DIREITO : ESTADO, SOCIEDADE E PODER. Estado Liberal Estado Social Estado Democrático de Direito.

Download DIREITO : ESTADO, SOCIEDADE E PODER. Estado Liberal Estado Social Estado Democrático de Direito.

Post on 22-Apr-2015

143 views

Category:

Documents

1 download

TRANSCRIPT

  • Slide 1
  • DIREITO : ESTADO, SOCIEDADE E PODER
  • Slide 2
  • Slide 3
  • Estado Liberal Estado Social Estado Democrtico de Direito
  • Slide 4
  • CORRELAO ENTRE SOCIEDADE, PODER E DIREITO Est na funo que o direito exerce na sociedade: FUNO ORDENADORA - de coordenao dos interesses que se manifestam na vida social, de modo a organizar a cooperao entre pessoas e compor os conflitos que se verificarem entre seus membros; Est na funo que o direito exerce na sociedade: FUNO ORDENADORA - de coordenao dos interesses que se manifestam na vida social, de modo a organizar a cooperao entre pessoas e compor os conflitos que se verificarem entre seus membros;
  • Slide 5
  • CORRELAO ENTRE SOCIEDADE, PODER E DIREITO PODER - coordena e submete as vontades humanas DIREITO - exerce a funo de controle social, auxiliando no desenvolvimento da sociedade e tornando possvel a vida em comunidade. PODER - coordena e submete as vontades humanas DIREITO - exerce a funo de controle social, auxiliando no desenvolvimento da sociedade e tornando possvel a vida em comunidade.
  • Slide 6
  • Revoluo Francesa predominncia durante o sculo XIX dissociao entre a atividade econmica e a atividade poltica Estado -> ausncia no domnio econmico FINALIDADE DO ESTADO garantir o desenvolvimento das liberdades individuais; garantir a esfera de liberdade individual de forma que cada pessoa atinja os fins que eleger; aes para remover obstculos que impedem que cada um alcance o bem- estar individual (como meio de alcance do bem geral); possibilitar a coexistncia dos indivduos para alcanarem seus fins individuais; instituio e manuteno da ordem jurdica como condio de garantia do exerccio das liberdades individuais; Revoluo Francesa predominncia durante o sculo XIX dissociao entre a atividade econmica e a atividade poltica Estado -> ausncia no domnio econmico FINALIDADE DO ESTADO garantir o desenvolvimento das liberdades individuais; garantir a esfera de liberdade individual de forma que cada pessoa atinja os fins que eleger; aes para remover obstculos que impedem que cada um alcance o bem- estar individual (como meio de alcance do bem geral); possibilitar a coexistncia dos indivduos para alcanarem seus fins individuais; instituio e manuteno da ordem jurdica como condio de garantia do exerccio das liberdades individuais;
  • Slide 7
  • ESTADO LIBERAL Fim do sculo XVIII ps revoluo francesa: Revolta contra o Absolutismo Monrquico Liberdade, Igualdade e Fraternidade No interveno do Estado na economia Princpio da igualdade formal Teoria da Diviso dos Poderes de Montesquieu Supremacia da Constituio Postura Negativa do Estado Direitos de Primeira Dimenso: liberdade, propriedade, vida e segurana Fim do sculo XVIII ps revoluo francesa: Revolta contra o Absolutismo Monrquico Liberdade, Igualdade e Fraternidade No interveno do Estado na economia Princpio da igualdade formal Teoria da Diviso dos Poderes de Montesquieu Supremacia da Constituio Postura Negativa do Estado Direitos de Primeira Dimenso: liberdade, propriedade, vida e segurana
  • Slide 8
