DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E TURISMO 20SUSTENT%C1V · DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E TURISMO RURAL…

Download DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E TURISMO 20SUSTENT%C1V · DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E TURISMO RURAL…

Post on 20-Sep-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

TRANSCRIPT

  • DESENVOLVIMENTO SUSTENTVEL E TURISMO RURAL

    Resumo O presente artigo faz uma reviso da literatura acerca dos temas turismo, turismo rural, sustentabilidade, teoria dos stakeholders e seus impactos no desenvolvimento do turismo sustentvel. Faz-se mister demonstrar que o turismo pode ser uma ferramenta para o desenvolvimento de comunidades rurais de forma que os preceitos da sustentabilidade sejam contemplados, gerando equilbrio ambiental, social, econmico e cultural. luz dos tericos o presente trabalho tece o cenrio e as formas que o turismo e seus atores sociais podem vislumbrar seu desenvolvimento de forma harmnica. Desta forma conclui-se que o planejamento de reas rurais para o desenvolvimento turstico, em especial no caso do Turismo Rural na Agricultura Familiar, deve levar em considerao as questes de sustentabilidade respeitando os stakeholders envolvidos no processo.

    Palavras Chave: turismo rural, sustentabilidade, agricultura familiar.

  • CENRIOS DO TURISMO

    O Estado do Paran conta com os requisitos necessrios para a atrao de turistas,

    em especial em ambientes rurais, por apresentar uma oferta turstica diversificada:

    florestas, cataratas, montanhas, rios, praias, caminhos histricos, grandes fazendas,

    uma agricultura altamente competitiva, ilhas, animais exticos, um patrimnio

    exuberante, uma rica cultura e facilidade em receber e tratar bem aos turistas, alm

    de dispor de instalaes e equipamentos adequados para atender a esta demanda.

    Dentre as segmentaes que compe a atividade turstica, o turismo praticado em

    ambientes rurais, tem figurado como uma das mais importantes. Segundo Beni

    (2001) turismo rural a denominao dada ao deslocamento de pessoas a espaos

    rurais, em roteiros programados ou espontneos, com ou sem pernoites para fruio

    dos cenrios e instalaes rurcolas. (BENI, 2001 p. 428)

    O turismo rural possui carter relevante na esfera social sendo fonte de benefcios

    diretos e indiretos, como o aproveitamento dos recursos locais, valorizao da

    cultura, difuso de novos conhecimentos, gerao de renda e emprego, fixao do

    homem no campo - evitando o xodo rural -, explorao de recursos humanos e

    materiais locais, aproveitamento do patrimnio humano e cultural existente ligado a

    atividades rurais e agropastoris objetivando o desenvolvimento da qualidade de vida

    dos habitantes das zonas rurais, em especial dos municpios paranaenses.

    Porm assim como em quaisquer outras atividades econmicas, o turismo gera

    impactos ambientais, os quais sero analisados no presente artigo luz dos

    conceitos de sustentabilidade. O impacto ambiental deve ser entendido com um

    desequilbrio provocado por um choque, um trauma ecolgico, resultante da ao do

    homem sobre o meio ambiente. (SENE, 1998 p. 88)

    Esta influncia provocada no meio ambiente deve ser analisada privilegiando o ator

    social que nele vive, ou seja, a realidade que rodeia o homem definitivamente, a

    realidade social, ponto que so sociais as organizaes, as motivaes e as

    manipulaes que provocam a contaminao e a degradao dos ambientes.

    (OLIVA e GIANSANTT, 1995) No turismo, explorado como atividade econmica, e

    especialmente no turismo rural, o entorno, no qual se realiza obrigatoriamente

    afetado. (Sancho 2001)

    ...a utilizao de recursos naturais fato determinante para o sucesso ou no de uma viagem. O turismo depende da qualidade do

  • ambiente natural, das pessoas e dos recursos. Sem a devida integrao desses fatores, dificilmente haver desenvolvimento sustentvel, na perspectiva de que, pelo prprio exemplo as atividades realizadas na natureza possam ser entendidas como ecolgicas. (MARINHO e BRUHNS, 2003 p. 131)

    A sustentabilidade das organizaes, do meio ambiente e da sociedade alvo de

    discusses que perpassam os interesses econmicos ou sociais, que, no entanto,

    afetam diretamente a qualidade de vida e a sobrevivncia dos seres humanos.

