dnj 2013 - texto base

Download DNJ 2013 - TEXTO BASE

Post on 24-May-2015

1.442 views

Category:

Spiritual

3 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

texto base e orientaçoes para realização do dia nacional da juventude 2013 pela pastoral da juventude do Brasil.

TRANSCRIPT

  • 1. Dia Nacional da Juventude 2013 1 Edio - 2013 Coordenao Editorial: Mons. Jamil Alves de Souza Coordenao: Comisso Episcopal Pastoral para a Juventude Organizao: Pe. Antonio Ramos do Prado, sdb Elaborao: Coordenao da Pastoral Juvenil Nacional da CNBB Coordenao de Reviso e Reviso: Fabula Martins Ramalho Projeto Grfico, Capa e Diagramao: Isabela Souza Ferreira Ilustrao: Raul Benevides dos Santos Silva C748dConferncia Nacional dos Bispos do Brasil / Dia Nacional da Juventude 2013. Braslia, Edies CNBB. 2013. 48 p.: 11,5 x16 cm ISBN: 978-85-7972-248-6 1. Juventude Formao; 2. Juventude Movimentos; 3. Juventude Misses; 4. Juventude Organizao Igreja Catlica.CDU: 3-053.7 Nenhuma parte desta obra poder ser reproduzida ou transmitida por qualquer forma e/ou quaisquer meios (eletrnico ou mecnico, incluindo fotocpia e gravao) ou arquivada em qualquer sistema ou banco de dados sem permisso da CNBB. Todos os direitos reservados Edies CNBB SE/Sul Quadra 801 - Cj. B - CEP 70200-014 Fone: (61) 2193-3019 - Fax: (61) 2193-3001 E-mail: vendas@edicoescnbb.com.br www.edicoescnbb.com.br

