividades tcnico-cientficas; Administrar

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    recursos humanos e materiais; Executar outras tarefas correlatas ao cargo e correspondendo ao Cdigo de tica da Profisso.

    Enfermeiro Fazer atendimento inicial de acidentes do trabalho; Planejar e executa planos de promoo de sade dos empregados; Prestar cuidados de enfermagem; Informar os familiares sobre normas e rotinas da unidade ou servios, cuidados especiais que se fizerem necessrios e estado de sade dos pacientes; Coordenar, orientar e determinar tarefas e condutas da equipe de enfermagem, elaborando escalas de tarefas, dirimindo dvidas, procurando adequar indicaes dos empregados com as necessidades e avaliando desempenho e atitudes; Controlar medicao de entorpecentes e psicotrpicos, conforme normas de servio e prescrio mdica; Solicitar material e manuteno da Unidade de Sade, preenchendo e assinado documentos especficos e enviando-os aos setores competentes; Fazer curativos, aplicar injees, ministrar remdios e responder pela observncia mdica; Executar diversas tarefas de enfermagem de maior complexidade, valendo-se de seus conhecimentos tcnicos, para proporcionar o maior grau possvel de bem estar fsico, mental e social aos seus pacientes; Obedecer ao Cdigo de tica da Profisso; Executar outras tarefas correlatas ao cargo.

    Farmacutico-Bioqumico Realizar anlises clnicas, toxicolgicas, fisioqumicas, biolgicas, microbiolgicas e bromatolgicas; Executar outras tarefas correlatas ao cargo; Corresponder ao Cdigo de tica da Profisso.

    Tcnico de Enfermagem Desempenhar atividades tcnicas de enfermagem em hospitais, postos de sade e outros estabelecimentos de assistncia mdica; Atuar em cirurgias, terapias, puericultura, pediatria, psiquiatria, obstetrcia, sade ocupacional e outras reas; Prestar assistncia ao paciente, atuando sob superviso de enfermeiro; Desempenhar tarefas de instrumentao cirrgica; Organizar o ambiente de trabalho, d continuidade aos plantes; Trabalhar em conformidade s boas prticas, normas e procedimentos de biossegurana; Realizar registros e elaborar relatrios tcnicos; Comunicar-se com pacientes, familiares e com a equipe de sade; Acompanhar pacientes em deslocamentos quando determinado; Fazer curativos, aplicar injees, ministrar remdios; Obedecer ao Cdigo de tica da Profisso; Desenvolver outras atividades correlatas ao cargo.

    Tcnico em Raio-X Acionar e operar o equipamento gerador de imagens radiolgicas; Executar o protocolo de preparo para o incio e trmino da atividade diria do equipamento; Fazer o controle de todas as funes do equipamento durante todo o perodo de operao do mesmo; Cuidar para que as normas de proteo radiolgica do equipamento e dos indivduos sejam atendidas; Desenvolver outras atividades correlatas ao cargo.

    Cozinheiro Exercer atividade na rea de cozinha envolvendo preparo de refeies e alimentos, separao, controle e estoque de ingredientes e o atendimento das exigncias do cardpio e manter o padro de qualidade do servio; Executar outras tarefas correlatas ao cargo.

    Motorista - Categoria D Dirigir veculos transportando pessoas, materiais e outros, conforme solicitao, zelando pela segurana e cumprindo sua escala de trabalho; Verificar o funcionamento de equipamentos de sinalizao sonora, luminosa, software de navegao do veculo e outros; Prestar ajuda no carregamento e descarregamento de materiais, encaminhando-os ao local destinado;Preencher relatrios de utilizao do veculo com dados relativos quilometragem, horrio de sada e chegada e demais ocorrncias durante realizao do trabalho; Trabalhar seguindo normas de segurana, higiene, qualidade e proteo ao meio ambiente; Executar outras tarefas correlatas ao cargo.

    Agente Comunitrio de Sade

    Executar atividades de vigilncia, preveno e controle de doenas e promoo da sade, desenvolvidas em conformidade com as diretrizes do SUS e sob superviso do gestor de cada ente federado no mbito da sua comunidade ou comunidades, podendo eventualmente fazer cobertura em eventos de programas de emergncia, como vacinao, dia de combate a dengue, entre outros; Atuar na promoo de aes de educao para a sade individual e coletiva; Registrar para fins exclusivos de controle e planejamento das aes de sade, os nascimentos, bitos, doenas e outros agravos sade; Estimular participao da comunidade nas polticas pblicas voltadas para a rea da sade; Realizar visitas domiciliares peridicas para monitoramento de situaes de risco famlia; Participar em aes que fortalecem elos entre o setor de sade e outras polticas que promovem a qualidade de vida; Desenvolver outras atividades correlatas ao cargo.

    Auxiliar de Servios Carregar e descarregar com carro de transporte ou manualmente materiais, ferramentas,

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    Gerais etc., conforme determinao da chefia; efetua manuteno de cmaras frigorficas, quanto a sua limpeza e conservao, deixando-a em condies de uso; Desobstruir e restaurar rede de esgoto e galerias nos locais determinados; Auxiliar operadores de mquinas e equipamentos; Limpar as dependncias do ambiente de trabalho, lavando, varrendo, removendo lixos e detritos, utilizando-se de baldes, vassouras, escovas, detergentes e outros produtos de limpeza; Verificar necessidades de reparos no local de trabalho, comunicando chefia para solicitar o conserto e /ou manuteno; Transportar equipamentos e efetuar a limpeza de equipamentos; Executar outras tarefas correlatas ao cargo.

    Operador de Mquinas Operar e dirigir tratores, mquinas moto niveladoras, ps carregadeiras, retroescavadeiras e outros veculos assemelhados, realizando terraplanagem, aterros, nivelamento, desmatamento, escavaes; Planejar o trabalho; Realizar manuteno bsica da mquina e a operar; Remover solo e material orgnico "bota-fora"; Drenar solos e executar construo de aterros; Realizar acabamento em pavimentos e cravar estacas; OBS: O servidor dever aprender a utilizar as mquinas pesadas, mediante cursos oferecidos pela Administrao; Desenvolver outras atividades correlatas ao cargo.

    Eletricista Planejar servios eltricos; Realizar instalao de distribuio de alta e baixa tenso; Montar e reparar instalaes eltricas e equipamentos auxiliares em estabelecimentos pblicos municipais; Instalar e reparar equipamentos de iluminao de cenrios ou palcos; Executar outras atividades correlatas ao cargo.

    Coveiro Auxiliar nos servios funerrios, construir, preparar, limpar, abrir e fechar sepulturas; Realizar sepultamentos, exumar e cremar cadveres, trasladar corpos e despojos; Conservar cemitrios, mquinas e ferramentas de trabalho; Zelar pela segurana do cemitrio; Executar outras tarefas correlatas ao cargo.

    Pedreiro Construir paredes de alvenaria, aplicar reboco, regular e firmar; Preparar lajes, vigas e pilares de concreto armado; Colocar azulejos e pisos nas obras; Efetuar a preparao de pisos, parques, cermicas, etc.; Efetua demolies em geral; Executar outras tarefas correlatas ao cargo.

    Agente de Limpeza Urbana

    Conservar a limpeza de logradouros pblicos por meio de coleta de lixo, varries, lavagens, pintura de guias, aparo de gramas etc.; Lavar vidros de janelas e fachadas de edifcios e limpar recintos e acessrios dos mesmos; Executar instalaes, reparos de manuteno e servios de manuteno em dependncias de edificaes; Atender transeuntes, visitantes e moradores, prestando-lhes informaes; Zelar pela segurana do patrimnio e das pessoas, solicitando meios e tomando providncias para a realizao dos servios; Executar outras tarefas correlatas ao cargo.

    Engenheiro Civil Projetar, dirigir e fiscalizar a construo e conservao de estradas de rodagem,vias pblicas e de obras de captao, abastecimento de gua, drenagem, irrigao e saneamento urbano e rural; Executar ou supervisionar trabalhos topogrficos; Estudar projetos; Dirigir e fiscalizar servios de urbanizao em geral; Realizar percias, avaliaes, laudos e arbitramentos; Estudar, projetar, dirigir e executar obras necessrias a instalaes de fora motriz, mecnicas, eletromecnicas, de usinas e respectivas redes de distribuio; Examinar projetos e proceder a vistorias de construo, executar, em conformidade com rgos competentes, servios relativos iluminao pblica; Exercer atribuies relativas engenharia de trnsito e tcnica de materiais; Efetuar clculos de estruturas de concreto armado, ao e madeira; Expedir notificaes de autos de infrao referentes a irregularidades por infringncia a normas e posturas municipais constatadas na sua rea de atuao; Responsabilizar-se por equipes auxiliares necessrias execuo das atividades prprias do cargo; Executar outras tarefas correlatas ao cargo. Corresponder ao Cdigo de tica da Profisso.

