Dr. José Timóteo Montalvão Machado - ?· Escola Superior de Enfermagem Dr. José Timóteo Montalvão…

Download Dr. José Timóteo Montalvão Machado - ?· Escola Superior de Enfermagem Dr. José Timóteo Montalvão…

Post on 26-Jan-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

Escola Superior de Enfermagem

Dr. Jos Timteo Montalvo Machado

ESEDJTMM Modelo 24

1

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO E MUDANA DE PAR INSTITUIO/CURSO

Captulo I

Disposies gerais

Artigo 1.

Objeto e mbito

1. O presente regulamento estabelece as normas a obedecer nos regimes de reingresso e de

mudana de par instituio/curso, na Escola Superior de Enfermagem Doutor Jos Timteo

Montalvo Machado (ESEDJTMM), nos termos do disposto na Portaria n. 181-D/2015, de 19 de

junho, alterada pela Portaria n. 305/2016, de 6 de dezembro, que revoga, a Portaria n.

401/2007, de 5 de abril, alterada pela Portaria n. 232-A/2013, de 22 de julho e pelo Decreto-

Lei n.113/2014, de 16 de julho, alterado pelo Decreto-Lei n. 63/2016, de 13 de setembro.

2. O disposto no presente regulamento aplica-se aos estudantes que estejam ou tenham estado

matriculados e inscritos em estabelecimentos de ensino superior nacionais ou estrangeiros

reconhecidos pelas autoridades competentes.

3. O disposto no presente regulamento aplica-se ao Curso de Licenciatura em Enfermagem (CLE)

em funcionamento na ESEDJTMM.

Artigo 2.

Conceitos

1. Reingresso o ato pelo qual um estudante, aps a interrupo dos estudos num dos cursos

em funcionamento na ESEDJTMM, se matricula na mesma instituio e se inscreve no mesmo

curso ou em curso que lhe tenha sucedido.

2. Mudana de par instituio/curso o ato pelo qual um estudante se matricula na ESEDJTMM

e se inscreve no CLE, sendo proveniente de outro par instituio/curso.

Escola Superior de Enfermagem

Dr. Jos Timteo Montalvo Machado

ESEDJTMM Modelo 24

2

Artigo 3.

Requerimento

1. O Reingresso, Mudana de Par Instituio/Curso so requeridos Presidente do Conselho de

Direo da ESEDJTMM.

2. Os requerimentos de candidatura a Reingresso, Mudana de Par Instituio/Curso e os

documentos referidos no artigo 5. devem ser entregues pessoalmente nos Servios

Acadmicos (SA) da escola.

Reingresso

3. Podem requerer o Reingresso os estudantes que cumulativamente:

a) Tenham estado matriculados e inscritos na ESEDJTMM;

b) No tenham estado inscritos no ano letivo anterior quele em que pretendem reingressar.

Mudana de Par Instituio/Curso

4. Podem requerer a Mudana de Par Instituio/Curso os estudantes que cumulativamente:

a) Tenham estado matriculados e inscritos noutro par instituio/curso e no o tenham

concludo.

b) Tenham realizado os exames nacionais do ensino secundrio correspondentes s provas de

ingresso fixadas para a ESEDJTMM, para o ano em que se candidatam, no mbito do regime local

de acesso.

c) Tenham, nesses exames, a classificao mnima exigida pela ESEDJTMM, nesse ano, no mbito

do regime local de acesso.

d) Os exames a que se refere a alnea b) podem ter sido realizados em qualquer ano letivo.

5. O regime de mudana de par instituio/curso aplica-se de igual forma, aos estudantes que

tenham estado matriculados e inscritos em instituies de ensino superior estrangeiras em

curso designado como superior pela legislao do pas de origem e no o tenham concludo.

6. Para os estudantes internacionais, a condio estabelecida pelas alneas b) e c) do ponto 4

pode ser substituda pela aplicao do disposto nos artigos 5. e 6. do Decreto -Lei n. 36/2014,

de 10 de maro, alterado pelo Decreto -Lei n. 113/2014, de 16 de julho.

Escola Superior de Enfermagem

Dr. Jos Timteo Montalvo Machado

ESEDJTMM Modelo 24

3

7. Os candidatos que ingressaram na instituio de origem como titulares das provas

especialmente adequadas a avaliar a capacidade para a frequncia do ensino superior (maiores

de 23), podero substituir a condio prevista na alnea b) do n. 4 pela apresentao de

comprovativo da aprovao nas provas realizadas na ESEDJTMM.

8. No permitida a mudana de par instituio/curso no ano letivo em que o estudante tenha

sido colocado ao abrigo de qualquer regime de acesso e ingresso e se tenha matriculado e

inscrito.

Artigo 4.

Pr-requisito

Para a matrcula e inscrio na ESEDJTMM obrigatria a satisfao do pr-requisito exigido

para o ingresso no CLE, nos termos da deliberao aprovada anualmente pela Comisso Nacional

de Acesso ao Ensino Superior.

