direito civil iii - obrigaÇÕes ii -teoria geral dos contratos (fabi)

Download DIREITO CIVIL III - OBRIGAÇÕES II -TEORIA GERAL DOS CONTRATOS (fabi)

Post on 18-Jul-2015

937 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

Fabiane Nicocelli GieseAcadmica do curso de Direito do Centro Universitrio Catlica de Santa Catarina.

DIREITO CIVIL III OBRIGAES II Disciplina estudada em 2012, ministrada pelo Professor Daniel de Mello Massimino, no Centro Universitrio Catlica de Santa Catarina, Campus Jaragu do Sul. O estudo da matria foi embasado nas orientaes recebidas em classe, cdigo civil e leitura obra Direito Civil, Teoria Geral das Obrigaes e Teoria Geral dos Contratos, de Silvio de Salvo Venosa. Sumrio: TEORIA GERAL DOS CONTRATOS........................................................................2 ELEMENTOS DO CONTRATO.................................................................................2 Partes................................................................................................................. 4 Objeto................................................................................................................. 5 Forma................................................................................................................. 6 Acordo de Vontades.......................................................................................... 6 PRINCPIOS GERAIS DO DIREITO CONTRATUAL................................................7 Autonomia da Vontade.....................................................................................7 Fora Obrigatria dos Contratos (obrigatoriedade).......................................8 Relatividade dos Contratos..............................................................................8 Boa-F................................................................................................................ 8 FORMAO E CONCLUSO DOS CONTRATOS..................................................9 Proposta........................................................................................................... 11 Requisitos de Validade da Proposta................................................................11 Oferta Pblica.................................................................................................. 12 Circunstancias Especficas............................................................................13 Local da Formao dos Contratos.................................................................14 CLASSIFICAO DOS CONTRATOS...................................................................14 Contratos Reais............................................................................................... 15 Contratos Consensuais..................................................................................15 Contratos Unilaterais......................................................................................15 Contratos Bilaterais........................................................................................15 Contratos Plurilaterais.................................................................................... 15 INTERPRETAO DOS CONTRATOS..................................................................16 EFEITOS DOS CONTRATOS.................................................................................16 EXTINO DOS CONTRATOS..............................................................................16 Cumprimento das obrigaes........................................................................16 Distrato ............................................................................................................ 17 Arrependimento (p. ex. CDC).......................................................................... 18 Revogao (p. ex. Mandato)...........................................................................19 Inadimplemento............................................................................................... 19 Inexecuo involuntria (Resoluo). ........................................................... 20 Exceptio non adimpleti contractus................................................................20fabigiese@catolicasc.org.br (47) 9187-46451

Fabiane Nicocelli GieseAcadmica do curso de Direito do Centro Universitrio Catlica de Santa Catarina.

Resoluo por onerosidade excessiva .......................................................21 Denncia Unilateral (resilio).......................................................................23 OUTRAS DISPOSIES SOBRE CONTRATOS..................................................24

TEORIA GERAL DOS CONTRATOS Definio do Professor: Contrato um negcio jurdico bilateral a cujas partes se vinculam por meio de um acordo de vontades. No sentido de que a bilateralidade refere-se pessoas, em que deve possuir no mnimo duas pessoas. Contrato um tipo de negcio jurdico, mas nem todo negcio jurdico um contrato.[...] o contrato pode existir, isto , possuir aspecto material de um negcio, mas no ter validade por lhe faltar, por exemplo, agente capaz. Ainda, o contrato pode existir e ser vlido, mas ineficaz, quando, por exemplo, pendente de implemento de uma condio suspensiva. (VENOSA, 2011, p. 446)

imprescindvel saber distinguir um contrato de outras fontes de obrigaes, pois elas apresentam caractersticas processuais diferentes. A partir do momento que se assina um contrato realizado um pacto entre pessoas, o que determina uma das caractersticas do contrato: um contrato s pode existir entre duas pessoas ou mais.

ELEMENTOS DO CONTRATO Elementos, segundo VENOSA (2011) caracterizam a composio de um contrato, podem ser essenciais, naturais ou acidentais. O art. 104 do Cdigo Civil revela os elementos essenciais de um negcio jurdico, estendido aos contratos: - Agente capaz deve-se identificar a capacidade das partes; - Objeto lcito o motivo do contrato deve ser legal;fabigiese@catolicasc.org.br (47) 9187-46452

Fabiane Nicocelli GieseAcadmica do curso de Direito do Centro Universitrio Catlica de Santa Catarina.

