Ed. 37 - Dez/2010

Download Ed. 37 - Dez/2010

Post on 30-Mar-2016

222 views

Category:

Documents

5 download

DESCRIPTION

rgo de divulgao do Sindicato dos Servidores Pblicos Federais no Estado de Mato Grosso

TRANSCRIPT

  • rgo de divulgao do Sindicato dos Servidores Pblicos Federais de Mato Grosso

    Ano IV - N 37Cuiab - Dezembro/2010

    FILIADO

    e CONDSEF

    Celebrar o Natal

    crer na fora do amor, porque transforma o

    homem e o mundo.

    Que a mensagem de f e esperana do Natal

    renove nossas foras

    para continuarmos lutando no Ano Novo que

    se anuncia.

    Desejamos um Natal muito alegre, feliz e com

    muita sade e que comece o ano de 2011

    com muita f e esperana.

    Feliz Natal. Feliz Ano Novo.

    Que o Natal seja um smbolo de

    amor e paz no corao de todo mundo!!!

    Estes so nossos sinceros votos.

    Mensagem deNatal e Ano Novo

    Diretoria do Sindsep-MT

    Sindsep-MT recolhe assinaturascontra aumento do IPTU em Cuiab

    Desde o dia 17 de novembro,

    o Sindicato dos Servidores P-

    blicos Federais de Mato Grosso

    (Sindsep-MT) est com trs pes-

    soas nas ruas recolhendo assi-

    naturas para o abaixo-assinado

    contra o aumento do IPTU em

    Cuiab. Trata-se de uma ao

    proposta pelo vereador Ldio

    Cabral (PT) que tem como ob-

    jetivo reunir mais de 18 mil as-

    sinaturas para um projeto de

    ao popular que derrube a de-

    ciso do prefeito Chico Galin-

    do (PTB).

    (Pgina 2)

    Sindsep-MT participa deCongresso da Condsef

    (Pgina 3)

    Sindsep-MT nodesiste de luta

    (Pgina 3)

    Mantega prev cortes nooramento para 2011

    O governo Dilma vai promover um corte de

    mais de 20 bilhes de reais no Oramento de

    2011 e tambm reduzir em pelo menos 50

    bilhes de reais os repasses ao BNDES em um

    esforo para conter o peso da demanda pblica

    na economia, afirmou o ministro da Fazenda,

    Guido Mantega. (Pgina 3) Foto

    Fbio

    Rodrigues P

    ozzebom

    -AB

    r

    Miriam Belchior diz que todos osgastos da Unio sero reavaliados

    (Pgina 3)

    Sindsep-MT participa de Fora-Tarefa no Congresso Nacional

    A Condsef (Confede-rao dos Trabalhadoresno Servio Pblico Fede-ral), junto com o Sind-sep-MT e suas entidadesfiliadas realizaram um tra-balho no Congresso Na-cional em defesa dos ser-vidores e servios pbli-cos brasileiros, nos dias23, 24 e 25 de novem-

    bro. (Pgina 4)

    Foto

    de A

    ugusto

    Are

    al

    AGU quer autorizar a conversode licena em dinheiro

    (Pgina 4)

    Foto

    : Chic

    o V

    enncio

    2010 entrou para histria para a Classe Trabalhadora e toda a

    sociedade brasileira pela eleio da primeira mulher presidente do

    Brasil. A CUT-MT, a Direo e sua equipe de funcionrias desejam

    todos um Feliz Natal e um 2011 de consolidao das conquistas

    sociais e que as relaes de trabalhos se tornem cada vez mais

    humanas e dignas para todo trabalhador e

    trabalhadora do campo e da cidade.

    Boas Festas!

    CUT- MT

    Convocatria:

    No dia 23 de dezembro, a Diretoria do Sindicato dos Servidores Pbli-cos Federais de Mato Grosso (Sindsep-MT) est convocada para ltimareunio de 2010 e almoo de confraternizao.

    Ser na sede do Sindsep-MT, a partir das 8h. Compaream!

    A Condsef deseja para toda classe trabalhadora um Feliz

    Natal e um Ano Novo repleto de conquistas!

    Porque sonho que se sonha junto realidade!

    Feliz 2011!

