economia para concursos

Download Economia para concursos

Post on 12-Apr-2017

46 views

Category:

Economy & Finance

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Prof. R. Cifuentes

    I Jornada Acadmica da Faculdade Fortium

    A aprendizagem de economia aplicada vida (e concursos tambm)

    Brevssima reviso por meio de exerccios

    Prof. Ricardo Cifuentes

    24 de maio de 2016

  • Prof. R. Cifuentes

    EconomiaDo grego: regras do ambiente

    Cincia que estuda a forma como a riqueza se origina e como ela distribuida em uma sociedade

  • Prof. R. Cifuentes

    Mercado, oferta e demanda

    Deslocamento SOBRE a curva: alteraes no preo.

    Deslocamento DA curva: alterao de variveis exgenas

  • Prof. R. Cifuentes

    Mercado, oferta e demanda

    (NCE/ AGER/2004) Em um mercado de concorrncia perfeita, a oferta e a procura de um produto so dadas, respectivamente, pelas seguintes equaes: Qs = 48 10p e Qd = 300 8p, onde Qs, Qd e p representam, na ordem, a quantidade ofertada, a quantidade demandada e o preo do produto. A quantidade transacionada nesse mercado, quando ele estiver em equilbrio, ser:

    a) 188 unidadesb) 144 unidadesc) 100 unidadesd) 10 unidadese) 2 unidades

  • Prof. R. Cifuentes

    Mercado, oferta e demanda

    (EPPGG/ESAF/1999) Se a curva de oferta de um bem for positivamente inclinada, um aumento no preo deste bem implicar:

    a) Uma situao inalterada.b) Uma diminuio de sua quantidade ofertadac) Um aumento de sua quantidade ofertadad) Um deslocamento para a direita de sua curva de ofertae) Um deslocamento para a esquerda de sua curva de oferta

  • Prof. R. Cifuentes

    Pensamento econmicoAdam Smith

    Funcionamento da oferta e da demanda;

    Mercado como melhor alocador de recursos: a mo invisvel;

    Trabalho como origem da riqueza. Diviso tcnica do trabalho.

  • Prof. R. Cifuentes

    Pensamento econmicoDavid Ricardo

    Trabalho vivo como origem da riqueza;

    Alocao de recursos entre naes; Teoria das vantagens comparativas.

  • Prof. R. Cifuentes

    Pensamento econmicoKarl Marx

    Diviso social do trabalho; Relao capital/ trabalho; Mais valia; Capital real, capital fictcio e capitalismo.

  • Prof. R. Cifuentes

    Pensamento econmicoAlfred Marshall

    Tendncia concentrao industrial. Estrutura de mercado. Economias de escala. Barreiras entrada.

  • Prof. R. Cifuentes

    Pensamento econmicoJohn Maynard Keynes

    Demanda efetiva; Propenso poupana x propenso ao

    consumo; Pleno emprego; Polticas anticclicas; Interveno do Estado no capitalismo.

  • Prof. R. Cifuentes

    (FCC/ Metro/2014) Analise a tabela abaixo:

    Pensador e contribuio terica para o pensamento econmico esto corretamente relacionados em:a) I-4 II-2 III-3 IV-1b) I-4 II-3 III-2 IV-1c) I-1 II-2 III-3 IV-4d) I-2 II-4 III-3 IV-1e) I-3 II-2 III-4 IV-1

    Pensamento econmico

  • Prof. R. Cifuentes

    Estruturas de mercado

    (ESAF/ANEEL/2004) Com relao s diferentes estruturas de mercado, correto afirmar que:

    a) Um monopsnio caracterizado pela presena de um nico comprador no mercado de um bem ou servio.

    b) A diferena entre um oligoplio e um oligopsnio que no caso do oligopsnio as empresas constituem uma oligarquia tecnolgica.

    c) Um monoplio uma empresa que tem o poder de fixar preo de seu produto em qualquer nvel sem, com isso, comprometer o volume das suas vendas.

    d) A concorrncia monopolstica uma forma de concorrncia perfeita.e) A concorrncia monopolstica uma concorrncia entre grandes empresas com

    grande poder de mercado.

  • Prof. R. Cifuentes

    Estado e economiaViso neoclssica

    O Estado s pode intervir na economia em situaes de falhas de mercado: bens pblicos, externalidades, assimetrias de informao, entre outros.

