direito tributÁrio

Download DIREITO TRIBUTÁRIO

Post on 10-Jun-2015

8.296 views

Category:

Documents

2 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

DIREITO TRIBUTRIO Professor Alexandre Mazzawww.alexandremazza.com.br www.professorsabbag.com.br 04 PESSOAS JURDICAS Plo ativo - Entes credores Plo Passivo Entes UNIO (U), ESTADOS (E), devedores MUNICPIOS (M) e DF So pessoas fsicas ou pessoas jurdicas. Invaso o tributo

Poder de tributar: Compulsoriedade: Os princpios so iguais a limitao constitucional, ao poder de tributar.

A)

PRINCPIO DA LEGALIDADE TRIBUTRIA

Art. 150, I, CF e art. 97, I, CTN Criao, lanamento, reduo e extino de tributos dependem sempre de lei.

U, E, DF e M S podem criar e aumentar tributos LEI ORDINRIA, cria IMPOSTOS, TAXAS E CONTRIBUIES Ex. IPTU criado por lei ordinria municipal PRIMEIRA EXCEO:04 TRIBUTOS FEDERAIS QUE DEPENDEM DE LEI FEDERAL COMPLEMENTAR LEI

- IGF - IMPOSTOS SOBRE GRANDES FORTUNAS - EMPRSTIMOS COMPULSRIOS - IMPOSTOS RESIDUAL CONTRIBUIO PREVIDENCIRIA RESIDUAL

ART. 153, VII, CF ART. 148, CF ART. 154, I, CF ART. 195, 4 CF

Existem ressalvas, excees, atenuantes legalidade Atuao do poder executivo.1

MP o medida provisria pode tratar dos temas de LEI ORDINRIA, se a MP CRIAR OU AUMENTAR o imposto, esta poder ser exigida no exerccio seguinte. SEGUNDA EXCEO:06 tributos que podem ter ALQUOTAS modificadas por DECRETO

LISTA de 04 IMPOSTOS FEDERAIS QUE PODEM TER SUAS ALQUOTAS MAJORADAS ou REDUZIDAS POR ATO DO PODER EXECUTIVO, ART. 153, 1 CF II IMPOSTO DE IMPORTAO So impostos aduaneiros IE IMPOSTO DE ligados balana comercial EXPOSTAO IPI IDF Lista de 02 excees legalidade- EC 33/2001 CIDE Combustvel tributo federal (contribuio) art. 177, , 4, I, B CF

ICMS COMBUSTVEL Tributo estadual, art. 155 4, IV, DICAS FINAIS:A) o PORQU DAS EXCEES Os tributos da lista so

extrafiscais, isto , regulam o mercado econmico do pas (extrafiscalidade). B) Art. 62, 2 CF EC 32/2001 - MEDIDA PROVISRIA Tratam das MP. A MP um instrumento idneo para criar / aumentar o imposto no Brasil. Ex. A MP que majora o IR; a MP que aumenta o ITR (Ler art. 62, , 1 IV, CF) Onde a LEI COMPLEMENTAR estiver a MP no poder estar. Ex. MP no cria emprstimo compulsrio, que criado pela LEI COMPLEMENTAR.

B) A definio da data para pagamento do tributo NO DEPENDE DE LEI, pois cabe ao executivo.

B) PRINCPIO DA ANTERIORIDADE TRIBUTRIA art. 150, III, b,c, CF Princpio da no surpresa Observao: No confundir com o princpio da Anualidade2

TRIBUTO CRIADO OU MAJORADO EM (01) UM EXERCCIO

S PODER SER EXIGIDO NO EXERCCIO SEGUINTE Anterioridad e ANUAL

RESPEITADO O INTERVALO MNIMO DE 90 DIAS Anterioridade NONAGESIMA L

A U,E,M e DF s podero exigir o tributo no exerccio financeiro posterior ao da publicao da lei.

b do art. 150, III CF anterioridade anual ou anterioridade de exerccio. Exerccio financeiro igual a ANO FISCAL que igual a ANO CIVIL (01.01 at 31.12) A Anterioridade anual existiu sozinha at 2003, a partir de 2004 (inclusive) em razo da EC 42/03 passamos a ter um nova anterioridade no Brasil. Tal emenda trouxe a alnea Cao inciso III do artigo 150, CF, prevendo um prazo de 90 dias entre a lei e a existncia do tributo. LEI PAGAMENTO EM 90 DIAS ANTERIORIDADE NONAGESIMAL