  • O COMPROMISSO Ano IV - N 37 - Dezembro/2010 - 2

    E X P E D I E N T EBoletim Informativo do SINDSEP-MT

    Sindicato dos Servidores Pblicos Federais de Mato GrossoRua Dr. Carlos Borralho, n 82, bairro Poo. CEP: 78 015-630, Cuiab/MT

    Telefones: (65) 3023 6617 / 3023 9338 - e-mail: sindsepmt@gmail.comJornalista Responsvel: Thas Raeli DRT 26 645/RJ

    Tel.: (65) 8126-0123 E-mail: jornalistha@gmail.com

    Diagramao/Edio de Arte: Mario Pulcherio Filho - 9214-8099Fotos: Chico Venncio

    Demonstrao do Resultado 33.710.088/0001-94SIND. DOS SERV. PBLICOS FEDERAIS DE MT Perodo: 31/10/2010

    MARIA DE JESUS DA SILVACONTABILISTAC.R.C. : MT-009536-0-4 / C.P.F. : 766.765.601-00

    CARLOS ALBERTO DE ALMEIDAPRESIDENTER.G. : 474000 SJ/MT / C.P.F. : 349.054.641-53

    SIND. DOS SERV. PUBLICOS FEDERAIS DE MT (0xx65) 3023-9338

    127.732,73

    127.732,73127.732,73

    24.874,56

    Receitas Brutas de vendas e/ou serviosRECEITAS

    MIN PLANEJAMENTOEXERCITOMIN EDUCACO (MEC)MIN AGRICULTURAMIN FAZENDAMIN JUSTIAPOLICIA FEDERALMIN AERONUTICAMPAS/SASMIN SAUDEMINISTRIO DO TRABALHOUFMTFUNAIM M ED N P MFUNASAA N V SD N I TAGUIBAMAMIN COMUNICAESINCRAMIN TRANSPORTESINSSMIN MARINHACONABD P R FCONTRIBUIES SINDICAISINSTITUTO CHICO MENDESCONTROLADORIA GERAL DA UNIOPROCESSO AMAURY DE JESUS

    ( = ) Receita Lquida( = ) Supervit Bruto( - ) Despesas Operacionais

    DESPESAS TRABALHISTASALRIOSFRIAS + 1/313O SALRIOFGTSINSSVALE TRANSPORTEASSISTNCIA MDICAAJUDA ALIMENTAOPARCELAMENTO INSSAJUDA DE CUSTO PRESIDENTEAJUDA DE CUSTO DIRETORESGRATIFICAO COMISSIONADAANUNIO

