Doenas Pulmonares, principais patologias.

Download Doenas Pulmonares, principais patologias.

Post on 30-Nov-2015

50 views

Category:

Documents

4 download

DESCRIPTION

qualquer doena ou distrbio que ocorra nos pulmes ou que leve ospulmes a no funcionarem adequadamente

TRANSCRIPT

INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA OBJETIVO IEPO - PALMASELAYNNE SODR

DOENAS PULMONARES

Trabalho apresentado para avaliao na Disciplina de Avaliao Funcional do curso de Fisioterapia FS4P32, Turno Noturno, da Faculdade IEPO INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA OBJETIVO CAMPUS PALMAS, ministrado pelo Wiliam Fernandes.

PALMAS - TO

O que Doena pulmonar? qualquer doena ou distrbio que ocorra nos pulmes ou que leve os pulmes a no funcionarem adequadamente. Existem trs tipos principais de doena pulmonar: Doenas das vias respiratrias: afetam os tubos (vias) que transportam oxignio e outros gases para e dos pulmes. Elas geralmente causam o estreitamento ou o bloqueio das vias areas. Elas incluem asma, enfisema ebronquite crnica. Pessoas com doenas das vias respiratrias s vezes descrevem a sensao como "tentar expirar atravs de um canudo". Doenas dotecido pulmonar: afetam a estrutura do tecido pulmonar. A escoriao ou inflamao do tecido incapacita os pulmes de se expandirem totalmente ("doena pulmonar restritiva"). Isso faz com que seja difcil para os pulmes absorver oxignio e liberar dixido de carbono. Fibrose e sarcoidose pulmonares so exemplos de doenas no tecido pulmonar. s vezes, as pessoas descrevem a sensao como "vestir um suter ou colete muito apertado" que no permite que elas respirem fundo. Doenas da circulao pulmonar: afetam osvasos sanguneosdos pulmes. So causadas por coagulao, escoriao ou inflamao dos vasos sanguneos. Elas afetam a capacidade de os pulmes absorverem oxignio e liberarem dixido de carbono. Essas doenas tambm podem afetar o funcionamento do corao.

As doenas pulmonares mais comuns incluem: Asma o estreitamento dos bronquolos que dificulta a passagem do ar provocando contraes ou broncoespasmos. As crises comprometem a respirao, tornando-a difcil.Quando os bronquolos inflamam, segregam mais muco o que aumenta oproblema respiratrio. Na asma, expirar mais difcil do que inspirar, uma vez que o ar viciado permanece nos pulmes provocando sensao de sufoco.Outra caracterstica a rpida flutuao no grau de obstruo das vias areas. Na asma so diversos os locais e mecanismos envolvidos na obstruo e caracterizada por uma grande variabilidade entre diferentes pessoas, como na mesma pessoa em diferentes ocasies.O desenvolvimento da asma na infncia geralmente apresenta uma considervel variao. Se por um lado h indivduos em que os fatores que a provocam so identificveis, em outros est associada a caractersticas de atopia como rinite e eczema.Atopia e asma so geralmente manifestaes familiares onde nem todos os indivduos atpicos desenvolvem asma, assim como nem todos os asmticos so atpicos, indicando que a herana dessas caractersticas transmitida independentemente. A probabilidade de desenvolver asma aumenta se ocorrerem as duas predisposies genticas simultaneamente.H diferentes maneiras pela qual ela se manifesta:Asma Fraca ou LeveOs sintomas so discretos e espordicos. A pessoa fica bem, sem sintomas nos intervalos das crises. No prejudica o sonoAsma Moderada ou MdiaOs sintomas so mais significativos, a pessoa apresenta chiados, cansa-se mais facilmente, tem tosse, aparecimento de sintomas durante a noite.Asma Forte ou Grave:Os sintomas so intensos, freqentes - em alguns casos at dirios. H um ntido prejuzo do sono e do descanso.Os desencadeadores comuns da asma incluem: Animais; Poeira; Mudanas climticas (com mais frequncia em clima frio); Produtos qumicos no ar ou nos alimentos; Exerccio; Mofo; Plen; Infeces respiratrias como oresfriado comum; Emoes fortes (estresse); Fumo; cido acetilsaliclicoe outros anti-inflamatrios no esterides (AINE) provocam asma em alguns pacientes.Alm dos medicamentos para prevenir e para usar durantes ataques, h outras maneiras de se tratar uma pessoa asmtica: Um programa regular de atividades fsicas pode melhorar a mecnica respiratria, tornar mais eficaz a ventilao pulmonar e, portanto, aumentar sua tolerncia ao exerccio fsico e capacidade de trabalho. A reeducao funcional respiratria, associada a um plano de exerccios, tem ao preventiva corretiva sobre as alteraes torcicas e posturais. So necessrias orientaes quanto ao tipo e intensidade das atividades fsicas para se evitar o broncoespasmos induzido pelo exerccio.

