direito civil iii – contratos

Download Direito Civil III – Contratos

If you can't read please download the document

Post on 07-Jan-2016

39 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Direito Civil III – Contratos. Compra e Venda Art. 481 a 532. 2011.1. Prof. Andrei Brettas Grunwald. Conceito. Artigo 481 “Pelo contrato de compra e venda, um dos contratantes se obriga a transferir o domínio de certa coisa, e o outro, a pagar-lhe certo preço em dinheiro.”. Conceito. - PowerPoint PPT Presentation

TRANSCRIPT

  • Direito Civil III Contratos2011.1Prof. Andrei Brettas Grunwald*Compra e VendaArt. 481 a 532

  • Conceito*

    Artigo 481Pelo contrato de compra e venda, um dos contratantes se obriga a transferir o domnio de certa coisa, e o outro, a pagar-lhe certo preo em dinheiro.

  • Conceito*Prof. Cio Mrio da Silva Pereira: um acordo de vontades, na conformidade da lei, e com a finalidade de adquirir, resguardar, transferir, conservar, modificar ou extinguir direitos. Prof. Roberto Senise Lisboa: o contrato por meio do qual o adquirente (comprador) paga determinado preo em dinheiro com o fim de obter para si a transferncia definitiva do bem do alienante (vendedor)

  • Natureza Jurdica*Bilateral: cada parte assume respectivamente obrigaes;

    Oneroso: equivalncia de prestaes, ambas as partes obtm vantagem econmica;

    Consensual: se aperfeioa com a manifestao das partes;

    Comutativo: porque as partes j sabem antecipadamente as suas prestaes;

  • Natureza Jurdica*A comutatividade pode ser afastada, tomando-se como exemplo o exposto nos artigos 458, 459 e 460 do CC/2002 que prev a compra e venda de coisa futura e de quantidade futura.

    Solene e No-solene: se existe previso legal com relao a forma;

    Translativo: instrumento para a transferncia e aquisio de propriedade.

  • Elementos*Partes: pessoas interessadas no negcio;

    Consenso: as partes exteriorizam a sua vontade de acordarem;

    Preo: o valor a ser pago pela coisa, podendo ele ser certo (cotao), justo (real) e verdadeiro;

    Coisa: aquisio do ttulo de transferncia do domnio de um determinado bem.

  • Obrigaes*Adquirente:- Dever efetuar o pagamento do preo antes da transferncia do bem;- Dever efetuar o pagamento do prelo no tempo ajustado, lugar e modo;- Dever efetuar o pagamento dos juros e clusula penal;- Arcar com as despesas de lavratura de escritura pblica e do registro de transferncia do bem imvel.

  • Obrigaes*2.Alienante:- proceder a entrega do bem adquirido aps o pagamento do preo;- arcar com as despesas de transporte e tradio da coisa mvel;- garantir a coisa vendida dos riscos da evico;- responder por vcios redibitrios;- responder pelas conseqncias pela entrega incorreta da coisa;

  • Limitaes ao contrato*Tutor e curador: adquirir bens do patrimnio dos pupilos (art. 497 do CC/2002), pena de nulidade absoluta;

    Testamenteiro e administrador: adquirir bens confiados a sua guarda ou administrao (art. 497 do CC/2002), pena de nulidade absoluta;

    Servidor pblico: adquirir bens ou direitos do rgo onde exeram suas atribuies, pena de nulidade absoluta;

  • Limitaes ao contrato*4.Juiz, perito, rbitro e demais auxiliares ou serventurios da justia que possam influenciar no negcio ou no preo da venda;

    5.Ascedente para descentente (art. 496 do CC/2002): anulvel a venda, salvo autorizao expressa dos demais descendentes e o do cnjuge. O prazo para anular o negcio de 2 anos (art. 179 do CC/2002);

    6.Cnjuges (art. 499 do CC/2002): somente permitida a venda dos bens que no fazem parte da comunho. Se um bem for vendido, j fazendo parte da comunho, a venda nula, por impossibilidade do objeto (art. 166, II do CC/2002);

  • Limitaes ao contrato*7.Bens em condomnio (art. 504 do CC/2002): o condmino no pode vender a sua parte a estranho, se o outro condmino desejar adquirir, desde que a parte no esteja divisiva.Condomnio pro-indiviso: no existe a diviso fsica, de modo que cada um apenas possui parte ou frao ideal;Condomnio pro-diviso: cada condmino tem a sua parte delimitada e determinada no plano fsica.

  • Regras Especiais*

    Cdigo Civil Brasileiro 2002

    Artigo 484: amostras, prottipos ou modelos;

    Artigo 500: ad corpus ou ad mensuram;

    Artigo 509/512: a contento ou da sujeita a prova;

  • Regras Especiais*Artigo 484Amostras, Prottipos ou Modelos

    Art. 484. Se a venda se realizar vista de amostras, prottipos ou modelos, entender-se- que o vendedor assegura ter a coisa as qualidades que a elas correspondem.

    Pargrafo nico. Prevalece a amostra, o prottipo ou o modelo, se houver contradio ou diferena com a maneira pela qual se descreveu a coisa no contrato.

  • Regras Especiais*Artigo 484Amostras, Prottipos ou Modelos

    Nesta modalidade o vendedor se responsabiliza para que a qualidade do bem a ser entregue ao adquirente corresponda efetivamente do objeto constante do mostrurio. A venda suspensiva, se no houver a entrega da coisa de acordo com o apresentado poder a venda ser desfeita.

