direito civil (sucessões) - .direito civil vii página 1 de 28 direito civil (sucessões) faculdade

Download Direito Civil (Sucessões) - .Direito Civil VII Página 1 de 28 Direito Civil (Sucessões) Faculdade

Post on 20-Nov-2018

214 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • Unidade I: Sucesso Legtima I.a) Descendentes

    Art. 1833, CC: o descendente mais prximo exclui o remoto, assim, se h filhas e netas quem herda por direito prprio so as filhas. Apenas se as filhas morrerem as netas iro herdar os bens dos avs.

    Art. 1852, CC: direito de representao. Hiptese de que na classe dos descendentes por direito prprio h um descendente pr-morto.

    - Assim, havendo a filha B falecido, o quinho de B ser dividido entre os seus descendentes, D e E. Dessa forma, C herdar por direito prprio e D e E como representantes.

    Direito Civil VII Pgina de 1 28

    Direito Civil (Sucesses) Faculdade de Direito da UFMG

    Professor: Leandro ZanitelliAna Clara Pereira Oliveira

    2017/1 - Diurno

    (CC) Art. 1.833. Entre os descendentes, os em grau mais prximo excluem os mais remotos, salvo o direito de representao.

    (CC) Art. 1.852. O direito de representao d-se na linha reta descendente, mas nunca na ascendente.

  • - A mesma lgica se uma das netas for pr-morta, sendo que suas descendentes iro herdar seu quinho.

    Sucesso por cabea x sucesso por estirpe: - Por estirpe: quando h descendentes que representam o sucessor pr-morto.- Por cabea: quando h apenas descendentes por direito prprio.

    I.b) Descendentes

    Art. 1836, 1, CC: regra de proximidade com relao aos ascendentes, porm, com uma diferena substancial, pois no h direito de representao. Assim, se no houver descendentes e cnjuges, apenas a me ou o pai ficariam com toda herana, mesmo estando vivos os avs.

    Art. 1836, pargrafo 2, CC: regra de linhas.

    - Se forem outros ascendentes que no pai e me, ser dividida a herana em partes iguais para a linha paterna e materna, mesmo que isso signifique um dos ascendentes recebendo individualmente mais que os da outra linha.

    Direito Civil VII Pgina de 2 28

    (CC) Art. 1.836. 1 - Na classe dos ascendentes, o grau mais prximo exclui o mais remoto, sem distino de linhas.

    (CC) Art. 1.836. 2 - Havendo igualdade em grau e diversidade em linha, os ascendentes da linha paterna herdam a metade, cabendo a outra aos da linha materna.

  • I.c) Colaterais

    Art 1839, CC: apenas os colaterais at o 4 grau (primos) participam da sucesso.

    Art. 1840, CC: regra de proximidade, pela qual quanto menor o grau maior o direito herana. Assim, os primeiros colaterais a serem chamados so os irmos.

    Art. 1841, CC: diferencia-se o irmo unilateral e o bilateral, tendo o primeiro apenas um dos pais em comum e o segundo ambos os pais.

    - O irmo bilateral fica com quota duas vezes maior que o do unilateral. No exemplo abaixo, C irmo bilateral e B unilateral.

    Art. 1840 e 1852, CC: h limitao para herana no caso dos colaterais, pois apenas a gerao at os filhos dos irmos do falecido podero ser herdeiros.

    Direito Civil VII Pgina de 3 28

    (CC) Art. 1.839. Se no houver cnjuge sobrevivente, nas condies estabelecidas no art. 1.830, sero chamados a suceder os colaterais at o quarto grau.

    (CC) Art. 1.840. Na classe dos colaterais, os mais prximos excluem os mais remotos, salvo o direito de representao concedido aos filhos de irmos.

    (CC) Art. 1.841. Concorrendo herana do falecido irmos bilaterais com irmos unilaterais, cada um destes herdar metade do que cada um daqueles herdar.

    (CC) Art. 1.852. O direito de representao d-se na linha reta descendente, mas nunca na ascendente.

  • - Nos exemplos abaixo, C continua sendo o irmo bilateral e B unilateral. Percebe-se que a proporo se mantm no caso dos sobrinhos, mas os filhos dos sobrinhos no herdam os bens.

    Art. 1843, caput, CC: se no h irmos, devero ser chamados os colaterais de 3 grau, tios e sobrinhos. Porm, os sobrinhos preferem aos tios.

    Art. 1843, pargrafo 2, CC: no subsistindo irmos, os sobrinhos filhos de irmos germanos (bilaterais) devem ter o quinho duas vezes superior ao de filhos de irmos unilaterais.

    - No exemplo abaixo, B irm bilateral e C unilateral. Para fazer a conta, inicialmente se conta os sobrinhos por cabea, no exemplo, so 5. Aps, soma-se o nmero de sobrinhos do irmo bilateral (2, no caso), totalizando 7. Assim, sero 7 quotas, sendo que os sobrinhos filhos de irmo bilateral devero ficar com o dobro dos demais.

    Direito Civil VII Pgina de 4 28

    (CC) Art. 1.843. Na falta de irmos, herdaro os filhos destes e, no os havendo, os tios.

    (CC) Art. 1.843, 2 - Se concorrem filhos de irmos bilaterais com filhos de irmos unilaterais, cada um destes herdar a metade do que herdar cada um daqueles.