  • "na doutrina liberal, Estado de direito significa no s subordinao dos poderes pblicos de qualquer grau s leis gerais do pas, limite que puramente formal, mas tambm subordinao das leis ao limite material do reconhecimento de alguns direitos fundamentais considerados constitucionalmente, e portanto em linha de princpio inviolveis. BOBBIO, Norberto. Liberalismo e Democracia.Trad. brasileira de Marco Aurlio Nogueira.2 ed. So Paulo:Brasiliense,1988, pg19 "na doutrina liberal, Estado de direito significa no s subordinao dos poderes pblicos de qualquer grau s leis gerais do pas, limite que puramente formal, mas tambm subordinao das leis ao limite material do reconhecimento de alguns direitos fundamentais considerados constitucionalmente, e portanto em linha de princpio inviolveis. BOBBIO, Norberto. Liberalismo e Democracia.Trad. brasileira de Marco Aurlio Nogueira.2 ed. So Paulo:Brasiliense,1988, pg19
  • Slide 9
  • ESTADO SOCIAL Expanso do Capitalismo Revoluo Industrial degradao da classe trabalhadora Ttica burguesa diante da possibilidade violenta de ruptura do proletariado com o Estado Liberal Intervencionismo estatal no campo econmico Postura ativa do Estado Igualdade Material justia social Direitos de Segunda Dimenso: direitos sociais: o direito ao trabalho, sade, ao lazer, educao e moradia Expanso do Capitalismo Revoluo Industrial degradao da classe trabalhadora Ttica burguesa diante da possibilidade violenta de ruptura do proletariado com o Estado Liberal Intervencionismo estatal no campo econmico Postura ativa do Estado Igualdade Material justia social Direitos de Segunda Dimenso: direitos sociais: o direito ao trabalho, sade, ao lazer, educao e moradia
  • Slide 10
  • Concepo de Estado Social: surgimento do Estado regulador: atuao em todas as atividades, inclusive na economia, com finalidades prprias; publicizao da vida econmica e social por meio da interveno estatal; quebra do clssico critrio/dicotomia entre pblico e privado; interveno estatal nas relaes privadas (contratos) por intermdio das normas denominadas de normas de ordem pblica, visando realizar valores da solidariedade, boa-f, impondo limites autonomia da vontade das partes; papel de agente regulador e viabilizador dos valores da ordem social e econmica; perde a postura de neutralidade axiolgica; dever de agir no sentido de efetivamente realizar os valores jurdicos, inclusive para implantao do modelo socioeconmico indicado no texto constitucional; surgimento do Estado regulador: atuao em todas as atividades, inclusive na economia, com finalidades prprias; publicizao da vida econmica e social por meio da interveno estatal; quebra do clssico critrio/dicotomia entre pblico e privado; interveno estatal nas relaes privadas (contratos) por intermdio das normas denominadas de normas de ordem pblica, visando realizar valores da solidariedade, boa-f, impondo limites autonomia da vontade das partes; papel de agente regulador e viabilizador dos valores da ordem social e econmica; perde a postura de neutralidade axiolgica; dever de agir no sentido de efetivamente realizar os valores jurdicos, inclusive para implantao do modelo socioeconmico indicado no texto constitucional;
  • Slide 11
  • "A diferena bsica entre a concepo clssica do liberalismo e a do Estado de Bem-Estar que, enquanto naquela se trata to-somente de colocar barreiras ao Estado, esquecendo-se de fixar-lhe tambm obrigaes positivas, aqui, sem deixar de manter as barreiras, se lhes agregam finalidades e tarefas s quais antes no sentia obrigado. A identidade bsica entre o Estado de Direito e Estado de Bem-Estar, por sua vez, reside em que o segundo toma e mantm do primeiro o respeito aos direitos individuais e sobre esta base que constri seus prprios princpios. GORDILLO, Agustn. Princpios Gerais de Direito Pblico. Trad. Brasileira de Marco Aurelio Greco. Ed. RT: So Paulo, 1977, pg. 74. "A diferena bsica entre a concepo clssica do liberalismo e a do Estado de Bem-Estar que, enquanto naquela se trata to-somente de colocar barreiras ao Estado, esquecendo-se de fixar-lhe tambm obrigaes positivas, aqui, sem deixar de manter as barreiras, se lhes agregam finalidades e tarefas s quais antes no sentia obrigado. A identidade bsica entre o Estado de Direito e Estado de Bem-Estar, por sua vez, reside em que o segundo toma e mantm do primeiro o respeito aos direitos individuais e sobre esta base que constri seus prprios princpios. GORDILLO, Agustn. Princpios Gerais de Direito Pblico. Trad. Brasileira de Marco Aurelio Greco. Ed. RT: So Paulo, 1977, pg. 74.
