desenvolvimento territorial rural no brasil: conceitos e ... ?· diante do espantoso...

Download Desenvolvimento territorial rural no Brasil: conceitos e ... ?· Diante do espantoso desenvolvimento…

Post on 01-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

  • XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006

    1 ENEGEP 2006 ABEPRO

    Desenvolvimento terr itor ial rural no Brasil: conceitos e aplicao

    Jordana Duenha Rodr igues (Mestrado em Agronegcios UFMS) jordanams@uol.com.br Ido Luiz M ichels (Dr . Prof. Em Agronegcios UFMS) idomichels@uol.com.br Leonice Rosina (Mestrado em Agronegcios UFMS) leo_rosina@hotmail.com Cludio Csar da Silva (Mestrado em Agronegcios) - claudiorai@uol.com.br

    Caroline P. Spanhol (UFMS) carolinespanhol@terra.com.br Fbio da Silva Rodr igues (UFMS) fabiosrog@gmail.com

    Resumo

    O espao rural brasileiro tem passado por uma srie de mudanas nas ltimas dcadas, fato este que tem estimulado todo um debate no sentido de propor novas formas de se pensar o desenvolvimento desse setor, sobretudo a partir da incluso do elemento da sustentabilidade ambiental. Nesse sentido, o governo federal criou no ano de 2003 a Secretaria de Desenvolvimento Territorial SDT, a qual tem como objetivo central o apoio promoo do desenvolvimento sustentvel do meio rural brasileiro a partir do enfoque territorial. Tal estratgia altera substancialmente a forma de se planejar e implantar a ao governamental direcionada para setores menos privilegiados do ambiente rural (assentados, agricultores familiares, quilombolas, comunidades ribeirinhas e afins), bem como a distribuio dos recursos disponveis para o atendimento desse pblico-alvo. O presente artigo buscar apresentar como a proposta da SDT se encaixa dentro da lgica mais geral do desenvolvimento rural sustentvel, dando nfase ao recorte priorizado, ou seja, a abordagem territorial. Palavras-chave: Desenvolvimento territorial, desenvolvimento sustentvel, estratgia governamental.

    1 - Contextualizao e Problemtica

    O espao rural tem passado recentemente por um conjunto de mudanas com significativo impacto sobre suas funes e contedo social, o que tem levado ao surgimento de uma srie de estudos e pesquisas sobre o tema em vrios pases, sobretudo nos pases desenvolvidos, onde esse processo apresenta maior importncia.

    No caso do Brasil, o despertar para esta problemtica tem se dado principalmente entre os estudiosos comprometidos com a discusso de uma nova estratgia de desenvolvimento rural para o pas, ou seja, a partir de uma perspectiva instrumentalista. Para estes, a superao da extrema desigualdade social que marca a sociedade brasileira passa obrigatoriamente pela definio de polticas de valorizao do campo.

    O projeto de desenvolvimento rural adotado ao longo de dcadas no pas teve (e ainda tem) como principal objetivo a expanso e consolidao da chamada grande agricultura ou agricultura patronal , tendo alcanado resultados positivos, sobretudo em relao ao aumento da produtividade e gerao de divisas para o pas via exportao. No entanto, esta opo tem estimulado todo um debate relacionado s implicaes sociais e ambientais associadas a esses resultados positivos.

    Apesar de uma mentalidade que tendia totalizao, alguns espaos (fsicos/geogrficos) permaneceram sombra dos investimentos tecnificantes/tecnologizantes, e do ponto de vista

  • XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006

    2 ENEGEP 2006 ABEPRO

    social passaram a caracterizar um resduo de ruralidade, considerado at recentemente como falha no processo de desenvolvimento ; atraso a ser superado.

    No Brasil, em particular, podemos captar a existncia de um movimento quase contnuo que se iniciou com a introduo dos transportes ferrovirios (a partir da metade do sculo XIX) e culminou na dcada de 70 do sculo XX quando se passou a falar intensamente na revoluo modernizante do rural e da agricultura, com o incremento exponencial da moto-mecanizao e quimificao na produo agrcola, e com a alterao do regime de identidades socioculturais que em perodo anterior distinguia o agricultor do trabalhador industrial.

    Postulou-se mundialmente, a partir desta poca, a existncia de uma outra configurao no espao social, onde a dicotomia rural x urbano deixou de ser suficiente na medida em que a realidade considerada rural sofreu uma clivagem que distinguia um rural moderno/modernizado, equipado e rico, e um rural tradicional, conservador e pobre.

    Graziano da Silva (1999) chama a ateno para o fato de que a partir de meados dos anos 80, assistimos ao surgimento de uma nova conformao do meio rural brasileiro, a exemplo do que j ocorre h tempos nos pases desenvolvidos . Esse "Novo Rural , como vem sendo denominado, seria composto, segundo esse autor, de trs grandes grupos de atividades:

    a) Uma agropecuria moderna, baseada em commodities e intimamente ligada s agroindstrias.

    b) Um conjunto de atividades no-agrcolas, ligadas moradia, ao lazer e a vrias atividades industriais e de prestao de servios.

    c) Um conjunto de "novas" atividades agropecurias, impulsionadas por nichos especiais de mercados. (GRAZIANO DA SILVA, 1999; p. 4).

