dna ecopur - .composição cas number/ einecs % (g/100 g de pó) dna vegetal inci : dna...

Download DNA Ecopur - .Composição CAS Number/ EINECS % (g/100 g de pó) DNA VEGETAL INCI : DNA Polissacarídeos

Post on 09-Nov-2018

225 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • DNA EcopurSuplementao personalizada para seu DNA

  • Suplementao personalizada para o seu DNA

    Composio CAS Number/ EINECS % (g/100 g de p)

    DNA VEGETALINCI : DNA

    Polissacardeos solveis, RNA, vitaminas, DNA,

    polifenis.INCI : Triticum Vulgare

    germ extract

    Protenas vegetais(Albuminas e globulinas)INCI : Triticum Vulgare

    germ protein

    Sais minerais totaisINCI : Sodium Chloride

    Conservante

    9007-49-2 / -

    84012-44-2/ 281-689-7

    84012-44-2 /281-689-7

    7647-14-5 / 231-598-3

    - / -

    10-20

    Ausente

    54 58

    10

    10-20

    Descrio: Fragmentos de DNA vegetal que mimetizam a funo do DNA celular. Cadeias nucleotdicas de clulas de germm de trigoOrigem/procedncia: Fonte vegetal de DNA, extrado do trigo exclusivamente europeu da regio de Picardie Champagne-Ardenne, Ile de France. DNA Ecopur no contm conservante e certificado ECOCERT France.

    DNA Ecopur

  • MOLCULAProtenas: Tamanho das Partculas

    200.000 - 150.000 Da: 13.33% 150.000 - 100.000 Da: 6.66% 100.000 - 50.000 Da: 13,33% 50.000 - 30.000 Da: 40.00% 30.000 - 20.000 Da: 26,66%

    OBTENO DO DNA ECOPUR

    GERMEM DE TRIGO

    Soluo aquosa contendo sais mineraisSEM CONSERVANTES

    CENTRIFUGAO FRIO

    SEPARAO (SLIDO/LQUIDO)

    Eliminao de germe de trigo depois da

    extrao

    Extrao lquidacontendo DNA

    Clarificao - Filtrao esterilizao - frio

    Liofilizao

    DNA EcopurP Vegetal

    +

  • A Importncia da Modulao Nutrigenmica para o DNA

    Os estudos de genmica e protemica tm contribudo para a melhor compreenso das bases celulares e moleculares das doenas. O estudo da expresso de genes e protenas auxilia na avaliao da influencia do alimento e seus compostos bioativos em diversos processos biolgicos.

    A nutrigenmica pode ser entendida de duas maneiras, ou seja, tanto a alimentao poderia influenciar a atividade dos genes, quanto os genes poderiam influenciar a necessidade de nutrientes. Apesar dos seres humanos apresentarem caractersticas diferentes uns dos outros em aspectos fsicos, o genoma 99% idntico, sendo 0,1% de diferena, responsvel por alteraes na cor da pele, dos olhos, dos cabelos e inclusive pelo maior ou menor risco para desenvolver doenas crnicas e pela necessidade de determinados nutrientes e compostos bioativos de alimentos. Essas diferenas so conhecidas como polimorfismos de nucleotdeos nicos (SNPs, do ingls single-nucleotide polymorphism). Atualmente, j so conhecidos mais de 10 milhes de SNPs no genoma humano.

    De acordo com estudos publicados no Physiol Genomic, a nutrigenmica relaciona dados genticos de indivduos saudveis ou doentes com a sua dieta para alcanarem as concluses sobre as interferncias da dieta e suplementao na estrutura e expresso gentica. O grau de influncia da dieta na sade pode depend-er da constituio gentica. A prpria escolha dos alimentos e o apetite certamente so influenciados pela constituio gentica. Sabe-se, de fato, que as necessidades de alimentos, nutrientes e compostos bioativos variam de um indivduo para o outro e influenciam o risco individual de doenas ao longo da vida.

    Dessa forma, os avanos tanto da Nutrigenmica como da Nutrigentica sero de fundamental importn-cia para o estabelecimento de intervenes dietticas personalizadas e suplementao, com o objetivo de se reduzir o risco de doenas e promover a sade.

    Existem pilares conceituais que definem as bases da nutrigenmica

    Os componentes da dieta comum atuam no genoma humano, direta ou indiretamente, alterando a expresso ou estrutura gnica.

    Sob certas circunstncias, e em alguns indivduos, a dieta pode ser um fator de risco srio para algumas doenas.

    Alguns genes regulados pela dieta (e suas variantes normais) provavelmente desempenham um papel no incio, na incidncia, na progresso e/ou na severidade de doenas crnicas.

    O grau pelo qual a dieta influencia o balano entre os estados de sade e a doena pode depender do componente gentico individual.

    Intervenes dietticas, baseadas no conhecimento do requerimento nutricional, do estado nutricional e do gentipo (isto , nutrio individualizada), podem ser usadas para prevenir, atenuar ou curar doenas crni-cas.