    295,424.588,66

    24,423.217,712.905,24

    48,6033,0862,69

    215,5110.214,43

    2.070,43302,35

    7.691,39111,5248,94

    13.018,5258,20

    872,67262,32

    1.292,33706,55

    8.432,045.391,631.110,43

    204,001.409,15

    98,56138,14

    47,28163,41

    62.697,11

    3.860,224.240,79

    100,00686,72

    2.563,73506,00474,22

    1.391,66738,23

    6.669,722.100,001.400,00

    143,27

    DESPESAS ADMINISTRATIVASTELEFONIA E TELECOMUNICAES

    ENERGIA ELTRICA

    GUA E ESGOTOMATERIAIS DE ESCRITRIO

    LANCHES E REFEIES

    DESPESA C/ COMBUSTVELMANUTENO DE VECULO

    DESPESA C/ ESTACIONAMENTO

    CORREIOS E POSTAGENSVIAGENS E ESTADIAS

    MANUTENO PROVEDOR INTERNET

    HONORRIOS ADVOCATCIOSCUSTAS PROCESSUAIS

    KENTEL PLUS ALARME

    CONDSEFMATERIAL DE LIMPEZA E CONSUMO

    MENSALIDADE COPIADORA

    CPIAS EXCESSOMENSALIDADE SOFTWARE NETSPEED

    JORNAL O COMPROMISSO

    ASSESSORIA DE COMUNICAOAJUDA DE CUSTO

    CUT NACIONAL

    BISA SIST AUTOMAO LTDADESPESAS RGO

    CONDSEF GESTO ANTERIOR

    GREVE SRTEELEIO SINDSEP MT 2010

    FESTA POSSE E SERV PBLICO

    DESPESAS FINANCEIRAS

    TARIFA S DE MANUTENO DE CONTA

    TARIFAS BANCRIAS

    ( = ) Supervit Operacional( = ) DFICIT LQUIDO DO EXERCCIO

    3.420,76722,60

    22,40

    1.738,05386,73

    653,59

    311,0010,00

    2.504,40

    5.893,04260,40

    4.200,00

    135,22195,00

    750,00

    424,61900,00

    1.255,60

    76,301.400,00

    1.300,00

    2.551,001.500,00

    2.550,00

    1.000,00200,00

    75,00

    1.260,006.628,17

    49,50

    83,01

    42.323,87

    132,51

    60.401,7960.401,79

    DIRETORIA EXECUTIVA: CARLOS ALBERTO DE ALMEIDA - PRESIDENTE - FUNASA; ROOSEVEL MOTTA - VICE-PRESIDENTE - INCRA; DAMSIO DESOUZA PEREIRA - 1 SEC GERAL - CGU; ADLIO DA SILVA JNIOR - 2 SEC GERAL - DSEI-XAVANTE; EDSON LUIS DOS SANTOS - 1 TESOUREIRO -GRA; GILDSIO FERREIRA GOMES - 2 TESOUREIRO - SRTE; JOS LUIS DA SILVA - 1 SEC. DE ADM. - MAPA; FRANCISCO LOPES FILHO - 2 SEC.DE ADM. - SVS/ROO; IDIVALDO BERNARDES DE OLIVEIRA - 1 SEC. DE ASSUNTOS JURD. - PRF; JOSENICE AUX.TAVARES SIQUEIRA - 2 SEC. DEASSUNTOS JURD. - MAPA; ARY CZAR NERIS - 1 SEC. FORM. SIND - TRANS/ROO; ADERBAL CASTRO QUEIROZ - 2 SEC. FORM. SIND. - 9 BEC; IRACIOLIVEIRA FERREIRA - 1 SEC. INTERIOR - FUNAI; BENEDITO ASSIS DA SILVA - 2 SEC. INTERIOR - SVS/CCERES; MARINZIO SOARES DE MAGALHA-ES - 1 SEC. IMP. E COMUN. - GRA; ARCLIO DE BARROS FILHO - 2 SEC. IMP. E COMUN. - INCRA/CB; IZAEL SANTANA DA SILVA - 1 SEC. APOS. EPENSION. - TRANS/CB; ENILDO GOMES - 2 SEC. APOS. E PENSION. - FUNAI; JOO DE DEUS DA SILVA FILHO - 1 SEC. SADE DO TRAB. - SVS/SINOP; IDIO NEMZIO DE BARROS - 2 SEC. SADE DO TRAB. - SVS/SINOP; SELMO JACINTO DE OLIVEIRA - 1 SEC. ANIST. E DEMITIDOS - CONAB;JOACIRA SANTANA RODRIGUES DE ALMEIDA - 2 SEC. ANIST. E DEMITIDOS - CONAB; ELIETE DOMINGOS DA COSTA - 1 SEC. DE CULTURA - SRTE;HERONILDES FRANCISCO VIEIRA - 2 SEC. DE CULTURA - 9 BEC. SUPLENTES DE DIREO: DONATO FERREIRA DA SILVA - DSEI/CB; SAMUELFERNANDES DE SOUZA - SUS/ROO; LUIZ EDUARDO DE FREITAS BUENO - SVS/ERS/CB; FRANCISCO ROBERTO DIAS NETO - INCRA; JOS MARIASILVA E ARRUDA - SVS/CB; SEBASTIO PINTO DA SILVA - MIN. TRANSP/CCERES. CONSELHO FISCAL TUTELAR: JOO GALDINO DE SOUZA - ERS/CB; JUAREZ JUSTINO DE BARROS - DSEI/CB; MARIZE FRANCISCO DE ARRUDA - DNIT/CB. SUPLENTES DE CONSELHO FISCAL: GEOVANO SANTOS MOREI-RA - SVS/NORTELANDIA; MOACIR MDULO - SVS/TANGARA; ANTONIO SANTANA DO ESPIRITO SANTO - 9 BEC

    Desde o dia 17 denovembro, o Sin-dicato dos Servi-dores Pblicos Fe-

    derais de Mato Grosso (Sin-dsep-MT) est com trs pes-soas nas ruas recolhendo as-sinaturas para o abaixo-assi-nado contra o aumento doIPTU em Cuiab. Trata-se deuma ao proposta pelo ve-reador Ldio Cabral (PT)que tem como objetivo reu-nir mais de 18 mil assinatu-ras para um projeto de aopopular que derrube a deci-so do prefeito Chico Galin-do (PTB).

    Alm de movimentossindicais, lderes empresari-ais e de vrias entidades e or-ganizaes de Cuiab se reu-niram na Cmara de Dirigen-tes Lojistas-CDL Cuiab,com o objetivo de discutir aplanta genrica sobre a qualfoi baseado o aumento doIPTU na capital. Concluso:as bases dos valores de cl-culos, entre os fatores, agre-ga a especulao da Copa2014 e no o valor real dosimveis. Os empresrios es-

    Sindsep-MT recolhe assinaturascontra aumento do IPTU em Cuiab

    to revoltados com o aumen-to proposto pelo prefeito eaprovado pela Cmara deCuiab.

    Os representantes das en-tidades classista-empresari-ais lembraram que alm dosimveis no terem valor realcondizente com a tabela deprogresso utilizada pelaPrefeitura, grande parte dosimveis comerciais so loca-dos. O alto valor do reajustedo IPTU, obrigatoriamentepago pelos locatrios, acaba-

    r se tornando um brutal au-mento no custo do aluguel.

    Outro apontamento queas famlias sero penaliza-das. O imvel que bem defamlia, ou seja, que nousufrui da especulao, poisno se pretende vender, acar-retar nus altos para os bol-sos dos cidados, que no ti-veram aumento salarial. Oque se requer, segundo os l-deres presentes na reunio, um reajuste em acordo como ndice inflacionrio do pe-

    rodo e alquotas mais estu-dadas e em acordo com a atu-al realidade imobiliria deCuiab e no especulativa daCopa 2014.