  • Slide 12
  • ESTADO DEMOCRTICO DE DIREITO tentativa de corrigir falhas do Estado Social: efetiva justia social e participao democrtica do povo no processo poltico contra os Regimes Totalitrios Princpio da Dignidade da Pessoa Humana, Soberania Popular e Legalidade Direitos de Terceira Dimenso: direitos difusos e coletivos strictu sensu (metaindividuais) Postura Pr-ativa do Estado fase Concretista dos Direitos (fraternais): busca EFETIVA nas formaes sociais tentativa de corrigir falhas do Estado Social: efetiva justia social e participao democrtica do povo no processo poltico contra os Regimes Totalitrios Princpio da Dignidade da Pessoa Humana, Soberania Popular e Legalidade Direitos de Terceira Dimenso: direitos difusos e coletivos strictu sensu (metaindividuais) Postura Pr-ativa do Estado fase Concretista dos Direitos (fraternais): busca EFETIVA nas formaes sociais
  • Slide 13
  • enquanto o Estado Liberal produziu um Direito Ordenador; e o Social, um Direito Promovedor, o Estado Democrtico visa concretizar um Direito Transformador STRECK, Lnio. Jurisdio Constitucional e Hermenutica: as possibilidades transformadoras do Direito. Palestra referente a III Jornada de Estudos da Justia Federal, exibida em 22.09.06 na TV Justia enquanto o Estado Liberal produziu um Direito Ordenador; e o Social, um Direito Promovedor, o Estado Democrtico visa concretizar um Direito Transformador STRECK, Lnio. Jurisdio Constitucional e Hermenutica: as possibilidades transformadoras do Direito. Palestra referente a III Jornada de Estudos da Justia Federal, exibida em 22.09.06 na TV Justia
  • Slide 14
  • ESTADO LIBERAL Estado individualista que se afasta das relaes com os particulares, preservando a liberdade individual Os homens so iguais e portanto livres para autodeterminao contratual Juiz apenas pronuncia a vontade da lei, que j est previamente determinada Tipicidade dos meios Executrios Estado individualista que se afasta das relaes com os particulares, preservando a liberdade individual Os homens so iguais e portanto livres para autodeterminao contratual Juiz apenas pronuncia a vontade da lei, que j est previamente determinada Tipicidade dos meios Executrios ESTADO DEMOCRTICO Estado preocupado com o bem estar social e coletivo, com a promulgao de direitos fundamentais aos cidados: relaes sociais, polticas e econmicas Justa organizao social: interferncia Estatal Proporcionalidade ?? Estado preocupado com o bem estar social e coletivo, com a promulgao de direitos fundamentais aos cidados: relaes sociais, polticas e econmicas Justa organizao social: interferncia Estatal Proporcionalidade ??
  • Slide 15
  • PRINCIPAIS CONCEPES DE PODER concepo antropolgica - entende que o poder tem origem na natural desigualdade entre os seres humanos; concepo sociolgica - define o poder como o princpio motor da instituio; cujo fim organizar as relaes sociais segundo uma ideia. concepo poltica - descreve o poder como a energia que move os indivduos e as instituies (ex: poder estatal imperativo para alcance dos fins do Estado); concepo jurdica - est relacionada ao Direito, entendido como energia criadora cujo objetivo realizar a ideia social. concepo antropolgica - entende que o poder tem origem na natural desigualdade entre os seres humanos; concepo sociolgica - define o poder como o princpio motor da instituio; cujo fim organizar as relaes sociais segundo uma ideia. concepo poltica - descreve o poder como a energia que move os indivduos e as instituies (ex: poder estatal imperativo para alcance dos fins do Estado); concepo jurdica - est relacionada ao Direito, entendido como energia criadora cujo objetivo realizar a ideia social.