  • Regras Especiais*Artigo 484Amostras, Prottipos ou Modelos

    - Amostra: reproduo perfeita do objeto a ser entregue;

    - Prottipo: o primeiro exemplar do objeto criado que ser entregue;

    - Modelo: um exemplo do objeto que ser entregue.

  • Regras Especiais*Artigo 500ad corpus ou ad mensuram

    Art. 500. Se, na venda de um imvel, se estipular o preo por medida de extenso, ou se determinar a respectiva rea, e esta no corresponder, em qualquer dos casos, s dimenses dadas, o comprador ter o direito de exigir o complemento da rea, e, no sendo isso possvel, o de reclamar a resoluo do contrato ou abatimento proporcional ao preo.

  • Regras Especiais*Artigo 500ad corpus ou ad mensuram

    Na venda ad mensuram o preo estabelecido sem levar em considerao o tamanho da rea, mas sim o seu todo. A medida prevista em contrato meramente enunciativa.

    Na venda ad corpus, ao contrrio da ad mensurem, o preo estabelecido de acordo com o tamanho da rea, a qual discriminada no contrato.

  • 1 e 2 do Artigo 500 * 1 Presume-se que a referncia s dimenses foi simplesmente enunciativa, quando a diferena encontrada no exceder de um vigsimo da rea total enunciada, ressalvado ao comprador o direito de provar que, em tais circunstncias, no teria realizado o negcio. 2 Se em vez de falta houver excesso, e o vendedor provar que tinha motivos para ignorar a medida exata da rea vendida, caber ao comprador, sua escolha, completar o valor correspondente ao preo ou devolver o excesso.

  • Regras Especiais*Na venda ad mensuram, caso a rea seja superior a um vinte avos da real (5%), poder o comprador:1. Se menor, exigir o complemento da rea;2. Resolver o contrato, recebendo o valor pago, atravs da ao redibitria;3. Abatimento proporcional do preo, atravs da ao estimatria.O vendedor poder reclamar o pagamento de diferena em virtude do excesso, desde que provado que o desconhecia.

  • Artigo 501*Art. 501. Decai do direito de propor as aes previstas no artigo antecedente o vendedor ou o comprador que no o fizer no prazo de um ano, a contar do registro do ttulo.

    Pargrafo nico. Se houver atraso na imisso de posse no imvel, atribuvel ao alienante, a partir dela fluir o prazo de decadncia.

  • Regras Especiais*Contratos Internacionais

    Nos contratos de compra e venda internacionais aplica-se as regras do comrcio internacional e a lei do domiclio dos contratantes, devendo o pagamento ser feito no local e data correspondente entrega. Os termos do comrcio internacional mais utilizados:FOB: vendedor se obriga a entregar a mercadoria a bordo do navio, sem que o adquirente tenha que arcar com qualquer custo adicional(transporte principal no pago);FAS: vendedor entrega a mercadoria junto ao navio em condies de embarque (transporte principal no pago);

  • Regras Especiais*CIF: vendedor se obriga ao pagamento dos custos de embarque martimo e do seguro de transporte, as expensas do comprador (transporte principal pago);

    FFA: a responsabilidade do vendedor vai at o costado do navio no porto de destino (transporte principal pago);

    CPT: vendedor pago o frete at o local de destino da mercadoria transportada por meio no martimo.

    Ex works: contrato no qual o vendedor disponibiliza em prol do comprador a mercadoria em suas dependncias.

  • Clusulas Especiais*Retrovenda (art. 505 a 508 do CC);

    A contento e sujeita a prova (art. 509 a 512 do CC);

    Preempo ou preferncia (art. 513 a 520 do CC);

    Venda com reserva de domnio (art. 521 a 528 do CC);

    Venda sobre documentos (art. 529 a 532 do CC);

  • Clusulas Especiais*RetrovendaArtigo 505 / 508

    Art. 505. O vendedor de coisa imvel pode reservar-se o direito de recobr-la no prazo mximo de decadncia de trs anos, restituindo o preo recebido e reembolsando as despesas do comprador, inclusive as que, durante o perodo de resgate, se efetuaram com a sua autorizao escrita, ou para a realizao de benfeitorias necessrias. Art. 506. Se o comprador se recusar a receber as quantias a que faz jus, o vendedor, para exercer o direito de resgate, as depositar judicialmente.

  • Retrovenda*Nesta espcie de clusula o vendedor tem o direito de reaver o bem imvel com quem quer que esteja, restituindo ao comprador o valor pago e as despesas feitas, dentro de um prazo mximo de at 03 (trs) anos.

    O comprador no querendo entregar o imvel, caber o vendedor ajuizar ao judicial depositando o valor integral do quanto recebido, caso, entenda o juiz que o valor insuficiente dever ser feito um depsito complementar.

  • Clusulas Especiais*A contento ou da sujeita a provaArtigo 509 / 512

    Art. 509. A venda feita a contento do comprador entende-se realizada sob condio suspensiva, ainda que a coisa lhe tenha sido entregue; e no se reputar perfeita, enquanto o adquirente no manifestar seu agrado.

    Art. 510. Tambm a venda sujeita a prova presume-se feita sob a condio suspensiva de que a coisa tenha as qualidades asseguradas pelo vendedor e seja idnea para o fim a que se destina.

  • A Contento ou Sujeita a Prova*As vendas a contento ou sujeita a prova somente vo se aperfeioar quando o comprador se declarar satisfeito com o bem adquirido (art. 509 do CC/2002)