desonera o da folha de ›stria-de...¢  elabora£§££o...

Download Desonera o da Folha de ›stria-de...¢  Elabora£§££o DECOMTEC/FIESP. O percentual de arrecada£§££o corresponde

Post on 02-Oct-2020

0 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • 1

    Avaliação do Plano de Desenvolvimento Produtivo Departamento de Competitividade e Tecnologia

    DECOMTEC / FIESP

    DEPARTAMENTO DE COMPETITIVIDADE E TECNOLOGIA

    DECOMTEC MAIO DE 2011

    DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS NA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO

  • 0,0%

    A indústria de transformação é o setor com maior im pacto na economia, porém, carrega o maior ônus tributário, q ue impede um crescimento mais robusto do país.

    Fonte: RFB; CONFAZ; (Matriz de Leontief) IBGE. Elaboração: DECOMTEC/FIESP.. Dados relativos a 2008.

    R$ 1,00 de aumento na produção da indústria eleva em R$ 2,22 a produção de todos os setores.

    Avaliação DECOMTEC/FIESP

  • Fonte: SCN/IBGE. Extração especial RFB. CONFAZ.. * Tributos Federais (exceto FGTS) e ICMS respondem por 83,2%

    da Carga Tributária no Brasil.

    Distribuição dos tributos em relação ao PIB de cada setor não é isonômica.

    Menos tributados % do PIB > % Tributos

    Mais tributados % do PIB < % Tributos

    A Indústria de Transformação responde por 36,7% na arrecadação de tributos*, porém representa 16,6% do PIB.

    Avaliação DECOMTEC/FIESP

  • Avaliação DECOMTEC/FIESP

    Fonte: SCN/IBGE. Extração especial RFB. CONFAZ. Elaboração DECOMTEC/FIESP. Dados de 2008.

    Tributos não considerados: FGTS, Municipais e Estaduais (Exceto ICMS). ISS = 2,1%.

    Distribuição dos tributos em relação ao PIB de cada setor não é isonômica.

    Em 2008, os Tributos Federais e o ICMS responderam por 84% da arrecadação total (União, Estado e Municípios).

    Setores Tributos

    Federais e ICMS (%)

    PIB a preços de

    fatores (%)

    Relação Tributos/PIB

    Mais Tributados

    % Tributos > % do PIB

    Ind. Transformação 36,70% 16,60% 2,21 Comércio 15,20% 12,50% 1,22

    Intermediação financeira 13,40% 6,80% 1,97

    SIUP 6,90% 3,10% 2,23

    Informação 6,30% 3,80% 1,66

    Menos Tributados

    % do PIB > % Tributos

    Outros serviços 8,10% 14,10% 0,57

    Administração pública 5,40% 15,80% 0,34

    Agropecuária 0,80% 5,90% 0,14

    Transporte 3,00% 5,00% 0,60

    Aluguéis 0,30% 8,20% 0,04

    Construção 2,70% 4,90% 0,55

    Extrativa 1,20% 3,20% 0,38

  • Participação dos setores na arrecadação previdenciária.

    Avaliação DECOMTEC/FIESP

    Seções % na

    Previdência % na

    COFINS

    Indústria de Transformação 23,0% 45,2%

    Comércio 13,4% 15,9%

    Serviços Profissionais, Administrativos e complementares 8,0% 4,7%

    Atividades Financeiras 7,4% 8,2%

    Construção 6,6% 3,9%

    Serviços às Famílias + Serviços de manutenção e reparação 6,3% 1,3%

    Informação 5,6% 5,7%

    Transporte 5,4% 4,6%

    SIUP 2,4% 7,8%

    Indústria Extrativa 1,0% 0,7%

    Atividades Imobiliárias 0,3% 0,5%

    A – SEÇÕES UTILIZADAS NO ESTUDO 79,5% 98,6%

    Administração pública, defesa e seguridade social 15,9% 0,1%

    Saúde humana e serviços sociais 3,0% 0,9%

    Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura 1,6% 0,3%

    Serviços domésticos 0,0% 0,0%

    Organismos internacionais e inst. extraterritoriais 0,0% 0,0%

    B – SEÇÕES NÃO UTILIZADAS NO ESTUDO 20,5% 1,4%

    A + B = ARRECADAÇÃO 100,0% 100,0% Fonte: Extração especial da Receita Federal do Brasil. Elaboração DECOMTEC/FIESP.

    O percentual de arrecadação corresponde ao total pago pelo setor à previdência e a COFINS em 2008.

    A IT é responsável por 23% da arrecadação da Previdência Social e por 45,2% das receitas da COFINS

    Não

    incluídos

    na

    análise

  • 59,7%

    40,3%

    40,3%

    IR e CSLL 6,9%

    ICMS 11,1%

    PIS/COFINS 6,7%

    IPI; 3,0%

    Prev. Patronal IT

    2,6%

    Prev. Patronal cadeia

    produtiva 1,3%

    FGTS 1,5%

    Outros** 7,2%

    Avaliação DECOMTEC/FIESP

    Tributos Valor sem Tributos

    Tributos

    Produto

    Industrializado

    Composição dos tributos* nos produtos da Indústria de Transformação

    Fonte: Extração Especial RFB; MIP (IBGE); CONFAZ (MF). Dados de 2007. Elaboração DECOMTEC/FIESP.