    Estiveram presentes nes-ta reunio representantes: daCmara de Dirigentes Lojis-tas-CDL Cuiab; AssociaoComercial de Cuiab-ACC;Ordem dos Advogados doBrasil-OAB/MT; Federaodas CDLs; Sindipetrleo;Associao dos Comercian-tes de Materiais de Constru-

    o de Mato Grosso (Aco-mac-MT); Universidade Fe-deral de Mato Grosso; Sin-cofarma e Associao Mato-Grossense Com AutopeasMquinas Ferramentas-ACAMAFE, entre outras.

    De acordo com os clcu-los apresentados pela prpriaPrefeitura, o IPTU residen-cial teve aumento que chegaat 119%, no caso dos gran-des condomnios. J os pr-dios comerciais, o reajustepoder chegar a 167%, tam-

    bm nas grandes empresas enas grandes avenidas. E osmaiores aumentos so osgrandes terrenos, com at300%.

    O prefeito Francisco Ga-lindo, no entanto, sustentaque no h reajuste no IPTU.No estamos aumentandoem hiptese alguma. Soucontra o aumento. O que es-tamos fazendo a correoda planta genrica - disse.Ele lembra que desde 2007a nova planta genrica comos respectivos valores corri-gidos j est pronta e deve-ria ter sido aplicada. Voudar um exemplo: na avenidado CPA, hoje, no valor ve-nal daquela avenida, falamem R$ 400 o metro quadra-do. Na verdade, se vende pordois, trs, quatro e at cincomil reais o metro quadrado.E o proprietrio daquela reaque est especulando, queganha mais, paga o IPTU deacordo com o valor venal,sem correo, isso injusto.No justo diz.

    (Com informaes do 24Horas News)

    Fot

    o: C

    hico

    Ven

    nci

    o

  • O COMPROMISSO Ano IV - N 37 - Dezembro/2010 - 3

    Apesar de reconhecerque houve avanos, Car-los Alberto de Almeida,presidente do Sindicatodos Servidores PblicosFederais de Mato Grosso(Sindsep-MT), relem-brou que nos ltimosanos foi possvel ver oresgate do servio pbli-co, esquecido e mal-tra-tado durante o governodo presidente FernandoHenrique Cardoso, masque ainda assim as pas-tas do Executivo federalesto sucateadas, comnecessidade de realizaode concursos pblicos,implementao de planosde carreiras e isonomia ereajustes salariais.

    OSindicato dos Servidores Pblicos Federaisde Mato Grosso (Sindsep-MT) enviar 21representantes para Braslia para participa-rem do X Congresso da Condsef (Confede-rao dos Trabalhadores no Servio Pblico

    Federal). O evento, que acontece entre os dias 8 e 12 dedezembro, tem como tema Greve e Negociao Cole-tiva. Eu trabalho. Eu tenho direito. Ao longo de qua-se uma semana a categoria ter possibilidade de deba-ter os rumos de sua luta e eleger as principais bandeirasque sero conduzidas e defendidas pela Condsef e suasfiliadas.Os delegados representantes do Sindsep-MT foram es-colhidos em assembleias nos rgos federais de MatoGrosso. O congresso, que acontece de trs em trsanos, a maior instncia de debate e deliberaes daConfederao. Entre suas muitas atividades, o X Con-condsef elege a nova diretoria que ficar frente daCondsef no prximo trinio.

    CONFIRA A PROGRAMAO DO X CONCONDSEFQUARTA-FEIRA DIA 08/12/20109h: Incio do Credenciamento;12h30 s 14h30: Almoo;17h s 17h30: Abertura Solene do X Congresso;17h30 s 19h: Leitura, Discusso e Aprovao do Regi-mento Interno;19h s 19h30: Eleio da Comisso Eleitoral;19h30 s 21h: Apresentao das Teses;21h s 21h30: Apresentao e Deliberao sobre Re-cursos;21h30: Jantar.QUINTA-FEIRA DIA 09/12/20109h: Continuao do Credenciamento;9h s 12h30: Debate sobre a Conjuntura e Desafio dosTrabalhadores para o Prximo Perodo;12h: Encerramento do Credenciamento de Delegados e

    A futura ministra, MiriamBelchior, disse que a pastado Planejamento ser parcei-ra do Ministrio da Fazendana busca da consolidaofiscal. um desafio perma-nente. Vamos canalizar omaior volume de recursosdisponvel para a erradica-o da misria e oportunida-de para todos, educao esade de qualidade, melho-ria de segurana e combates drogas e infraestruturapara o Brasil continuar cres-cendo, enumerou.

