e-mail: peteefeusp@ · musculação),

Download E-mail: peteefeusp@  · musculação),

Post on 13-Dec-2018

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

PET - EEFEUSP

Agosto de 2009Agosto de 2009Agosto de 2009Agosto de 2009 Edio 8Edio 8Edio 8Edio 8

PETELECO E-mail: peteefeusp@hotmail.com

a Escola de Educao Fsica e Esporte da USP, realizou no dia 11 de Agosto, o even-to Encontro Internacional de Atividade Fsica, Nutrio e Longevidade para discus-so de fatores como a prtica de atividade fsica, dieta e hbitos saudveis, que con-

tribuem para a longevidade e qualidade de vida.

Para isso foram convidados: Dra. Wendy Ko-hrt, professora titular da ca-deira de Geriatria da Universi-dade de Denver (EUA); Dr. Jacques Poortmans, profes-sor emrito de Bioqumica do Exerccio da Universidade Livre de Bruxelas; Dr. Antonio Herbert Lancha Jnior, pro-fessor titular da Universidade de So Paulo e coordenador do Laboratrio de Nutrio e Metabolismo Aplicados Atividade Motora; Dra. Clu-dia Forjaz, professora livre docente da Universidade de So Paulo (USP) e coordena-dora do Laboratrio de He-modinmica da Atividade Motora (LAHAM-EEFEUSP); Dr. Jlio Serro, professor

livre docente da USP e coor-denador do Laboratrio de Biomecnica; Dra. Suely dos Santos, professora da USP com nfase no processo de envelhecimento; Dr. Valmor Tricolli, professor livre docen-te da USP com nfase em Treinamento Esportivo e Iri-

neu Loturco, consultor tcni-co esportivo do Grupo Po de Acar.

A palestrante Wendy, enfatizou o valor que a alimentao possui no pro-cesso de envelhecimento. Tambm citou pesquisas que dizem que o exerccio no aumenta a longevidade tanto quanto a restrio alimentar. Alm do mais, mostrou a importncia de atividades esportivas que estimulam no apenas o desenvolvimen-to ou manuteno do sistema msculo-esqueltico, mas traz melhorias no padro de locomoo e na preveno de acidentes como quedas, mas tambm atividades que ofeream estmulos para o aprimoramento mental. Fato este tambm mencionado

pela palestrante Suely dos Santos, que abordou o tema envelhecimento, contextuali-zando o idoso no Brasil e a respectiva prtica de ativida-de fsica em programas espe-cializados. Mostrou que a diferena biolgica entre os ndividuos de mesma idade, gnero, cultura, alm de pe-quena quantidade de servi-os e oportunidades para a prtica de atividade fsica so aspectos importantes a se-rem considerados.

Julio Serro expla-nou sobre os riscos, benef-cios e cuidados na elabora-

o de um programa de treinamento para essa populao. Tendo citado a relevncia da carga (intensidade) e o quanto isso significa em termos biomecnicos ao aparelho locomotor do idoso em com-parao com um adulto jovem, e tam-bm em rela-o ao obeso e deixou claro que o maior

desafio do profissional da atividade fsica proporcio-nar um exerccio cuja carga seja adequada para a estru-tura biolgica desse indiv-duo, minimizando os riscos e maximizando os benefcios. As atividades mais comumen-te prescritas a essa popula-o (caminhada, corrida e musculao), quando bem controladas so atividades seguras e benficas a essa populao.

O encontro termi-nou gerando perguntas, tanto da platia quanto dos pr-prios palestrantes, sobre os assuntos discorridos durante o evento, o que oportunizou o esclarecimentos e aprofunda-mentos dos temas aborda-dos.

O avano da medici-na e de reas correlatas sade permitiram, alm da diminuio da taxa de morta-lidade, o aumento da expec-tativa de vida do ser humano. O limite biolgico, antes deli-mitado por aspectos ambien-tais foi galgado pela cincia e permitiu a obteno de um novo patamar na longevidade e sobrevidade das pessoas.

No entanto, uma preocupao emerge junto a esse incremento de idade, pois viver mais no necessa-riamente significa viver me-lhor. No incomum ver ido-sos na dependncia fsica de parentes, amigos e at mes-mo especialistas em suas atividades da vida diria. E por conta disso cada vez mais pesquisas esto sendo realizadas com intuito de permitir uma vida melhor a essa populao

Pensando em unir os conhecimentos cientficos ao preceitos pragmticos dos profissionais ligados a sade dos idosos, o Grupo Po de Acar e seu idealizador Abilio Diniz, em conjunto com

N E S T A N E S T A N E S T A N E S T A E D I OE D I OE D I OE D I O ::::

Entrevista: grandes nomes do mercado do Fitness

2

Programa SIGA 3

EPETUSP 2009 3

PET-ENSINA: Saiba o que acon-teceu na ltima palestra organi-zada pelo PET-EEFEUSP

4

Ensaio: incluso em EF escolar

5

Formao acadmica nas 6

Tirinha 6

Encontro Internacional de atividade Encontro Internacional de atividade Encontro Internacional de atividade Encontro Internacional de atividade Fsica, Nutrio e LongevidadeFsica, Nutrio e LongevidadeFsica, Nutrio e LongevidadeFsica, Nutrio e Longevidade