    Fiscal de Tributos Instruir o contribuinte sobre o cumprimento da legislao tributria; Verificar os registros de pagamentos dos tributos nos documentos em poder dos contribuintes e investigar a evaso ou fraude no pagamento de impostos; Fazer plantes fiscais e relatrios sobre as fiscalizaes efetuadas; Lavrar autos de infrao e apreenso, bem como termos de exame de escrita, fiana, responsabilidade, intimao e documentos correlatos; Sugerir campanhas de esclarecimentos ao pblico nas pocas de cobrana de tributos municipais; Verificar a regularidade do licenciamento de atividades comerciais, industriais e de prestaes de servios; Verificar a regularidade da utilizao dos meios de publicidade em via pblica;

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    Executar outras tarefas correlatas ao cargo. Msico Formar e reger coral infantil e adulto, banda marcial, acompanhando os mais diversos

    grupos em suas apresentaes internas e/ou externas; Ministrar aulas de instrumentos musicais; Desenvolver outras atividades correlatas ao cargo.

    Vigilante Vigiar e zelar pelos bens mveis e imveis do seu local de trabalho; relatar os fatos ocorridos, durante o perodo de vigilncia a chefia imediata; controlar e orientar a entrada e sada de pessoas, veculos e matrias, exigindo a necessria identificao de credencias visadas pelo rgo competente; vistoriar rotineiramente a parte externa do seu local de trabalho e o fechamento das dependncias internas do mesmo, responsabilizando-se pelo cumprimento das normas de segurana estabelecidas; realizar vistorias e rondas sistemticas em todas as dependncias do seu local de trabalho, prevenindo situaes que coloquem em risco q integridade do prdio, dos equipamentos, e a segurana dos servidores e usurios; executar outras tarefas que se incluam, por similaridade, no mesmo campo de atuao.

    Condutor Socorrista D - SAMU

    Conduzir veculo terrestre de urgncia destinado ao atendimento e transporte de pacientes; Conhecer integralmente o veculo e realizar manuteno bsica do mesmo; Estabelecer contato radiofnico (ou telefnico) com a central de regulao mdica e seguir suas orientaes; Conhecer a malha viria local; Conhecer a localizao de todos os estabelecimentos de sade integrados ao sistema assistencial local; Auxiliar a equipe de sade nos gestos bsicos de suporte vida; Auxiliar a equipe nas imobilizaes e transporte de vtimas; Realizar medidas reanimao cardiorrespiratria bsica; Identificar todos os tipos de materiais existentes nos veculos de socorro e sua utilidade, a fim de auxiliar a equipe de sade; Cumprir com pontualidade seus horrios de chegada aos plantes determinados, com o mnimo de quinze minutos de antecedncia; Executar outras atividades inerentes ao cargo.

    Enfermeiro - SAMU Supervisionar e avaliar as aes de enfermagem da equipe no Atendimento Pr-Hospitalar Mvel; executar prescries mdicas por telemedicina; prestar cuidados de enfermagem de maior complexidade tcnica a pacientes graves e com risco de vida, que exijam conhecimentos cientficos adequados e capacidade de tomar decises imediatas; prestar a assistncia de enfermagem gestante, a parturiente e ao recm nato; realizar partos sem distcia; participar nos programas de treinamento e aprimoramento de pessoal de sade em urgncias, particularmente nos programas de educao continuada; fazer controle de qualidade do servio nos aspectos inerentes sua profisso; subsidiar os responsveis pelo desenvolvimento de recursos humanos para as necessidades de educao continuada da equipe; obedecer a Lei do Exerccio Profissional e o Cdigo de tica de Enfermagem; conhecer equipamentos e realizar manobras de extrao manual de vtimas.

    Tcnico de Enfermagem - SAMU

    Assistir ao enfermeiro no planejamento, programao, orientao e superviso das atividades de assistncia de enfermagem; prestar cuidados diretos de enfermagem a pacientes em estado grave, sob superviso direta ou distncia do profissional enfermeiro; participar de programas de treinamento e aprimoramento profissional especialmente em urgncias/emergncias; realizar manobras de extrao manual de vtimas.

    Mdico Psiquiatra - CAPS Diagnosticar, orientar e promover a execuo de planos e programas preventivos, dirigidos a pacientes psiquitrico-neuropsiquitricos em geral, internados, de ambulatrio e a seus familiares, atravs de tcnicas e mtodos de exame e tratamento psicolgico e neuropsicolgico, visando propiciar condies de escuta e incluso do enfoque psicolgico; Ser responsvel tcnico pela prescrio de medicamentos aos pacientes do CAPS; Realizar atendimento individual, grupal, visitas domiciliares, atividades comunitrias, sesses clnicas; Implementar aes para promoo da sade; Participar de reunies de equipe; Proporcionar um tratamento que preserve e fortalea os laos familiares; Realizar a elaborao do plano teraputico individual (PTI); Realizar o acolhimento dos pacientes; Orientar palestras a populao em parceria com as equipes de estratgia de sade da famlia; Adotar uma postura tica frente equipe e aos pacientes do CAPS; Obedecer ao Cdigo de tica Mdica; Executar outras tarefas correlatas ao cargo.

    Enfermeiro CAPS Planejar, organizar, supervisionar e executar servios de enfermagem empregando processos de rotina e ou especficos que possibilitem a proteo e a recuperao da sade individual e coletiva; Participar da equipe multidisciplinar, nas diversas atividades que visam o aprimoramento e desenvolvimento das atividades de interesse da instituio;

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    Identificar as necessidades de enfermagem, programando e coordenando as atividades da equipe de enfermagem, visando preservao e recuperao da sade; Elaborar plano de enfermagem, baseando-se nas necessidades identificadas, para determinar a assistncia a ser prestada pela equipe; Executar diversas tarefas de enfermagem de maior complexidade, valendo-se de seus conhecimentos tcnicos, para proporcionar o maior grau possvel de bem estar fsico, mental e social aos seus pacientes; Fazer curativos, aplicar injees, ministrar remdios e responder pela observncia mdica; Obedecer ao Cdigo de tica da Enfermagem; Executa outras tarefas correlatas ao cargo.

    Assistente Social CAPS Investigar e dar parecer s condies psico-socioeconmica dos pacientes; Efetuar triagem social; Aplicar entrevistas individuais; Promover reunies com objetivos de acompanhar a recuperao do paciente; Providenciar a localizao dos parentes de pacientes internado; Conscientizar os familiares de pacientes internados, quanto recuperao do estado de sade do mesmo, procurando confortar e/ou faz-los entender para que possam melhor conviver e/ou adaptar-se s circunstncias; Desenvolver atividades socioculturais visando sua integrao na sociedade; Dar assistncia, com a finalidade de promover a socializao dos pacientes; Prestar orientaes quanto assistncia que os portadores de deficincia mental precisam ter na famlia, na escola e na sociedade; Fazer visita domiciliar quando necessrio; Executar outras tarefas correlatas ao cargo e obedecer ao Cdigo de tica da Profisso.

    Psiclogo CAPS Estudar, pesquisar e avaliar o desenvolvimento emocional e os processos mentais e sociais de indivduos, grupos e instituies, com a finalidade de anlise, tratamento, orientao e educao; Diagnosticar e avaliar distrbios emocionais e mentais e de adaptao social, elucidando conflitos e questes, acompanhando o(s) paciente(s) durante o processo de tratamento ou cura; Investigar os fatores inconscientes do comportamento individual e grupal, tornando-os conscientes; Coordenar equipes e atividades de rea e afins; Executar outras tarefas correlatas ao cargo e corresponder ao Cdigo de tica da Profisso.

    Pedagogo CAPS Realizar atividades fsicas ou artsticas, com o objetivo de favorecer a integrao social e devolver ao paciente autonomia e condies possveis para lidar com a sua realidade; Buscar recuperar a funo humana, elevar o perfil das aes motoras e mentais e reabilitar atravs das atividades (oficinas); Trabalhar com dficits fsicos, mentais (transtornos psquicos e cognitivos), sociais e com tudo que discute ou ameace a funcionalidade do homem, para que este no seja excludo da sociedade; Realizar visitas domiciliares quando necessrio; Coordenar programas de ao social junto aos usurios e a famlia; Executar outras tarefas correlatas ao cargo e obedecer ao Cdigo de tica da Profisso.

