direito processual do trabalho .formas de defesa na execução art. 884 da clt - garantida a...

Download DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO .Formas de defesa na Execução Art. 884 da CLT - Garantida a execução

Post on 21-Jan-2019

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • DIREITO

    PROCESSUAL DO

    TRABALHO Execuo trabalhista

    Formas de defesa na Execuo

    Prof . Eliane Conde

  • Formas de defesa na Execuo

    Embargos a Execuo Constituem ao de conhecimento incidental ao processo de execuo . O executado assume o polo ativo da relao jurdica, formulando pretenso consistente na anulao do processo de execuo ou no desfazimento da eficcia do ttulo executivo

  • Formas de defesa na Execuo

    Art. 884 da CLT - Garantida a execuo ou penhorados os bens, ter o executado 5 (cinco) dias para apresentar embargos, cabendo igual prazo ao exequente para impugnao. 1 - A matria de defesa ser restrita s alegaes de cumprimento da deciso ou do acordo, quitao ou prescrio da divida. 2 - Se na defesa tiverem sido arroladas testemunhas, poder o Juiz ou o Presidente do Tribunal, caso julgue necessrios seus depoimentos, marcar audincia para a produo das provas, a qual dever realizar-se dentro de 5 (cinco) dias

  • Formas de defesa na Execuo

    3 - Somente nos embargos penhora poder o executado impugnar a sentena de liquidao, cabendo ao exequente igual direito e no mesmo prazo. (Includo pela Lei n 2.244, de 23.6.1954) 4o Julgar-se-o na mesma sentena os embargos e as impugnaes liquidao apresentadas pelos credores trabalhista e previdencirio. (Redao dada pela Lei n 10.035, de 25.10.2000)

  • Formas de defesa na Execuo

    5o Considera-se inexigvel o ttulo judicial fundado em lei ou ato normativo declarados inconstitucionais pelo Supremo Tribunal Federal ou em aplicao ou interpretao tidas por incompatveis com a Constituio Federal. (Includo pela Medida provisria n 2.180-35, de 2001) 6 A exigncia da garantia ou penhora no se aplica s entidades filantrpicas e/ou queles que compem ou compuseram a diretoria dessas instituies. (Includo pela Lei n 13.467, de 13.7.2017)

  • Formas de defesa na Execuo

    Matria arguvel CLT, art. 884 1 restritas ao 1) cumprimento da deciso; 2) cumprimento do acordo; 3) Quitao da dvida; 4) prescrio da dvida. Vale destacar que o artigo art. 525, caput e 1 do CPC determina que o devedor poder apresentar impugnao execuo no prazo de 15 dias, e estabelece que:

  • Formas de defesa na Execuo

    Art. 525 do CPC - Transcorrido o prazo previsto no art. 523 sem o pagamento voluntrio, inicia-se o prazo de 15 (quinze) dias para que o executado, independentemente de penhora ou nova intimao, apresente, nos prprios autos, sua impugnao.

    1 Na impugnao, o executado poder alegar:

    I - falta ou nulidade da citao se, na fase de conhecimento, o processo correu revelia;

    II - ilegitimidade de parte;

    III - inexequibilidade do ttulo ou inexigibilidade da obrigao;

  • Formas de defesa na Execuo

    IV - penhora incorreta ou avaliao errnea;

    V - excesso de execuo ou cumulao indevida de execues;

    VI - incompetncia absoluta ou relativa do juzo da execuo;

    VII - qualquer causa modificativa ou extintiva da obrigao, como pagamento, novao, compensao, transao ou prescrio, desde que supervenientes sentena.

  • Formas de defesa na Execuo

    Entendemos que o artigo 525, caput e 1 do CPC ser aplicado subsidiariamente ao processo do trabalho, visto que, o artigo 844, 1 da CLT no esgotou todas as hipteses arguveis via embargos execuo. Novas modalidades de execuo Artigo 876 da CLT e artigo 784,I do CPC, c/c o artigo 13, IN 39 de 2016, em caso de embargos execuo entendemos aplicvel o artigo 917 do CPC.