    SUSTENTABILIDADE

    O conceito de sustentabilidade, na primeira dcada do sculo XXI est em constante

    discusso e mutao, devido s interferncias sofridas pelos atores envolvidos com

    o meio ambiente.

    Desta forma, demonstrar uma conceituao que se adapte a todas as esferas que o

    tema sustentabilidade perpassa algo desafiador. A complexidade do termo em

    pauta remete os pesquisadores a tratar de adaptar os conceitos aos fins de pesquisa

    desejados.

    Para Belen (2005) h uma grande diversidade de definies acerca do tema, porm

    sua primeira definio data de 1980 no documento chamado Worlds Conservation

    Strategy que afirma que para que o desenvolvimento seja sustentvel devem-se

    considerar aspectos referentes s dimenses social ecolgica, bem como fatores

    econmicos, dos recursos vivos e no vivos e vantagens de curto e longo prazo de

    aes alternativas. (BELEN, 2005 p. 23). Ao mesmo tempo, a preocupao com a

    preservao do meio ambiente conjugada com a melhoria das condies

    socioeconmicas da populao fez surgir o conceito de ecodesenvolvimento, depois

    substitudo pelo de desenvolvimento sustentvel. (MONTIBELLER-FILHO, 2001)

    Porm o elemento humano somente inserido na conceituao a partir de 1987,

    sendo que a partir de ento, passou a possuir uma grande importncia no que tange

    sustentabilidade. Os seres humanos so o centro de preocupao do

    desenvolvimento sustentvel. Tem o direito a uma vida saudvel e produtiva em

    harmonia com a natureza. (SACHS, 2000 apud SAMPAIO 2001 p.36)

    Ainda para Sachs, a sustentabilidade definida por seis eixos bsicos que so:

    Sustentabilidade social;

    Sustentabilidade econmica;

  • Sustentabilidade ecolgica;

    Sustentabilidade espacial;

    Sustentabilidade cultural;

    Sustentabilidade poltica.

    Tais eixos norteadores da sustentabilidade propostos pelo autor, so facilmente

    visualizados na atividade turstica, j que os consumidores dos servios tursticos

    esto vivenciando durante a prestao do servio as experincias ecolgicas,

    espaciais, culturais, favorecendo para a sustentabilidade social e econmica e

    poltica das localidades receptoras.

    Para a compreenso do conceito de sustentabilidade da atividade turstica praticada

    em meios rurais, tendo em vista todas as nuances que envolvem turistas e

    pequenos empreendedores rurais, pode-se dizer que:

    El concepto de sostenibilidad, como ocurre a todos aquellos que van ocupando posiciones estratgicas relevantes en las Ciencias Sociales, adolece de una serie de problemas de interpretacin que, si no le damos un tratamiento previo adecuado, pueden terminar por vaciarlos de contenido, o, peor aun, hacerlos inoperantes para planteamientos de carcter cientfico.(ALLENDE LANDA, 1.995 p. 211)

    Tal sustentabilidade tem como elemento chave, a necessidade de preservar o meio

    ambiente, pois a atividade turstica praticada em meio natural como o turismo rural,

    faz com que seja elemento de sobrevivncia de tal atividade econmica, a existncia

    de paisagens e recursos naturais em condies razoveis de conservao.

    So visveis os sinais de esgotamenteo de recursos naturais e de agravamento dos problemas ambientais em todas as escalas geogrficas que ameaam a integridade deste grande sistema ecolgico a ecosfera. a desertificao, a poluio dos solos, do ar e da gua, a perda da biodiversidade, as mudanas climticas e diminuio da camada de oznio da estratosfera. So sinais que indicam, de um lado, que o planeta Terra corre perigo e que sua capacidade de suporte limitada, e, de outro, que vivemos uma crise ambienta. Que , a um s tempo, generalizada e global. a crise do modelo de crescimento econmico predatrio, baseado no uso ilimitado dos recursos naturais. (SILVEIRA, 1999. p. 45)

    Tais fatos incitam que as organizaes necessitem criar formas de adaptabilidade s

    situaes adversas encontradas. O meio ambiente e as organizaes necessitam de

  • uma interao positiva para o estabelecimento de relaes que beneficiam os

    cidados que nelas habitam.