AtelectasiaConseqncia de um obstculo entrada de ar nos espaos alveolares que dura tempo bastante para que os gases dos espaos areos sejam difundidos e o colapso alveolar se instale. A rea atingida depende do nvel da obstruo, podendo envolver desde uma unidade perifrica at todo o pulmo.Os principais sintomas so: Tosse Dor no peito (raro) Dificuldade respiratria Baixa saturao de oxignio FebreSugesto de tratamento:Dever ser escolhido de acordo com a causa da Atelectasia, com o objetivo de expandir novamente o pulmo.Nos casos de acmulo de secrees, a fisioterapia pulmonar para a mobilizao das secrees e a broncoscopia para a aspirao dessas ser o tratamento mais indicado.A fisioterapia poder utilizar-se de exerccios respiratrios, tapotagem, drenagem postural, cinesioterapia e vibradores.Quando houver alguma infeco bacteriana associada ao excesso de secrees, os antibiticos devero ser indicados. Nos casos de corpo estranho na via area a broncoscopia dever ser realizada para fazer a remoo. Se no for exitosa, a cirurgia dever ser realizada.

Bronquite (CRONICA)Uma inflamao dos brnquios, uma sndrome clinica caracterizada por tosse crnica com expectorao mucosa ou mucopurulenta. A bronquite pode ser aguda ou crnica. A diferena consiste na durao e agravamento das crises, que so mais curtas (uma ou duas semanas) na bronquite aguda, ou com durao de pelo menos trs meses, durante dois anos consecutivos na crnica.Na Bronquite, o muco se torna mais espesso, dificultando o movimento ciliar; esse aumento de viscosidade seria explicado pelas alteraes histoqumica da clula. O muco e secretado pelas glndulas mucparas e pelas clulas caliciformes; a glndula mucparas tem um volume 100 vezes maior que as clulas caliciformes. Desde que algumas causas permanentes excitem a produo de muco, tais glndulas acabam se hipertrofiando e as clulas caliciformes tornam-se mais numerosas, sobretudo nos grossos brnquios.Tais clulas seriam estimuladas pelo p ou por outras substancia irritantes, agindo diretamente sobre a mucosa, enquanto as glndulas mucparas dependeriam de um estimulo vagal.A reteno de muco na bronquite crnica se deve ao aumento de sua consistncia, reduo da atividade ciliar, menor permeabilidade brnquica e a ao da gravidade. SintomasTanto na forma aguda quanto na crnica, a tosse o principal sintoma da bronquite. Na bronquite aguda, ela pode ser seca ou produtiva. Na crnica, sempre produtiva e a expectorao clara no incio, pode tornar-se amarelada e espessa com a evoluo da enfermidade.Falta de are chiado so outros sintomas da bronquite crnica. TratamentoA bronquite aguda uma doena autolimitada. No existe tratamento especfico para combater os episdios provocados por vrus. Boa hidratao, uso de vaporizadores, de analgsicos, de descongestionantes e evitar a exposio aos fatores de risco so recursos teis para aliviar os sintomas e prevenir as crises.Na bronquite crnica importante no permanecer em ambientes em que haja pessoas fumando. Medicamentos broncodilatadores, antibiticos, mucolticos e anti-inflamatrios s devem ser utilizados sob orientao mdica.Devem ser vacinados contra a gripe e contra a pneumonia.

DPOC(doena pulmonar obstrutiva crnica) um estado patolgico caracterizado pela limitao do fluxo de ar e que no plenamente reversvel, inclui a bronquite crnica (estreitamento das vias areas e paralisao da atividade dos clios) e o enfisema (danos irreversveis nos alvolos). O cigarro responsvel pela imensa maioria dos casos. Sintomas:Tosse produtiva e encurtamento da respirao. O primeiro sintoma uma discreta falta de ar a esforos como subir escadas. Com o passar do tempo vai se tornando mais intensa com esforos cada vez menores, at chegar ao estado de mesmo o doente em repouso agrava-se muito diante das atividades mais corriqueiras. TratamentoParar de fumar a nica forma de impedir o declnio progressivo da funo respiratria.

