dr. carlos lima melo, médico ?· indicados no distúrbio do pânico quando está acompanhado de...

Download DR. CARLOS LIMA MELO, médico ?· indicados no Distúrbio do Pânico quando está acompanhado de ...…

Post on 03-Dec-2018

215 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • http://www.cesaho.com.br/biblioteca_virtual/livro.aspx?l=2

    Matria Mdica Homeoptica Aconitun napellus - 2 Parte Carlos Lima Melo 1

    DR. CARLOS LIMA MELO, mdico homeopata. climamelo@gmail.com

    Aconitum napellus 2 Parte Assinatura / Signatura de Aconitum CLARKE - Os ventos penetrantes, cortantes frios dos vales onde florece o Aconitum nos lembram a assinatura deste medicamento. Estes ventos fazem muito mal ao indivduo Acnito, podem causar a uma paralisia do trigmio, apesar disto o indivduo Aconitum precisa muito de e ar, do contrrio sente como se estivesse a ponto de morrer. Junto com Kalium arsenicosum um dos medicamentos mais indicados no Distrbio do Pnico quando est acompanhado de hiperventilao*. *acon, kali-ar, ambr, asar, bar-br, cadm-met, cupr, gels, lyc, mag-br, med, op, oxyg, phos, sil. O mitologema de Persfone espelha a patogenesia de Aconitum napellus, ela foi raptada por Hades e levada para o reino das trevas*, morada dos mortos, onde falta luz e ar. O inconsciente define um complexo psquico (conjunto de fatos e processos psquicos) de natureza praticamente insondvel, misterioso, obscuro, de onde brotam as paixes, o medo, a criatividade, a vida e a morte. J ouvir de vrios indivduos que responderam bem com Aconitum, que eles tm medo de ser enterrados vivos, de ficar preso em um elevador, caso falte luz e passam a se sentir como se estivessem presos dentro de uma sepultura, sem ar e sem vida.

  • http://www.cesaho.com.br/biblioteca_virtual/livro.aspx?l=2

    Matria Mdica Homeoptica Aconitun napellus - 2 Parte Carlos Lima Melo 2

    Esta srie funtamental para entender Aconitum: Luz = Ar =Vida (plo positivo) e Escuro =Asfixia =Morte (plo negativo). Aconitum ora vive em um estado racional, ora mergulha no irracional.

    O mito de Demter (Demetra) e Persfone nos mostra a fuso do instinto com o racional. (ora est totalmente racional, ora fala besteira - sometimes he is quite rational, sometimes he talks nonsense). A correlao entre a patogenesia de Aconitum napellus e o mito de Persfone muito grande, ora Aconitum se sente como se estivesse suspenso no ar e nada houvesse debaixo dele (He felt as if he were in the air, and had nothing under him), ora se sente pesado como chumbo; e afunda em um estado de letargia (no incosciente ou mundo das trevas); (his body was filled with lead; sinks into lethargy). Um estado pareciddo ocorre com Nux moschata, que ora est consciente, ora afunda no inconsciente. O professor Zoby nos chama a ateno para o fato de os medos de Aconitum serem das coisas abstratas, que afloram do inconsciente, mas a clnica nos tem mostrado que e tambm tem medos das coisas concretos, como rato, sapo, lagartixa branca, talvez por se tratarem de seres ligados aos rituais de magia.

  • http://www.cesaho.com.br/biblioteca_virtual/livro.aspx?l=2

    Matria Mdica Homeoptica Aconitun napellus - 2 Parte Carlos Lima Melo 3

    Dicionrio de Sonhos rato Maquinaes de inimigos. Prejuzos. Intriga no local de trabalho Na vida: inimigo desconhecido. No amor: discrdia. Dicionrio Espaol - Parapsicologia sapo Animal supuestamente relacionado con la brujera y el satanismo. La marca del sapo era grabada en el pecho, las nalgas o los muslos de la mujer cuando adquira su condicin de bruja. Segn la Inquisicin el sapo era la marca del Diablo que sealaba a sus aclitas. Crean que la imagen del sapo era imprimida en una moneda de oro con la que se marcaba en la nia del ojo izquierdo de la bruja durante un ritual hertico. Era la imagen de un pequeo sapito que posteriormente constitua el smbolo de la impronta brujeril.

    lagarto A lagartixa um animal presente em nossa histria dos smbolos desde os primrdios da era crist, contendo significados diversos, que ora pendem para o bem, ora para o mal, ou seja, simbolicamente, encontra-se no cu e no inferno. Da a fora de seu contedo a ser representado como um animal-guardio. lagarto, na poca crist, adquiriu valor de renascimento, de rejuvenescimento por conta de sua capacidade natural de descamao, que simbolizava aspirao luz espiritual. O lagarto tambm podia corporificar a alma, pois acreditava-se que o pequeno animal entrava pela boca das pessoas adormecidas e lhes roubava o esprito por algum tempo. Ao voltarem, os lagartos lhes traziam um novo esprito e enriquecido de novas experincias. Como animal que "dorme no inverno", o lagarto tornou-se smbolo da morte com