    *Tributos federais e ICMS equivalem a 84% da arrecadação total (União, Estados e Municípios).

    ** Outros: Previdência parte dos empregados, IOF, Receitas administradas e receitas não administradas, RFB, etc.

    A contribuição patronal à Previdência Social da Indústria de Transformação corresponde a 2,6% dos preços industriais

    A contribuição patronal à Previdência Social da Indústria de Transformação corresponde a 2,6% dos preços industriais

  • Composição da Contribuição Patronal à Previdência Social da Indústria de Transformação

    Avaliação DECOMTEC/FIESP

    INSS RAT Salário

    Educação Terceiros

    IT – regra geral % da folha de pagamentos

    20% De 1% a 3% 2,5% 3,3% (Incra, Sesi, Senai e

    Sebrae)

    IT – Agroindústria 2,5%

    Receita Bruta (RB)

    0,1% RB

    2,5%

    Senar (0,25% RB);

    Incra (2,7% folha)

    Fonte: Previdência Social: Códigos de Fpas (Instrução Normativa RFB nº 836/08). DECOMTEC/FIESP.

  • Avaliação DECOMTEC/FIESP

    Valor da Contribuição Patronal à Previdência Social da Indústria de Transformação (2008)

    INSS Folha de

    salários e RB agroindústria

    RAT, Salário Educação e

    Terceiros

    RAT ponderada pelas divisões e classes da PIA.

  • Proposta de desoneração da folha de pagamentos da Indústria de Transformação

    Avaliação DECOMTEC/FIESP

  • Avaliação DECOMTEC/FIESP

    Proposta de desoneração da folha de pagamentos da Indústria de Transformação

    • Eliminação da cobrança de 20 pontos percentuais da contribuição previdenciária patronal para o INSS incidente na folha de pagamento das empresas da Indústria de Transformação. – A Indústria de Transformação é classificada como seção C e abrange as divisões

    de 10 a 33 da CNAE 2.0.

    • Eliminação da contribuição de dois vírgula cinco por cento (2,5%) destinados à Seguridade Social incidente sobre o valor da receita bruta (proveniente da comercialização da produção) da agroindústria. – Agroindústria. Para fins de recolhimento das contribuições sociais destinadas à

    seguridade social e a outras entidades e fundos, entende-se como agroindústria a pessoa jurídica cuja atividade econômica seja a industrialização de produção própria ou de produção própria e adquirida de terceiros. O que caracteriza a agroindústria é o fato de ela própria produzir, total ou parcialmente, a matéria- prima empregada no processo produtivo (Instrução Normativa RFB nº 1.071, de 15 de setembro de 2010)

  • • A compensação da desoneração da folha de pagamentos das empresas industriais se dará pela elevação da alíquota da COFINS dos Demais Setores (DS), calculada para equilibrar as contas da Previdência Social.

    – Demais Setores (DS): Indústria Extrativa; SIUP; Construção; Comércio; Transportes; Informação; Instituições Financeiras; Atividades imobiliárias; serviços profissionais e serviços prestados às famílias.

    • Além da Indústria de Transformação, não terão acréscimo de alíquotas de COFINS:

    – Agropecuária; Administração Pública; Educação; Saúde Humana e Serviços Sociais; Arte, cultura, esporte e recreação; Serviços domésticos e Organismos internacionais e outras entidades extraterritoriais.

    Avaliação DECOMTEC/FIESP

    Proposta de desoneração da folha de pagamentos da Indústria de Transformação

  • Avaliação DECOMTEC/FIESP

    A Previdência Social é administrada pela União, por isso a

    compensação da desoneração da folha de pagamentos na

    Indústria deve considerar:

    • o aumento de arrecadação da COFINS dos Demais Setores (DS) devido a majoração da alíquota da COFINS,

    • a variação de arrecadação do PIS dos DS, que é afetado pela cumulatividade vertical com a COFINS, e

    • as variações dos tributos sobre renda (IRPJ e CSLL) da Indústria de Transformação (IT) se houver.

    ∆ Previdência IT = ∆ COFINS DS + ∆ PIS DS + ∆ IRPJ IT + ∆ CSLL IT

    Como calcular uma alíquota de COFINS que compense a desoneração da folha de pagamento da IT?

  • Desoneração da Folha de Pagamento transferida para o preço dos produtos industriais

  • Novas alíquotas de COFINS após a desoneração da folha de pagamentos com 0% à margem bruta

    Avaliação DECOMTEC/FIESP

    Alíquotas de COFINS Atual ∆ em p.p. Total

    Demais Setores - DS Sistema Não Cumulativo – Lucro Real

    7,60% 1,0923 8,69%

    Demais Setores - DS Sistema Cumulativo – Lucro Presumido

    3,00% 0,2180 3,22%

    Instituições Financeiras 4,00% 0,5741 4,57%

    Indústria de Transformação IT Sistema Não Cumulativo – Lucro Real

    7,60% Não há 7,60%

    Indústria de Transformação IT Sistema Cumulativo – Lucro Presumido

    3,00% Não Há 3,00%

    Fonte: PIA Empresa; PIA Produto; PAC; PAS; PAICC e POF/IBGE; RFB. Elaboração DECOMTEC/FIESP