EnfisemaEnfisema pulmonar uma patologia crnica caracterizada pela destruio tecidual dos pulmes o que os torna hiperinsuflados. Esta destruio ocorre nos alvolos, onde acontece a troca gasosa do oxignio pelo dixido de carbono.H uma dilatao permanente dos espaos areos distalmente aos bronquolos terminais devido destruio das paredes das vias areas, sem fibrose evidente. Esta doena quase sempre est associada abronquites crnicas, e ambas causam obstruo ao fluxo de ar nas vias areas resultando em doenapulmonar obstrutiva crnica(DPOC).A principal caracterstica da doena a falta de ar.A meta do tratamento aliviar os sintomas do doente e prevenir a progresso da doena. Alguns casos podem ter melhora parcial com o uso de medicaes. Podem ser usados corticides ou broncodilatadores, por via oral ou inalatria. A via inalatria a preferida por ter efeito mais rpido e contabilizar menos efeitos indesejveis.

Cncer de pulmoTumores metastticos nos pulmes so cnceres que se desenvolvem em outros lugares no corpo (ou outras partes dos pulmes) e se disseminam pela circulao sangunea ou do sistema linftico para os pulmes. Ele um dos tumores malignos mais comuns. A doena pode ser de doistipos diferentes: o de pequenas clulas e o de no pequenas clulas (o tipomais freqente).Otabagismo o principal fator de risco para o cncer de pulmo e responsvelpor 90% dos casos. O cncer pulmonar primrio raro em no fumantes.Ossintomas geralmente surgem quando o cncer j est em estgio avanado einclui tosse ou mudana no padro da tosse do fumante, dispnia (falta de ar),dor torcica, perda de peso, cansao e presena de sangue no escarro.Otratamento inclui cirurgia, quimioterapia e/ou radioterapia. Geralmente, demandaa combinao de cirurgia com quimioterapia ou radioterapia. Em alguns casos,pode ser utilizada a fototerapia dinmica a laser, que consiste em injetarmedicaes que posteriormente sero ativadas com laser.Tumores comuns que se disseminam pelos pulmes incluem: Cncer de bexiga Cncer de mama Cncer de clon Cncer de rim Neuroblastoma Cncer de prstata Sarcoma Tumor de WilmsNo entanto, quase qualquer cncer tem a capacidade de se disseminar pelos pulmes.

PneumoniaA pneumonia comea com uma infeco alveolar, que progride com inflamao e abertura de poros que deixam escapar leuccitos e hemcias da corrente sangunea para os alvolos. Isso causa aumento da espessura da membrana e ainda reduz a rea total da superfcie pulmonar de troca gasosa, causando prejuzo na mesma. Ela pode ser causada por vrios microorganismos diferentes, incluindo vrus, bactrias, parasitas ou fungos.Esta doena pode se instalar quando h a inalao, ingesto de bactrias que se proliferaram na boca, ou conduo de patgenos de outras infeces, via corrente sangunea. No primeiro caso, gotculas de saliva e secrees contaminadas propiciam o contgio.Tosse com secreo, dores torcicas, febre alta, calafrios, dores de ouvido e respirao curta e ofegante so alguns de seussintomas. Em idosos, pode haver confuso mental. No sendo tratada, acmulo de lquidos nos pulmes e ulceraes nos brnquios pode surgir.A pneumonia bacteriana dever ser tratada com antibiticos. Cada caso avaliado individualmente e se definir, alm do tipo de antibitico, se h ou no necessidade de internao.Pode-se utilizar a fisioterapia respiratria como auxiliar no tratamento. Os fisioterapeutas podem utilizar exerccios respiratrios, vibradores no trax e tapotagem (percusso do trax com os punhos) com o intuito de retirar as secrees que esto dentro dos pulmes, agilizando o processo de cura dos pacientes.

Pneumotraxo acmulo anormal de ar entre opulmoe apleura. O ar, ao entrar entre o pulmo e a parede torcica, pode comprimir o pulmo e causar dificuldade para respirar. Alm disso, quando o pneumotrax grande, ele pode fazer com que o corao se desloque, levando a alteraes nos batimentos do corao e, at, morte.Pode ser classificado como: espontneo, traumtico ou iatrognico.O pneumotrax espontneo pode ser dividido em primrio ou secundrio, sendo:Primrio - aquele onde no se identifica uma doena pulmonar concomitante;Secundrio quando existe uma doena pulmonar associada, como o enfisema pulmonar.O pneumotrax traumtico aquele que resulta de um traumatismo na regio do trax ferimentos por faca, punhal, tiro de arma de fogo, pancadas por atropelamentos ou outros.O pneumotrax iatrognico acontece como resultado de algum procedimento mdico, que tinha o intuito de auxiliar no diagnstico ou no tratamento do paciente.Os sintomas podem ser dor torcica, tosse, encurtamento da respirao, agitao cansao fcil, aceleramento dos batimentos cardacos.O tratamento remover o ar do espao pleural e prevenir sua recorrncia.Ele ser definido baseando-se no tamanho do pneumotrax (visto na radiografia), na causa deste e na gravidade dos sintomas causados por ele. Alm disso, a presena ou no de doenas concorrentes no trax tambm influenciar na deciso do tratamento mais adequado.

