Do Processo civil

Download Do Processo civil

Post on 31-Jan-2016

213 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

resumo

TRANSCRIPT

DO PROCESSOConceito:1) o meio de que se vale o estado para exercer a funo jurisdicional, compondo-se de um conjunto de atos cuja finalidade a composio da lide.2) o mtodo, a tcnica, o instrumento de que se uitiliza o Estado para a soluo dos conflitos de interesses submetidos apreciao jurisdicional.PRO + CAEDERE - andar para frente, seguirFinalidade: atuao da lei s lides ocorrentes- Autos: conjunto de peas processuais (inicial, contestao, sentena), possuindo existncia material; j o processo, imaterial- Procedimento: modo pelo qual o processo se desenvolve; aspecto externo do processo.- Tipos de processo: correspondem tutela jurisdicional a que visa, ou seja, a tutela jurisdicional de conhecimento, de execuo e cautelar - art. 270 do CPC1) Processo de Conhecimento ou de Cognio - aquele que se destina declarao acerca do direito disputado pelas partes, ou seja, compe a lide com o acerto da efetiva situao jurdica das partes.Desenvolve-se entre dois termos: petio inicial e a sentena, sendo que entre estes termos, vrios atos so praticados tanto pelas partes como pelo juiz.Subdivide-se em:a) Condenatrio - imposio de sano - Ex: ao penal;b) Declaratrio art. 4 do CPC (Positiva ou negativa) Ex: Usucapio; Hbeas Corpus;c) Constitutivo criao, extino e modificao - Ex: reviso criminal2) Processo de Execuo - quando h certeza prvia de direito do credor e a lide se resume na insatisfao do crdito; da o processo limita-se a tomar conhecimento liminar da existncia de um ttulo do credor, para em seguida, utilizar a coao estatal sobre o patrimnio do devedor, e independente da vontade deste, realizar a prestao a que tem direito o credor.Funda-se em ttulo executivo e tambm desenvolve-se entre dois termos: pedido de execuo e os atos que esgotam as providncias executrias.3) Processo Cautelar - quando utilizado no para uma soluo definitiva de controvrsia estabelecida em torno da relao jurdica material, mas apenas para prevenir, em carter emergencial, e provisrio, a situao da lide contra as alteraes dos fatos ou do direito que possa ocorrer antes que a soluo de mrito seja prestada.OBS: Ao lado da classificao tradicional, a doutrina reconhece hoje uma classificao quntupla das aes,distuinguindo das aes condenatrias puras, quais seja:4) Ao mandamental aquela que visa a formao de uma ordem judicial (mandado) dirigido a um outro rgo do Estado ou a particulares;5) Aes executivaslato sensu:ao tendente a obter uma sentena que visa legitimar uma execuo sem a necessidade de promover uma nova ao.- Relao Jurdica processual:Def: a relao entre as pessoas, participantes do processo, cuja prtica de atos visam obteno de uma prestao jurisidicional.No processo existe uma relao jurdica (conflito de interesses regulado pelo direito). Quando existe resistncia a pretenso, constitui-se a lide, que perturba a paz social. O Estado, atravs da Jurisdio, provocada pela Ao, visa a composio da lide pelo processo.Da, processo no apenas uma sequncia de atos realizados para a obteno da prestao jurisdicional, mas tambm uma relao entre as pessoas que participam dessa relao, cuja prtica de atos visam a prestao jurisdicional. Tal a relao jurdica processual.- Caractersticas:1) Complexidade: constituda de um conjunto de posies ativas e passivas, gerando direitos, obrigaes, poderes e nus.2) Unidade: todos os atos processuais no so praticados de maneira aleatrias ou centrifugas, mas com uma nica finalidade, qual seja, a obteno de um provimento final.3) Natureza Pblica: pois envolve um sujeito de direito pblico, que se coloca entre as partes (neutralidade) e acima das partes (soberania).4) Autnoma: a instalao da relao jurdica processual independe da existncia do direito material alegado pelo autor, bastando existir uma previso em abstrato.5) Trplice Angularidade: apresenta trs ngulos distintos, envolvendo os sujeitos principais do processo, vinculando as partes entre si, e as partes e o juiz.J__A ---------------------------R- Elementos da Relao Jurdica Processual:- Subjetivos - sujeitos do processo: partes e rgo jurisdicional- Objetivos - objeto do processo emisso de um provimento jurisdicional para a tutela de um bem jurdico;- Sujeitos da Relao Jurdica: Admitida como uma relao trilateral, temos que os sujeitos do processo so trs: partes e juiz.- Sujeitos principais - partes (autor e ru) - parciais;juiz - (no parte) - imparcial- Sujeitos sui generis - Advogado, Ministrio Pblicoadvogado representa a parte em juzo, no parte.- Sujeitos secundrios: outras pessoas que participam da relao jurdica processual - auxiliares da justia: of. justia, perito, etc...terceiros: testemunhas, etc...- Nomenclatura:processo de conhecimento: autor e ru;excees : excipiente/exceto;reconveno:reconvinte/reconvindo;recursos: recorrente/recorrido;apelao: apelante/apelado;agravo: agravante/agravado;processo de execuo: exequente/executado ou credor/devedorprocesso cautelar: requerente/requeridoprocedimentos especiais de jurisdico voluntria: interessados.