edificios inteligentes

Download Edificios inteligentes

Post on 21-Jul-2015

106 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Edifcios Inteligentes

1

Os objetivos fundamentais

dos edifcios com alta tecnologia so proporcionar mais segurana, mais conforto e mais funcionalidade, utilizando de maneira racional e inteligente os recursos naturais disponveis.

2

As primeiras preocupaes arquitetnicas que culminaram

com a automao predial vieram com a necessidade de suplantar os problemas da obsolescncia e flexibilidade dos edifcios. Em 1904, o arquiteto norte-americano Frank Loyd Wright,

afirmou: o projeto arquitetnico base da incorporao de tecnologias voltadas ao conforto e eficincia. Em 1950, o arquiteto Siegfred Giedion impunha aos

projetos a necessidade de se prever modificaes nos edifcios a fim de servir as necessidades dos usurios a cada momento.3

Mas a verdadeira necessidade da incorporao da "inteligncia" em um edifcio veio com a crise do petrleo em 1973, que determinou uma maior economia de energia surgindo em Cambridge, na Inglaterra, os primeiros modelos de controle predial automatizado.4

Todo arsenal disponvel para dotar as edificaes de inteligncia no representa mais do que 2 ou 3% do seu preo final. Em contrapartida, os pases que costumam fazer avaliaes estatsticas constataram que a produtividade dos seus profissionais sobe de 9 a 10%.5

Certificaes de Eficincia: Atualmente, as principais certificaes existentes so: BREEAM - Building Research Establishment Environmental Assessment Method - Inglaterra (pioneira) LEED - Leadership in Energy and Environmental Design EUA HQE - Haute Qualit Environnementale - Frana AQUA - Alta Qualidade Ambiental - Brasil Green Star - Austrlia BEPAC - Building Environmental Performance Assessment Criteria - Canad CASBEE - Comprehensive Assessment System for Built Environment Efficiency - Japo CaGBC - Green Building Council - Canad LiderA - Portugal

NABERS - National Australian Built Environment Rating System - Austrlia

6

O LEED (Leadership in Energy andEnvironmental Design) um sistema

No Brasil o LEED comeou em 28

que estipula padres para a construo civil se tornar sustentvel. O objetivo de incorporar e acelerar o uso de prticas benficas ao ambiente scio-ambiental, alm de desenvolver e implantar estas aes em escala mundial. Ele foi desenvolvido pela consultora norte-americana USGBC (U. S. Green Building Council) e hoje mundialmente aceito para construo dos chamados Edifcios Verdes.

de janeiro de 2008 atravs do GBC Brasil (Green Building Council Brasil), uma organizao sem fins lucrativos.

7

As classificaes variam entre:Certificado LEED: 110 pontos base (100 + 10 bnus) Certificao Bsica - 40 - 49 pontos Certificao Prata - 50 - 59 pontos Certificao Ouro - 60 - 79 pontos Certificao Platina - 80 - 110 pontos As pontuaes do LEED so divididas nos seguintes grupos: Sustentabilidade da localizao Eficincia no uso da gua Eficincia energtica e os cuidados com as emisses para a atmosfera. Materials & Resources otimizao dos materiais e recursos naturais a serem utilizados na construo e operao da edificao. Qualidade dos ambientes internos da edificao Inovaes empregadas no projeto da edificao8

Tipos de Certificao LEED LEED NC Novas construes e grandes

projetos de renovao LEED EB Edifcios existentes LEED CI Projetos de interiores de edifcios comerciais LEED CS Projetos da envoltria e parte central do edifcio LEED for Homes Residncias LEED Schools Escolas LEED ND Desenvolvimento de Bairro LEED Retail Lojas e hospitais9

10

Gesto de energia Edifcios inteligentes tm como um dos seus objetivos o consumo

racional de energia. Sistemas de gesto de energia, aliados a planos de manuteno regulares, geram respostas imediatas quebras, falhas ou situaes anormais no edifcio. Estes sistemas aumentam a eficincia do edifcio e o conforto dos ocupantes. Sistema bsico de gesto de energia comea pela manuteno preventiva, com planos de manuteno peridicos na rede eltrica. Sistemas de gesto de energia mais modernos aliam sistemas eletrnicos a atividades bsicas. Adoo do conceito PROSSUMIDOR ( Produtor + consumidor). Sistemas de microgesto de consumo, de fcil instalao, e comunicao entre o consumidor e o fornecedor esto tornando a transmisso mais eficiente.11

Gesto de energia

12

Sistemas de Iluminao Em um edifcio necessrio considerar tanto a iluminao

natural quanto a artificial. A utilizao da luz natural , sob todos os aspectos, o ponto de partida para se obter um sistema de iluminao eficiente. Para se projetar um sistema de iluminao eficiente deve-se considerar: O objetivo do edifcio e dos ambientes. Localizao do prdio e sua exposio ao sol. Tipo de moblia, e cores dos ambientes. Sistemas de automao utilizados. Custos e facilidades de manuteno13

Sistemas de Iluminao Equipamentos que influenciam na eficincia

de um sistema de iluminao NATURAL: Exposio do edifcio ao sol. Vegetao dos arredores. Fachadas e parapeitos. Materiais de janelas e decorao interna. Sistemas de controle de intensidade luminosa.