Edema pulmonar um estado patolgico no qual h um acmulo de lquidos e solutos nos tecidos extravasculares e nos espaos areos do pulmo. uma complicao importante e pode constituir um perigo de vida.Geralmente causado por insuficincia cardaca. Devido insuficincia cardaca, a presso nas veias pulmonares aumenta. medida que a presso nesses vasos sanguneos aumenta, o lquido empurrado para dentro dos espaos areos dos pulmes (alvolos). Esse lquido interrompe o fluxo normal de oxignio nos pulmes, resultando em falta de ar.O edema pulmonar pode ser causado por Leses pulmonares causadas por gases venenosos ou infeces graves Alguns medicamentos Leses graves Insuficincia renal Exerccios em altitudes extremasIdentificam-se duas fases na formao do edema pulmonar.Aprimeira constituda pelo edema intersticial, que se caracteriza pela ingurgitao do tecido intersticial perivascular e peribrnquica. Podem-se ver os linfticos alargados e o fluxo nos linfonodos aumenta.Asegunda fase o edema alveolar. Nesta fase o lquido desloca-se para o interior dos alvolos.Alguns sintomas so: Tossir sangue ou uma espuma com sangue; Dificuldade para respirar quando deitado (ortopneia) - pode ser necessrio dormir com a cabea mais alta; Sensao de afogamento ou falta de ar; Sons sibilantes, borbulhantes ou chiados ao respirar; Incapacidade de falar frases inteiras por causa da falta de ar.O edema pulmonar quase sempre tratado na emergncia ou na unidade de tratamento intensivo (UTI). O oxignio fornecido atravs de uma mscara facial ou de pequenos tubos de plstico inseridos no nariz. Um tubo respiratrio pode ser colocado na traquia. Um respirador (ventilador) pode ser necessrio.

derrame pleuralFisiologicamente existe equilbrio entre a entrada e sada de lquido na cavidade pleural. A acumulao de lquido no espao pleural pressupe a alterao deste estado de equilbrio. O lquido pleural acumula-se quando a sua formao excede a sua absoro.Normalmente, o lquido entra no espao pleural a partir de capilares da pleura parietal e removido pelos linfticos situados na pleura parietal. Este lquido pode tambm penetrar no espao pleural a partir dos espaos intersticiais do pulmo atravs da pleura visceral ou da cavidade peritoneal atravs de pequenos orifcios no diafragma. Por conseguinte, o derrame pleural ocorre quando h excesso de formao de lquido pleural (da pleura parietal, dos espaos intersticiais do pulmo, ou da cavidade peritoneal) ou quando h menor remoo de lquidos pelos linfticos.O derrame pleural dividido basicamente em dois tipos, sendo esta distino importante para o estabelecimento da causa.1. Transudato: O lquido pleural transudativo claro e transparente, sem clulas, com baixa concentrao de protenas, indicando um acmulo de um lquido semelhante ao lquido pleural normal.Algumas doenas que causam derrame pleural tipo transudado normalmente causado por: Insuficincia cardaca Cirrose Insuficincia renal avanada Hipotireoidismo descompensado2. Exsudato: O lquido pleural exsudativo rico em protenas e clulas inflamatrias, tem aparncia mais viscosa e opaca, por vezes, com sinais de sangue misturado, podendo nos casos de infeces se apresentarem tipicamente como uma coleo de pus.Algumas doenas que causam derrame pleural exsudativo so: Pneumonia Tuberculose Cnceres com metstases para a pleura Linfoma Lpus RadioterapiaO sintoma mais comum dispnia. Como o derrame pleural no uma doena em si, mas um sinal de uma doena. Ele s ser resolvido assim que a doena que o est causando for controlada. Infeces so controladas com antibiticos, insuficincia renal com hemodilise, doenas auto-imunes com imunossupressores, etc.

Tuberculose pulmonar uma infeco bacteriana contagiosa que afeta os pulmes, mas que pode se disseminar para outros rgos.A tuberculose pulmonar (TB) causada pela bactriaMycobacterium tuberculosis (M. tuberculosis). Voc pode contrair TP ao inalar gotculas de ar provenientes de uma tosse ou um espirro de uma pessoa infectada.

Recommended

View more >