    Hay que partir de la idea de que la sostenibilidad es un concepto complejo e integral que aglutina diversas pretensiones, por lo que es natural que en el aparezcan ideologas diferentes, y enfoques cientficos. Por lo tanto, no solo ha de entenderse desde un punto de vista medioambiental, sino tambin econmico, social y cultural referido a cualquier actividad productiva incluida la turstica. (ALLENDE LANDA, 1.995)

    Tais reflexes levam a acreditar que o turismo rural sem um adequado planejamento

    de longo prazo, participao das comunidades locais, apoio e participao pblica e

    privada com financiamentos e investimentos, no consegue sustentar-se como uma

    opo diversificada aos pequenos produtores que optam por possuir mais de uma

    fonte de renda em uma pequena propriedade, frente ao mercado globalizado e

    altamente competitivo existente no campo paranaense.

    Dentro desse contexto, as pequenas propriedades, por mais produtivas que sejam,

    no conseguem fazer frente e competir em grandes escalas de produo com as

    grandes propriedades rurais, que trazem um sistema de produo baseado no

    ganho de monoculturas altamente produtivas, sistema em escala, tecnologia de

    produo e voltado para exportao.

    AS ORGANIZAES E A SUSTENTABILIDADE

    A inteirao entre empresas e natureza, desde a revoluo industrial tem causado

    impactos que, em grande parte dos casos no h reverso, trazendo tona

    questes referentes ao desenvolvimento sustentvel destas organizaes dentro de

    um ambiente frgil.

    A organizao deve ser visualizada como um conjunto de partes em constante

    interao, constituindo-se em um todo orientado para determinados fins, me

    permanente relao de interdependncia com o ambiente externo. (Andrade, 2002

    p. 90). Suas consideraes revelam que a organizao no um elemento alheio ao

    ambiente e sim uma parte que completa o funcionamento da sociedade.

    Para Tachizawa (2002) as organizaes precisam se munir de estratgias

    empresariais no que tange a inter relao com o meio ambiente, sendo que estes

  • so basicamente meios eficazes de se alcanar a sustentabilidade, com menor

    agresso ao ambiente, levando em conta a influncia dos stakeholders.

    Tais organizaes so atores sociais que compe a sociedade que interferindo e

    proporcionando parmetros para os quais as empresas precisam seguir e respeitar,

    tais atores so conhecidos como stakeholders, os quais cada vez mais so

    influentes nos rumos que as empresas vm seguindo.

    Sob este prisma, traz-se cena discusses acerca da teoria dos stakeholders, que

    um conceito que esclarece quem so os atores que tm interesse nas operaes e

    decises de uma empresa e que devem ser consideradas nas orientaes da

    organizao relativas sustentabilidade. Dentre estes atores, encontram-se:

    acionistas, consumidores, funcionrios, fornecedores, comunidade e grupos sociais

    ativistas, podendo tambm ser definido conforme Ansoff & Macdonnell (1993) como

    grupos de interesse afetados diretamente pelo comportamento da empresa.

    Tais atores tm papel fundamental para que o desenvolvimento sustentvel possa

    ser concretizado como filosofia de gesto nas organizaes e que efetivamente

    possa fazer parte de seus planejamentos, objetivando no somente as finalidades

    de cunho econmico, mas tambm a responsabilidade perante a sociedade

    contempornea.

    Faz-se necessrio compreender que os atores envolvidos na questo ambiental,

    levam ao surgimento de novas alternativas de relacionamento da sociedade

    contempornea com seu ambiente, procurando reduzir os impactos que ela produz

    sobre o meio que a cerca, incluindo-se neste rol as empresas prestadoras de

    servios tursticos.

    O turismo um ramo econmico do setor tercirio, composto por organizaes de

    poder pblico e privado que fomentam o desenvolvimento econmico e social das

    localidades, por meio da valorizao dos atrativos naturais, histricos e culturais que

    possuem. Desta forma os elementos que impulsionam a atividade turstica so

    organizaes, que da mesma forma que em outros ramos da economia, possuem

    interferncia com ambientes naturais e stakeholders.

  • TURISMO SUSTENTVEL

    O conceito do Turismo Sustentvel foi desenvolvido para evitar os riscos que a

    conduo inadequada da atividade pode provocar no meio ambiente. Segundo

    Krippendorf (1988) o turismo sustentvel visto como a perfeita triangulao entre

    as destinaes (seus habitats e habitantes), os turistas e os prestadores de

    facilidades para os visitantes.