    Educador Fsico CAPS Participar de planejamento e realizar atividades teraputicas, culturais e recreativas com os pacientes; Ajudar na recreao aerbica, de desenvolvimento espacial, lateralidade; Promover atividades de integrao com a comunidade; Participar de grupos de estudos com a equipe multiprofissional para aprimoramento do trabalho; Dar orientaes individuais aos usurios e familiares; Executar outras tarefas correlatas ao cargo e obedecer ao Cdigo de tica da Profisso.

    Farmacutico CAPS Interagir sistematicamente com os demais profissionais da unidade de sade, articulando a integrao das aes de assistncia farmacutica com a equipe multiprofissional d CAPS; Auxiliar nas aes de educao em sade, realizando atividades em conjunto com os demais profissionais de sade; Promover o uso racional dos medicamentos por meio de aes educativas para a equipe multiprofissional e usurios, em nvel individual e coletivo; Divulgar e incentivar a notificao de ocorrncias referentes a Problemas Relacionados a Medicamentos (Reaes Adversas e Queixas Tcnicas) e encaminh-las s instncias competentes; Atender e supervisionar o cumprimento das Boas Prticas de Recebimento e de Armazenamento de Medicamentos, de modo a manter a qualidade e eficcia dos mesmos; Realizar e supervisionar o controle de temperatura dos medicamentos termolbeis; Desenvolver trabalho de orientao ao usurio com relao importncia da adeso ao tratamento farmacolgico, enfatizando aspectos como posologias, precaues, contra-indicaes e reaes adversas; Executar outras tarefas correlatas ao cargo e obedecer ao Cdigo de tica da Profisso.

    Cozinheiro CAPS Exercer atividade na rea de cozinha envolvendo preparo de refeies e alimentos, separao, controle e estoque de ingredientes e o atendimento das exigncias do cardpio e manter o padro de qualidade do servio; Executar outras tarefas correlatas ao cargo.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    Monitor CAPS Desenvolver aes das oficinas teraputicas e produtivas do CAPS Centro de Ateno Psicossocial, assim como desenvolver atividades artesanais; Trabalhar em conjunto com a equipe tcnica para desenvolver com os usurios, as atividades teraputicas necessrias para a organizao, criatividade e socializao dos mesmos, no sentido de desenvolver hbitos, atitudes e comportamentos condizentes com o ambiente da oficina teraputica de trabalho; Desenvolver projetos de trabalho de acordo com o nvel de percepo e habilidade dos usurios; Indicar e solicitar o material necessrio ao desempenho de sua funo; Possibilitar o aparecimento do sujeito atravs da escuta, fala do usurio, constituindo assim um processo teraputico; Possibilitar o ato criativo; Participar das reunies tcnicas, administrativas e clnicas; Executar outras tarefas compatveis com a natureza do cargo.

    Tcnico de Enfermagem CAPS

    Identificar as necessidades em enfermagem a serem realizadas; Administrao de medicamentos dos usurios;Fazer curativos, aplicar injees; Realizar busca ativa dos usurios; Realizar visita domiciliar; Executar oficinas teraputicas; Preservar e recuperar a sade dos usurios; Organizar o ambiente de trabalho, d continuidade aos plantes; Trabalhar em conformidade s boas prticas, normas e procedimentos de biossegurana; Realizar registros e elabora relatrios tcnicos; Comunicar-se com pacientes, familiares e com a equipe de sade; Executar outras tarefas correlatas ao cargo e obedecer ao Cdigo de tica da Profisso.

    Agente Administrativo CAPS

    Executar servios datilogrficos/digitao; Receber e emitir documentos; Classificar o arquivo de documentos; Solicitar manuteno de mquinas e equipamentos; Receber e encaminhar pessoal aos setores competentes; Registrar e protocolar documentos, dando andamento aos processos; Secretariar a chefia, dando apoio logstico ao mesmo; Organizar agenda de compromissos e atendimentos ao pblico efetuados pela sua Chefia; Contatar com os demais Agentes Administrativos das outras Secretarias, visando o bom andamento e desenvolvimento das suas tarefas; Executar outras tarefas correlatas ao cargo.

    Recepcionista CAPS Atender o visitante ou paciente, indagando suas pretenses, para inform-lo conforme seus pedidos; Atender chamadas telefnicas, manipulando telefones internos ou externos, para prestar informaes e anotar recados; Registrar as visitas e os telefonemas atendidos; Preenchimento e marcao de consultas, entrevistas em formulrios e fichas prprias e especficas; Organizar a triagem dos que buscam o atendimento; Facilitar a localizao e possibilitar o acompanhamento dos servios por parte dos atendidos; Manter em ordem todo o servio de forma organizada e de fcil uso; Manter cordialidade, bom trato dos arquivos de documentos e outros; Emitir encaminhamentos devidamente autorizados; Executar outras atividades correlatas ao cargo.

    Auxiliar de Servios Gerais CAPS

    Carregar e descarregar com carro de transporte ou manualmente materiais, ferramentas, etc., conforme determinao da chefia; Ajudar no preparo da alimentao escolar; Auxiliar operadores de mquinas e equipamentos; Limpar as dependncias do ambiente de trabalho, lavando, varrendo, removendo lixos e detritos, utilizando-se de baldes, vassouras, escovas, detergentes e outros produtos de limpeza; Verificar necessidades de reparos no local de trabalho, comunicando chefia para solicitar o conserto e /ou manuteno; Transportar equipamentos; Efetuar a limpeza de equipamentos; Executar outras tarefas correlatas ao cargo.

    Orientador Social - SCFV Facilitar o processo de integrao do(s) coletivo(s) sob sua responsabilidade; Desenvolver contedos e atividades que lhe so atribudos no Traado Metodolgico do Servio de Convivncia e Fortalecimento de Vnculos e do PAIF; Realizar planejamento juntamente com a equipe de referncia do CRAS de todas as aes a serem desenvolvidas; Participar de atividades com as famlias, bem como auxiliar em seu acompanhamento; Participar de atividades de capacitao continuada do CRAS; Executar outras atividades inerentes ao cargo.

    Facilitador de Oficina Artesanato Geral SCFV

    Planejar e executar oficinas; Orientar na esttica, composio de cores e texturas e no manuseio e conservao dos materiais; Orientar os alunos no processo de criao a partir de observaes da realidade, desenvolvendo conceitos com a prtica artstica; Visar qualidade do trabalho e desenvolvimento da criatividade e tcnicas diversas com materiais reciclveis; Promover a incluso de pessoas com deficincia; Avaliar e encaminhar mensalmente ao coordenador/equipe de referncia relatrio das atividades desenvolvidas; Participar de reunies, capacitaes, seminrios; Executar outras atividades inerentes ao

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    cargo. Facilitador de Oficina de Dana e Expresso Corporal SCFV

    Planejar e executar oficinas; Promover a incluso de pessoas com deficincia; Avaliar e encaminhar mensalmente ao coordenador/equipe de referncia relatrio das atividades desenvolvidas; Participar de reunies, capacitaes, seminrios; Ministrar aulas de dana e expresso corporal para grupos de adolescentes, adultos e idosos; Montar coreografias, organizar apresentaes; Liderar e orientar tcnica e artisticamente os alunos, com vistas ao melhor desempenho individual e do grupo; Executar outras atividades inerentes ao cargo.

    Facilitador de Oficina de Atividade Fsica, Lazer e Recreao SCFV

    Planejar e executar oficinas; Promover a incluso de pessoas com deficincia; Avaliar e encaminhar mensalmente ao coordenador/equipe de referncia relatrio das atividades desenvolvidas; Participar de reunies, capacitaes, seminrios; Desenvolver coletivamente atividades fsicas; Estimular e desenvolver o potencial criativo de crianas, adolescentes, adultos e idosos, aplicando tcnicas esportivas e recreativas; Auxiliar a criana a desenvolver a coordenao motora; Orientar as crianas no que se refere higiene pessoal; Planejar, executar e avaliar o acompanhamento fsico das crianas, adolescentes, adultos e idosos atendidos; Executar outras atividades inerentes ao cargo.