Clculo: a) O tributo ISS, majorado em 15.12.06 quando incidiu? R.: ANTERIORIDADE ANUAL 01.01.07 ANTERIORIDADE NONAGESIMAL 15.03.07 Escolho a maior b) O tributo ISS, majorado em 15.03.06 quando incidiu? R.: ANTERIORIDADE ANUAL 01.01.07 ANTERIORIDADE NONAGESIMAL 15.06.073

Escolho a maior Escolho a maior - Se os tributos forem majorados at setembro vo ser pagos em 01.01.08, ou seja, caso o tributo seja criado, majorado entre janeiro e dezembro, a incidncia ocorrer em 01 de JANEIRO DO ANO SEGUINTE. Todavia, se isso se der no ms de OUTUBRO a DEZEMBRO, em razo dos 90 dias, a data de exigncia poder ser posterior a 01 de JANEIRO. Lista de excees, ressalvas ao PA Excees ao Princpio da ANTERIORIDADE, art. 150, 1, CF Tributos de Tributos que Tributos cobrados cobrana somente respeitam no ano seguinte, IMEDIATA os 90 dias podem sem os 90 dias (criou hj, cobra hj) ser cobrados no mesmo ano II, IE, IOF, IEG, IPI, CIDE IR, Alteraes na COMBUSTVEL; ICMS base de clculo do art. 154, II CF COMBUSTVEL e IPTU e IPVACONTRIBUIES PREVIDENCIRIAS

C) PRINCPIO DA ISONOMIA TRIBUTRIA art. 150,II, CF Conceito: Ao fisco vedado o tratamento desigual queles que se encontra em situao tributariamente equivalente

Hot!hot! A incapacidade civil irrelevante para o direito tributrio paga tributo. Hot!hot! Empresa sem registro na Junta Comercial, no tem personalidade jurdica, no interfere no contribuinte paga tributo. Art. 5, caput e I, CF Isonomia Genrica Tratamento igual os iguais, e tratamento desigual os desiguais. Quem so os Iguai / desiguais? No Direito Tributrio a isonomia ser determinada a partir da realizao do fato gerador, sendo irrelevantes os critrios a eles esternos.4

Assim prevalece a interpretao objetiva do FG, baseada na aplicao da mxima tributria NON OLET no cheira

Concluso: A capacidade tributria passiva PLENA, art. 126, caput, CTN art. 118 do CTN. A exata compreenso da isonomia requer ainda o estudo do princpio da capacidade contributiva, art. 145, 1, CF, que se apresenta como corolrio da isonomia.

D) PRINCPIO DA CAPACIDADE CONTRIBUTIVA Sempre que possvel os impostos tero carter pessoal e sero graduados 2 a capacidade econmica DO CONTRIBUIN TE

Tal comando pode ser exteriorizado por meio de tcnicas de incidncia de alquotas tendentes justia fiscal. Uma importante tcnica, caracterizada pela variao de alquotas a progressividade. H 03 impostos com previso explicita de progressividade na CF/88 IR, art. 153, 2, I, CF IPTU, art. 156, 1, I, CF c/c art. 182, 4, II, CF IPTU no tempo IPTU no valor IPTU no uso e localizao ITR, art. art. 153, 4, I, CF Cuidado: IPVA NO PROGRESSIVO, mas tem alquotas diferenciadas pelo uso e tipo do carro

E) PRINCPIO DA IRRETROATIVIDADE art. 150, III,a, CF Conceito: A Lei tributria no se aplica a FATOS GERADORES ANTERIORES a data de sua publicao. Significa que a lei tributria no se aplica a fatos pretritos, somente a fatos PRESENTES E FUTUROS.

5

Excees: A lei tributria retroage em 2 casos: A) Quando for interpretativa a lei tributria B) Quando for a lei tributria mais benfica em matria de infrao (penalidade e multa), desde que o ato no tenha sido definitivamente julgado. Ex. a lei reduz multa (tributria), Lei que deixou de considerar o ato como infracional. Ler: art. 144, 1, CTN

Observao: A lei tributria retroage tambm quando aumenta as garantias e privilgios do crdito ou estabelea novos procedimentos para a cobrana do tributo.