    No deixa de ser surpreendente a velocidade com que ganha espao pblico e legitimao a assertiva de que preciso repensar o modelo de desenvolvimento rural adotado no Brasil e, mais do que isto, reorientar as formas de interveno do Estado e as polticas pblicas. Esta mudana de enfoque comeou a ganhar fora no Brasil na segunda metade da dcada de 1990, sob os efeitos de algumas alteraes na forma de gesto do Estado, sobretudo com o incremento do papel das recm criadas agncias de regulao e da descentralizao de algumas polticas pblicas federais, fazendo com que os governos locais ganhassem novas atribuies.

    sob essa necessidade de construo de uma nova proposta para o desenvolvimento rural brasileiro, que no fique centrado exclusivamente nos aspectos econmicos, mas que tambm incorpore discusso o elemento social e o elemento ambiental, que o presente artigo ser estruturado, ou seja, a partir da investigao crtica da estratgia de desenvolvimento rural sustentvel, com enfoque territorial, proposta pelo governo federal brasileiro. 2 - Mater iais e Mtodos

    Foi realizada pesquisa de abordagem qualitativa, mais especificamente pesquisa documental. Segundo Godoy (1995), documentos representam uma importante e rica fonte de dados, podendo trazer importantes contribuies acerca de determinados temas.

    Utilizou-se da tcnica de pesquisa bibliogrfica para se desenvolver a reflexo terica acerca dos conceitos que norteiam a temtica estudada. Foi realizada reviso bibliogrfica das principais publicaes e pesquisadores que trabalham dentro dessa temtica atualmente, de

  • XXVI ENEGEP - Fortaleza, CE, Brasil, 9 a 11 de Outubro de 2006

    3 ENEGEP 2006 ABEPRO

    forma a constituir um referencial terico que pode subsidiar as investigaes empricas que envolvem a aplicao desses conceitos ao meio rural brasileiro.

    3 - DRS Desenvolvimento Rural Sustentvel

    Um dos temas que ganhou grande visibilidade e importncia nas ltimas dcadas no Brasil e no mundo foi o chamado desenvolvimento sustentvel. Em meados da dcada de 80, os impactos da agricultura moderna, a destruio das florestas tropicais, as chuvas cidas, a destruio da camada atmosfrica de oznio, o aquecimento global e o efeito estufa tornavam-se temas familiares para grande parte da opinio pblica, principalmente, nos pases ricos. Questionava-se at que ponto os recursos naturais suportariam o ritmo de crescimento econmico impresso pelo industrialismo ou mesmo se a prpria humanidade resistiria s seqelas do chamado desenvolvimento .

    Consolidava-se um novo paradigma, um novo ideal: a sustentabilidade. Em 1987, a Comisso Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento publicava: Nosso Futuro Comum, o famoso Relatrio Brundtland, que ajudou a disseminar o ideal de um desenvolvimento sustentvel.

    Esse Relatrio ajuda a sintetizar o que seria o Desenvolvimento Sustentvel ao defini-lo como sendo o

    processo capaz de satisfazer as necessidades das geraes presentes sem comprometer a capacidade das geraes futuras satisfazerem as suas prprias necessidades , ou como um processo de mudana na qual a explorao dos recursos, a orientao dos investimentos, os rumos do desenvolvimento tecnolgico e a mudana institucional esto de acordo com as necessidades atuais e futuras (NAES UNIDAS, 1987).

    Nessa perspectiva o desenvolvimento econmico e o uso racional dos recursos ambientais estariam inexoravelmente vinculados. A partir da surgem ento muitos outros conceitos, como o definido por Repetto (1986, p.15), apud Marouelli (2003, p. 2):

    Desenvolvimento sustentvel uma estratgia de desenvolvimento que administra todos os ativos, os recursos naturais e os recursos humanos assim como os ativos financeiros e fsicos de forma compatvel com o crescimento da riqueza e do bem-estar em longo prazo. O desenvolvimento sustentvel, como um ideal, rejeita polticas e prticas que dem suporte aos padres de vida correntes custa da deteriorao da base produtiva, inclusive a de recursos naturais, e que diminuam as possibilidades de sobrevivncia das geraes futuras.

    Diante do espantoso desenvolvimento tecnolgico e da crescente expanso da agropecuria nos ltimos anos em todo o mundo e, tendo como complemento as inmeras descobertas associadas aos danos ambientais causados por essa expanso, ao chamado desenvolvimento sustentvel se acoplou facilmente o termo rural . Originando-se ento a expresso desenvolvimento rural sustentvel , que passou a fazer parte do cotidiano dos formuladores de polticas pblicas desse setor e a rechear todos os termos de referncia para a implementao de aes direcionadas para esse pblico-alvo.

    Segundo Buarque (1999) o desenvolvimento local um processo endgeno registrado em pequenas unidades territoriais e agrupamentos humanos capaz de promover o dinamismo econmico e a melhoria da qualidade de vida da populao. Representa uma singular transformao nas bases econmicas e na organizao social em nvel

Recommended

View more >