  • I.d) Cnjuge:

    Art 1830, CC: condies gerais. No herda o cnjuge separado judicialmente ou separado de fato h mais de dois anos. No caso da separao de fato, porm, o cnjuge poder no ser excludo, caso a "culpa" pela separao tenha sido da(o) falecida(o). Apesar dessa discusso de culpa no ser muito relevante para o direito de famlia, a jurisprudncia nos casos de sucesso continua considerando o artigo 1830, CC. No Resp. 1.513 o STJ entendeu que o mencionado artigo deve ser aplicado integralmente, mas que o nus da prova do cnjuge sobrevivente (suprsitite), o qual deve, ento, fazer prova da culpa exclusiva da(o) falecida(o) pela separao para herdar seu quinho.

    Art. 1829, I, CC: regra de concorrncia com os descendentes. Inicialmente, essencial distinguir a meao da herana, sendo que a meao a metade ideal do patrimnio comum do casal, a que faz jus cada um dos cnjuges, enquanto a herana a parcela do patrimnio do indivduo que ser transferida a certas pessoas elencadas na lei, os sucessores. O inciso I exclui da sucesso, ou seja, do direito herana, a(o) viuva(o) nos seguintes casos:

    a. Comunho total de bens;b. Separao obrigatria;c. Comunho parcial se no houver bens particulares. Assim, havendo

    algum bem particular, o STJ decidiu que o direito de sucesso do 1

    cnjuge ser limitado ao bem particular. De tal forma, ficar como meeiro com relao aos bens adquiridos na comunho e como herdeiro com relao aos bens particulares, concorrendo com os outros sucessores.

    Leading case: Resp 1.368.123/SP1

    Direito Civil VII Pgina de 5 28

    (CC) Art. 1.830. Somente reconhecido direito sucessrio ao cnjuge sobrevivente se, ao tempo da morte do outro, no estavam separados judicialmente, nem separados de fato h

    mais de dois anos, salvo prova, neste caso, de que essa convivncia se tornara impossvel sem culpa do sobrevivente.

  • Art. 1832, CC: a quota do cnjuge deve ser igual dos descendentes que herdam por cabea.

    - Ateno ao fato de que o cnjuge no poder receber menos que 1/4, segundo o artigo 1832 do CC, se for tambm ascendente dos herdeiros. Assim, para efetuar os clculos, dever ser mantido o 1/4 do cnjuge antes de calcular o valor dos filhos. Se houverem, porm, filhos que no sejam em comum, ver Enunciado 527 da V Jornada de direito Civil .2

    Art. 1837, CC: regras de concorrncia com relao ao ascendente. Caso o(a) falecido(a) tiver pai e me vivos ter direito a 1/3 da herana. Se houver, porm, apenas um dos ascendentes vivo, herdar a metade.

    Art. 1838, CC: o cnjuge ir preferir aos colaterais, herdando toda herana na falta de descendentes e ascendentes.

    Art. 1.831, CC: direito real de habitao do cnjuge. Sem prejuzo da parcela da herana que lhe cabe, o cnjuge sobrevivente tem direito a permanecer no imvel vitaliciamente. No caso do companheiro no h disposio no Cdigo, porm

    Enunciado 527 da V Jornada de direito Civil. Art. 1.832: Na concorrncia entre o cnjuge e os herdeiros do de cujus, no ser 2reservada a quarta parte da herana para o sobrevivente no caso de filiao hbridaDireito Civil VII Pgina de 6 28

    (CC) Art. 1.838. Em falta de descendentes e ascendentes, ser deferida a sucesso por inteiro ao cnjuge sobrevivente.

  • argumentar-se que existe tal prerrogativa, com base na exigncia constitucional do tratamento igualitrio dos companheiros e cnjuges, apoiado em precedente do STJ. Porm, h dvidas se, no caso do companheiro iniciar novo relacionamento, o direito se mantm.

    I.e) Companheiro: Art. 1790, CC: o companheiro a herdar os bens adquiridos onerosamente na

    constncia da unio estvel, independente de ser este comum ou particular. Art. 1790, I e II, CC: regras de concorrncia com descendentes. Caso os

    descendentes sejam comuns, a quota do companheiro igual a dos que herdam por cabea. Porm, se no forem comuns os filhos, segundo o inciso II, o companheiro herdar a metade do que herdarem os filhos. Quando a descendncia mista, ou seja, existem filhos comuns e no comuns, pelo preceito constitucional de no tratamento desigual entre os filhos, deve ser ignorado um dos incisos. Normalmente, ignora-se o inciso II.

    Art. 1790, III, CC: havendo qualquer outro parente sucessvel, ascendente ou colateral at o 4 grau, o companheiro ter direito a 1/3 da herana.

    Direito Civil VII Pgina de 7 28

    (CC) Art. 1.831. Ao cnjuge sobrevivente, qualquer que seja o regime de bens, ser assegurado, sem prejuzo da participao que lhe caiba na herana, o direito real de

    habitao relativamente ao imvel destinado residncia da famlia, desde que seja o nico daquela natureza a inventariar.

  • I.f) Herana Jacente e Vacante:

    Herana Jacente (art. 1.819, CC): quando no h notcia de herdeiro legtimo nem de testamento. Isso no quer dizer que tais no existam, mas se existirem, so desconhecidos. Haver a nomeao de um curador, em procedimento de jurisdio voluntria, para definir a guarda e administrao dos bens. Poder haver a publicao de editais chamando possveis herdeiros. Um ano aps a publicao do primeiro edital, a herana ser considerada vacante

    Herana Vacante (art. 1820, CC): aps um ano da publicao do edital, os bens passaro ento ao controle do municpio em que estiverem situados. Porm, a declarao de vacncia no exclui a possibilidade de

Recommended

View more >