14

Sistemas de Iluminao Equipamentos que influenciam na eficincia de um sistema

de iluminao ARTIFICIAL. Tipos de lmpada. Reatores. Refletores. Refratores. Difusores e colmias. Ignitores. Luminrias. Sensores de presena. Dimmers. Controles de sistemas fotoeltricos.

15

Captao alternativa Vidraas fotoeltricas

Tintas fotoeltricas

Geradores elicos.16

Uso, Reuso, Captao

17

Uso Dados de 2008 do Snis (Sistema Nacional de

Informaes sobre Saneamento) do Ministrio das Cidades apontam que, no estado de So Paulo, cada habitante consome uma mdia de 176 litros de gua. Esse volume est acima dos 110 litros por pessoa recomendados como o ideal pela ONU (Organizao das Naes Unidas).

18

Uso da gua Comrcio e Servios

19

Solues Levantamento

do perfil de consumo do cliente e avaliao do potencial de reduo;

Diagnstico preliminar das instalaes hidrulicas; Caracterizao de hbitos e vcios de desperdcio; Elaborao de cadastro de rede de gua e rede de incndio; Pesquisa/correo de vazamentos em rede de gua, reservatrios e instalao hidrulica predial; Estudo de alternativas para substituio de equipamentos hidrulicos convencionais por equipamentos economizadores de gua; Estudo de alternativas para reaproveitamento de gua de processo e utilizao de gua de reuso; Implantao de programas especficos para reduo de consumo de gua em cozinhas industriais, hotelaria e lanchonetes; Controle de qualidade da gua do imvel; Gesto do consumo aps a interveno. Modernas tcnicas de monitoramento, como o Sistema de Telemedio possibilitam o controle e rpida correo de problemas com as redes internas de abastecimento e ramais de gua. Em indstrias, supermercados, hotis possvel ter medio individualizada para monitorar o consumo de setores, linhas de produo, ambientes de trabalho etc. A empresa pode solicitar que uma equipe tcnica analise o percentual de reduo de consumo da edificao, e proponha uma soluo mais adequada para reduo do consumo.20

Exemplos de Equipamentos Economizadores Torneira Automtica: reduo de 20% em relao convencional Torneira Eletrnica: reduo de 40% em relao convencional Regulador de vazo para torneiras de mesa: registro regulador de vazo para torneiras Arejador para torneira com rosca interna: vazo constante de 6 litros por minuto Vlvula de Descarga Automtica para Mictrio: reduo de 50% em relao convencional Vlvula de Fechamento Automtico para Chuveiro Eltrico Vlvula de Fechamento Automtico para Ducha /gua Fria ou Pr-Misturada com Restritor de Vazo de 8 litros/minuto: reduo de 30% em relao convencional em locais de baixa presso (at 6 mca) e reduo de 60% em locais de alta presso (de 15 a 20 mca) Vlvula de Fechamento Automtico para Chuveiro / Aquecedores de Acumulao com Restritor de Vazo de 8 litros/minuto: reduo de 30% em relao convencional em locais de baixa presso (at 6 mca) e reduo de 60% em locais de alta presso (de 15 a 20 mca) Vlvula de Acionamento com o P para Torneiras de Cozinha Bacia Sanitria com Caixa Acoplada de 6 litros por descarga: reduo de 50% em relao convencional

Bacia Sanitria com Caixa de Embutir: reduo de 50% em relao convencional Bacia Sanitria com Caixa Acoplada de Acionamento Seletivo (3 ou 6 litros) por descarga: reduo de 50% a 75% em relao convencional (dados fornecidos pelo Fabricante)

21

Sistema de Ar Condicionado Os sistemas de ar condicionado central convencionais perdem em mdia 10% de gua por evaporao nas torres de resfriamento. Um prdio de escritrios com 2000 m2, ocupao mdia de 400 pessoas e potncia de ar condicionado de 100 TR, consome 5000 litros em 8h de funcionamento da torre de resfriamento. Pintar as torres de branco refletivo e instal-las em locais sombreados tem efeito benfico sobre o consumo de gua e de energia nos ventiladores.

Instalar sensor de temperatura na sada da torre para modular a velocidade do motor usando um inversor de freqncia outra idia interessante. Tambm convm evitar proximidade de refletores e proteger a piscina das torres contra o ingresso de folhas e insetos. Isto exige mais produtos qumicos para se prevenir o crescimento de bactrias e algas e reduz as purgas que consomem muita gua.

Os sistemas selados (trocador de calor com gs refrigerante) proporcionam maior economia, no consumindo gua e economizando energia eltrica. Procure otimizar o consumo de energia em sistemas de ar condicionado atravs de um bom projeto arquitetnico e uso da vegetao arbrea para sombreamento.22

leo de Cozinha As estaes de tratamento de esgotos (ETEs) so dimensionadas para receber o esgoto coletado independentemente da presena de leo de fritura. Porm, o leo de fritura usado jogado nos ralos e vasos sanitrios dos imveis provoca obstrues em enc