2. Sumrio Apresentao dos subsdios do dnj de 2013 5 INTRODUO9 ENCONTRO 1 TRANSFORMAR OS CORAES PARA TRANSFORMAR O MUNDO11 ENCONTRO 2 GRUPO DE JOVENS: COMUNIDADE MISSIONRIA20 ENCONTRO 3 FRONTEIRAS NOVAS DE MISSO27 Celebrao Missionria 35 3. HISTRIA DO DNJ 41 Assessores da cepj da cnbb 45 Coordenao da pastoral juvenil nacional da cnbb 45 4. 5 ////////////////////////////////////////// Apresentao dos Subsdios do Dnj de 2013 2013estsendoumanoprivilegiadoenicoparanossajuven- tude.ACampanhadaFraternidade(CF),comotema Fraternidade e Juventude e o lema Eis-me aqui, envia-me! (Is6,8),convidatodasaspastorais,osmovimentos,ascongrega- eseasnovascomunidadesdasIgrejaslocaisarefletiremsobre oseupapelnoacompanhamentodosjovens.Aresponsabilidade pelaevangelizaodajuventudenoapenasdeumapessoa,um assessoradulto,umcoordenadorjovem,umcatequista,massim detodaacomunidade.Nopodemosmaisficarnasarquibancadas criticandoaspoucaspessoasqueestoassumindooministrio deassessoriadosjovens.Temostodos(todaaIgreja)quevestira camisa,entraremcampoejogarjuntos. ODocumentodePueblaapresentaduasprioridades duasopespreferenciaisparaIgrejadaAmricaLatina:os jovenseospobres.Ajuventudeumgruposocialdegrandes potencialidadesparaarenovaodasociedadeedaIgreja.H algunsanos,celebramosaalegriadecontemplarmostodasas 5. 6////////////////////////////////////////// foras vivas que trabalham com a Evangelizao dos jovens, buscando trabalhar em comunho: PJs, Movimentos Juvenis, Novas Comunidades, Congregaes Religiosas, Pastoral Voca- cional, Catequese e outras instncias tm buscado criar o Setor Juventude nas diversas Igrejas Locais. As metodologias e as espiritualidades podem ser diferentes, mas a viso comum! Esta viso est melhor explicitada no Documento 85 da CNBB, intitulado Evangelizao da Juventude, Desafios e Perspectivas Pastorais. A Jornada Mundial da Juventude, ocorrida no Rio de Janeiro, congregou milhares de jovens de quase todos os cantos do Brasil e de inmeros pases do mundo. Seu tema Ide e fazei discpulos entre todas as naes (Mt 28,19) pro- vocou a juventude brasileira a refletir sobre seu comprometi- mento missionrio. Uma semana antes ocorreu em todas as Igrejas Locais do Brasil a Semana Missionria que ofereceu a oportunidade de apresentar nossa f queles que esto afas- tados e, em algumas dioceses, partilhar nossa vivncia crist com jovens de outros pases, sob a orientao de trs eixos: experincia de solidariedade, experincia de f e experincia cultural. Por ser em nvel local, os jovens se mobilizaram para assumir sua misso de serem os apstolos privilegiados de outros jovens, em especial com os estrangeiros, promovendo a fraternidade universal. Portanto, no h diferena entre judeu 6. 7 ////////////////////////////////////////// e grego: todos tm o mesmo o Senhor, que generoso para com todos os que o invocam (Rm 10,12). A CNBB deixa claro que a Jornada um evento impor- tante no processo de evangelizao da juventude, mas no o ponto de chegada. O grande desafio o fortalecimento do pro- cesso de acompanhamento sistemtico dos grupos e das equi- pes de coordenao para que haja garantia de continuidade, a fim de que os jovens possam se comprometer com a Pessoa e o projeto de Jesus. No ms de outubro, os jovens brasileiros so convoca- dos a realizar o Dia Nacional da Juventude (DNJ)com o tema Juventude e Misso e o lema Jovem: levante-se, seja fermento!. Este subsdio inspira-se na proposta missionria apresentada pelo Documento de Aparecida. O cartaz e os subsdios foram publicados antecipadamente para facilitar o trabalho de motivao e de organizao da campanha. Almdisso,nesteano,aComissoEpiscopalPastoralparaa JuventuderetomaaparceriacomasPontifciasObrasMissionrias (POM)paraarealizaodoDNJ.Estaumaboanotciaeuma retomadahistrica,poisnasprimeirasediesdoeventojera assim,oqueinfluenciouinclusivenadecisodesecelebraroDia Nacionalemoutubro(msdedicadosmisses). 7. 8////////////////////////////////////////// O DNJ deste ano uma oportunidade para fortalecer os processos de acompanhamento dos jovens e no deixar as coisas desanimarem com o encerramento da Jornada Mundial da Juventude, desafiando toda a Igreja Jovem do Brasil a assu- mir o compromisso missionrio celebrado na JMJ. O DNJ segue uma tradio semelhante da Campa- nha da Fraternidade, acentuando a dimenso social da f, enfocando os problemas que afligem a juventude. A escolha do tema Juventude e Misso no contradiz esta tradio. No NovoTestamentohdoismodelosmissionriosquesecom- plementam.Noprimeiromodelo,apresentadoemMt28,16-20, Jesus envia seus apstolos para fortalecer a conscincia missionria, saindo ao encontro daqueles que no creem em Cristo. No segundo modelo, de Lc 4,16-21, na sinagoga, Jesus fala da necessidade deresponderadequadamenteaosgrandes problemasdasociedadenaqualseestinserido.Odesafiode trabalharosdoismodelosdemaneiraquesecomplementem, evitando assim os reducionismos. FelizDNJparatodosetodasquesojovensequeacreditam najuventudedenossopas! Comisso Episcopal Pastoral para a Juventude 8. 