edição 199

Download Edição 199

Post on 26-Mar-2016

252 views

Category:

Documents

22 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

De 09 a 15 de setembro de 2011

TRANSCRIPT

  • 09 a 15 de setembro de 20112 - /GERAL

    Diretor: Srgio Dal Gallo

    Jornalista Responsvel: Dimas Rodrigues DRT 3023-PR

    Departamento Jurdico: Dra. Daniele Silvia de Oliveira - OAB-PR 44453

    Jornal A Semana MetropolitanaAv. Brasil, 1890 - Sobrado 01

    Eucaliptos - Fazenda Rio GrandeFone: (41) 3627-1997 / 9162-6192

    jornal@asemananews.com.brasemanametropolitana@gmail.com

    www.asemananews.com.br

    Os artigos assinados no expressam necessariamente a opinio do jornal, sendo de total responsabilidade de seus autores.O jornal no se responsabiliza pelo contedo publicitrio dos anncios veiculados.

    Fonte: www.simepar.br

    Jornal A SEMANA LtdaCNPJ: 08.707.885/0001-75

    Tiragem: 20 mil/ms

    Impresso: Editora O Estado do Paran S/A

    O jornal distribudo na RMC

    Disse Jesus: Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ningum vai ao Pai seno por Mim. (Joo 14:6)

    Sexta Sbado Domingo Segunda Tera

    Fazenda Rio Grande, Curitiba, Araucria, So Jos dos Pinhais,Piraquara, Pinhais, Quatro Barras, Mandirituba, Quitandinha, Campo do

    Tenente, Agudos do Sul, Pin, Tijucas do Sul, Campo Largo, CampoMagro, Rio Branco do Sul, Itaperuu, Almirante Tamandar e Colombo

    DATAS E FATOS

    EXPEDIENTE

    www.asemananews.com.br

    Muitas nuvens

    Mx.19 - Mn. 12

    Nublado passando aparcialmente nublado

    Mx.18 - Mn. 11

    Pancadas de chuvas

    Mx.22 - Mn. 12

    Pancadas de chuvas

    Mx.20 - Mn. 11

    A visita

    REFLEXO

    Participe desta pgina, enviando sua piada ou meditao

    para o e-mail: asemanametropolitana@gmail.com

    PIADAS

    Ser que valeu a pena?EDITORIAL

    09/09/1945 - Foi encontrado o primeiro bug de computador.Neste caso, tratava-se de um inseto de verdade: uma mariposaque entrou nos circuitos de um computador da Universidade deHarvard.

    10/09/1935 - A rdio americana NBC passou a transmitir oprograma Popeye, inspirado nos quadrinhos do personagem.

    11/09/2001 - Quatro avies foram seqestrados por terroris-tas afegos nos Estados Unidos. Dois deles foram lanados contraas torres gmeas do World Trade Center, em Nova York, queacabou desabando. Morreram 2.801 pessoas.

    12/09/1997 - O cantor sertanejo Joo Paulo, que fazia duplacom Daniel, morreu aos 37 anos em um acidente na Rodovia dosBandeirantes.

    13/09/1966 - O Fundo de Garantia por Tempo de Servio(FGTS) foi institudo por Roberto Campos, ministro do Planeja-mento do governo militar.

    14/09/1927 - A bailarina americana Isadora Duncan morreuaos 50 anos em Nice, na Frana. Ela foi enforcada por um vu queenroscou no pneu do carro conversvel.

    15/09/1971 - Hippies fundaram o Greenpeace, no Canad.No mesmo dia, partiram para a primeira misso: impedir testesnucleares em Amchitka.

    Um argentino e um brasileiro encontraram uma lmpadamgica no deserto e a esfregaram, at aparecer o gnio. Ele disse:

    - Vocs agora so os meus amos! Cada um de vocs temdireito a um pedido.

    O argentino disse:- Eu quero que voc faa aparecer um muro bem alto em

    volta da Argentina, para que nada possa entrar, nem sair. A Argen-tina vai se tornar o pas mais rico do mundo, pois ningum vaipoder entrar para cobrar a dvida, e o povo argentino nunca maisvai passar fome!

    E o gnio:-Que assim seja!E, ento, apareceu o muro.- a sua vez, brasileiro! - Disse o gnio.O brasileiro perguntou:- Tem certeza que ningum pode sair de l?- Absoluta! - Responde o gnio.- Ento enche aquilo de gua!

    ***O caipira chega do interior diz ao taxista para lev-lo, da esta-

    o da luz at a Lapa. O taxista muito educado, pergunta ao caipira:O senhor quer que pegue o minhoco? O caipira prontamenteresponde: Se conseguir dirigir com uma mo s pode pegar.

    *** Manuel, eu estou com uma vontade enorme de comer

    essa manga! Sobe ali no p e veja se ela esta madura!-Esta certo!O portugus subiu e apalpou:-Sim, esta madura!-Agora desce para ns tentarmos derrub-la com uma

    pedra!

    Ruth olhou em sua caixa de correio, mas s havia uma carta.Pegou-a e olhou-a antes de abri-la. Observando-a percebeu queno havia selo nem marcas do correio, somente seu nome eendereo. Ela decidiu ler a carta:

    Querida Ruth. Estarei prximo de sua casa, no sbado tarde, e passarei para visit-la. Com amor, Jesus.

    As mos da mulher tremiam quando colocou a carta sobre a mesa.- Por que o Senhor vai querer visitar-me? No sou ningum

    especial, no tenho nada para oferecer-lhe... Preocupada, Ruthrecordou o vazio reinante nas estantes de sua cozinha.

    - Ai, no! No tenho nada para oferecer-lhe. Terei que ir aomercado e comprar alguma coisa para o jantar.

