dst gen£â€°tica testes molecular moleculares doen£§as sexualmente...

Download DST GEN£â€°TICA TesTes MOLECULAR Moleculares Doen£§as Sexualmente Transmiss£­veis DSTPCR Doen£§as Sexualmente

Post on 17-Apr-2020

1 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • GENÉTICA MOLECULAR

    A Genética de Microorganismos do Hermes Pardini é reconhecida por oferecer uma gama de exames moleculares que auxiliam nas decisões clínicas como contribuição para melhoria e manutenção da saúde.

    GENÉTICA MOLECULAR

    DST TesTes Moleculares

  • Diagnóstico preciso Decisão certa com vasta experiência em planejamento de pesquisas, o Hermes Pardini oferece, entre as metodologias empregadas, exames através da reação em cadeia de Polimerase (Pcr), Branched DNa (Bdna), Pcr em Tempo real, análise de Perfil de Fragmentação por enzima de restrição, captura Híbrida, sequenciamento Genético e outros.

    o laboratório disponibiliza testes moleculares à diversas áreas da medicina, o que garante um diagnóstico precoce para o acompanhamento do quadro clínico.

  • Maior confiabilidade dos laudos

    Alto pAdrão dE quAlidAdE AtrElAdo à utilizAção dE progrAmAs dE controlE ExtErnos E intErnos

    AtuAlizAção e desenvolvimento constAnte em pesquisAs de novos testes

    EquipE dE EspEcialistas E técnicos altamEntE qualificada

    AssessoriA científicA pArA discussão de lAudos e interpretAção de resultAdos por médico infectologistA

    Menu coMpleto de exaMes para detecção e acoMpanhaMento clínico dos pacientes

    DST - Genética de Microorganismos

  • Doenças sexualmente transmissíveis Diagnóstico molecular das infecções genitais

    Os testes moleculares constituem opção de primeira linha para diagnóstico e triagem

    dos dois principais patógenos associados às síndromes de cervicite e uretrite: Chlamydia trachomatis e Neisseria gonorrhoeae. Quando indicada a testagem para um dos agentes, sugere-se que o paciente seja, também, testado para o outro, em decorrência da apresentação clínica similar e da via comum de transmissão1.

    Chlamydia trachomatis

    os testes de amplificação de ácidos nucléicos (NaaT) para pesquisa de clamídia constituem a ferramenta mais importante para detecção da infecção genital pelo agente, na atualidade. as vantagens dessa metodologia não se restringem às suas altas especificidade e sensibilidade, mas também à sua aplicabilidade a uma maior diversidade de amostras2, 3.

    a amostra de escolha para mulheres é a vaginal, por autocoleta ou por coleta assistida por profissional de saúde, propiciando alta sensibilidade para o exame e grande comodidade para a paciente. caso seja submetida ao exame especular para coleta citológica, sugere-se utilizar o material endocervical, acondicionando-o separadamente, em meio de transporte específico para o teste de biologia molecular.

    as amostras urinárias são as mais indicadas para o diagnóstico e triagem em homens, constituindo, também, alternativa apropriada para mulheres, embora com sensibilidade um pouco inferior.

    Neisseria gonorrhoeae

    o NaaT para N. gonorrhoeae constitui a ferramenta de maior sensibilidade para o rastreio das infecções genitais por esse micro-organismo. a pesquisa direta pelo Gram e a cultura ainda constituem exames de primeira linha para as infecções sintomáticas ou quando se faz necessário avaliar o perfil de sensibilidade aos antimicrobianos. Porém, o teste molecular é consideravelmente mais sensível para o rastreio dos casos assintomáticos, oferece comodidade através da coleta de material urinário para os pacientes masculinos e permite a pesquisa concomitante de clamídia no mesmo material.

    Outros agentes

    Dos quatro “micoplasmas” que infectam o homem, três podem colonizar o trato genital: Mycoplasma genitalium, Mycoplasma hominis e Ureaplasma urealyticum. o M. genitalium é uma causa reconhecida de uretrite não gonocócica e não clamidial e os microorganismos M. hominis e U. urealyticum, que colonizam o trato genital, são frequentemente implicados como agentes patogênicos, nos casos de uretrite sem etiologia definida.

    o Hermes Pardini oferece o NaaT, através da metodologia Pcr, para os cinco agentes citados, de forma independente ou combinados em um único teste “multiplex”, que detecta a presença de todos os patógenos em uma única reação.

    Referências Bibliográficas

    1. Sexually Transmitted Diseases Treatment Guidelines. CDC MMWR – Vol. 59, RR-12. December 17, 2010.

    2. Chlamydia trachomatis: UK Testing Guidelines 2010. Clinical Effectiveness Group – British Association for Sexual Health and HIV.

    3. Laboratory Diagnostic Testing for Chlamydia trachomatis and Neisseria gonorrhoeae. Expert Consultation Meeting Summary Report. January 13-15, 2009 – Atlanta, GA.

    Autor

    Adriano Oliveira Marchi - Assessoria Científica

  • Doenças Sexualmente Transmissíveis

    DSTPCR Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) - multiplex PCR

    a multiplex Pcr é capaz de detectar, em uma única reação e amostra, a C. trachomatis, a N. gonorrhoea, a M. hominis, a M. genitalium e a U. urealyticum. É de grande importância no diagnóstico diferencial das uretrites e cervicites.

    Método reação em cadeia da Polimerase (Pcr) qualitativa

    PCRC Chlamydia trachomatis

    Detecção rápida e sensível da infecção por Chlamydia trachomatis. É considerado o método “padrão-ouro” pelo Centro de Controle de Doenças (CDC).

    Método reação em cadeia da Polimerase (Pcr) qualitativa

    NGPCR Neisseria gonorrhoea

    Permite a diminuição do tempo de diagnóstico e aumento da sensibilidade de detecção da infecção por N. gonorrhoeae para 98%.

    Método reação em cadeia da Polimerase (Pcr) qualitativa

    MCPPCR Mycoplasma genitalium

    Diagnóstico de agente causador de uretrite, uretrite crônica, doença inflamatória pélvica e doenças articulares.

    Método reação em cadeia da Polimerase (Pcr) qualitativa

    MCPPCR Mycoplasma hominis

    Está associada à pielonefrite aguda, vaginose bacteriana, doença inflamatória pélvica e febre puerperal.

    Método reação em cadeia da Polimerase (Pcr) qualitativa

    URPPCR Ureaplasma urealyticum

    Responsável por 20 a 30% dos casos de uretrite não gonocócica (UNG). Também associado à salpingite, endometrite, corioamniotite, prostatite, epidimite, parto prematuro, septicemia, meningite e pneumonia no recém-nascido.

    Método reação em cadeia da Polimerase (Pcr) qualitativa

  • Av. das Nações, 2.448 - Distrito Industrial - Vespasiano/MG CEP: 33200-000 - Tel.: 31 3228.6200 atendimento@hermespardini.com.br www.hermespardini.com.br

    Re sp

    on sá

    ve l T

    éc ni

    co : A

    ri ov

    al do

    M en

    do nç

    a - C

    RM M

    G 3

    34 77

    / In

    sc ri

    çã o

    CR M

    3 56

    - M

    G

Recommended

View more >