  • Formas de defesa na Execuo

    Art. 917 do CPC - Nos embargos execuo, o executado poder alegar:

    I - inexequibilidade do ttulo ou inexigibilidade da obrigao;

    II - penhora incorreta ou avaliao errnea;

    III - excesso de execuo ou cumulao indevida de execues;

    IV - reteno por benfeitorias necessrias ou teis, nos casos de execuo para entrega de coisa certa;

  • Formas de defesa na Execuo

    V - incompetncia absoluta ou relativa do juzo da execuo;

    VI - qualquer matria que lhe seria lcito deduzir como defesa em processo de conhecimento.

    - Prazo e Procedimento

    Os embargos sero apresentados no prazo de cinco dias, conforme o artigo 884 da CLT.

  • Formas de defesa na Execuo

    O juiz, nos termos do artigo 918 do CPC poder rejeitar liminarmente os embargos nas seguintes hipteses: Quando intempestivos Nos casos de indeferimento da petio e de improcedncia liminar do pedido Quando manifestamente protelatrios

    O juiz poder designar audincia para a produo de provas, com oitiva de testemunhas arroladas pelo embargante, a qual ser realizada dentro de cinco dias (art. 884, 2 da CLC)

  • Formas de defesa na Execuo

    No tendo sido arroladas testemunhas nos embargos, o juiz proferir deciso, dentro de cinco dias, julgando subsistente ou insubsistente a penhora (artigo 885 da CLT)

    Art. 885 da CLT - No tendo sido arroladas testemunhas na defesa, o juiz ou presidente, conclusos os autos, proferir sua deciso, dentro de 5 (cinco) dias, julgando subsistente ou insubsistente a penhora.

  • Formas de defesa na Execuo

    Exceo de Pr-executividade Consiste na possibilidade de o devedor alegar determinadas matrias, sem que, para isso, necessite efetuar a garantia patrimonial da execuo. Meio de defesa do devedor, destinado a atacar o ttulo executivo, independentemente da garantia do juzo, que no se confunde com os embargos do devedor, pois estes constituem em ao incidental no processo de execuo. Processamento Por simples petio, to logo seja o devedor citado.

  • Formas de defesa na Execuo

    Natureza jurdica do ato jurisdicional que apreciar a exceo: a) Deciso interlocutria Se recusada a exceo de pr-

    executividade a) Sentena Se a exceo de pr-executividade for

    acolhida, extinguindo-se, total ou Parcialmente a execuo, ensejando, portanto, a interposio de agravo de petio pelo interessado

  • Formas de defesa na Execuo

    Embargos de terceiros

    CLT: omissa

    NCPC, Art. 674- Quem, no sendo parte no processo, sofrer constrio ou ameaa de constrio sobre bens que possua ou sobre os quais tenha direito incompatvel com o ato constritivo, poder requerer seu desfazimento ou sua inibio por meio de embargos de terceiro.

    1 Os embargos podem ser de terceiro proprietrio, inclusive fiducirio, ou possuidor.

    2 Considera-se terceiro, para ajuizamento dos embargos:

  • Formas de defesa na Execuo

    I - o cnjuge ou companheiro, quando defende a posse de bens prprios ou de sua meao, ressalvado o disposto no art. 843; II - o adquirente de bens cuja constrio decorreu de deciso que declara a ineficcia da alienao realizada em fraude execuo; III - quem sofre constrio judicial de seus bens por fora de desconsiderao da personalidade jurdica, de cujo incidente no fez parte;

  • Formas de defesa na Execuo

    IV - o credor com garantia real para obstar expropriao judicial do objeto de direito real de garantia, caso no tenha sido intimado, nos termos legais dos atos expropriatrios respectivos. Objetivo: proteger posse ou a propriedade de bens de terceiros (desconstituir a constrio)

  • Formas de defesa na Execuo

    Competncia: A distribuio dos embargos de terceiro ser sempre por dependncia ao juzo que ordenou a apreenso e autuados em apartado Carta precatria (Smula n 419 do TST). Smula 419 do TST Na execuo por carta precatria, os embargos de terceiro sero oferecidos no juzo deprecado, salvo se indicado pelo juzo deprecante o bem constrito ou se j devolvida a carta (art. 676, pargrafo nico, do CPC) dias.

  • Formas de defesa na Execuo

    Os embargos podero ser contestados no prazo de 10 dias findo proceder-se- de acordo com o artigo 307 do CPC Apresentada a resposta aos embargos, o juiz realizar a instruo, se necessrio ouvindo testemunhas, proferindo, posteriormente, a sentena. Recurso O recurso cabvel em face da sentena o agravo de petio, artigo 897, a da CLT.