    A futura ministra salien-tou que um dos focos doPlanejamento ser a melho-ria da gesto pblica. Que-remos seguir modernizandoa administrao para que setorne mais eficiente, maisvoltada para resultado e maisfocada no cidado. Ela deu

    Sindsep-MT participa de Congresso da Condsef

    Mantega prev cortes no oramento para 2011O governo Dilma vai

    promover um corte de maisde 20 bilhes de reais no Or-amento de 2011 e tambmreduzir em pelo menos 50bilhes de reais os repas-ses ao BNDES em um esfor-o para conter o peso da de-manda pblica na econo-mia, afirmou o ministro daFazenda, Guido Mantega.

    Para o ministro trata-sede Consolidao dos gas-tos de custeio. Mantegadeixou claro em entrevistaao Jornal Nacional, na quar-ta-feira (24 de novembro),que o salrio do funciona-lismo, ser um dos fatoresdo ajuste. Segundo o minis-tro, j houve muito aumen-to ao longo de oito anos, noque se refere ao Executivo,Legislativo e ao Judicirio.

    Do ponto de vista es-trutural, a reduo de gastodo governo ter impacto na

    Fot

    o F

    bio

    Rod

    rigue

    s P

    ozze

    bom

    -AB

    r

    poltica de juros a partir doano que vem, afirmouMantega durante entrevis-ta no Reuters Brazil Invest-ment Summit na quarta-fei-ra, 24 de novembro.

    No ser pequena, vai seruma reduo substancial, dis-se. A orientao (da presiden-te eleita) foi mo pesada.

    Poucas horas depois deter sido oficialmente confir-

    mado na equipe de DilmaRousseff, Mantega afirmouque os cortes podem adiaralguns projetos de investi-mentos e vo garantir ocumprimento da meta prim-ria de 3,1 por cento do PIBno ano que vem, sem o aba-timento de despesas comoas que envolvem o Progra-ma de Acelerao do Cres-cimento (PAC).

    Caso a economia feitapelo governo supere a meta,os recursos adicionais se-ro direcionados ao FundoSoberano, disse o ministro.

    Os cortes oramentriosno sero feitos de forma li-near e se concentraro princi-palmente em despesas decusteio, disse o ministro, adi-antando que no oportunodarmos aumentos para o fun-cionalismo pblico em 2011.

    Sobre os repasses aoBNDES, a ideia reduzir metade os subsdios e os fi-nanciamentos concedidosao banco com recursos doTesouro, disse Mantega,indicando que a poltica deaportes ao banco de finan-ciamento no ser abando-nada j em 2011.

    Nos ltimos dois anos,o Tesouro repassou mais de200 bilhes de reais ao BN-DES para aumentar a capa-

    cidade de o banco financiarinvestimentos.

    O BNDES voc pode fa-lar pelo menos 50 bilhes amenos, afirmou Mantega.

    A reduo dos gastospblicos foi possibilitadapela superao da crise, dis-se o ministro. Agora que aeconomia est recuperada,ento cabe fazer um ajuste,cabe fazer uma reduo degastos.

    META DE INFLAOMantega descartou, ain-

    da, uma reduo da meta in-flacionria antes de 2013, econdicionou uma futuraqueda a uma desindexaoda economia que deve pas-sar por uma reviso doscontratos de servios,como de energia e gs.

    Se a gente conseguir narenovao, porque ns so-mos contra rever contratos

    enquanto eles esto vigo-rando, a gente pode tentardesindexar, eu acho que nsvamos tentar desindexar aeconomia, disse Mantega.

    Em termos de reformas,a prioridade do novo gover-no ser a tributria. As mu-danas podero tramitar noCongresso de forma des-membrada, disse o ministroe envolvero a desoneraoda folha de pagamentos.

    O ministro adiantou pelomenos um nome da equipeque quer montar no prxi-mo ano, ao anunciar queconvidar o secretrio doTesouro, Arno Augustin, apermanecer no cargo. Euvou convenc-lo a ficaraqui, disse.

    Sobre o cmbio, Mante-ga reiterou que v o real es-tvel por ora, mas que no-vas medidas no esto des-cartadas, se necessrio.

    Miriam Belchior diz que todos osgastos da Unio sero reavaliados

    como exemplo de melhoria nogoverno passado a reduodas filas do INSS.

    Ela afirmou que as priori-dades podem ser organizadasem trs grandes eixos: a reasocial, a melhor qualidade dogasto pblico e a melhoria dagesto pblica. um postomuito honroso, disse ela.

    Miriam salientou que, nogoverno Lula, foi retomadoo planejamento no governofederal. O que nos move a convico de que planeja-mento efetivo de ao degoverno mais boa capacida-de gerencial nos levam a res-ponder desafios nacionais,analisou. Dilma gostaria devalorizar demais essa ferra-menta de gesto, que o pla-nejamento, acrescentou.

