diversidade fÚngica associada a abelhas sem ?ao - joão... · colmeias de abelhas sem ferrão. aos

Download DIVERSIDADE FÚNGICA ASSOCIADA A ABELHAS SEM ?ao - João... · colmeias de abelhas sem ferrão. Aos

Post on 26-Dec-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

0

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS - UFAM

PROGRAMA DE PS-GRADUAO EM DIVERSIDADE BIOLGICA -

PPGDB

DIVERSIDADE FNGICA ASSOCIADA A ABELHAS SEM FERRO

(Melipona spp.) EM MELIPONRIOS NA CIDADE DE MANAUS E

IRANDUBA, AMAZONAS, BRASIL

JOO RAIMUNDO SILVA DE SOUZA

MANAUS-AM

2014

1

JOO RAIMUNDO SILVA DE SOUZA

DIVERSIDADE FNGICA ASSOCIADA A ABELHAS SEM FERRO

(Melipona spp.) EM MELIPONRIOS NA CIDADE DE MANAUS E

IRANDUBA, AMAZONAS, BRASIL

Dissertao apresentada ao Programa de Ps-

Graduao em Diversidade Biolgica da

Universidade Federal do Amazonas - UFAM

como pr-requisito para obteno do ttulo de

Mestre em Diversidade Biolgica.

Orientadora: Prof. Dra. Maria Ivone Lopes da Silva

MANAUS-AM

2014

ii

2

FICHA CATALOGRFICA

Souza, Joo Raimundo Silva de

S729d Diversidade fngica associada a abelhas sem ferro (Melipona spp.) em Meliponrios na cidade de Manaus e Iranduba, Amazonas, Brasil/ Joo Raimundo Silva de Souza, 2014

65 f.: il. color; 31 cm.

Orientadora: Maria Ivone Lopes da Silva Dissertao (Mestrado em Diversidade Biolgica) - Universidade

Federal do Amazonas.

1. Fungos filamentosos. 2 abelhas sem ferro. 3. Meliponrios. 4. Amazonas. I. Silva, Maria Ivone Lopes da II. Universidade Federal do Amazonas III. Ttulo

iii

3

JOO RAIMUNDO SILVA DE SOUZA

DIVERSIDADE FNGICA ASSOCIADA A ABELHAS SEM FERRO

(Melipona spp.) EM CRIADOUROS ARTIFICIAIS NA CIDADE DE

MANAUS E IRANDUBA, AMAZONAS, BRASIL

Dissertao apresentada ao Programa de Ps-

Graduao em Diversidade Biolgica da

Universidade Federal do Amazonas - UFAM

como pr-requisito para obteno do ttulo de

Mestre em Diversidade Biolgica.

rea de concentrao: Cincias Biolgicas

Data da defesa: 27 / 11 / 2014

Resultado: APROVADO

Banca Examinadora

Maria Inez de Moura Sarquis, Prof. Dra.

Instituto Oswaldo Cruz RJ

Rozana de Medeiros Souza Galvo, Prof. Dra. Universidade Federal do Amazonas UFAM

Pedro de Queiroz Costa Neto, Prof. Dr. _ Universidade Federal do Amazonas UFAM

iv

4

Dedico esta dissertao aos meus pais,

Getlio e Maria do Carmo, minha irm

Ana por todo amor, carinho, apoio e

ateno nessa etapa de minha vida.

v

5

AGRADECIMENTOS

Ao Instituto de Cincias Biolgicas - ICB, pelo apoio concedido por meio de

suas estruturas, em especial ao Programa de Ps-Graduao em Diversidade

Biolgica, pela oportunidade de realizao do Curso.

Ao Laboratrio de Gentica de Microrganismos, LAGEM - UFAM e ao

Laboratrio de Princpios Bioativos de Origem Microbiana, LPBOM - UFAM, pelo

espao cedido para realizao dos experimentos.

Ao Laboratrio de Gentica do Instituto Oswaldo Cruz - RJ e ao Centro de

Apoio Multidisciplinar - UFAM e colaboradores, pelo sequenciamento das amostras de

DNA.

Profa. Dra. Maria Ivone Lopes da Silva, pela orientao, confiana e apoio.

Dra. Maria Inez de Moura Sarquis, pela colaborao e auxlio na identificao

morfolgica dos fungos.

Ao Prof. Dr. Pedro de Queiroz Costa Neto, pelo apoio nas extraes de DNA

dos fungos e anlise dos dados.

Profa. Dra. Maria Cludia Gross, pelo apoio e colaborao na anlise

gentica.

Aos professores do Programa de Ps-Graduao de Diversidade Biolgica,

pelos ensinamentos transmitidos e agradvel convivncia.

Ao acadmico de Zootecnia Mozanil, pelo apoio no desenvolvimento do

trabalho.

Ao amigo Andr Gouva Belota, por ceder o transporte para realizao das

coletas de abelhas.

amiga Janana da Costa Nogueira, pelo apoio e por ceder material para

realizao dos microcultivos dos isolados.

amiga Aldenora Lima de Queiroz, tcnica Biloga CBIO Coordenao de

Pesquisa em Biodiversidade/INPA e criadora de abelhas/ACAM Associao de

Criadores de Abelhas do Amazonas-Manaus, pela disponibilidade do espao no

vi

6

Meliponrio Sucupira para as coletas de dados nas colmeias de abelhas sem ferro

Jandara Melipona seminigra merrillae e M. interrupta manaosensis.

senhora Terezinha, por disponibilizar o espao no Stio dos Tucanos,

Iranduba, pela disponibilidade do espao no Meliponrio para as coletas de dados nas

colmeias de abelhas sem ferro.

