ebook uirapuru

Download Ebook Uirapuru

Post on 01-Mar-2016

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Teste de eboook uirapuru

TRANSCRIPT

  • JOGOS E BRINCADEIRAS

    Mariella Cristiane Castelucci do Prado

    Mnica Aparecida de Almeida Cao

  • 2

    Ao falar sobre jogos e brincadeiras sabemos que ambos encantam crianas e adultos, pois em muitas situaes o carter ldico se faz presente nessas duas aes.

    Os jogos e as brincadeiras podem, sem perder a ludicidade, ser utilizados como recursos importantes no processo de ensino aprendizagem como, por exemplo, na construo de conceitos numricos e matemticos, raciocinar ao buscar melhores estrat-gias para resolver situaes (numa situao de jogo) ao calcular distncias e espaos, entre outros.

    As crianas, desde o nascimento, esto imersas em um universo, do qual os conhecimentos matemticos so parte integrante. As crianas participam de uma srie de situaes envolvendo nmeros, relaes entre quanti-dades, noes sobre espao (BRASIL/MEC, 1998, p. 207).

    Rodeadas por este universo de informaes, as crianas buscam seus prprios recursos juntamente aos seus conhecimentos prvios para resolver situa-es de seu dia a dia ainda que de forma no conven-cional.

    Sob essa perspectiva. a instituio de Educao Infantil pode ajudar as crianas a organizarem melhor suas informaes e estratgias, bem como propor-cionar condies para a aquisio de novos conheci-mentos matemticos (BRASIL/MEC, 1998, p. 207).

  • 3

    A educadora Ktia Smole (2000), em parceria com outras educadoras, cita alguns fatores importantes na importncia do trabalho com brincadeiras na educa-o infantil (como estratgias para o trabalho com matemtica).

    O reconhecimento de que atividades corporais podem se constituir numa forma, numa rota para as crianas aprenderem noes e conceitos matemticos e que as aulas de matemtica devem servir para que alunos da educao infantil ampliem suas competncias pessoais, entre elas as corporais e espaciais (SMOLE, 2000, p. 15).

    E, ainda, de acordo com o Referencial Curricular

    para a Educao Infantil, volume 1:

    Para que as crianas possam exercer sua capacidade de criar imprescindvel que haja riqueza e diversidade nas experincias que lhes so oferecidas nas instituies, sejam elas mais voltadas s brincadeiras ou s aprendi-zagens que ocorrem por meio de uma interveno direta (BRASIL/MEC, 1998, p. 28).

    No trabalho com jogos e brincadeiras muito

    importante que o educador tenha sensibilidade ao avaliar situaes nas quais sejam utilizados como aliados pedaggicos, para no torn-los apenas ins-trumentos de ensino, deixando de lado o prazer envolvido em tais aes.

  • 4

    No Colgio Uirapuru, na Pr-Escola, mais precisa-mente com crianas em idade entre 5 e 6 anos, a proposta com jogos e brincadeiras desenvolvida ao longo do ano. Jogos e brincadeiras so cuidadosa-mente selecionados, visando aquisio de alguns conceitos matemticos.

    Previamente planejadas e organizadas as situa-es referentes a jogos e brincadeiras so propostas em classe de maneira que as crianas divirtam-se e as professoras possam ao observar avaliar se as inten-es foram vlidas ou no, importante ter claro que muitos sero os momentos em que novas estratgias devero que ser tomadas.

    Na fase denominada Pr (Infantil 5) em nosso Colgio, que atende crianas entre 5 e 6 anos, temos por prtica trabalhar nas aulas de Matemtica com jogos e brincadeiras.

    Essa inteno surgiu aps muitos encontros em nosso grupo de estudos, onde pudemos perceber a importncia de se trabalhar alguns conceitos mate-mticos reconhecimento de nmeros, contagem oral, reconhecimento e contagem utilizando dado, adio, subtrao, entre outros desde a Pr-Escola.

    Mas como inserir esses conceitos na Pr-Escola e com crianas muitas vezes no leitoras e to peque-nas, onde o brincar o carro chefe para toda ao?

  • 5

    Nesse sentido que o jogo e a brincadeira, to inerentes realidade das crianas, podem ser aliados ao desenvolvimento, porm os mesmos no devem ser utilizados apenas na transmisso de conceito, pois deixaria de ter seu carter ldico.

    Ao propormos o trabalho com jogos e brincadei-ras, seguimos etapas previstas para quatro semanas, ou seja, um ms.

    Dentre diferentes jogos que trabalhamos existe um interessante e que vale a pena ser destacado, que recebeu o nome de Jogo dos Pratinhos.

    Nesse jogo alguns conceitos matemticos esto inseridos de maneira que as crianas possam desen-volver noes sobre quantidade, reconhecimento da quantidade no dado, contagem de objetos, visualiza-o, noo de adio, subtrao, estimativa.

    Os materiais necessrios so pratinhos de pape-lo, dado e tampinhas de garrafa PET. Lembrando que o material pode ser substitudo (materiais reci-clveis) por tampas de caixa de sapato, folhas de papel, s usar a criatividade e trabalhar com os recursos disponveis. Deve-se ter o cuidado de dividir a classe em grupos de aproximadamente quatro a cinco jogadores, pois se as rodadas forem longas a ateno e a pacincia das crianas podem se disper-sar. A professora pode permitir que escolham entre

  • 6

    eles quem comear a jogar o dado e interferir, caso ache necessrio, se surgir alguma situao de con-flito.