    De acordo com ela, as-sim, possvel potencializar

    aes de mdio e longo pra-zo para Brasil se colocar en-tre as maiores economias domundo. Vamos trabalhar

    com todos os ministriospara que o Planejamentoseja bastante efetivo, con-siderou.

    Foto

    : g1.g

    lobo

    Sindsep-MTno desiste

    de lutaPor isso, o presiden-

    te no se contentou coma postura adotada do mi-nistro Guido Mantegaem apontar cortes no quese refere aos compro-missos com a categoria.No governo Lula, notivemos extino de r-gos e nem programa dedemisso voluntria eagora somos recebidospor ministros em mesasde negociao. Precisa-mos nos manter fortenesse perodo de transi-o e consolidar nossaluta no governo Dilma,sem nos intimidar compossveis cortes ora-mentrios, acrescen-tou.

    Incio do Credenciamento de Suplentes;12h30 s 14h30: Almoo;14h30 s 18h: Instalao da Mesa e Debate;18h: Encerramento do Credenciamento de Suplentes;19h: Jantar;20h s 23h: Atividade Cultural.SEXTA-FEIRA DIA 10/12/20109h s 12h30: Debate sobre Conjuntura Nacional e Inter-nacional nos Grupos de Discusso;12h30 s 14h30: Almoo;14h30 s 16h: Debate sobre Balano do Movimento, Or-ganizao Sindical da CONDSEF nos Grupos de Discus-so;16h s 19h: Debate sobre Pauta de Reivindicao, Planode Lutas e Reforma Estatutria nos Grupos de Discus-so;20h: Jantar;21h: Atividade Cultural.SBADO DIA 11/12/20109h: Reunio da Comisso de Sistematizao;9h s 12h30: Plenria dos Departamentos (12 Departa-mentos);12h30 s 14h: Almoo;14h s 17h: Continuidade das Plenrias dos Departa-mentos;17h s 22h: Plenria de Discusso e Aprovao dasResolues;22h: Jantar.DOMINGO DIA 12/12/20109h s 10h: Prestao de Contas;10h s 11h: Inscrio de Chapas;11h s 12h: Defesa das Chapas;12h s 16h: Votao da Nova Direo da CONDSEF, Co-ordenadores de Departamentos e Conselho Fiscal;14h: Almoo;16h s 17h: Apurao dos Votos;17h: Encerramento

    01 Marinzio Soares de Magalhes GRA02 Joo David SVS03 Marcos de Deus da Silva Filho SVS04 Carlos Alberto de Almeida FUNASA05 Joo de Deus da Silva Filho FUNASA06 Adlio Silva Jnior DSEI07 Adilson Benke DSEI08 Moacir Mdulo ERS09 Francisco Lopes Filho SVS10 Ivete Vicentina Amorim SRTE11 Eliete Domingos da Costa SRTE12 Jorge Frederico Cardoso M.S.13 Benedito Assis da Silva SVS14 Idivaldo Bernardes de Oliveira PRF15 Sebastio Pinto da Silva M.T.16 Ari Cesar Nris M.T.17 Selmo Jacinto de Oliveira CONAB18 Joacira Santana R. de Almeida CONAB19 Damsio de Souza Pereira CGU20 Jos Luiz da Silva MAPA21 Idio Nemzio de Barros CORE/MT

    Lista de delegados do Sindsep-MTque estaro no congresso da Condsef:

    CuiabTerra Nova do NorteAlta FlorestaCuiabSinopBarra do GarasColderTangar da SerraRondonpolisCuiabCuiabCuiabCceresCceresCceresRondonpolisCuiabCuiabCuiabCuiabCuiab

  • O COMPROMISSO Ano IV - N 37 - Dezembro/2010 - 4

    ACondsef (Con-federao dosTrabalhadoresno Servio P-

    blico Federal), junto com oSindsep-MT e suas entida-des filiadas realizaram umtrabalho no Congresso Na-cional em defesa dos servi-dores e servios pblicosbrasileiros, nos dias 23, 24 e25 de novembro.

    Representantes de servi-dores de diversos estadosestiveram em Braslia paraintensificar o contato comparlamentares em busca deapoio pela aprovao deprojetos. Entre eles a PEC

    Sindsep-MT participa de Fora-Tarefa no Congresso Nacional

    270/08 que resgata a integra-lidade das aposentadoriaspor invalidez permanente, daPEC 555/06 que prev elimi-nao da cobrana de con-

    tribuio dos aposentados epensionistas do servio p-blico e do PLP 5030/09 quereabre prazo para a apresen-tao de requerimentos de

    retorno ao servio pblicopara demitidos injustamen-te durante governo Collor.

    A categoria tambmcombate o PLP 549/09 queprope limites a investimen-tos pblicos. O PLP foi der-rotado por unanimidade naComisso de Trabalho, Ad-ministrao e Servio Pbli-co e agora seguiu para a Co-misso de Finanas e Tribu-tao.