  • Slide 16
  • O QUE PODER? Celso Ribeiro de Bastos faculdade de algum impor a sua vontade a outrem. Moreira Neto - capacidade de transformar vontade em energia. Calmon de Passos capacidade, para qualquer instncia que seja (pessoal ou impessoal) de levar algum (ou vrios) a fazer (ou no fazer) o que, entregue a si mesmo, ele no faria necessariamente (ou faria talvez). Celso Ribeiro de Bastos faculdade de algum impor a sua vontade a outrem. Moreira Neto - capacidade de transformar vontade em energia. Calmon de Passos capacidade, para qualquer instncia que seja (pessoal ou impessoal) de levar algum (ou vrios) a fazer (ou no fazer) o que, entregue a si mesmo, ele no faria necessariamente (ou faria talvez).
  • Slide 17
  • CORRELAO ENTRE SOCIEDADE, PODER E DIREITO Est na funo que o direito exerce na sociedade: FUNO ORDENADORA - de coordenao dos interesses que se manifestam na vida social, de modo a organizar a cooperao entre pessoas e compor os conflitos que se verificarem entre seus membros; Est na funo que o direito exerce na sociedade: FUNO ORDENADORA - de coordenao dos interesses que se manifestam na vida social, de modo a organizar a cooperao entre pessoas e compor os conflitos que se verificarem entre seus membros;
  • Slide 18
  • CORRELAO ENTRE SOCIEDADE, PODER E DIREITO PODER - coordena e submete as vontades humanas DIREITO - exerce a funo de controle social, auxiliando no desenvolvimento da sociedade e tornando possvel a vida em comunidade. PODER - coordena e submete as vontades humanas DIREITO - exerce a funo de controle social, auxiliando no desenvolvimento da sociedade e tornando possvel a vida em comunidade.
  • Slide 19
  • Revoluo Francesa predominncia durante o sculo XIX dissociao entre a atividade econmica e a atividade poltica Estado -> ausncia no domnio econmico FINALIDADE DO ESTADO garantir o desenvolvimento das liberdades individuais; garantir a esfera de liberdade individual de forma que cada pessoa atinja os fins que eleger; aes para remover obstculos que impedem que cada um alcance o bem- estar individual (como meio de alcance do bem geral); possibilitar a coexistncia dos indivduos para alcanarem seus fins individuais; instituio e manuteno da ordem jurdica como condio de garantia do exerccio das liberdades individuais; Revoluo Francesa predominncia durante o sculo XIX dissociao entre a atividade econmica e a atividade poltica Estado -> ausncia no domnio econmico FINALIDADE DO ESTADO garantir o desenvolvimento das liberdades individuais; garantir a esfera de liberdade individual de forma que cada pessoa atinja os fins que eleger; aes para remover obstculos que impedem que cada um alcance o bem- estar individual (como meio de alcance do bem geral); possibilitar a coexistncia dos indivduos para alcanarem seus fins individuais; instituio e manuteno da ordem jurdica como condio de garantia do exerccio das liberdades individuais;
  • Slide 20
  • Concepo de Estado Social: surgimento do Estado regulador: atuao em todas as atividades, inclusive na economia, com finalidades prprias; publicizao da vida econmica e social por meio da interveno estatal; quebra do clssico critrio/dicotomia entre pblico e privado; interveno estatal nas relaes privadas (contratos) por intermdio das normas denominadas de normas de ordem pblica, visando realizar valores da solidariedade, boa-f, impondo limites autonomia da vontade das partes; papel...

Recommended

View more >