Aos amigos e colegas do Laboratrio de Gentica, em especial a Natlia

Dayane Moura Carvalho, Francijara Arajo, Thais Lemos de Mattos e Vanessa Pinheiro

pelo apoio e colaborao durante a realizao das atividades.

Aos colegas e amigos de Curso, pelo convvio e apoio, em especial aos

companheiros: Laerzio, Lucas, Rodrigo, Francijara, Paula, Rebeca, Joice, Ana Paula e

Urania, meus votos de sucesso.

Aos amigos da graduao em Cincias Biolgicas 2009/2 da ESBAM, em

especial s eternas companheiras: Aldenora, Rosana, Karol, Dani e Paty, por torcerem

e se alegrarem com minhas vitrias.

minha famlia que me acompanhou durante esta etapa.

Fundao de Amparo a Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), pela

concesso de bolsa de estudo no qual tornou possvel realizao deste trabalho.

todos que de forma direta ou indireta contriburam para a finalizao desta

etapa, agradeo.

vii

7

LISTA DE FIGURAS

Figura 01. Gneros de fungos filamentosos identificados por morfologia clssica, isolados de abelhas sem ferro coletadas no ano de 2013 no perodo chuvoso e de estiagem nos Municpios de Manaus (P1) e Iranduba (P2)

29

Figura 02. Gnero de fungos filamentosos isolados de abelhas sem ferro no perodo chuvoso do ano de 2013, nos Municpios de Manaus, Meliponrio Sucupira (P1) e Iranduba, Meliponrio dos Tucanos (P2)

30

Figura 03. Gnero de fungos filamentosos isolados de abelhas sem ferro no perodo de estiagem do ano de 2013, nos Municpios de Manaus, Meliponrio Sucupira (P1) e Iranduba, Meliponrio dos Tucanos (P2)

31

Figura 04. Morfologia do gnero Penicillium isolado de abelha sem ferro no Municpio de Manaus (P 1), ano de 2013, perodo chuvoso, caractersticas macro (A) e microscpicas (B)

32

Figura 05. Morfologia do gnero Fusarium isolado de abelha sem ferro no Municpio de Iranduba (P 2), ano de 2013, perodo chuvoso, caractersticas macro (A) e microscpicas (B)

33

Figura 06. Morfologia do gnero Acremonium isolado de abelha sem ferro no Municpio de Iranduba (P 2), ano de 2013, perodo de estiagem, caractersticas macro (A) e microscpicas (B)

34

Figura 07. Morfologia do gnero Cladosporium isolado de abelha sem ferro no

Municpio de Manaus (P 1), ano de 2013, perodo de estiagem, caractersticas macro (A) e microscpicas (B, C e D)

35

Figura 08. Morfologia do gnero Paecilomyces isolado de abelha sem ferro no

Municpio de Manaus (P 1), ano de 2013, perodo chuvoso, caractersticas macro (A) e microscpicas (B)

36

Figura 09. Morfologia do gnero Verticillium isolado de abelha sem ferro no Municpio de Iranduba (P 2), ano de 2013, perodo chuvoso, caractersticas macro (A) e microscpicas (B)

37

Figura 10. Morfologia do gnero Moniliella isolado de abelha sem ferro no Municpio de Iranduba (P 2), ano de 2013, perodo de estiagem, caractersticas morfolgicas macro (A) e microscpicas (B)

38

Figura 11. Morfologia do gnero Aspegillus isolado de abelha sem ferro no Municpio de Manaus (P 1), ano de 2013, perodo de estiagem, caractersticas morfolgicas macro (A) e microscpicas (B)

39

viii

8

Figura 12. Morfologia do gnero Rhizopus isolado de abelha sem ferro no Municpio de

Iranduba (P 2), ano de 2013, perodo chuvoso, caractersticas morfolgicas macro (A) e microscpicas (B)

40

Figura 13. Morfologia do gnero Rhinocladiella isolado de abelha sem ferro no

Municpio de Manaus (P 1), ano de 2013, perodo chuvoso, caractersticas morfolgicas macro (A) e microscpicas (B)

41

Figura 14. Morfologia do gnero Tritirachium isolado de abelha sem ferro no Municpio de Manaus (P 1), ano de 2013, perodo chuvoso, caractersticas morfolgicas macro (A) e microscpicas (B)

42

Figura 15. Morfologia do gnero Scedosporium isolado de abelha sem ferro no Municpio de Manaus (P 1), ano de 2013, perodo chuvoso, caractersticas morfolgicas macro (A) e microscpicas (B)

42

Figura 16. Morfologia do gnero Mucor isolado de abelha sem ferro no Municpio de Manaus (P 1), ano de 2013, perodo chuvoso, caractersticas morfolgicas macro (A) e microscpicas (B)

43

Figura 17. Morfologia do gnero Pestalotiopsis isolado de abelha sem ferro no Municpio de Iranduba (P 2), ano de 2013, perodo de estiagem, caractersticas morfolgicas macro (A) e microscpicas (B)

44

Figura 18. Morfologia do gnero Torula isolado de abelha sem ferro no Municpio de

Manaus (P 1), ano de 2013, perodo chuvoso, caractersticas morfolgicas macro (A) e microscpicas (B)

45

Figura 19. Morfologia do gnero Alysidium isolado de abelha sem ferro no Municpio de Manaus (P 1), ano de 2013, perodo chuvoso, caractersticas morfolgicas macro (A) e microscpicas (B)

46

Figura 20. Gel de agarose

Recommended

View more >