    Facilitador de Oficina de Leitura e Brinquedoteca SCFV

    Planejar e executar oficinas; Promover a incluso de pessoas com deficincia; Avaliar e encaminhar mensalmente ao coordenador/equipe de referncia relatrio das atividades desenvolvidas; Participar de reunies, capacitaes, seminrios; Ministrar aulas tericas e atividades prticas, ldicas que exercitem e instiguem a experimentao e/ou a reflexo acerca dos contedos de literatura; Incentivar leitura, criao literria, cultura popular, msica, contos de fadas, cinema, meio ambiente, quadrinhos, artes visuais, memria, brinquedos e jogos diversos; Organizar, coordenar e executar oficinas de Teatro, desenvolvendo o potencial interpretativo dos alunos; Interpretar textos teatrais e literrios; Executar outras atividades inerentes ao cargo.

    Facilitador de Oficina de Beleza em Geral - SCFV

    Lavar e Cortar cabelos, fazer penteados e permanentes, frisar e desfrisar, pintar, fazer madeixas e nuances, aplicar tratamentos e descolorar cabelos; Aconselhar pessoas sobre o estilo de penteado que mais o favorece e recomendar produtos para tratamentos capilares; Fazer clnicas de revitalizao etc.; Aplicar procedimentos estticos e teraputicos; Avaliar as disfunes fisiolgicas, sistmicas e inestticas dos pacientes; Recomendar o uso de cosmticos, cosmecuticos e leos essenciais visando sade e o bem-estar das pessoas.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    ANEXO III

    CONTEDOS PROGRAMTICOS NVEL FUNDAMENTAL - CARGOS: Cozinheiro CAPS, Cozinheiro SAMU e Cozinheiro Sec. de Sade; Motorista D, Operador de Mquinas; Eletricista; Coveiro; Pedreiro; Agente de Limpeza Urbana; Auxiliar de Servios GeraisASG; Vigilante. Conhecimentos Gerais: O municpio de Bom Sucesso (histria, fatos e pessoas); O Estado da Paraba (histria, fatos e pessoas); O Brasil aps 1964 e temas da atualidade nacional e internacional. Portugus: Leitura e Interpretao de Texto; Ortografia; Acentuao grfica; Encontros voclicos e consonantais, Dgrafos; Diviso silbica; Adjetivo; Artigo; Verbo: tempo, nmero, pessoa e conjugao. Sinnimos e Antnimos; Pontuao; Classificao e flexo de substantivos e adjetivos em gnero, nmero e grau. Matemtica: Noes de conjuntos; Nmeros inteiros; Operaes fundamentais; Problemas envolvendo as operaes fundamentais; Medidas de comprimento; Relaes de espao e tempo; Noes de tamanho, distncia, posio e forma; Noes de peso. Especfico Motorista: D: Cdigo de Trnsito Brasileiro Regras Gerais de Circulao: Normas Gerais de Circulao e Conduta; Regra de Preferncia; Converses; Dos Pedestres e Condutores no Motorizados; Classificao das Vias; Legislao de Trnsito: Dos Veculos; Registro, Licenciamento e Dimenses; Classificao dos Veculos; Dos equipamentos obrigatrios; Da Conduo de Escolares; Dos Documentos de Porte Obrigatrio; Da Habilitao; Das Penalidades; Medidas e Processo Administrativo; Das Infraes; Sinalizao de Trnsito: A Sinalizao de Trnsito; Gestos e Sinais Sonoros; Conjunto de Sinais de Regulamentao; Conjunto de Sinais de Advertncia; Placas de Indicao; Direo Defensiva: Direo Preventiva e Corretiva; Automatismos; Conduo Insegura e Fundamentos da Preveno de Acidentes; Leis da Fsica; Aquaplanagem; Tipos de Acidentes; Primeiros Socorros: Como socorrer; ABC da Reanimao; Hemorragias; Estado de Choque; Fraturas e Transporte de Acidentados; Meio Ambiente: Meio Ambiente; Noes de Mecnica: O Motor; Sistema de Transmisso e Suspenso; Sistema de Direo e Freios; Sistema Eltrico, Pneus e Chassi. Conhecimentos Gerais do Veculo: Conhecimentos Prticos de Operao e Manuteno do veculo; Procedimentos de Segurana; Funcionamento Bsico dos Motores; Sistema de Lubrificao; Arrefecimento; Transmisso; Suspenso; Direo; Freios; Pneus; Painel de instrumentos; Sistema Eltrico. NVEL MDIO - CARGOS: Agente Comunitrio de Sade; Fiscal de Tributos; Msico; Monitor do CAPS; Agente Administrativo; Recepcionista; Orientador Social; Facilitador de Oficina Artesanato Geral; Facilitador de Oficina de Dana e Expresso Corporal; Facilitador de Oficina de Beleza em geral. Conhecimentos Gerais: O municpio de Bom Sucesso (histria, fatos e pessoas); O Estado da Paraba (histria, fatos e pessoas); O Brasil aps 1964 e temas da atualidade nacional e internacional. Portugus: Fonologia: acentuao grfica e ortografia; morfologia: estrutura e formao das palavras; classes gramaticais variveis e invariveis; sintaxe: termos da orao; oraes coordenadas e subordinadas; regncia e crase; pontuao; semntica e estilstica: sinonmia e antonmia; hiponmia e hiperonmia; polissemia; ambigidade; figuras de linguagem; texto e discurso: tipos de gneros textuais; coeso e coerncia textual; funes da linguagem; anlise e interpretao textual. Matemtica: Nmeros e operaes: (Problemas envolvendo os nmeros naturais, inteiros, racionais, irracionais e reais; Problemas envolvendo MMC e MDC; Problemas envolvendo porcentagem; Relaes entre grandeza diretas e inversas; Razo e proporo; Regra de trs simples e composta; Juros simples; Principio multiplicativo e noes de probabilidade); lgebra: (Problemas envolvendo equaes do 1 e 2 graus; Resoluo de problemas envolvendo do 1 e 2 grau; Problemas envolvendo sistemas de equaes do 1 e 2 grau); Leitura da Informao (leitura e interpretao de grficos e tabelas; Medidas de tendncias central: mdia, moda e mediana). Especfico Agente Comunitrio de Sade: Organizao dos servios de sade no Brasil: Sistema nico de Sade princpios e diretrizes, controle social; Indicadores de sade. Sistema de notificao e de vigilncia epidemiolgica e sanitria; Endemias/epidemias: situao atual, medidas e controle de tratamento. tica Profissional. Campanhas relacionadas ao combate s endemias; Sade da Mulher; Sade da Criana; Sade do Adulto; Sade do Idoso; Doenas sexualmente transmissveis; O trabalho do Agente Comunitrio de Sade e o Programa de Sade da Famlia. Trabalho de preveno, vacinas. Processo sade-doena e seus determinantes/condicionantes; Visita domiciliar; Conhecimentos geogrficos da rea/regio/municpio de atuao; Cadastramento familiar e territorial: finalidade e instrumentos;

