distribuição regional da efetividade do salário mínimo no ... ?· na verdade, vários...

Download Distribuição Regional Da Efetividade Do Salário Mínimo No ... ?· Na verdade, vários trabalhos…

Post on 15-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

',675,%8,d25(*,21$/'$()(7,9,'$'('26$/5,2

01,0212%5$6,/

Marcelo NeriFGV(IBRE e EPGE)

Gustavo GonzagaPUC-Rio

Jos Mrcio CamargoPUC-Rio

5HVXPR

1 Este artigo foi apresentado na USP, IPEA, ABET e ANPEC onde inmeros comentrios foram realizados.Gostaramos de agradecer esses comentrios assim como a excelente assistncia de pesquisa desempenhadapor Alexandre Pinto, Mabel Nascimento, Flvio Datrino, Maurcio Reis, Antonio Marcos Ambrosio, Aldo

2

Este artigo fornece subsdios discusso sobre regionalizao do salrio mnimo

brasileiro. Inicialmente, avaliamos a efetividade da poltica de salrio mnimo nacional

sobre a determinao dos salrios nas diversas formas de insero ocupacional do mercado

de trabalho brasileiro, analisadas separadamente para as diversas realidades regionais do

pas. A nossa tcnica consiste, essencialmente, em mapear pontos de presso/solues de

canto produzidas pela poltica de salrio mnimo brasileira. O grau de efetividade do salrio

mnimo estimado para os diversos estados brasileiros, destacando-se a heterogeneidade de

seus efeitos sobre os diferentes segmentos do mercado de trabalho. A seguir, realizamos um

estudo FURVVVHFWLRQ que procura identificar os principais determinantes do grau de

efetividade do salrio mnimo nos diversos estados brasileiros. Finalmente, procuramos

quantificar diferenas espaciais de custo de vida a fim de balizar propostas de

regionalizao do salrio mnimo. O trabalho aponta a importncia dos chamados efeitos

informais do mnimo nas regies Norte e Centro-Oeste do pas (isto , empregados sem

carteira recebendo exatamente um mnimo e empregados com carteira recebendo

determinados mltiplos do mnimo) e a predominncia de efeitos tradicionais do mnimo

(i.e., indivduos do setor formal recebendo um mnimo) na regio Nordeste.

Ramos e Ilana Braun. Os erros remanescentes so de nossa inteira responsabilidade.

3

$EVWUDFW

This paper provides subsidies to the discussion about the regionalization of the

minimum wage in Brazil. First, we evaluate the effectiveness of a national minimum wage

policy in both formal and informal segments of the Brazilian labor market. Our basic

technique is to map pressure points/corner solutions produced by the Brazilian minimum

wage policy. The effectiveness of the minimum wage is evaluated for different Brazilian

states. Then, we implement a cross-sectional study across Brazilian states that attempt to

identify the main determinants of the effectiveness of the minimum wage. At last, we assess

the differences in the cost of living between different areas of the country to guide

minimum wage regionalization proposes. The paper reveals the importance of the so-called

minimum informal effects in the North and Central-West areas of the country (informal

workers receiving one minimum and workers receiving certain multiples of the minimum)

and the predominance of traditional effects of the minimum (formal employees receiving

one minimum wage) in the Northeast area of the country.

4

,QWURGXomR

Este artigo fornece subsdios discusso sobre regionalizao do salrio mnimo

brasileiro. Inicialmente, avaliamos a efetividade da poltica de salrio mnimo nacional

sobre a determinao dos salrios nas diversas formas de insero ocupacional do mercado

de trabalho brasileiro, analisadas separadamente para as diversas realidades regionais do

pas.2 A nossa tcnica consiste em mapear pontos de presso/solues de canto produzidas

pela poltica de salrio mnimo brasileira, utilizando a metodologia utilizada em Neri HWDO

(1998). O objetivo principal do artigo mostrar que o mnimo tem efeitos diferenciados

sobre os mercados de trabalho nas diversas regies do pas.

O artigo est organizado da seguinte forma. Na prxima seo, fazemos uma breve

resenha terica e emprica sobre a efetividade do salrio mnimo. Nas duas sees

seguintes, o grau de efetividade do salrio mnimo estimado para o Brasil e para os

diversos estados do pas, destacando-se a heterogeneidade de seus efeitos sobre os

diferentes segmentos do mercado de trabalho. A seo 5 apresenta os resultados de um

estudo FURVVVHFWLRQ que procura identificar os principais determinantes do grau de

efetividade do salrio mnimo nas diversas regies brasileiras. Na seo 6, procuramos

quantificar diferenas espaciais de custo de vida a fim de balizar propostas de

regionalizao do salrio mnimo. Finalmente, a seo apresenta as principais concluses.

