Ditadura argentina

Download Ditadura argentina

Post on 17-May-2015

594 views

Category:

Education

1 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Trabalho realizado por alunos da Turma 3A/2013 do Instituto de Aplicao - CAp/UERJ.

TRANSCRIPT

<ul><li> 1. CAp UERJ Instituto de Aplicao Fernando Rodrigues da Silveira Nomes: Deborah Medeiros N 01 Mara Bernardo N 13 Nathalia Cezrio N 18 Disciplina: Histria Professora: Snia Wanderley</li></ul> <p> 2. Contexto Internacional da Guerra Fria: medo vermelho Morte de Pern: Assume sua mulher Isabelita Pern Crise do Assistencialismo Constantes escndalos Crise do petrleo Diviso do peronismo Instabilidade poltica e econmica Fortalecimento dos militares 3. Golpe militar em 24 de maro de 1976: Generais Videla, Viola e Galtiere Limpeza ideolgica-moral: Operao de extermnio da esquerda peronista eda esquerda marxista Instaurao do terror: Primeiro mataremos todos os subversivos, logo mataremos os seus colaboradores, depois os seus simpatizantes, em seguida os que permanecem indiferentes e finalmente os tmidos." (General Ibrico Saint-Jean, governador de Buenos Aires) 1976 a 1983: Guerra Suja Combate a movimentos populares Segundo eles, um governo que respeitasse os direitos humanos era ineficaz. Criao de uma "ordem clandestina": o regime no era responsabilizado pelas prises e pelo que ocorria com seus inimigos. ESMA (Escola de Mecnica da Armada): centro clandestino de deteno e tortura utilizado na ditadura militar argentina, por onde passaram milhares de presos. Desaparecimento de crianas e adolescentes Processo de Reorganizao Nacional: os parentes dos subversivos tambm eram punidos (pedra na gua). 4. Modalidades de tortura:- Picana eltrica (choques eltricos) - Submarino seco e molhado (asfixia) - Rato no clon - PauladasOperao Condor: Aliana poltico-militar, formada em 1975, de represso a opositores das ditaduras instaladas nos seis pases do Cone Sul (Brasil, Argentina, Chile, Bolvia, Paraguai e Uruguai). 5. Movimento organizado por mulheres, mes e avs, que, no satisfeitas com asprotelaes e desculpas das autoridades, comearam a se reunir na Praa de Maio, em frente a Casa Rosada, em Buenos Aires, batendo nas portas de quartis e prises com retratos em mos, exigindo notcias de seus filhos e parentes desaparecidos durante a ditadura militar. Foram denominadas pela mdia pr-ditadura como Las Locas de la Plaza de Mayo.no satisfeitas com as escusaes e tergiversaes das autoridades, comearam a exigir em pblico, com coragem quase que suicida, a devoluo dos seus filhos e uma satisfao que fosse a respeito do sumio. Por isso, chegaram a serem chamadas de Las locas de la Plaza de Mayo. (SCHILLING. 2005 pg. 35)Nora Cortias, integrante das Mes da Praa de Maio afirma que os militares demonstraram total falta de humanidade: Eles foram cruis. Jogaram jovens vivos ou mortos nas guas (do Rio da Prata), torturaram mulheres grvidas e at seus bebs em gestao. Como podem ser perdoados?. (VZQUEZ e IRAMAIN. 2007 pg.16) 6. Fracasso econmico, poltico e militar Questes essenciais: Instabilidade econmica; Copa do Mundo de 1978;Guerra das Malvinas (1982).General Galtieri, que protagonizou a invaso das ilhas Malvinas em 1982.Martnez de Hoz, Ministro da Economia do ditador Videla. 7. Dvida externa subiu de US$ 8 bilhes para US$ 45 bilhes. Inflao do governo civil derrubado pela Ditadura, que era considerada um ndice absurdo alto pelos militares havia sido de 182% anual. Mas, este ndice foi superado pela poltica econmica catica da Ditadura, que encerrou sua administrao com 343% anual. Pobreza disparou de 5% da populao argentina para 28% Participao da indstria no PIB caiu de 37,5% para 25%, o que equivaleu a um retrocesso dos nveis dos anos 60. Criao de uma ciranda financeira, conhecida como la plata dulce, ou, o doce dinheiro. Ao mesmo tempo em que tomavam medidas neoliberais, como a abertura irrestrita das importaes, os militares continuavam mantendo imensas estruturas nas empresas estatais, que transformaram-se em cabides de emprego de generais, coronis e seus parentes. Os militares tambm estatizaram US$ 15 bilhes de dvidas das principais empresas privadas do pas (alm das filiais argentinas