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    Interpretao demogrfica; Conceito de territorializao, micro-rea e rea de abrangncia; Indicadores epidemiolgicos; Tcnicas de levantamento das condies de vida e de sade/doenas da populao; Critrios operacionais para definio de propriedades: indicadores socioeconmicos, culturais e epidemiolgicos; Conceitos de eficcia, eficincia e efetividade em sade coletiva; Estratgia de avaliao em sade: conceitos, tipos, instrumentos e tcnicas; Conceitos e critrios de qualidade da ateno sade: acessibilidade, humanizao do cuidado, satisfao do usurio e do trabalhador, equidade, outros; Sistema de informao em sade; Condies de risco social: violncia, desemprego, infncia desprotegida, processos migratrios, analfabetismo, ausncia ou insuficincia de infra- estrutura bsica, outros; Promoo da sade: conceitos e estratgias; Principais problemas de sade da populao e recursos existentes para o enfrentamento dos problemas; Sade da criana, do adolescente, do adulto e do idoso; Especfico Agente Administrativo: Informtica Bsica NVEL TCNICO: Tcnico de Enfermagem e Tcnico em Radiologia Conhecimentos Gerais: O municpio de Bom Sucesso (histria, fatos e pessoas); O Estado da Paraba (histria, fatos e pessoas); O Brasil aps 1964 e temas da atualidade nacional e internacional. Portugus: Fonologia: acentuao grfica e ortografia; morfologia: estrutura e formao das palavras; classes gramaticais variveis e invariveis; sintaxe: termos da orao; oraes coordenadas e subordinadas; regncia e crase; pontuao; semntica e estilstica: sinonmia e antonmia; hiponmia e hiperonmia; polissemia; ambigidade; figuras de linguagem; texto e discurso: tipos de gneros textuais; coeso e coerncia textual; funes da linguagem; anlise e interpretao textual. Matemtica: Nmeros e operaes: (Problemas envolvendo os nmeros naturais, inteiros, racionais, irracionais e reais; Problemas envolvendo MMC e MDC; Problemas envolvendo porcentagem; Relaes entre grandeza diretas e inversas; Razo e proporo; Regra de trs simples e composta; Juros simples; Principio multiplicativo e noes de probabilidade); lgebra: (Problemas envolvendo equaes do 1 e 2 graus; Resoluo de problemas envolvendo do 1 e 2 grau; Problemas envolvendo sistemas de equaes do 1 e 2 grau); Leitura da Informao (leitura e interpretao de grficos e tabelas; Medidas de tendncias central: mdia, moda e mediana). Especfica Tcnico de Enfermagem: Organizao dos servios de sade no Brasil: Sistema nico de Sade princpios e diretrizes, controle social; Indicadores de sade. Sistema de notificao e de vigilncia epidemiolgica e sanitria; Endemias/epidemias: situao atual, medidas e controle de tratamento. tica Profissional. Noes gerais de anatomia e fisiologia humanas. Noes de histologia dos tecidos. Epitelial: de revestimento e glandular. Muscular: liso e estriado. Nervoso. Conjuntivo: substncia fundamental, fibras colgenas, fibras elsticas, fibras reticulares, tecido adiposo, tecido cartilaginoso, tecido e sistema retculo endotelial. Anatomia macroscpica: registro, descrio, cortes, acondicionamento. Procedimentos tcnicos de enfermagem. Enfermagem na administrao de medicamentos. Tcnicas bsicas de enfermagem. Assistncia de enfermagem em sade mental. Biossegurana nas Aes de Sade. Conceitos e princpios de assepsia, antissepsia, desinfeco, descontaminao e esterilizao. Atendimento de emergncia e primeiros socorros. Programas de Sade: pr-natal, puericultura, imunizao, hipertenso, diabetes, tuberculose, hansenase, clera, hepatite, dengue, meningite e leptospirose, DST/AIDS, adolescentes, preveno de cncer crvico uterino e planejamento familiar. Especfica Tcnico de Enfermagem SAMU: Noes gerais de anatomia e fisiologia humanas. Noes de histologia dos tecidos. Epitelial: de revestimento e glandular. Muscular: liso e estriado. Nervoso. Conjuntivo: substncia fundamental, fibras colgenas, fibras elsticas, fibras reticulares, tecido adiposo, tecido cartilaginoso, tecido e sistema retculo endotelial. Anatomia macroscpica: registro, descrio, cortes, acondicionamento. Procedimentos tcnicos de enfermagem. Enfermagem na administrao de medicamentos. Biossegurana nas Aes de Sade. tica Profissional. Conceitos e princpios de assepsia, antissepsia, desinfeco, descontaminao e esterilizao. Atendimento de emergncia e primeiros socorros. Diretrizes para a aferio dos Sinais vitais. Oxigenao. Atendimento pr-hospitalar mvel. Equipamentos para o atendimento pr - hospitalar. Humanizao e tica. Gravidez e parto emergncias obsttricas. Acidentes com animais peonhentos. Estado de choque. Administrao de crises. Queimaduras. Acidentes residenciais. Traumatismos. Biossegurana Especfica Tcnico em Radiologia: Energia eletromagntica ( Radiao ionizante). O equipamento de raios X. Filme radiogrfico. Tcnica radiogrfica. Qualidade da imagem. Artefatos de imagem. Controle de qualidade. Proteo radiolgica. Posicionamentos da regio do crnio. Posicionamentos das colunas Posicionamentos do trax Posicionamentos do abdome. Posicionamentos da cintura plvica. Posicionamentos do fmur. Posicionamentos do joelho. Posicionamentos da perna. Posicionamentos do tornozelo e calcneo. Posicionamentos do p, ante p e pododctilos. Posicionamentos do ombro, cintura escapular e escpula. Posicionamentos do mero. Posicionamentos do cotovelo. Posicionamentos do antebrao. Posicionamentos dos punhos, mo e dedos. tica profissional. Biossegurana.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    NVEL SUPERIOR: Educador Fsico, Pedagogo, Mdico Plantonista; Mdico PSF 1 e 2; Odontlogo; Nutricionista; Fisioterapeuta; Enfermeiro; Bioqumico; Mdico Psiquiatra; Farmacutico; Psicologo ; Assistente Social; Engenheiro Civil; Facilitador de Oficina de Atividade Fsica, Laser ; Recreao e Facilitador de Oficina de Leitura e Brinquedoteca. Portugus: Fonologia: acentuao grfica e ortografia; morfologia: estrutura e formao das palavras; classes gramaticais variveis e invariveis; sintaxe: termos da orao; oraes coordenadas e subordinadas; regncia e crase; pontuao; semntica e estilstica: sinonmia e antonmia; hiponmia e hiperonmia; polissemia; ambigidade; figuras de linguagem; texto e discurso: tipos de gneros textuais; coeso e coerncia textual; funes da linguagem; anlise e interpretao textual. Especfico Educador Fsico: Educao Fsica e seu ensino: historicidade da Educao Fsica; metodologias do ensino da Educao Fsica; corpo e cultura; jogos, brincadeiras e brinquedos; esporte e sociedade; princpios e procedimentos metodolgicos das prticas corporais. Anatomia, Cinesiologia, Primeiros Socorros, Fisiologia do Exerccio. Psicologia da Educao e do Esporte, Aprendizagem Motora, Desenvolvimento Motor, Metodologia do Ensino da Educao Fsica. Atividades Recreativas, Ginstica Atividades Escolares, Ritmo e dana. Regras, Fundamentos, e tcnicas de ensino do Voleibol, Basquete, Handebol, Futebol. Atletismo Fundamentos e tcnicas de Ensino. Identidade, Cultura e Cidadania. Educao Fsica Especial. Educao Fsica, incluso social e tica: desafios e perspectivas. Estrutura e funcionamento da Educao Bsica. Motricidade humana: aquisio de habilidades fsicas, psicolgicas e sociais. Definio de atividade fsica e condicionamento fsico. Prescrio de exerccio (American College of Sports Medicine (ACSM). Nutrio e performance. Atividades fsicas e doena (doena cardaca, cncer, diabetes, obesidade, envelhecimento, osteoporose e artrite). Riscos do exerccio. Diretrizes da American College of Obstetricians and Gynecologists (ACOG). Recursos Ergognicos na preparao fsica na preparao fsica. A qualidade de vida do idoso: O papel mediador da atividade fsica e desportiva. Diretrizes do Sistema nico de Sade. Desporte: Lazer e qualidade de vida. Preparao profissional em educao fsica e desportos: Novas competncias profissionais. Formao profissional em esporte: A complexidade e a performance humana. Especfico Pedagogo: A formao social da mente L. S. VIGOTSKY; A natureza do trabalho pedaggico (fundamentao filosfica, poltica e educacional); As contribuies de Piaget, Vygotsky, Freud e Paulo Freire educao; Declarao Universal dos Direitos Humanos; ECA (Estatuto da criana e do adolescente); Estatuto do idoso; Educao Inclusiva e seus contextos sociais Peter Mittler; Lei de Diretrizes e Base da Educao LDB 9.394/96; Poltica de sade no Brasil: a reforma sanitria e a construo do sistema nico de sade; Psicologia gentica: estudo do desenvolvimento das estruturas cognitivas da criana e do adolescente e suas implicaes didtico-pedaggicas. Especfico Mdico Plantonista: Organizao dos servios de sade no Brasil: Sistema nico de Sade princpios e diretrizes, controle social; Indicadores de sade. Sistema de notificao e de vigilncia epidemiolgica e sanitria; Endemias/epidemias: situao atual, medidas e controle de tratamento. tica Profissional. Condutas de ateno primria baseadas em evidncias. Antibioticoterapia. Anemias. Hipertenso arterial. Diabetes. Parasitoses intestinais. Esquistossomose. Cefaleias. Febre de origem indeterminada. Diarreias. lcera pptica. Hepatite. Hipertireoidismo e Hipotireoidismo. Insuficincia cardaca. Alcoolismo. Doenas sexualmente transmissveis. Cardiopatia isqumica. Arritmias cardacas. Doena pulmonar obstrutiva crnica. Dor torcica, dor lombar. Ansiedade. Asma brnquica. Pneumonias. Tuberculose. Hansenase. Leishmaniose. Infeco Urinria. Enfermidades bucais. Epilepsia. Febre reumtica. Artrites. Acidentes por animais peonhentos. Micoses superficiais. Obesidade. Dislipidemias. Especfico Mdico PSF 1 e PSF 2: Organizao dos servios de sade no Brasil: Sistema nico de Sade princpios e diretrizes, controle social; Indicadores de sade. Sistema de notificao e de vigilncia epidemiolgica e sanitria; Endemias/epidemias: situao atual, medidas e controle de tratamento. Estratgia de sade da famlia ESF. tica Profissional. Condutas de ateno primria baseadas em evidncias. Antibioticoterapia. Anemias. Hipertenso arterial. Diabetes. Parasitoses intestinais. Esquistossomose. Cefaleias. Febre de origem indeterminada. Diarreias. lcera pptica. Hepatite. Hipertireoidismo e Hipotireoidismo. Insuficincia cardaca. Alcoolismo. Doenas sexualmente transmissveis. Cardiopatia isqumica. Arritmias cardacas. Doena pulmonar obstrutiva crnica. Dor torcica, dor lombar. Ansiedade. Asma brnquica. Pneumonias. Tuberculose. Hansenase. Leishmaniose. Infeco Urinria. Enfermidades bucais. Epilepsia. Febre reumtica. Artrites. Acidentes por animais peonhentos. Micoses superficiais. Obesidade. Dislipidemias. Especfico Odontlogo: Organizao dos servios de sade no Brasil: Sistema nico de Sade princpios e diretrizes, controle social; Indicadores de sade. Sistema de notificao e de vigilncia epidemiolgica e sanitria; Endemias/epidemias: situao atual, medidas e controle de tratamento. Anatomia dos tecidos periodontais. O rebordo alveolar edntulo. O tecido sseo. Osseointegrao. Patologia periodontal: leses inflamatrias gengivais no induzidas por placa bacteriana, doenas gengivais induzidas pela placa, periodontite crnica, periodontite agressiva, doena periodontal necrosante, doena periodontal como risco para doena sistmica, abscesso periodontal, leses de origem