F) PRINCPIO NON OLET No importa a origem do dinheiro do contribuinte e nem se a atividade tributria lcita ou no. Ex. traficante que deve imposto de renda.

G) PRINCPIO DA NO LIMITAO art. 150, V, CF Os tributos no podem ser usados para RESTRINGIR O TRNSITO DE PESSOAS E BENS no territrio brasileiro. Ex. inconstitucional a TAXA DE ESTACIONAMENTO para impedir o acesso de turistas populares (farofeiros) no litoral.

Exceo: permitida a cobrana de pedgio pela utilizao da rodovia.

H) PRINCPIO DA SELETIVIDADE (escolha)

O ICMS e o IPI so impostos seletivos ESSENCIALIDADE DO PRODUTO OU SERVIO.

pela

O legislador ESCOLHE / SELECIONA os produtos e servios conforme a importncia, e para os mais consumveis tem ICMS MAIS BAIXO. Ex. Feijo. Ateno: Na verdade o IPI seletivo enquanto que o ICMS poder ser seletivo ( uma faculdade do ICMS) ler art. 152, 2, II

6

I) PRINCPIO DA UNIFORMIDADE GEOGRFICA art.151, I, CF Sempre que possvel, os impostos federais devem ter a MESMA ALQUOTA em todo o territrio nacional. o Ex. inconstitucional o decreto que aumenta o IPI somente sobre calados fabricados no RS. Exceo: permitida a concesso de incentivos fiscais para estimular o desenvolvimento de certa regio. Ex. Zona franca de Manaus.

J) PRINCPIO DA VEDAO DO CONFISCO art.150, IV, CF Probe que a tributao seja usada para retirar todos os bens do contribuinte.

Perigo!!!!! Entendimento do STF Vale para MULTAS TRIBUTRIAS. o NO se aplica a tributos extra-fiscais (aqueles institudos a fins sociais ou polticos. Ex. IPI sobre cigarros TRIBUTOS FISCAIS Possui apenas finalidade arrecadadora TRIBUTOS PARAFISCAIS ou nome novo TRIBUTAO INDUTIVA NO tem a finalidade arrecadadora, mas objetivos sociais ou polticos. Ex. Nada impede que o IPI sobre cigarro (cuja finalidade extrafiscal de inibir o consumo) tenha alquotas de 2.000% ou mais.

Observao final Quando houver exagero em obrigaes tributrias principais (tributos e multas) deve-se usar a vedao do confisco, mas se houver exceo nas obrigaes tributrias acessrias deve se defender o contribuinte com o princpio da proporcionalidade.

L) PRINCPIO DA NO-CUMULATIVIDADE Vale para ICMS, IPI e alguns casos da COFINS. Segundo a CF tais tributos so pagos compensando-se em cada operao o montante recolhido na etapa anterior.7

Na prtica quando o produto entra no estabelecimento o tributo pago gera um crdito a ser descontado na sada do produto. COFINS Existe 03 regimes da CONFINS o COFINS MONOFSICA o COFINS PLURIFSICA CUMULATIVA o COFINS PLURIFSICA NO CUMULATIVA

Tarefa: site: www.alexandremazza.com.br Simulado PrincpiosTributrios (04)

ESPCIES TRIBUTRIAS So 05 IMPOSTOS TAXAS CONTRIBUIES DE MELHORIA EMPRSTIMOS COMPULSRIOS CONTRIBUIES ESPECIAIS PARAFISCAIS

OU

Cuidado!!! um fato gerador que define o tributo (imposto, taxa e contribuio de melhoria), sendo irrelevante: - A denominao legal - A destinao do dinheiro art. 4, CTN Lembrar que: O art. 3 do CTN conceitua tributo como: a) b) c) d) e) Uma obrigao legal Uma prestao pecuniria Uma obrigao compulsria No constitui sano por ato ilcito Cobrado por lanamento

O art. 3 do CTN conceitua tributo como: TRIBUTO como uma O