Captulo II

Regime geral de admisso por reingresso e mudana de par instituio/curso

Artigo 5.

Abertura de concurso

1. Anualmente, a escola abrir um concurso de admisso ao CLE pelos regimes de reingresso e

mudana de par instituio/curso, para inscrio e matrcula no ano letivo seguinte.

2. A abertura do concurso feito por despacho da presidente do conselho de direo, atravs

de edital, a afixar nos locais de estilo da ESEDJTMM e a publicar no stio na Internet, do qual

consta a informao dos atos a praticar, as vagas a atribuir, o jri, a instruo das candidaturas

e os critrios de seriao.

Artigo 6.

Jri do concurso

1. O jri do concurso nomeado por despacho da presidente do conselho de direo.

2. Cabe ao jri a seleo das candidaturas, sendo o conselho de direo, o rgo competente

para a deciso final dos requerimentos.

Escola Superior de Enfermagem

Dr. Jos Timteo Montalvo Machado

ESEDJTMM Modelo 24

4

Artigo 7.

Vagas

1. O reingresso no est sujeito a limitaes quantitativas.

2. As vagas para mudana de par instituio/curso so fixadas anualmente, por despacho da

presidente do conselho de direo, sob proposta CTC.

3. As vagas fixadas nos termos do nmero anterior so comunicadas Direo-Geral do Ensino

Superior e ao Observatrio da Cincia e do Ensino Superior, pelos servios acadmicos da

ESEDJTMM.

Artigo 8.

Candidatura

1. A candidatura deve ser apresentada nos SA, atravs do preenchimento do boletim de

candidatura a fornecer, acompanhado obrigatoriamente, dos seguintes documentos:

Reingresso

a) Fotocpia do Bilhete de Identidade e do N. de Identificao Fiscal ou Carto de Cidado;

b) Procurao, se a candidatura no for apresentada pelo prprio.

Mudana de Par Instituio/Curso

a) Fotocpia do Bilhete de Identidade e do N. de Identificao Fiscal ou Carto de Cidado;

b) Historial de candidatura ou Ficha ENES Documento comprovativo da aprovao nos

exames nacionais do ensino secundrio, correspondentes s provas de ingresso fixadas pela

ESEDJTMM no mbito do regime local de acesso e ingresso ao ensino superior, com as respetivas

classificaes e classificao final do ensino secundrio, com indicao da mdia obtida

(aplicvel apenas aos candidatos a mudana do par instituio/curso);

c) Documento, emitido por instituio de ensino superior, em que conste o curso a partir do

qual se candidata e o respetivo ano de ingresso;

d) Entrega do pr -requisito exigido na escola;

e) Para os candidatos oriundos de Instituies estrangeiras:

i) Documento que possa ser substituto do Historial de candidatura/Ficha ENES;

ii) Declarao de matrcula e inscrio do estabelecimento de ensino em que esteve inscrito;

Escola Superior de Enfermagem

Dr. Jos Timteo Montalvo Machado

ESEDJTMM Modelo 24

5

iii) Declarao do NARIC National Academic Recognition Information Centre (na Direo Geral

do Ensino Superior) de que a instituio de ensino em que se encontra inscrito de nvel superior

no sistema educativo do respetivo pas.

f) Declarao, sob compromisso de honra, devidamente datada e assinada, de que no concluiu

o curso a partir do qual se candidata;

g) Procurao, se a candidatura no for apresentada pelo prprio;

Na instruo do processo de candidatura de estudantes estrangeiros, o candidato deve

apresentar os documentos originais autenticados pelos servios oficiais de educao do

respetivo pas e traduzidos para portugus, por tradutor reconhecido por autoridade

diplomtica ou consular portuguesa.

2. Os candidatos devero, ainda apresentar, os documentos que permitam verificar o

cumprimento dos critrios de seriao previstos no artigo 11., bem como outros documentos

referidos no edital de abertura do concurso.

3. A candidatura est sujeita ao pagamento dos emolumentos em vigor na ESEDJTMM.

4. A candidatura vlida apenas para a matrcula e inscrio no ano letivo a que a mesma se

refere.

Artigo 9

Indeferimento liminar

1. So liminarmente indeferidas as candidaturas que se encontrem numa das seguintes

situaes:

a) tenham sido apresentadas fora de prazo;

b) no sejam acompanhadas de toda a documentao necessria instruo do processo, nos

termos do artigo anterior;

c) infrinjam expressamente alguma das regras fixadas pelo presente regulamento.

2. O indeferimento da competncia da presidente do conselho de direo, por proposta

fundamentada do jri do concurso.

Escola Superior de Enfermagem

Dr. Jos Timteo Montalvo Machado

ESEDJTMM Modelo 24

6

Artigo 10.