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    endodntica. Halitose: Conceito, epidemiologia, caracterstica do odor, patognese da halitose intra-oral, diagnostico, tratamento. Cncer bucal: Conceito, etiologia, fatores de risco, prevalncia, epidemiologia, exames clnicos, diagnstico, tratamento. Cdigo de tica odontolgica Conselho Regional de Odontologia. Abertura Coronria e Acesso Radicular: Processo de formao da cavidade pulpar, caractersticas gerais da cavidade pulpar, Acesso propriamente dito, configuraes mais comuns. Preparo do sistema de Canais radiculares: conceituao dos princpios, Acesso Radicular, explorao e esvaziamento do sistema de canais radiculares, determinao do comprimento de trabalho, pontos de referncia, mtodos para determinar o comprimento de trabalho. Medicao intracanal. Articulao temporomandibular: Anatomia e disfunes. O traumatismo dental e as repercusses endodntico. Adequao do meio bucal: definio, interrupo da cadeia de infeco por microrganismos cariognicos, aquisio da microbiota bucal pelo recm nascido, biofilme dental, controle mecnico do biofilme dental, medidas mecnicas de higiene bucal. Diagnostico de leses de crie: superfcie lisa livre, superfcie proximal, superfcie oclusal. Anomalias dentrias: Anomalia de nmeros, anomalia de estruturas, anomalias hipoplasiantes, anomalias de formas. Traumatismo em dentes permanentes de crianas e adolescentes: classificao das leses dentrias, exames clnicos e diagnostico dos traumatismos dentais, diagnostico e plano de tratamento, tratamento de fraturas coronrias em exposio pulpar, fraturas corono-radicular, fratura radicular, leses por luxaes. Especfico Nutricionista: Organizao dos servios de sade no Brasil: Sistema nico de Sade princpios e diretrizes, controle social; Indicadores de sade. Sistema de notificao e de vigilncia epidemiolgica e sanitria; Endemias/epidemias: situao atual, medidas e controle de tratamento. tica Profissional. Digesto, absoro e metabolismo dos nutrientes: carboidratos, lipdios e protenas. Nutrio normal: definio, leis da alimentao; requerimentos, recomendaes de nutrientes e planejamento diettico para lactente, pr-escolar, escolar, adolescente, adulto, idoso, gestante, nutriz. Diagnsticos antropomtricos: indicadores e padres de referencia; vantagens, desvantagens e interpretao. Dietoterapia nas enfermidades do sistema cardiovascular. Dietoterapia nos distrbios metablicos: obesidade; diabete melito; dislipidemias. Carncias nutricionais: desnutrio energtico-protica e anemias nutricionais. Dietoterapia das doenas renais. Terapia nutricional enteral. Tcnica Diettica introduo tcnica diettica alimento: classificao, princpios nutritivos seleo, preparo planejamento de cardpios, condies sanitrias, higinicas e mtodos de conservao. Critrios para seleo e aquisio de alimentos. Nutrio em sade pblica: programas educativos fatores determinantes do estado nutricional de uma populao e carncias nutricionais. Avaliao nutricional epidemiologia da desnutrio protico calrica. tica profissional. Anvisa: Portaria 272 de 08/04/1998; Resoluo RDC no 63 de 06/07/2000; Portaria no 131 de 08/03/2005; Portaria no 135 de 08/03/2005. Interao entre medicamentos e nutrientes. Biossegurana. Especfico Fisioterapeuta: Fisioterapia: conceito, avaliao, recursos, objetivos. Reabilitao: conceito, objetivos tcnicos e sociais. Trabalho Interdisciplinar em Sade, Fisioterapia nos processos incapacitantes no trabalho, nas doenas infectocontagiosas e crnico-degenerativas. Fisioterapia em: Traumatologia e Ortopedia, Neurologia, Pneumologia, Reumatologia, Queimados, Cardiologia e Angiologia, Ginecologia e Obstetrcia, Pediatria e Geriatria e em UTI Adulto e Infantil. Legislao do Sistema nico de Sade - SUS. tica Profissional. Organizao dos servios de sade no Brasil: Sistema nico de Sade princpios e diretrizes, controle social; Indicadores de sade. Sistema de notificao e de vigilncia epidemiolgica e sanitria; Endemias/epidemias: situao atual, medidas e controle de tratamento. Especfico Enfermeiro: Organizao dos servios de sade no Brasil: Sistema nico de Sade princpios e diretrizes, controle social; Indicadores de sade. Sistema de notificao e de vigilncia epidemiolgica e sanitria; Endemias/epidemias: situao atual, medidas e controle de tratamento. tica Profissional. Processo de Enfermagem e classificao. Implementao do diagnstico de enfermagem e o sistema de assistncia de enfermagem. O sistema de assistncia de enfermagem na diviso de enfermagem de paciente externo. O sistema de assistncia de enfermagem na diviso de enfermagem materno-infantil. Impacto da classificao de diagnstico de enfermagem na prtica clinica do enfermeiro. Prticas de enfermagem em sade comunitria. Fundamentos tericos da prtica de enfermagem. Cuidado na prtica de enfermagem. Cuidado s famlias. Diagnostico de enfermagem (NANDA-I). Planejamento do cuidado de enfermagem. Avaliao de enfermagem. Implementaes legais na prtica da enfermagem (Health Insurance Portability and Accountability Act (HIPAA). Preveno e controle de infeces. Diretrizes para a aferio dos Sinais vitais. Oxigenao. Portaria da Ateno bsica. Polticas pblicas de sade do idoso, da mulher, do homem e da criana. Sade mental. Conhecimentos sobre: Antibioticoterapia, anemias, hipertenso arterial, diabetes, parasitoses intestinais, esquistossomose. Cefaleias, febre de origem indeterminada, diarreias, lcera pptica, hepatite, hipertireoidismo e hipotireoidismo, insuficincia cardaca, alcoolismo, doenas sexualmente transmissveis, cardiopatia isqumica, arritmias cardacas, doena pulmonar obstrutiva crnica, dor torcica, dor lombar, ansiedade, asma brnquica, pneumonias, tuberculose, hansenase, leishmaniose, infeco urinria, enfermidades bucais, epilepsia, febre reumtica, artrites, acidentes por animais peonhentos, micoses superficiais, obesidade e dislipidemias. Especfico Enfermeiro SAMU: Organizao dos servios de sade no Brasil: Sistema nico de Sade princpios e diretrizes, controle social; Indicadores de sade. Sistema de notificao e de vigilncia epidemiolgica e sanitria; Endemias/epidemias: situao atual, medidas e controle de tratamento. tica Profissional. Processo de Enfermagem e