9 ////////////////////////////////////////// INTRODUO ODiaNacionaldaJuventude2013(DNJ),como temaJuventudeeMissoeolemaJovem:levante-se,seja fermento!,querproporumcaminhomissionrioparaosjovens daIgrejadoBrasil.Paraisto,apresentamosestesubsdiocomoum auxlioparanossosgrupos,pastorais,movimentos,comunidades novasecongregaesreligiosasquetrabalhamcomajuventude. Ostemasescolhidosparaosencontrosdestesubsdio seguemostrseixosdamisso:pessoa,comunidade,sociedade: Pessoa: apresentar o Evangelho como proposta que atinge o corao do jovem. A primeira expe- rincia do Evangelho nasce no corao da pessoa. Comunidade: a Igreja a portadora do Evange- lhoe,aomesmotempo,vivedoprprioEvangelho, sendo convocada a anunciar a Palavra para criar comunidade. Sociedade: A Igreja chamada a levar o Evan- gelho a todos os cantos do mundo, em especial 9. 10////////////////////////////////////////// s fronteiras novas que se apresentam em nossa sociedade, sendo fermento na massa para o cres- cimento do Reino de Deus. Como concluso, apresentamos uma celebrao missionria. Esperamos que este subsdio seja bem aproveitado por todos! Ele apenas uma ajuda! Crie a reunio de seu grupo conforme a sua realidade! S no deixe de aproveitar a opor- tunidade do DNJ para apresentar o Evangelho a todos os que ainda no conhecem a sua fora transformadora! 10. 11 ////////////////////////////////////////// ENCONTRO 1 TRANSFORMAR OS CORAES PARA TRANSFORMAR O MUNDO Preparando o ambiente Prepare o ambiente de forma aconchegante (se possvel, com almofadas para sentar no cho ou um tapete), com msica ambiente. Dispor pela sala os seguintes smbolos: Bblia, velas e flores; Imagem do Sagrado Corao de Jesus; Imagens de pessoas que contriburam e testemunharam o Evangelho; Instrumentos musicais (conforme a sua realidade); Fotos de jovens em: 11. 12////////////////////////////////////////// Misso; situaes de risco; atividades cotidianas (estudo, trabalho, lazer etc.). Acolhida e Abertura Acolha os jovens com entusiasmo, com alegria, com aconchego e, se considerar importante, com uma msica de boas-vindas. Combine com alguns jovens para permanecer na entrada da sala do encontro, entregando a cada participante um carto em forma de corao, em branco, dos dois lados. Para comeo de conversa A Igreja , por excelncia, missionria! Ela existe para fazer com que Jesus Cristo seja conhecido, amado e seguido! (...) A Igreja, para continuar esta misso de evangelizao, conta tambm convosco. Queridos jovens, vs sois os pri- meiros missionrios no meio dos jovens da vossa idade! Assim nos disse o Papa Emrito Bento XVI em sua Mensagem para a JMJ 2013. 12. 13 ////////////////////////////////////////// Oprimeirombitodeevangelizaoocoraohumano. Nossa primeira tarefa atingir com a mensagem do Evangelho cada jovem, o ntimo do seu ser, apresentando-lhe a Pessoa de Jesus Cristo como o nico capaz de lhe trazer o verdadeiro sentido de vida. Os verdadeiros destinatrios da atividade mis- sionria do povo de Deus no so s os povos no cristos e das terras distantes, mas tambm nos campos socioculturais e, sobretudo, os coraes (Documento de Aparecida, n. 375). A principal misso em meio juventude se d de pessoa a pessoa, de corao para corao. De nada adianta a organi- zao de misses em massa se a Palavra de Deus no cair no corao de cada jovem, fazendo com que ele reflita sobre sua vida. Ao encontrar-se com Cristo, o jovem convidado a deixar queoEvangelhotransformeseuProjetoPessoaldeVida,impul- sionando-o a comprometer-se com a defesa da vida e o amor aos demais em sua comunidade e na sociedade como um todo. Amissonosereduzapenasatrazerosjovensparaasativida- des da Igreja, mas consiste tambm em despertar sua vocao e seu papel na sociedade (CNBB, Evangelizao da juventude: desafios e perspectivas pastorais - Doc. 85, n. 177). Neste encontro, portanto, somos desafiados a nos ques- tionar:Algumaveztiveacoragemdepropo