    A Condsef busca umareunio com a deputada Lu-ciana Genro, nomeada rela-tora do PLP 549/09. O objeti-vo repassar deputadatodo o histrico de tramita-

    o do projeto que pretendelimitar gastos pblicos comdespesa de pessoal.

    A expectativa que as-sim como na Comisso deTrabalho, Administrao eServio Pblico o PLP sejarejeitado por unanimidadequando o relator foi o depu-tado Luiz Carlos Busato.Este um projeto nefastoque no ameaa apenascongelar salrios de servido-res pblicos pela prximadcada e sim inviabilizartoda e qualquer melhora naqualidade dos servios p-blicos prestados popula-o brasileira, alerta Srgio

    Ronaldo da Silva, diretor daCondsef.

    A participao das enti-dades filiadas Condsef nes-sa fora tarefa foi fundamen-tal. O envio de servidorespara realizar esse trabalho depresso no Congresso foi odiferencial para garantir quea maioria dos parlamentaresentenda a necessidade debarrar o PLP 549/09 e apro-var projetos que resgatam di-reitos dos servidores.Aotodo, foram visitados 431 ga-binetes pela equipe da ForaTarefa, acompanhado pelo di-retor do Sindsep-MT, EnildoGomes.

    A AGU (Advocacia-Geralda Unio) divulgou uma notapara informar que enviou aoMinistrio do Planejamentouma proposta para permitirque todo servidor aposenta-do do Poder Executivo con-verta a licena-prmio nousufruda em dinheiro.

    A nota foi divulgada apsa Folha revelar que o advo-gado-geral da Unio, Lus

    AGU quer autorizar a conversode licena em dinheiro

    A juza Kenarik BoujikianFelippe, da 16 vara criminal,condenou a 278 anos de re-cluso em regime inicial fe-chado o mdico Roger Abdel-massih, pela prtica de diver-sas infraes penais contrapacientes, entre o ano de1995 e janeiro de 2008, nasdependncias da Clnica eCentro de Pesquisa em Re-produo Humana RogerAbdelmassih. A deciso foidivulgada no dia 23 de no-vembro.

    Segundo a denncia, nointerior de sua clnica, Abdel-massih constrangeu ou ten-tou constranger as vtimas,sempre mediante violnciareal, a praticar ou permitir quecom elas praticasse atos libi-dinosos, estupro e atentadoviolento ao pudor. O proces-so tem 37 volumes e 10 milpginas.

    Abdelmassih est em li-berdade em razo de liminarconcedida pelo ministro Gil-

    Incio Adams, aprovou aconcesso de benefcio,contrariando a lei, mulherde Gilmar Mendes, ministrodo STF. A deciso a favor deGuiomar Mendes indita naAGU. Adams um dos cota-dos para assumir a 11 vagano tribunal.

    A mudana de viso daAGU, pela defesa da conces-so, est em parecer assina-

    do por Adams e ocorreu den-tro do processo de Guiomar,ao qual o jornal teve acesso.A Folha apurou que, caso aconverso seja de fato efetu-ada, Guiomar receber aproxi-madamente R$ 55 mil. De acor-do com a instituio, a pro-posta de smula j havia sidoenviada ao Planejamento an-tes da polmica envolvendoGuiomar. Congresso em Foco

    Justia condena Roger Abdelmassiha 278 anos de priso

    O ex-mdico continua em liberdade por causa de umaliminar concedida pelo ministro Gilmar Mendes, do STF

    mar Mendes, do Su-premo Tribunal Fede-ral. Mendes conce-deu uma liminar aoex-mdico quandoocupava a presidn-cia do STF.

    A defesa insistiuna tese de Abdelmas-sih tinha o costumede cumprimentar aspacientes com beijosno rosto e, em razode suposto efeito dosmedicamentos, asdenunciantes teriam

    ficado confusas. Para a ju-za, porm, pacfico o en-tendimento deste SuperiorTribunal de que o atentadoviolento ao pudor englobaatos libidinosos de diferen-tes nveis, inclusive os to-ques, os contatos voluptuo-sos e os beijos lascivos.

    Ao justificar a pena de278 anos, a magistrada des-tacou que, quanto propor-cionalidade da pena, nossalegislao penal esta a exigirque se repense as penas nelaprevistas, pois as disparida-des so flagrantes. No Bra-sil, os crimes patrimoniais tma pena hiperinflacionada,ponderou. Os bens materi-ais so supervalorizados, emdetrimento da pessoa e deseus atributos.