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    classificao. Implementao do diagnstico de enfermagem e o sistema de assistncia de enfermagem. O sistema de assistncia de enfermagem na diviso de enfermagem de paciente externo. O sistema de assistncia de enfermagem na diviso de enfermagem materno-infantil. Impacto da classificao de diagnstico de enfermagem na prtica clinica do enfermeiro. Fundamentos tericos da prtica de enfermagem. Cuidado na prtica de enfermagem. Cuidado s famlias. Diagnostico de enfermagem (NANDA-I). Planejamento do cuidado de enfermagem. Avaliao de enfermagem. Implementaes legais na prtica da enfermagem (Health Insurance Portability and Accountability Act (HIPAA). Preveno e controle de infeces. Diretrizes para a aferio dos Sinais vitais. Oxigenao. Portaria da Ateno bsica. Atendimento pr-hospitalar mvel. Equipamentos para o atendimento pr - hospitalar. Humanizao e tica. Anatomia e fisiologia do corpo humano. Gravidez e parto emergncias obsttricas. Acidentes com animais peonhentos. Estado de choque. Administrao de crises. Queimaduras. Acidentes residenciais. Urgncia/Emergncias Clnicas. Primeiros socorros e atendimento de enfermagem. Traumatismos. Biossegurana. Especfico Farmacutico Bioqumico: Farmacocintica e farmacodinmica: introduo farmacologia; noes de ensaios biolgicos; vias de administrao e formas farmacuticas; absoro, distribuio e eliminao de frmacos; biodisponibilidade e bioequivalncia de medicamentos; interao droga-receptor; interao de drogas; mecanismos moleculares de ao das drogas. Frmacos que agem no sistema nervoso autnomo e sistema nervoso perifrico: parassimpatomimticos; parassimpatolticos; simpatomimticos; simpatolticos; anestsicos locais; bloqueadores neuromusculares. Frmacos que agem no sistema nervoso central: hipnoanalgsicos; anestsicos gerais; tranquilizantes; estimulantes do SNC; anticonvulsivantes. Autacoides e antagonistas; anti-inflamatrios no esteroides; anti-inflamatrios esteroides. Mtodos de extrao e isolamento de produtos naturais. Desenvolvimento e validao de mtodos analticos. Ensaios farmacopeicos de controle de qualidade. Mtodos cromatogrficos e espectromtricos de anlises: fundamentos e aplicaes. Tcnicas modernas na investigao de produtos naturais: biotecnologia. Preparo, diluio e padronizao de solues. Farmcia hospitalar: estrutura organizacional. Estrutura administrativa. Conceito. Controle de infeco hospitalar. Controle de estoques de medicamentos e correlatos. Planejamento de estoque. Medicamentos controlados. Manipulao de formas farmacuticas magistrais e oficinais. Nanotecnologia farmacutica. Coleta, manipulao, preparo e transporte de sangue, urina e fluidos biolgicos. Anlises bioqumicas de sangue, urina e fluidos biolgicos; hematologia, hemostasia e imunohematologia; urianlise; bioqumica clnica; microbiologia clnica e parasitologia. Controle de qualidade e biossegurana em laboratrios de pesquisa, anlises clnicas e biologia molecular. Bromatologia: carboidratos, lipdeos, protena, fibra alimentar, minerais e vitaminas. Mtodos de conservao de alimentos. Mtodos e tcnicas de anlise de alimentos. Microorganismos de importncia em alimentos; fatores que influenciam no desenvolvimento de micro-organismos em alimentos. Farmacocintica e Farmacodinmica: introduo farmacologia; noes de ensaios biolgicos; vias de administrao e formas farmacuticas; absoro, distribuio e eliminao de frmacos; biodisponibilidade e bioequivalncia de medicamentos; interao droga-receptor; interao de drogas; mecanismos moleculares de ao das drogas. Frmacos que agem no sistema nervoso autnomo e sistema nervoso perifrico: parassimpatomimticos; parassimpatolticos; simpatomimticos; simpatolticos; anestsicos locais; bloqueadores neuromusculares. Frmacos que agem no sistema nervoso central: hipnoanalgsicos; anestsicos gerais; tranquilizantes; estimulantes do SNC; anticonvulsivantes. Mdico Psiquiatra: Sade Mental Comunitria: definio, diferenciao em relao psiquiatria convencional. Sade Mental no Brasil: recursos extra hospitalares e seus objetivos. Conhecimentos gerais dos transtornos psiquitricos a saber: Transtornos mentais e de comportamento decorrentes do uso de substncia psicoativa; Esquizofrenia e transtornos delirantes; Transtornos do humor; Transtornos alimentares; Transtornos neurticos, relacionados ao estresse e somatoformes; Transtornos mentais de comportamentos associados ao puerprio, no classificados em outros locais; Transtornos de personalidade e de comportamentos em adultos; Transtornos hipercinticos (infncia e adolescncia); Transtornos de conduta (infncia e adolescncia); Transtornos mistos de conduta e emoo (infncia e adolescncia). Psicofarmacologia: Drogas psicotrpicas. Principais sistemas Neurotransmissores. farmacologia do sono; drogas ansiolticas, neurolpticas, anticonvulsivantes, antidepressivos; estimulantes do sistema nervoso central tipo anfetaminas, drogas que alteram o processo de aprendizagem e memria; drogas que alteram o comportamento agressivo; drogas de abuso; efeitos do lcool. tica profissional. Especfico Farmacutico - CAPS: Gesto da Assistncia Farmacutica. Ciclo da Assistncia Farmacutica: seleo de medicamentos; programao de medicamentos; aquisio de medicamentos; armazenamento de medicamentos; distribuio de medicamentos; dispensao de medicamentos. Poltica Nacional de Medicamentos. Poltica de Assistncia Farmacutica no Sistema nico de Sade. Farmacotcnica. Formas farmacuticas slidas, lquidas, semisslidas e parenterais: conceito, importncia, aspectos biofarmacuticos, acondicionamento. Farmacologia e Farmacoterapia: farmacocintica; farmacologia do sistema nervoso central, autnomo e perifrico; farmacologia e farmacoterapia na hipertenso; farmacologia e farmacoterapia na sndrome metablica; anticoncepo hormonal; farmacologia e farmacoterapia no diabetes; farmacologia e farmacoterapia na tuberculose, hansenase, leishmaniose e Sndrome de Imunodeficincia Adquirida (AIDS); farmacologia e farmacoterapia nas doenas infecciosas agudas em ateno primria; farmacologia e farmacoterapia na asma; princpios da farmacoterapia no idoso; princpios da farmacoterapia na criana; reaes adversas a medicamentos;