Excluso de candidatura

1. Sero excludos do processo de candidatura, em qualquer momento do mesmo, no podendo

matricular-se e ou inscrever-se nesse ano letivo em qualquer estabelecimento e curso de ensino

superior, os candidatos que prestem falsas declaraes ou que incorram em situao de fraude.

2. Confirmando-se posteriormente realizao da matrcula, a situao referida no nmero

anterior, a matrcula e inscrio bem como, os atos praticados ao abrigo da mesma, sero nulos.

3. Nas situaes referidas nos nmeros anteriores, no haver lugar a ressarcir o candidato de

quaisquer emolumentos pagos.

4. A deciso relativa excluso do processo de candidatura proferida pela presidente do

conselho de direo, por proposta fundamentada do presidente do jri do concurso.

Artigo 11.

Seleo e seriao dos candidatos

1. A seleo das candidaturas ser realizada pelo jri referido no artigo 6. que procede

seriao dos candidatos admitidos, se necessrio.

2. A seleo dos candidatos em cada um dos regimes do concurso ser efetuada atravs da

verificao dos requisitos exigidos.

3. Caso os candidatos selecionados para o regime de mudana de par instituio/curso sejam

em nmero superior ao nmero de vagas disponveis proceder-se- seriao dos mesmos pela

aplicao sucessiva dos seguintes critrios:

Reingresso

a) O reingresso no est sujeito a limitaes quantitativas, conforme o previsto no artigo 6.

da Portaria n. 181 -D/2015, de 19 de junho.

Mudana de Par Instituio/Curso

a) Melhor classificao no exame nacional do ensino secundrio (prova de ingresso) de entre

as exigidas na ESEDJTMM no concurso nacional de acesso ao Ensino Superior.

b) Melhor classificao final do ensino secundrio.

Escola Superior de Enfermagem

Dr. Jos Timteo Montalvo Machado

ESEDJTMM Modelo 24

7

Artigo 12.

Deciso

1. A lista final do concurso homologada pela presidente do conselho de direo da ESEDJTMM.

2. A lista referida no nmero anterior ser publicitada nos locais de estilo e no stio da internet

da ESEDJTMM, nos prazos fixados.

3. O resultado final exprime-se atravs de uma das seguintes menes, com a indicao, da

seriao no respetivo contingente:

a) colocado;

b) no colocado;

c) excludo.

4. A meno da situao de excludo ser acompanhada da respetiva fundamentao.

5. Nos casos de indeferimento liminar de excluso da candidatura ou de no colocao, o

candidato dever requisitar a devoluo da documentao entregue no prazo de trinta dias

seguintes notificao da deciso, findo o qual a mesma ser eliminada.

Artigo 13.

Reclamaes

1. Da lista referida no artigo anterior, podem os interessados apresentar reclamao, dirigida

presidente do conselho de direo, devidamente fundamentada, a ser entregue nos SA da

ESEDJTMM no prazo de 2 dias teis, a partir da data de afixao da lista.

2. A deciso sobre a reclamao ser proferida ao reclamante, no prazo de 2 dias aps a sua

receo, sendo comunicada pela presidente do conselho de direo da ESEDJTMM por correio

eletrnico.

Artigo 14.

Matrcula e inscrio

1. Os candidatos colocados devem proceder matrcula e inscrio no CLE, presencialmente nos

SA da ESEDJTMM, nos prazos fixados em edital.

a) A colocao vlida apenas para a matrcula e inscrio no ano letivo para o qual se candidata.

Escola Superior de Enfermagem

Dr. Jos Timteo Montalvo Machado

ESEDJTMM Modelo 24

8

2. Sempre que o candidato no efetue a matrcula e inscrio no prazo fixado, os SA da

ESEDJTMM convocaro o candidato seguinte da lista, at efetiva ocupao das vagas ou dos

candidatos no colocados.

Artigo 15.

Integrao curricular

1. Os estudantes colocados, que concretizem a matrcula e inscrio nos termos do artigo 14.,

integram-se nos planos curriculares e organizao de estudos em vigor na ESEDJTMM no ano

letivo a que o concurso se refere.

2. A integrao curricular assegurada atravs do sistema europeu de transferncia e

acumulao de crditos (ECTS), aplicando-se as normas em vigor na ESEDJTMM.

3. A ESEDJTMM no garante a compatibilidade de horrios aos estudantes que, em resultado do

processo de integrao curricular, se inscrevam em unidades curriculares de anos curriculares

diferentes.

Artigo 16.

Disposies finais

1. Os casos omissos e as dvidas de interpretao sero resolvidos pelo conselho de direo,

ouvido o conselho tcnico-cientfico.

Artigo 17.

Entrada em vigor

1. O presente regulamento entra em vigor aps a sua aprovao.

Chaves, ESEDJTMM 7 de abril 2017

A presidente do conselho de direo

Recommended

View more >