  • Prof. R. Cifuentes

    Falhas de mercadoBens Pblicos

    (NCE/ AGER/ 2004) O consumo de bens pblicos por uma determinada pessoa:a) No implica a diminuio dos benefcios disponveis para o resto

    da coletividade.b) Implica a diminuio dos benefcios disponveis para o restante da

    comunidade.c) indiferente em relao ao benefcio disponvel para o restante da

    comunidade.d) Implica a reduo da oferta do mesmo para o restante da

    comunidade.e) Significa aumento da poupana pblica.

  • Prof. R. Cifuentes

    Falhas de mercadoExternalidades

    (ESAF/ ANEEL/ 2006) As opes indicadas completam adequadamente a lacuna abaixo, exceto:

    As externalidades _____________

    a) So negativas quando seus efeitos reduzem o bem estar.b) Ocorrem quando o bem estar de um consumidor ou as possibilidades de produo

    de uma firma so diretamente afetadas pelas aes de um outro agente da economia.

    c) Podem ser definidas como os efeitos, sobre uma terceira parte, derivadas de uma transao econmica sobre a qual a terceira parte no tem controle.

    d) So positivas quando seus efeitos aumentam o bem estar.e) No existem em processos produtivos em que a firma busca maximizar o lucro.

  • Prof. R. Cifuentes

    Falhas de mercadoAssimetria de informao

    (ESAF/ ANEEL/ 2006) Com relao s assimetrias de informao, podemos afirmar que:

    I o oferecimento de garantia na compra de um produto uma maneira de sinalizar a respeito da qualidade do produto e tentar solucionar a assimetria de informaes quanto ao produto.II como exemplo de seleo adversa, podemos citar o comportamento dos motoristas que passam a ser menos cautelosos na escolha dos lugares onde estacionar, aumentado a probabilidade do carro ser furtado, devido ao fato de possurem seguro contra furto de carro.III o fato de que as pessoas com mais problemas mdicos so mais propensas a adquirir seguro sade um exemplo do problema de risco moral.

    a) I e II verdadeiras, III falsab) I e III falsas, II verdadeirac) I, II, III verdadeirasd) I falsa, II e III verdadeirase) I verdadeira, II e III falsas

  • Prof. R. Cifuentes

    Agregados MacroeconmicosFluxo circular produto e renda

    Produo Renda

    CapitalInsumosTerraTrabalho

    LucroJuros

    AluguisSalrios

  • Prof. R. Cifuentes

    PIB e PNB

    (CESGRANRIO/ EPE/ 2007) O PIB de um pas:

    a) sempre maior que o PNB.b) igual ao PNB.c) Aumenta caso o pas importe mais.d) Aumenta com a entrada lquida de capitais financeiros externos de longo prazo.e) Reflete o valor da produo de bens e servios que ocorre dentro do pas.

  • Prof. R. Cifuentes

    Inflao e empregoCurva de Philips

  • Prof. R. Cifuentes

    Inflao e emprego

    (NCE/ AGER/ 2004) A taxa natural de desemprego aquela:

    a) Necessria para manter a economia em pleno emprego.b) Necessria para manter a inflao constante.c) Que permite diminuir a inflao.d) Em que s esto desempregados aqueles que no buscam emprego.e) Associada a um nvel de produto real igual ao produto potencial.

  • Prof. R. Cifuentes

    Poltica FiscalDficit e supervit

    (NCE/ AGER/ 2004) O governo brasileiro tem, em anos recentes, exibido grandes supervits primrios. Esto excludos do clculo do supervit primrio:

    a) Os gastos de custeio.b) Os investimentos de empresas estatais.c) As transferncias para outros entes federativos, tais como municpios.d) Os juros reais.e) Os gastos em educao.

  • Prof. R. Cifuentes

    Setor Externo

    (CESPE/ ANS/ 2005) Na fase atual de globalizao do espao econmico, o estudo da economia internacional crucial para uma insero adequada no cenrio mundial. Tendo como base as noes bsicas dessa teoria, julgue os itens a seguir:

    ( ) No modelo ricardiano das vantagens comparativas, o livre comrcio benfico somente quando o pas que se engaja nas trocas internacionais suficientemente forte para enfrentar a concorrncia externa e possui uma vantagem absoluta na produo de pelo menos uma mercadoria.( ) Em uma economia globalizada, taxas de juros elevadas em um pas, ceteris paribus, atrairo mais capita estrangeiro, provocando, assim, a apreciao da moeda nacional e a reduo das exportaes e do PIB.

  • Prof. R. Cifuentes

    Apresentao, gabarito e comentrios disponveis em:

    http://professorcifuentes.blogspot.com.br

    E-mail: prof.cifuentes@gmail.com