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    interaes medicamentosas. Adeso terapia medicamentosa. Ateno farmacutica. Uso racional de medicamentos. tica farmacutica. Legislao sanitria: Regulamento de Medicamentos Genricos; Portaria n 344 de 12/05/1998, e suas atualizaes; Lei no 5.991 de 17/12/1973. Especfico Psiclogo - CAPS: Organizao dos servios de sade no Brasil: Sistema nico de Sade princpios e diretrizes, controle social; Indicadores de sade. Sistema de notificao e de vigilncia epidemiolgica e sanitria; Endemias/epidemias: situao atual, medidas e controle de tratamento. tica Profissional. Abordagem integrada da psicologia. Avaliao clnica e diagnstico. Abordagens alternativas de educao. Administrao de recursos humanos. Anlise funcional de classes especiais de comportamento problema. Anlise da doena mental do ponto de vista no institucional. Anlises de ocupaes e acompanhamento de avaliaes de desempenho pessoal. Equipes multiprofissionais. Testes, mtodos ou tcnicas de psicologia que podem ser aplicados ao trabalho. Assistncia sade mental. Atendimento e orientao rea educacional e organizacional de recursos humanos. Elaborao e aplicao de tcnicas psicolgicas, visando possibilitar a orientao e diagnstico clnico. Atendimento comunidade e aos casos encaminhados. Desenvolvimento psquico, motor e social do indivduo, em relao sua integrao famlia e sociedade. Atendimento ao dependente qumico. Tcnicas de terapia de grupo, visando soluo dos problemas. Aspectos tericos e prticos da Psicologia Escolar. Atuao do psiclogo em equipe multidisciplinar. Cognio humana com aspecto de processamento da informao. Doena mental sob enfoque psicolgico. Diagnstico e tratamento: transtorno de ansiedade, transtornos dissociativos, transtorno de humor e suicdio, transtornos alimentares e do sono, Distrbios fsicos e psicologia da sade, transtorno da identidade sexual e de gnero, transtorno da personalidade, esquizofrenia e outros transtornos psicticos, transtorno cognitivos Vertentes da Psicologia da Aprendizagem. Aspectos tericos e prticos da Abordagem Psicanaltica. Famlia (Noes bsicas, psicodinmica, tratamentos). Fundamentos de psicopatologia. Sade pblica. Psicofarmacologia: Drogas psicotrpicas; Principais sistemas Neurotransmissores; farmacologia do sono; drogas ansiolticas, neurolpticas, anticonvulsivantes, antidepressivos; estimulantes do sistema nervoso central tipo anfetaminas, drogas que alteram o processo de aprendizagem e memria; drogas que alteram o comportamento agressivo; drogas de abuso; efeitos do lcool. Especfico Assistente Social - CAPS: Polticas Sociais (Legislao Especfica), Poltica Nacional do Idoso, Sistema nico de Sade, Previdncia Social, SUS, SUAS, ECA, LOAS, Relaes sociais x Servio Social; Reconceituao do Servio Social; Movimentos sociais; Servio Social e Comunidade; Instrumentalidade do Servio Social; Cdigo de tica do Servio Social; A Questo Social; Objeto do Servio Social (perspectiva histrica); Participao Social. Especfico Engenheiro Civil: Legislao profissional Noes de direito e cidadania. Aspectos jurdicos para a formao do engenheiro. Organizao do sistema CONFEA/CREA e suas leis. Deveres e direitos dos profissionais. Cdigo de tica profissional. Mercado de trabalho. Noes de avaliao e percias. Materiais de construo civil aglomerantes, agregados, pastas e argamassas, concretos hidrulicos, materiais metlicos, cermicos e betuminosos, pedras naturais, madeiras, tintas, vernizes e vidros. Tcnicas de construo civil elementos referentes a edificao, movimento de terra, mquinas, equipamentos, canteiro de obras, tcnicas de fundaes, tecnologia dos elementos de vedao, tipos de coberturas, estruturao do edifcio, revestimentos, pisos, pinturas, racionalizao e tecnologia das construes, memorial descritivo, oramentos, cronograma fsico-financeiro, higiene e segurana do trabalho (NR-18). 4. Instalaes prediais instalaes prediais de gua fria e quente, instalaes de esgotos e de guas pluviais, tratamentos individuais de esgotos domsticos, instalaes eltricas, instalaes de gs, instalaes contra-incndio. Projetos de engenharia civil conceituao de arquitetura e de espao edificado, tipologia e funo do edifcio, edificaes uni e plurifamiliares, comerciais e industriais. Projetos estruturais caracterizao estrutural de um edifcio, plantas de formas e ferragens, cargas, esforos internos, concreto armado, materiais componentes, dimensionamento de pilares, vigas e lajes, desenvolvimento do projeto estrutural. Fundaes propagao e distribuio de presses no solo, fundaes diretas, fundaes profundas, reconhecimento do subsolo, sondagens e escolha do tipo de fundaes. Topografia planimetria, altimetria, planialtimetria-cadastral, desenvolvimento de projetos de loteamento. Transportes estudo do trnsito, contagens volumtricas, pesquisa de origem e destino, planejamento de transportes, estimativa de trnsito futuro, volume de projeto, determinao do nmero N, capacidade e nveis de servios das vias, dimensionamento e coordenao de semforos, sinalizao de segurana em vias, estudos de acidentes, projeto geomtrico rodovias e vias urbanas, terraplanagem, clculo de volumes e distncias de transportes, laboratrio de solos e pavimentao, custos rodovirios, estudo da base de clculo e elementos intervenientes, drenagem estudo dos sistemas de drenagem profunda e superficial, anlise dos elementos componentes e seu funcionamento, pavimentao, funcionamento dos sistemas de pavimentao flexvel, articulados e rgidos, dimensionamento do pavimento. Urbanismo funes urbanas, estruturas e morfologia urbana, utilizao dos espaos urbanos, planejamento e gerenciamento de obras urbanas, infraestrutura, equipamentos e servios urbanos, legislao urbana, plano diretor, plano municipal de desenvolvimento estatuto da cidade. Informtica conhecimento especfico de AutoCad, Excel, Word e outros programas necessrios para organizar e disponibilizar arquivos digitais dos projetos. Especfico Facilitador de Oficina de Leitura e Brinquedoteca: A formao social da mente L. S. VIGOTSKY; A natureza do trabalho pedaggico (fundamentao filosfica, poltica e educacional); As contribuies de Piaget, Vygotsky, Freud e Paulo Freire educao; Declarao Universal dos Direitos Humanos; ECA (Estatuto da criana e do adolescente); Estatuto do idoso; Educao Inclusiva e seus contextos sociais Peter Mittler; Lei de Diretrizes e Base da Educao LDB

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    9.394/96; Poltica de sade no Brasil: a reforma sanitria e a construo do sistema nico de sade; Psicologia gentica: estudo do desenvolvimento das estruturas cognitivas da criana e do adolescente e suas implicaes didtico-pedaggicas. Especfico Facilitador de Atividade Fsica, Laser e Recreao: Educao Fsica e seu ensino: historicidade da Educao Fsica; metodologias do ensino da Educao Fsica; corpo e cultura; jogos, brincadeiras e brinquedos; esporte e sociedade; princpios e procedimentos metodolgicos das prticas corporais. Anatomia, Cinesiologia, Primeiros Socorros, Fisiologia do Exerccio. Psicologia da Educao e do Esporte, Aprendizagem Motora, Desenvolvimento Motor, Metodologia do Ensino da Educao Fsica. Atividades Recreativas, Ginstica Atividades Escolares, Ritmo e dana. Regras, Fundamentos, e tcnicas de ensino do Voleibol, Basquete, Handebol, Futebol. Atletismo Fundamentos e tcnicas de Ensino. Identidade, Cultura e Cidadania. Educao Fsica Especial. Educao Fsica, incluso social e tica: desafios e perspectivas. Estrutura e funcionamento da Educao Bsica. Motricidade humana: aquisio de habilidades fsicas, psicolgicas e sociais. Definio de atividade fsica e condicionamento fsico. Prescrio de exerccio (American College of Sports Medicine (ACSM). Nutrio e performance. Atividades fsicas e doena (doena cardaca, cncer, diabetes, obesidade, envelhecimento, osteoporose e artrite). Riscos do exerccio. Diretrizes da American College of Obstetricians and Gynecologists (ACOG). Recursos Ergognicos na preparao fsica na preparao fsica. A qualidade de vida do idoso: O papel mediador da atividade fsica e desportiva. Diretrizes do Sistema nico de Sade. Desporte: Lazer e qualidade de vida. Preparao profissional em educao fsica e desportos: Novas competncias profissionais. Formao profissional em esporte: A complexidade e a performance humana.

  • Rua Etelvina Maria da Conceio, s/n, Anto Gonalves de Almeida, Bom Sucesso/PB. CEP: 58.887-000 CNPJ: 08.920.571/0001-56 - Telefax: (0XX83) 3448-1007 - E-mail: pmbs.pb@ig.com.br

    ANEXO IV C R O N O G R A M A

    Inscries

    22 de Abril de 2015 15 de Maio de 2015 Perodo para Solicitao de Pedido de Iseno

    de Inscrio 22 de Abril de 2015 27 de Abril de 2015

    Edital de Deferimento/indeferimento de Pedido de Iseno de Inscrio 30 de Abril de 2015

    Interposio de Recursos de Indeferimento de Pedido de Iseno de Inscrio At o dia 05 de Maio de 2015

    Resultado de Recursos de Indeferimento de Pedido de Iseno de Inscrio e Edital com

    Resultado Final 08 de Maio de 2015

    Edital de Indeferimento/Deferimento Inscries

    19 de Maio de 2015

    Interposio de Recursos de Indeferimento de Inscries 19 de Maio de 2015 05 de Maio de 2015

    Resultado Final de Indeferimento/Deferimento de Inscries 22 de Maio de 2015

    Entrega dos Cartes de Inscrio

    29 de Maio de 2015

    Realizao das Provas

    07 de Junho de 2015

    Previso de Abertura dos Portes dos Locais de

    Provas

    Conforme Carto

    Previso do Horrio de Aplicao das Provas

    Conforme Carto

    Publicao do Gabarito no site

    www.institutobelchior.com.br

    09 de Junho de 2015

    Interposio de Recursos

    09 de Junho de 2015 10 de Junho de 2015

    Resultado de Interposio de Recursos

    15 de Junho de 2015

    Publicao do Gabarito Oficial no site www.institutobelchior.com.br

    17 de Junho de 2015

    Resultado Final 21 de Junho de 2015

    Homologao