8PD%UHYH5HVHQKDVREUHRV(IHLWRVGR6DOiULR0tQLPRQR0HUFDGRGH7UDEDOKR

Nessa seo, apresentamos um breve sumrio da literatura terica sobre a

importncia do salrio mnimo sobre a determinao da taxa de salrios e do nvel de

emprego, e das evidncias empricas acerca da efetividade do salrio mnimo em afetar os

salrios mais baixos (dos trabalhadores menos qualificados) no Brasil.

A origem do debate terico sobre a efetividade do salrio mnimo na determinao

dos salrios no Brasil se situa no final da dcada de 70. De um lado, Souza e Baltar (1979,

1980) argumentavam que o grau de efetividade do salrio mnimo era alto, uma vez que o

2 As categorias de insero ocupacional analisadas nesse artigo so as seguintes: empregados formais(funcionrios pblicos e trabalhadores com carteira assinada), empregados informais (sem carteira assinada), etrabalhadores por conta prpria (que incluem autnomos regulamentados e no-regulamentados). Talclassificao nos permite concentrar no ponto principal do artigo que o de avaliar a efetividade do mnimo,para cada regio, entre aqueles que formal e legalmente deveriam ser afetados pela legislao osempregados formais que recebem salrios equivalentes ao mnimo e entre os trabalhadores nas demais

5

mnimo afetava no apenas a taxa de salrios, por representar a remunerao mnima no

setor formal da economia, mas tambm determinava a remunerao dos trabalhadores do

setor informal, devido ao conhecido efeito-farol.

J na viso de Macedo e Garcia (1978 e 1980), o salrio mnimo era pouco efetivo

no sentido de determinar os salrios dos trabalhadores no-qualificados no mercado de

trabalho brasileiro. Segundo os autores, isto ocorre, principalmente, como conseqncia da

do fato de que apenas uma pequena parcela de firmas cumpre a legislao trabalhista no

setor formal da economia, e devido ao grande nmero de trabalhadores que esto margem

da legislao e que tem seus salrios apenas indiretamente relacionados ao mnimo.

Cacciamali HW DO (1994), ao resumir os pontos principais deste debate, faz duas

consideraes importantes. A primeira que no apenas os autores divergem sobre o grau

de efetividade do mnimo (o qual, para Macedo e Garcia, irrelevante; e, para Souza e

Baltar, altamente relevante), mas tambm discordam sobre a relao de causalidade entre

os salrios nos mercados formal e informal da economia. Na viso de Souza e Baltar, o

salrio no mercado formal condiciona a remunerao no mercado informal, enquanto

Macedo e Garcia sustentam exatamente o contrrio. O segundo ponto importante levantado

por Cacciamali HWDO que as evidncias empricas apresentadas pelos autores so muito

precrias, o que fez com que o debate permanecesse inconcluso.

Na verdade, vrios trabalhos empricos foram realizados nas dcadas de 80 e 90,

cujo objetivo principal era estudar o papel do salrio mnimo na determinao dos salrios

dos trabalhadores no-qualificados no Brasil. A grosso modo, a literatura emprica pode ser

dividida em dois grupos. O primeiro grupo procurou medir a importncia do salrio mnimo

atravs de regresses dos salrios mdio e mediano sobre o mnimo, em geral controlando

para variveis de demanda (ver, entre outros, Bacha e Taylor, 1978, Drobny e Wells, 1983,

Velloso, 1990).3

O segundo grupo de autores aplica testes de causalidade entre o salrio mnimo e os

formas de insero ocupacional.3 Em geral, o primeiro grupo de autores mostra evidncias da efetividade do mnimo em determinar salriosno Brasil. No entanto, duas consideraes podem colocar em xeque esses resultados. Primeiramente hevidncias apresentadas por outros autores de que as sries analisadas contm razes unitrias, o que temimplicaes conhecidas sobre a validade dos mtodos empregados. Em segundo lugar, a prpria especificaoescolhida pelos autores era ad-hoc, no sendo derivada de modelos de otimizao por parte dos agentes.Gonzaga e Scandiuzzi (1998), por exemplo, discutem a validade da utilizao dessas especificaes de testesda efetividade da poltica salarial em um contexto de barganha salarial.

6

rendimentos dos trabalhadores no-qualificados formais e informais de forma a testar no

apenas a efetividade do mnimo nos dois segmentos como a direo de causalidade (ver,

por exemplo, Cacciamali et al. (1994), Carneiro e Faria (1997), Lemos (1997) e Soares

(1998)).

Nesse artigo, optamos por uma via mais direta e simples. Como j mencionado, a

nossa medida de efetividade baseada nos dados microec

Recommended

View more >