  • Baseado nesses princpios, O DNA ECOPUR foi desenvolvido e utilizado como uma ferramenta para suple-mentar o DNA. O objetivo da nutrigenmica caracterizar um fentipo saudvel, tornando possvel a distino entre o estado saudvel do estado predisposto a adquirir alguma doena, podendo assim intervir com dietas e suple-mentos pertinentes ao estado gnico do indivduo (LAMPE, 2006). Atravs de dietas personalizadas e comple-mentadas com a prescrio de suplementos adequados, com base no gentipo, a cincia visa a promoo da sade e a reduo do risco de doenas crnicas no transmissveis, como as cardiovasculares, o cncer, o diabetes, entre outras (FIALHO, 2008).

    Os alimentos so dotados de nutrientes e compostos bioativos que desencadeiam efeitos moleculares, benficos ou no ao organismo, dependendo de quais genes apresentam sua atividade alterada. Os alimentos funcionais, por exemplo, so conhecidos por gerarem benefcios ao organismo; no entanto, este efeito no similar em todas as pessoas e sim, dependente das caractersticas genticas individuais: um indivduo pode ser mais suscetvel s propriedades funcionais que outro (GARCIA-CASAL, 2007). Nesse sentido, o interesse tem sido atribudo capacidade que nutrientes e estes compostos tm de alterar a expresso gnica. Nossa alimentao composta por inmeras molculas qumicas nutricionais, sendo cada uma capaz de regular diferentes processos biolgicos. Por isso, a nutrio uma verdadeira cincia integradora que est bem posicionada por meio da cincia da nutrigenmica, que busca explorar todas as variveis em vez de se manter estagnada em conceitos j aceitos (ZEISEL, 2008).DNA ECOPUR atua em genes especficos atravs do estmulo e suplementao de nucletotdeos.

  • Nucleotdeos do DNA ECOPUR Os blocos de construo da vida

    Os nucleotdeos so compostos por uma base nitrogenada, um grupo fosfato e uma ribose ou desoxiri-bose - a hidroxila indica que o nucleotdeo representado uma ribose. Quando na ausncia do grupo fosfato, so chamados de nucleosdeos. A base nitrogenada, juntamente com a pentose formam compostos heteroc-clicos, sendo que a primeira pode ser derivada de compostos de purina ou pirimidina. So tidas como purinas a adenina (A) e a guanina (G), e as pirimidinas so constitudas pela citosina (C), uracila (U) e timina (T).

    Os nucleotdeos esto presentes em vrios processos metablicos e so tidos como subunidades dos cidos nuclicos, participam do transporte e na conservao de energia (ATP, por exemplo), so encontrados como componentes de alguns co-fatores enzimticos e alguns apresentam a funo de mensageiros qumi-cos celulares, como o caso do cAMP, um segundo mensageiro que atua fosforilando diversas outras molculas, desencadeando uma cascata de reaes em um determinado processo, como ocorre na liberao de histaminas quando de uma reao alrgica.

    Os nucleotdeos so considerados nutrientes condicionalmente essenciais ou seja so aqueles que o corpo normalmente produz durante o metabolismo, mas que em situaes especiais (doenas, estresse etc.) o organismo no produz ou faz em quantidades insuficientes. Atualmente, a maior parte dos indviduos precisam suplementar nucleotdeos, pois a m alimentao, o estresse, esforo fsico, doenas, o uso exces-sivo de lcool so fatores que contribuem para esse dficit. Nucleotdeos ainda no so considerados nutrien-tes essenciais para os seres humanos, mas o estresse, esforo fsico, doena, m alimentao, o uso exces-sivo de lcool e antiobiticos contribuem para o dficit no organismo.

  • Funes metablicas dos nucleotdeos de DNA Ecopur

    De acordo com estudos divulgados no Journal of Nutritional Biochemistry

    1. Os nucleotdeos atuam no metabolismo: ATP a principal forma qumica de energia celular e doador de fosfato para a gerao de outros nucleotdeos.

    2. Os nucleotdeos so precursores dos cidos nuclecos DNA e RNA e so compostos por unidades monomricas.

    3. Mediadores fisiolgicos: os nucleotdeos atuam como mediadores de vrios processos metablicos. Por exemplo, ADP fundamental para a agregao normal de plaquetas e a adenosina um vasodilatador.

    4. Os nucleotdeos so componentes das coenzimas NAD e FAD: as coenzimas NAD e FAD agem em proces-sos essenciais da clula, bem como a respirao. NAD nicotina-adenina-dinucleotdeo, uma coenzima que atua no processo de oxidao. Fundamenta-se em nicotinamida, ribose e fosfato que fazem ligao com o adenina-nucleotdeo. FAD flavina-adenina-dinucleotdeo, uma coenzima que se fundamenta em riboflavina e fosfato agregados um adenina-nucleotdeo. O trabalho destes nucleotdeos se resume em transportar hidrognio, que recebem das enzimas desidrogenases.

    5. Os nucleotdeos servem como ativadores intermedirios para vrias reaes: Por exemplo, a UDP-glucose um intermedirio para glicognio e para a sntese de glicoprotenas.

  • 6. Os nucleotdeos so fundamentais para o metabolismo de fosfolipdeos e so precursores da CDP-colina e CDP-etanolamina.A CDP-colina um composto biolgico de ocorrncia natural solveis em gua, que um intermedirio fundamental para a sntese de fosfatidilcolina, um dos principais constituintes da matria cinzenta do tecido cerebral (30%). A colina uma substncia necessria para o crebro produzir a acetilcolina, u