- Forma prescrita ou no proibida pela lei sua forma no pode ser ilcita. Qualquer contrato que se apresente com a inexistncia de um destes elementos essenciais ser considerado nulo, pois, como a sua denominao j estabelece, so ESSENCIAIS ao negcio jurdico. Existem os elementos essenciais especficos de cada contrato que so aqueles inerentes natureza do acordo. Exemplo: um contrato de compra e venda deve conter elementos especficos: coisa, preo; So essenciais a este tipo de contrato, caso contrrio seria nulo. Os elementos naturais, segundo Venosa (2011, p. 446), so os [...] decorrentes da prpria razo de ser [...], no necessitando de uma declarao expressa de sua existncia. Ou seja, natural ao negcio, no precisa ser mencionado. So elementos acidentais de um contrato aqueles que modificam alguma caracterstica natural do acordo e podem ser inseridos ou no em um contrato.

Agente Capaz Validade: Art. 104 CC Objeto lcito Determinvel ou determinado Forma prescrita ou no defesa em lei ACORDO DE VONTADES ESPECFICO GERAL

Para que o contrato seja vlido deve possuir os requisitos mnimos estabelecidos no art. 104 do CC, que so gerais a um negcio jurdico. A partir do atendimento destes requisitos gerais aliado ao acordo de vontades de duas ou mais pessoas, origina-se um contrato. Concluindo, dentre os elementos essenciais, naturais e acidentais de um contrato, resume-se que so imprescindveis: - Partes (definem o agente capaz) - Objeto (define a licitude e determinabilidade) - Forma

fabigiese@catolicasc.org.br

(47) 9187-46453

Fabiane Nicocelli GieseAcadmica do curso de Direito do Centro Universitrio Catlica de Santa Catarina.

- Acordo de vontades

Partes As partes do contrato precisam ter legitimidade, precisam ser aptos juridicamente a participarem de um contrato. O objetivo da qualificao das partes a identificao da sua capacidade jurdica. A capacidade das partes essencial para o contrato ser vlido, e deve ser analisada inicialmente, para saber se trata-se de um contrato vlido ou no. Venosa (2011, p. 447) considera as partes como sendo aquelas que exprimem a vontade do acordo, sendo esta o centro de interesse de um contrato. Delimita que Portanto, o que estabelece o nmero de partes no contrato o nmero dos centros de interesse (no o nmero de pessoas). Assim, podem haver duas pessoas que forma uma parte (contratante) em relao a outra pessoa que forma a parte contrria (contratado). Agente capaz para um contrato , salvo excees, o mesmo agente capaz para realizar um negcio jurdico. Contratos Nulos 166, I - Absoluto Capacidade Contratos Anulveis 171, I - Relativa

Quando a incapacidade for absoluta os contratos so nulos e neste caso no h o que se fazer para sanar o problema. Nulo no existe.Art. 166. nulo o negcio jurdico quando: I - celebrado por pessoa absolutamente incapaz; Art. 3o So absolutamente incapazes de exercer pessoalmente os atos da vida civil: I - os menores de dezesseis anos; II - os que, por enfermidade ou deficincia mental, no tiverem o necessrio discernimento para a prtica desses atos; III - os que, mesmo por causa transitria, no puderem exprimir sua vontade.

fabigiese@catolicasc.org.br

(47) 9187-46454

Fabiane Nicocelli GieseAcadmica do curso de Direito do Centro Universitrio Catlica de Santa Catarina.

Se um menor assinar um contrato, este nulo, porque no pode existir por ser um agente incapaz. No h a possibilidade da declarao de validade do contrato, a nulidade no pode ser revertida. A nica defesa da pessoa lesada em um contrato nulo o ressarcimento do valor j pago. Eventualmente, dependendo do contrato, pode-se requerer danos, mas varia de acordo com o caso concreto. Quando a capacidade relativa, o contrato anulvel.Art. 171. Alm dos casos expressamente declarados na lei, anulvel o negcio jurdico: I - por incapacidade relativa do agente; Art. 4o So incapazes, relativamente a certos atos, ou maneira de os exercer: I - os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos; II - os brios habituais, os viciados em txic

Recommended

View more >