    Ruth tinha apenas US 5,40, mas resolveu comprar po e maisalguma coisa para receber o Senhor. Colocou um abrigo e se apres-sou em sair. Um po francs, um pouco de peru e uma caixa deleite... Ruth ficou somente com US 0,12 que deveriam durar at asegunda-feira. Mesmo assim sentiu-se bem e saiu a caminho decasa, com sua humilde compra debaixo de um dos braos.

    - Ol, senhora, pode nos ajudar?Ruth estava to distrada pensando no jantar, que no viu as

    duas pessoas que estavam em p no corredor. Um homem euma mulher, os dois vestidos com pouco mais que farrapos.

    - Olhe senhora, no tenho emprego. Minha mulher e eu temosvivido ali fora na rua. Est fazendo frio e estamos sentindo fome. Sea senhora pudesse nos ajudar, ficaramos muito agradecidos...

    Ruth olhou para eles com mais cuidado. Estavam sujos etinham mau cheiro e, francamente, ela estava segura de que elespoderiam conseguir algum emprego se realmente quisessem.

    - Senhor, eu queria ajudar, mas eu mesma sou uma mulherpobre. Tudo que tenho so umas fatias de po, mas receberei umhspede importante esta noite e planejava servir isso a Ele.

    - Sim senhora, entendo... De qualquer maneira, obrigado -respondeu o homem.

    O pobre homem colocou o brao em volta dos ombros damulher e os dois se dirigiram para a sada quando Ruth sentiu umforte pulsar em seu corao.

    - Senhor, espere!O casal parou e voltou a medida que Ruth corria para eles e

    os alcanava na rua.- Olhem, querem aceitar este lanche? Conseguirei algo para

    servir ao meu convidado - dizia Ruth, enquanto estendia a mo,com o pacote do lanche.

    Foi a que Ruth pde perceber que a mulher tremia de frio.- Sabe, tenho outro casaco em minha casa, tome este - ofere-

    ceu Ruth desabotoando o prprio casaco e colocando sobre osombros da mulher.

    - Obrigado, senhora, muito obrigado - despediu-se, agradeci-do, o casal.

    Ruth sorrindo, voltou a caminho de casa. Estava tremendo defrio quando chegou porta de casa. Agora no tinha nada paraoferecer ao Senhor.

    Procurou a chave rapidamente na bolsa, enquanto notavaoutra carta na caixa de correio.

    - Que raro, o carteiro nunca vem duas vezes em um dia -pensou. Ela ento apanhou a carta e abriu-a:

    Querida Ruth. Foi bom v-la novamente. Obrigado pelo deli-cioso lanche e pelo esplndido casaco. Com amor, Jesus."

    Nem sempre Deus chega aos momentos em que a gentequer, mas ELE nunca chega atrasado!

    Um dia voc ver que no valeu a pena tanta correria paraganhar dinheiro e no usufruir. No usufruir onde? Curtindoseus familiares, que aps Deus quem voc deve amar mais eno queles que se dizem seus amigos, que ao invs de lheoferecerem descanso por muitas vezes lhe do dor de cabea.

    Diariamente vemos pessoas correndo de um lado para ooutro, a p, de carro, buscando cumprir horrios sabe-se lpara que finalidade. s vezes a correria passa a fazer parte denossas vidas e a incorporamos sem necessidade. Andamos de-pressa, dirigimos correndo, comemos correndo, no desfruta-mos da companhia das pessoas que amamos porque estamosmuito ocupados. Mas ser que vale a pena a vida da forma quetens a levado, com tantas correrias? Logo observars que otempo passou e o cansao tomou conta do seu corpo. Logo verque, mesmo rodeado de muita gente se sentir s, isto se omotivo de sua fadiga no for isso.

    Um dia desses voc se recolher em seu quarto e tervontade de abraar o travesseiro, porque no sobrou ningumpara abraar nem mesmo os seus, pois enquanto os trocou pelacorreria, nesta mesma roda da vida eles arrumaram outros afa-zeres, outras correrias. Oxal a vida deles no diferente dasua.

    Nobrssimo leitor, em pouco voc no ser mais dono dotempo que dizem ser seu.

    impressionante como as coisas no mundo voam, mudam ea cada dia que passa ns paramos para pensar se valeu apena. E eu fico pensando: ser que ao invs de ter aplicadotanto tempo a um trabalho no poderia ter arriscado mais? Apro-veitado mais os minutos, segundos da minha vida! So pergun-tas como estas que ao final de cada dia encontramos nos lbiosdaqueles que do o seu tudo em troca muitas vezes do nada. tempo de parar e refletir se tudo isso que vivemos realmente valea pena. E isto muito comum acontecer quando estamos em umvelrio de um amigo que perdemos muitas vezes por motivosbanais. Nestes momentos perguntamos se a correria do dia a diavale realmente a pena. Nos dias subseqentes a eventos comotal passamos por uma verdadeira reflexo. Ser que vale tudoque eu tenho feito? A maneira em que tenho vivido tem valido apena?

    Norteio estas palavras novamente a vocs especiais leito-res de todas as semanas. Logo voc mesmo ver que o seucarro to sonhado j deixou de ser um conforto e se tornou umproblema. O telefone lhe chateia, a gravata incomoda, aquilo queera um adereo necessrio para a sua vestimenta do seu dia adia hoje j insuportvel. Por mais que voc tente se livrar detudo isso ver que ainda um escravo e continua sendo inveja-do por muitos.

    Espero que obtenha a glria de alcanar o dia em que dirque no valeu a pena os anos sem frias, sem descanso. Vai verque no tem mais iluses e a esperana anda com v