    A tese da defesa segun-do a qual as vtimas teriaminteresse econmico foiduramente criticada pela ju-za. A Defesa aponta queas vtimas podem ter inte-

    resse econmico. Se istoocorre, no h nenhum re-flexo para o processo crimi-nal, apenas permite que avtima ingresse como assis-tente do Ministrio Pblico.Querer, eventualmente, in-denizao no imoral,observou. Querer rebaixaro valor das palavras das v-timas, pelo fato de quereremeventualmente uma indeni-zao, por quererem reco-brar os valores referente parte do tratamento que nofoi concludo, no ato imo-ral. O ressarcimento pr-prio do nosso ordenamen-to jurdico. A condenaotorna certa a obrigao deindenizar e mesmo que noseja condenado, existemvias prprias, que indepen-dem do processo criminal.

    Ao autorizar a divulga-o da deciso, com as cau-telas para resguardar a inti-midade das vtimas, quecontinuam protegidas e noso identificadas no corpoda sentena, por causa dosigilo e da manuteno doprocesso em segredo dejustia, a juza Kenarik Bou-jikian Felippe se referiu aoacentuado interesse, pelarepercusso social e espe-cialmente, pelas diversasquestes de direito que fo-ram apresentadas, o que de-monstra a convenincia dedar publicidade ao ato pro-cessual, como a regra doprocesso penal.Fonte: (Congresso em Foco)

    Fot

    o R

    evis

    ta

    poca O jornal O Compromis-

    so, do Sindicato dos Servi-dores Pblicos Federais deMato Grosso (Sindsep-MT), est com essa srie dereportagens para questio-nar as decises do ministroe ex-presidente do STF (Su-premo Tribunal Federal),Gilmar Mendes. Recente-mente, Mendes tambm de-fendeu a extino da obri-gatoriedade do diplomapara o exerccio da profis-so de jornalista. Mendes relator do recurso.

    A ministra Carmen Luciaseguiu o voto do relator. Naavaliao do presidente doSTF, o Decreto-Lei 972/69,que estabelece que o diplo-ma necessrio para o exer-ccio da profisso de jorna-lista, no atende aos critri-os da Constituio de 1988para a regulamentao deprofisses.

    Mendes disse que o di-ploma para a profisso dejornalista no garante queno haver danos irrepar-veis ou prejudicar direitosalheios.

    Quando uma noticiano verdica ela no serevitada pela exigncia deque os jornalistas frequen-tem um curso de formao. diferente de um motoristaque coloca em risco a cole-tividade. A profisso de jor-nalista no oferece perigode dano coletividade taiscomo medicina, engenharia,advocacia nesse sentido

    Relembrando

    Mendes compara jornalista a cozinheiroe vota contra exigncia de diploma

    por no implicar tais riscosno poderia exigir um diplo-ma para exercer a profisso.No h razo para se acre-ditar que a exigncia do di-ploma seja a forma mais ade-quada para evitar o exerc-cio abusivo da profisso,disse.

    Mendes chegou a com-parar a profisso de jorna-lista com a de cozinheiro.Um excelente chefe de co-zinha poder ser formadonuma faculdade de culin-ria, o que no legitima es-tarmos a exigir que toda equalquer refeio seja feitapor profissional registradomediante diploma de cursosuperior nessa rea. O Po-der Pblico no pode res-tringir, dessa forma, a liber-dade profissional no mbi-to da culinria. Disso nin-gum tem dvida, o que noafasta a possibilidade doexerccio abusivo e antiti-co dessa profisso, com ris-cos eventualmente at sade e vida dos consu-midores, disse.

    O presidente do STFdisse ainda que no acredi-ta que a queda do registroprofissional de jornalistafeche as faculdades de co-municao. Tais cursosso importantes e exigempreparo tcnico e tico dosprofissionais para atuarem.Os jornalistas se dedicam aoexerccio pleno da liberda-de de expresso. O jornalis-mo e a liberdade de expres-

    so, portanto, so ativida-des imbricadas por sua pr-pria natureza e no podemser pensadas e tratadas deforma separada, afirmou.

    Histrico

    O Ministrio Pblico Fe-deral entrou com ao emoutubro 2001 para que noseja exigido o diploma dejornalista para exercer a pro-fisso. Uma liminar editaainda em outubro de 2001suspendeu a exigncia dodiploma de jornalismo.

    A Fenaj (Federao Na-cional dos Jornalistas) e aUnio entraram com um re-curso. Em outubro de 2005,a 4 Turma do Tribunal Re-gional Federal da 3 Regioentendeu que o diploma necessrio para o exercciodo jornalismo. A decisoprovocou um novo recursodo Ministrio Pblico Fede-ral no STF e, em seguida,com a ao para garantir oexerccio da profisso porquem no tem diploma atque o tema seja definidopelo Supremo.

    Em novembro de 2006, oSTF decidiu liminarmentepela garantia do exerccio daatividade jornalstica aosque j atuavam na profissoindependentemente de re-gistro no Ministrio do Tra-balho ou de diploma de cur-so superior na rea.

    Fonte: Folha Online

    Fot

    o W

    eb