- Formao da Relao Jurdica Processual:a) por iniciativa da parte: atravs da petio inicial - art. 262 do CPC - princpio da iniciativa da parte/princpio do dispositivob) por despacho do juiz ou distribuio da inicial - art. 263 do CPC - despacho positivo ou que ordena a citao.- deferimento - citao do ru - art. 285 do CPC- indeferimento - extino do processo - art. 267,I do CPCc) citao do ru: o ato pelo qual se d ao ru o conhecimento da ao que j lhe foi proposta - art. 213 do CPC.- ato que completa a relao jurdica processual- requsito de validade de qualquer processo - arts. 285, 614, 802,etc...- Pressupostos Processuais: so requisitos necessrios existncia e validade do processo, ou melhor, da relao jurdica processual. So eles:-juiz: imparcialidade; investidura; competnciaa) Subjetivos- partes: capacidade de ser parte; de estar em juzo ou processual oulegitimatio ad processum; postulatria oujus postulandi.- extrnsecos: que diz respeito inexistncia de fatos externos impeditivos formao da rel. jurdica. So negativosb) Objetivos- intrnsecos: diz respeito subordinao do procedimento normas legais, ou seja, os atos do processo devem ser desenvolvidos de acordo com a forma estabelecida na lei. Ex: Petio inicial, citao, etc...OBS: Fazer a distino com as condies da ao.AMBOS PRESSUPOSTOS PROCESSUAIS E CONDIES DA AO SOPRESSUPOSTOS DE ADMISSIBILIDADE DO JULGAMENTO DE MRITO;- Pressupostos referentes ao juiz:a) Imparcialidade - garantias: a lei enumera causas taxativas- Impedimento: juiz est em situao em que a sua parcialidade se acha fora de dvida ou se apresenta patente. Aqui as hipteses so objetivas, ou seja, ou o juiz ou no impedidoarts. 134 e 136Caractersticas: objetiva; no h precluso; processo nulo.- Suspeio: gera uma presuno relativa de parcialidade, que pode ser ilidida por prova em contrrio. Aqui as hipteses so subjetivas.arts. 135 e pargrafo nicoCaractersticas: subjetiva; precluso; no h nulidade.Caractersticas Comuns:- juiz deve se declarar impedido ou suspeito - art. 137- parte pode provocar a declarao - art. 137- outras pessoas passveis - art. 138b) Investidura: investido de jurisdioc) Competncia - relativa ou absoluta.- Pressupostos referentes s partes:a) Capacidade de ser parte: toda a pessoa tem capacidade de ser parte, ou seja, aptido de participar da relao jurdica processual, em nome prprio ou alheio.- art. 1 do CC - todo homem capaz de direitos e obrigaes na ordem civil - capacidade de gozo ou jurdica.- pessoas jurdicas- pessoas formais - art. 12 do CPC - III,IV,V,IXb) Capacidade de estar em juzo: capacidade de exerccio ou de fato, ou seja, a capacidade de exercer direitos e deveres processuais ou seja, a capacidade de praticar validamente atos no processo.- Quanto pessoas naturais: capacidade processual plena - plenamente capazes na vida civil - art. 7 do CPCfalta absoluta de capacidade processual - absolutamente incapazes - art. 5 do CC - devero ser representados - art. 3 do CPCcapacidade processual relativa ou limitada - relativamente incapazes - art. 6 do CC - devero ser assistidos - art. 4 do CPC- Capacidade processual das pessoas casadas:mulher - Lei 4.121/72 - Estatuto da mulher casada.regras especiais: Quanto capacidade ativa - art. 10 do CPC atinge os cnjuges; no caso de recusa, pode ser suprida judicialmente art. 11 do CPC. Chamada de capacidade integrativa, mas no torna o outro cnjuge parte no processo.quanto capacidade passiva: litisconsrcio necessrio - art. 10,#1 do CPC.- Curador Especial - art. 9,I do CPC - ausncia de representante- Pessoas Jurdicas: ativa ou passiva - art. 12 do CPCI - direito pblicoVI - provadoVII e #2 - soc. s/ personalidade jurdicaVIII - estrangeiraOBS: No representao, mas sim presentao.c) Capacidade Postulatria ou Jus Postulandiart. 36 do CPC - por advogadoart. 36, seg. parte - advogar em causa prpriaart. 37 - instrumento de mandatoart. 38 - mandato ou procurao- ad judicia- s/ reconhecimento de firma- poderes expressos- art. 13 do CPC - irregularidade da representao processual.DOS ATOS PROCESSUAISCONCEITO:1) so aqueles que tm por efeito, a constituio, a conservao, o desenvolvimento, a modificao ou a cessao da relao jurdica processual.O processo um conjunto de atos, tendentes prestao jurisdicional, atos estes manifestados pelos sujeitos do processo. (autor, ru, juiz,...)FORMA DOS ATOS PROCESSUAISDefinio: o conjunto de solenidades que devem ser observadas para que o ato jurdico seja plenamente eficaz.Os atos quanto forma so: solenes (previso de forma para a sua validade) e no solenes (forma livre).Os atos processuais no so solenes, somente quando a lei assim exigir, prescrevendo formaparasua validade, como por exemplo, a forma escrita e em tempo expressamente previsto na lei.PRINCPIOS DOS ATOS PROCESSUAIS1) Princpio da Legalidade das formas: os atos processuais, cuja lei estabelece forma, devem ser realizados pela forma prescrita na lei, sob pena de nulidade. Art. 154 e 243 do CPC- Forma dos atos no CPC:arts. 169, p. nico; art. 170 e 1712) Princpio da instrumentalidade da forma:a forma do a