  • http://www.cesaho.com.br/biblioteca_virtual/livro.aspx?l=2

    Matria Mdica Homeoptica Aconitun napellus - 2 Parte Carlos Lima Melo 4

    posterior ressurreio; entretanto, tambm representado em moedas no momento em que morto pelo deus do Sol ("Apollon Sauroktonos"). Texto extrado do site

    http://www.muvi.advant.com.br/artistas/e/eliana_borges/guardioes.htm

    Como diz o livro Tradies Populares, no prudente espantar lagartixas, pois, assim como grudam nas paredes, elas significam a sorte que adere casa. A lagartixa simboliza ainda a resistncia, por sua capacidade de regenerao. Texto extrado do site http://www.petfriends.com.br/comunidade/contos_asorteestanoar.htm Toxicologia No incio se d uma excitao geral com parestesias nos lbios, lngua e garganta, devido a um bloqueio do nervo trigmio, com formigamento e adormecimento na boca e no rosto, com ardncia no abdome, depois alteraes gastrintestinais: nuseas, eructaes, vmitos, sialorria, diarria. Em seguida hipotermia, fraqueza dos msculos, paralisia dos msculos respiratrios, bloqueio dos centros nervosos cardiorespiratrios, hipotenso, bradicardia, taquicardia sinusal e arritimia ventricular com transpirao, tontura, dificuldade respiratria, cefalia e confuso mental. A principal causa de morte se deve a arritmia ventricular e a assitolia. Pode levar a morte por asfixia. O evenenamento tambm ocorre aps picadas provocadas pelas folhas quandoso tocadas sem luva. A Aconitina uma poderosa neurotoxina que bloqueia os canais de sdio sensveis a tetrodoxina. Um tratamento preventivo com

  • http://www.cesaho.com.br/biblioteca_virtual/livro.aspx?l=2

    Matria Mdica Homeoptica Aconitun napellus - 2 Parte Carlos Lima Melo 5

    barakol 10 mg/kg por via endovenosa reduz a incidncia da fibrilao e taquicardia ventricular, assim como a mortalidade. 5 g/kg por via endovenosa de tetrodoxina tem o mesmo efeito. A proteo pelo barakol se deve provavelmente ao acmulo do on sdio intracelular. O uso contnuo de Acnito faz com que o sangue se torne aquoso levando a uma diminuio da fibrina. Os alcalides do Aconitum exercem seu efeito txico atravs de uma grande afinidade com os canais sdicos dos tecidos cardaco* e nervoso, causa uma atividade duradoura, os torna refratrios a excitao. O mecanismo eletrofisiolgico da induo arrtmca uma atividade desencadeada por uma despolarizao posterior retardada e uma despolarizao posterior antecipada. Mais detalhes sobre sua toxidez veja no site: http://www.informahealthcare.com/doi/abs/10.1080/15563650902904407?cookieSet=1&journalCode=ctx J que a Aconitina e a Tetrodoxina ocupam o mesmo receptor seria muito interessante se fosse realizada uma patogenesia da Tetrodoxina e comparadas entre si, h uma grande chance que muitos sintomas sejam iguais. O opium e a endorfina ocupam um mesmo receptor e por isto suas patogenesias podero ser muito semelhantes, j que as duas substncias produzem relaxamento, prazer e uma sensao de euforia e bem-estar, aliviam as dores. As endorfinas permitem ao ser humano sentir uma sensao de poder e controle sobre si mesmo.* * http://pt.wikipedia.org/wiki/Endorfina http://en.wikipedia.org/wiki/Endorphin Veja sobre o barakol no site: http://jpet.aspetjournals.org/cgi/content/abstract/314/2/732

  • http://www.cesaho.com.br/biblioteca_virtual/livro.aspx?l=2

    Matria Mdica Homeoptica Aconitun napellus - 2 Parte Carlos Lima Melo 6

    O Acnito age como um depressor do sistema nervoso. produzindo sensaes de dormncia que so acompanhadas de picadas e formigamento nas extremidades, podendo lavar a uma anestesia total. Ele rovoca calor e transpirao quente abundante. s vezes a pele fica coberta de brotoejas (rash) que coa muito. O pulso e a respirao aceleram bastante. O indivduo faz tentativas insistentes para engolir, as pupilas ficam contradas ou dilatadas. Secundariamente a superfcie do corpo se torna fria com um suor pegajoso frio, o pulso enfraquece, termina com a morte. H sintomas precoces de prostrao e colapso em todos os casos de envenenamento pelo Acnito, com face plida, a sente inchada, a voz fica fraca, o pulso fraco filiforme, fraqueza muscular, com a superfcie fria, respirao difcil, irregular. Uma frande ansiedade e inqueietao esto sempre presentes, mas a conscincia continua preservada at o fim (cur, nux-f). Pode ser antidotado com vinagre, cidos, cafena hipodrmica, estimulantes e aquecimento. Ser for manipulado por pessoas muito sensveis bastante perigoso, assim como se tomar o mel feito com suas flores. Ele era usada em lanas e flechas para caar e durane as batalhas da antiguidade e na Roma antiga para eliminar criminosos e inimigos. Finalmente ele foi banido e qualquer pessoa que o cultivasse era sentenciada a morte. A morte sbita de Claudius, imperador romano, no ano 54, atribuda ao envenenamento pelo Acnito. Acredita-se que ele foi usado em uma tentativa para matar o profeta Maom. Andre Noble, ator canadense, morreu em 2004, durante uma viagem pelo campo, que, por acidente consumiu uma espcie de Acnito. A Histria do Aconitum O Dr. T. L. Bradford. (HomRec, vol. 28, no. 1, p. 3, Jan, 1913) publicou um t