    O jogo ocorre da seguinte maneira: Divide-se a classe em grupos de quatro a cinco jogadores e pedem que faam rodas. Cada jogador recebe um pratinho. Em cada grupo no centro da roda colo-cado um prato (comunitrio) com trinta tampinhas (o nmero de tampinhas pode variar de acordo com o que o professor achar necessrio) e um dado.

    Cada jogador, na sua vez, joga o dado e dever contar e retirar do prato central, a quantidade de

  • 7

    tampinha correspondente ao nmero que saiu no dado. Todos os jogadores fazem o mesmo. O jogo termina quando todas as tampinhas que estavam no prato central acabarem. Em seguida, cada jogador conta quantas tapinhas tem em seu pratinho. Ganha o jogo quem tiver mais tampinhas.

    A variao desse jogo pode ser com o processo de subtrair as tampinhas. Cada jogador ganha o mesmo nmero de tampinhas em seu pratinho (exemplo 20) e o prato no centro da roda fica vazio, a cada jogada o nmero que sair no dado, coloca-se a quantidade correspondente no prato do meio da roda. Ganha o jogo quem terminar sem nenhuma tampinha em seu pratinho ou com o menor nmero.

    Caso a professora queira, pode incluir uma tabela de pontos para anotar os pontos a cada rodada semanal e, depois, comparar e somar quem fez mais pontos durante as rodadas.

    Tambm, enquanto, o jogo ocorre interessante a professora observar as crianas contando, fazendo relaes de quantidade, estimativa (ele tem mais ou acho que ela vai ganhar ou ainda, se ele tirar trs ou quatro acaba o jogo) e a partir dessas obser-vaes colher informaes atravs das falas das crianas, para sua avaliao, se o jogo atingiu o que se esperava, onde percebeu mais dificuldade, que

  • 8

    conceito ficou claro, o que precisa replanejar e, tam-bm, para mais tarde lanar em roda tais coment-rios e debater. interessante que se tire fotos dos momentos e das etapas.

    ETAPAS PREVISTAS PARA AS QUATRO SEMANAS

    1 etapa: Apresenta-se o jogo para as crianas e sugere-se que joguem. Aps a jogada interessante que se organize uma roda de conversa, na qual as crianas possam debater o que acharam de jogar (nesse momento a professora pode colher os depoi-mentos para seu registro e avaliao).

    2 etapa: Joga-se novamente, aps jogarem pode ser proposto que realizem o registro do jogo (no direcionar o que devem fazer, deixar que desenhem), organizar uma roda e deixar livre para que as crianas

    ESSE JOGO LEGAL TEM

    PRATINHOS, BANDEJA E

    DADO!

    VOU CONTAR AS MINHAS

    TAMPINHAS 1,2,3,4...!

    NO FINAL TEM QUE CONTAR AS

    TAMPINHAS QUE ESTO NO PRATINHO!

    CONSEGUI

    PEGAR UM

    MONTE DE

    TAMPINHAS!

  • 9

    socializarem seus desenhos e contarem o que produ-ziram (esse momento muito importante, pois permite que as crianas observem e compartilhem das ideias umas das outras e, com isso, organizem e reorganizem seus conhecimentos).

    3 etapa: As crianas jogam novamente e, em seguida, proposto em roda, a construo de um texto instrutivo para que outras pessoas possam, atravs das informaes contidas nele, jogar. As crianas vo relatando regras, estratgias. O texto escrito pela professora. Depois de escrito, o texto relido para que avaliem ou modifiquem algo que jul-guem necessrio.

    JOGO DO PRATINHO (TEXTO COLETIVO) UM JOGO LEGAL. PRECISA TER MUITAS TAMPINHAS, DADOS E PRATINHOS. DIVIDE AS PESSOAS EM GRUPOS COM AT QUATRO

    PARTICIPANTES. CADA GRUPO FAZ UMA RODA, TEM QUE TER UM DADO, UM

    PRATO COM MUITAS TAMPINHAS NO MEIO DA RODA E UM PRATINHO PARA CADA PARTICIPANTE.

    QUANDO COMEA O JOGO CADA PARTICIPANTE JOGA O DADO, PEGA O MESMO NMERO DE TAMPINHAS (DO PRATO DO MEIO) E COLOCA EM SEU PRATINHO.

    QUANDO ACABAR AS TAMPINHAS DO PRATO DO MEIO, CADA PARTICIPANTE CONTA AS TAMPINHAS QUE ESTO EM SEU PRATO.

  • 10

    4 etapa: As crianas jogam e, novamente, fazem o registro, nesse caso a professora pode observar o primeiro e o segundo registro e notar que, na medida em que se apropriam das regras do jogo e de como se joga, seus desenhos ganham mais detalhes.

    Outra proposta pode ser a brincadeira Alerta. Material: uma bola leve

    Organizao: jogadores espalhados pela quadra e um jogador com a posse da bola. Desenvolvimento: O jogador que est com a bola gritar o nome

    de uma criana e jogar a bola para o alto. A bola poder bater apenas uma vez no cho

    antes que o jogador chamado consiga peg-la. Enquanto o jogador chamado corre para pegar

    a bola, os outros devem sair correndo, inclusive o que o chamou.

  • 11

    Se conseguir pegar a bola antes que ela queime duas vezes no cho, a criana chamada dever gritar alerta. Neste momento, todos os outros devem para