Paulo R. Panisi

Pgina 2

PETELECO

EntrevistaEntrevistaEntrevistaEntrevista

Palavras de quem fez dar certo: uma entrevista com dois

grandes nomes do mercado do fitness

relao ruim com a atividade fsica: Decidi investir e entrar neste ramo pelas perspectivas de longo prazo do setor. As pes-soas, famlias e empresas de forma geral tm ampla conscin-cia de que uma atitude preventi-va em relao aos hbitos de vida e alimentares a melhor forma de prevenir e garantir uma boa sade. Aps realizar um check-up de rotina em 1996 foi identifica-do que a minha sade estava em risco pelos diversos fatores encontrados (estresse, peso aci-ma do recomenda-do, massa corporal, colesterol, vida se-dentria, etc.) e, aps isso decidi mudar os hbitos de vida e, den-tre eles, praticar atividade fsica regular em academias e corrida. At hoje mantenho estas ativida-des. O valor que atribuo que a atividade fsica regular me garan-te sade e bem-estar. Quando questionados sobre a importncia do profissio-nal e da formao acadmi-

ca em Educao Fsica e Esporte, Joo Paulo relatou a gran-de importncia que tm na prtica e dis-seminao da ativida-de fsica Com certe-za acredito na impor-tncia da formao profissional em Edu-cao Fsica. Este

profissional tem que, antes de tudo, amar o que faz. Alm disto, importante estudar sempre, continuamente, porque a ativida-de fsica uma profisso muito dinmica que evolui dia a dia. A funo de todo professor ser um exemplo, e o professor de educao fsica tem uma tarefa ainda mais complexa, pois no bastasse ser um exemplo de conduta, tem tambm que ser

um exemplo de preocupao com o corpo e com a sade. A-credito que um bom professor de educao fsica tem que obser-var sempre seu comportamento e suas atitudes no que diz respei-to ao cuidado com seu corpo na mesma medida em que se preo-cupa com a atualizao constan-te de seus conhecimentos tcni-

cos. Luiz Urquiza tambm ressaltou a boa formao de um profissional de ativi-dade fsica Acredito que a atuao em qualquer setor requer a adequada forma-o acadmica. Esta formao essencial para que a Empresa

possa prestar um servio de va-lor agregado aos clientes. O Edu-cador Fsico deve ter as seguin-tes competncias bsicas: tcni-ca, relacionamento interpessoal, motivacional (dinamismo e pr atividade), iniciativa e trabalho em equipe. A mensagem que passo aos profissionais em suas respectivas reas que devam, sempre, atuar dentro dos pa-dres ticos e profissionais. Es-tes so os pilares para o desen-volvimento profissional de longo prazo. O legado que cada profis-sional constroi a soma de suas atitudes no dia-a-dia. Entendo que o bem-estar e a sade de nossos clientes esto acima de qualquer interesse empresarial ou profissional. Esperamos t-los ajuda-do quanto ao que esperar ao trabalhar ou investir no ramo do fitness, A escolha destes profis-sionais deu-se pelo que ambos representam neste tipo de mer-cado, sendo dois grandes nomes que poderiam, ao nosso ver, passar uma boa mensagem aos graduandos de Educao Fsica e Esporte. At a prxima!

Atualmente, as possibi-lidades de atuao dentro do mercado de trabalho referente Educao Fsica e ao Espor-te tornaram-se cada vez mais amplas, ramificando-se em v-rias reas de interveno. Dentre elas , enfatizaremos o fitness, que tem seu mercado cada vez mais expandido aqui no Brasil. Pensando nisso, o gru-po PET-EEFEUSP entrevistou Joo Paulo Diniz e Luiz Urquiza, dois grandes investidores do Grupo A! Body Tech, antiga Fr-mula Academia , procurando saber quais as tendncias e de-mandas desse mercado especfi-co para aqueles que desejam inserir-se nesse universo, seja como empregados ou investido-res. Ambos os entrevistados tm uma relao estreita com a atividade fsica, o que os motivou a extrapolar as barreiras de ape-nas praticantes para investidores e disseminadores da atividade fsica. Segundo Joo Paulo Ultimamente tenho procurado direcionar os meus investimen-tos para negcios que tenham muito a ver com meu estilo de vida e que atravs dele eu possa aju-dar a fazer a dife-rena no negcio, colaborando para o seu sucesso. A atividade fsica est presente em muitas reas da minha vida, por isso tem uma im-portncia to grande para mim. Est relacionada a tudo o que eu mais gosto de fazer. Alm disso, muito importante para a minha sade e me deixa em forma para desfrutar tudo de mais importante que a vida ofe-rece. Ao contrrio de Joo Paulo, Urquiza no iniciou a prti-ca de maneira profiltica, o que no quis dizer que tivesse uma

Aline Toffoli, Rodolfo Pavanelli e rika Rossi

O Educador Fsico deve O Educador Fsico deve O Educador Fsico deve O Educador Fsico deve ter as seguintes compe-ter as seguintes compe-ter as seguintes compe-ter as seguintes compe-tncias bsicas: tcnica, tncias bsicas: tcnica, tncias bsicas: tcnica, tncias bsicas: tcnica, relacionamento interpes-relacionamento interpes-relacionamento interpes-relacionamento interpes-s oa l , mo t i vac iona l s oa l , mo t i vac iona l s oa l , mo t i vac iona l s oa l , mo t i vac iona l (dinamismo e pr ativida-(dinamismo e pr ativida-(di