de empresas estrangeiras). Dficit fiscal de 15% do PIB. A represso provocou um xodo de centenas de milhares de profissionais do pas. Os militares, em cargos burocrticos, exacerbaram a corrupo na mquina estatal 8. Apesar das denncias de graves violaes aos Direitos Humanos a FIFAno cancelou a realizao da Copa de 1978. - Operao Limpeza: A ditadura argentina escondeu locais de tortura, presos polticos, crimes e sequestros de dissidentes durante a Copa do Mundo de 1978, para dar a impresso de que as acusaes contra o regime eram infundadas. Alm disso, O presidente Videla mandou exterminar os encarcerados da ESMA em vista que a Copa do Mundo se aproximava e o povo estava distrado. A goleada da Argentina sobre o Peru, que deixou o Brasil fora da final, foi cercada de rumores: de acordo com o jornal argentino El Tiempo, uma das principais testemunhas do caso, o ex-senador peruano Genaro Ledesma, revelou ao juiz que a goleada havia sido acertada entre os ditadores dos dois pases e era parte de um acordo maior de cooperao entre os dois governos, no qual o ditador argentino, Jorge Videla, aceitou receber 13 prisioneiros peruanos que, em Lima, lutavam para derrubar o governo. Em troca, Videla pediu que o Peru entregasse a partida. Para o Regime militar, a vitria nesse evento esportivo foi um triunfo poltico, que lhe garantiu alta popularidade. 9. () enquanto os olhos do mundo estavam voltados para Argentina e aconquista do ttulo pela seleo portenha, o regime militar exterminava, torturava e matava quem se opunha ao governo do pas, porm, com a camuflagem da Copa o regime conseguiu que boa parte do pas esquecesse o que estava passando para celebrar a vitoria argentina.(KOHAN, 2005 p. 237) 10. Incio: 2 de abril de 1982 Ilhas Malvinas/ Falkland Islands: Soberania da regio disputada porargentinos e britnicos Agentina: Controle do que consideram sua extenso teritorial histrica.Argentinos alegam que ao se tornarem independentes em 1822, passaram tambm a controlar as ilhas que pertenciam aos espanhis. A guerra das Malvinas foi uma arma utilizada pelo general Leopoldo Galtieri para dar flego ao regime ditatorial militar, apelando para a exarcebao do sentimento patritico. O forte apoio do povo argentino foi comprovado quando dezenas de milhares de pessoas se reuniram na Praa de Maio para aplaudir Galtieri, por este ter ordenado o desembarque nas ilhas. Reino Unido: Britnicos dominam o local desde 1833, quando ocuparam ecolonizaram o arquiplago. A guerra, neste caso, foi tambm uma estratgia utilizada pela primeira ministra Margareth Tatcher, que enfrentava uma crise de popularidade. O pas enviou 28 mil soldados britnicos para lutar pela manuteno do controle das ilhas. 11. 2 de maio: Britnicos afundam o navioargentino General Belgrano, matando 326 tripulantes. 21 de maio: Frota britnica toma o Estreito de San Carlos, dando incio a sangrentas batalhas Goose Green: Batalha decisiva para o final da guerra, em 14 de junho, com a rendio dos argentinos. Consequncias: Derrota monumental e humilhante das Foras Armadas Argentinas, com um saldo de 649 argentinos mortos. O acontecimento foi considerado o incio do fim, sendo fator decisivo para o sepultamento da ditadura e a recuperao da democracia no ano de 1983, com a eleio do presidente Ral Alfonsn 12. O conceito de revoluo consiste em uma mudana,uma transformao radical no somente em aspectos polticos mas em diversos pontos da organizao estrutural de uma sociedade. Tendo em vista a breve definio e as caractersticas abordadas ao longo do trabalho, apresente motivos pelos quais os militares e civis consideraram a ditadura argentina, assim como a brasileira, uma revoluo. 13. http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_secao=7&amp;id_noticia=229527 http://blogs.estadao.com.br/ariel-palacios/ditadura-argentina-a-mais-sanguinaria-da/ http://www.mibuenosairesquerido.com/Argentina7.htm http://blogs.estadao.com.br/ariel-palacios/ditadura-argentina-a-mais-sanguinaria-da/ http://pencefundamental.wordpress.com/2011/04/27/por-dentro-da-ditadura-argentina1976-1983/ http://globotv.globo.com/rede-globo/jornal-nacional/v/ex-combatentes-relembram-aguerra-das-malvinas/1877225/</p>