    O turismo sustentvel procura adequar os interesses de cada um dos parceiros

    desse tringulo, minimizando as tenses e buscando um desenvolvimento a longo

    prazo, pelo equilbrio entre o crescimento econmico e as necessidades de

    conservao do meio ambiente, protegendo a cultura e as caractersticas das

    comunidades receptoras, estimulando com isso, a qualidade da experincia vivencial

    buscada pelos visitantes. Contudo, a proteo da originalidade desses meios

    depender do tipo de desenvolvimento proposto para a rea, que segundo a

    pesquisadora Doris Ruschmann (in Almeida 2001), uma rea de desenvolvimento

    s ser sustentvel se for voltada para a valorizao do homem do campo, para sua

    autenticidade e para a estabilidade ecolgica do meio natural onde este est

    inserido. (ALMEIDA 2001, p. 71)

    Porm ainda segundo a mesma autora, existem impactos dentro do qual o conceito

    de sustentabilidade tido como ambguo, pois envolve os interesses

    mercadolgicos das organizaes, desta forma deve-se observar os impactos

    negativos e positivos da atividade, sendo que faz-se necessrio encontrar o

    equilbrio.

    POSITIVOS

    Constituir a chave na revitalizao dos recursos naturais, culturais e histricos de

    uma rea rural;

    Promover e estimular a renovao nas localidades envolvidas;

    Estimular a preservao de recursos naturais com valor excepcional.

    NEGATIVOS

    Diminuir a qualidade de reas naturais e histricas pelo nmero excessivo de

    turistas e d equipamentos especficos;

  • Aumentar os rudos e efluentes lquidos e slidos;

    Iniciar e desenvolver um programa de turismo em uma rea rural constitui um

    desafio altamente gratificante, principalmente porque a comunidade local tem o

    poder e a habilidade de decidir sobre o seu desenvolvimento futuro, o que nem

    sempre ocorre. (ALMEIDA, 2000 p. 71)

    J para Mathieson e Wall (1992) apud Mendona et al (2000) os aspectos positivos

    assinalam-se:

    A melhoria da infra-estrutura pblica Melhoria na infra estrutura local como

    saneamento, estradas, equipamentos de sade, dentre outros;

    Melhores investimentos em educao a atividade turstica demanda de mo

    de obra qualificada, sendo necessria uma boa educao formal.

    Crescimento da oferta de empregos em tempo parcial e maior absoro da

    mo de obra feminina em comunidades menos favorecidas um fator de

    impacto positivo para o desenvolvimento da comunidade.

    Quanto aos impactos sociais negativos, ainda para Mathieson e Wall (1992) apud

    Mendona et al (2000) os maiores efeitos so:

    Efeito demonstrao O turismo insere novos comportamentos nas

    comunidades receptoras;

    Alteraes na moralidade - estmulo prostituio, ao uso de drogas, a

    crimes e jogos, sobretudo em comunidades com baixos nveis de renda e

    educao;

    Surge o neocolonialismo a partir do turismo as decises locais passam

    depender de operadores tursticos.

    O equilbrio de tal dicotomia impactos positivos e negativos - presente na atividade

    relacionada ao turismo rural, poder fazer com que se consiga alcanar ndices de

    sustentabilidade condizentes com o que se espera de qualquer outra atividade

    econmica, fazendo com que esta segmentao de mercado turstico, possa ajudar

    a elucidar a compreenso do conceito de sustentabilidade aplicada ao turismo.

    J para a Organizao Mundial do Turismo, o turismo sustentvel definido

    luz da gesto de recursos disponveis no meio ambiente:

  • Desde una perspectiva ms estricta y refirindonos al caso que nos ocupa, para la OMT el turismo sostenible es aquel que satisface las necesidades de los turistas actuales y de las regiones de destino, al mismo tiempo que protege y garantiza la actividad de cara al futuro. Se concibe como una forma de gestin de todos los recursos de forma que las actividades econmicas, sociales y estticas puedan ser satisfechas al mismo tiempo que se conserva la integridad cultural, los procesos ecolgicos esenciales, la diversidad biolgica y los sistemas que soportan la vida. (OMT, 1.993, pag. 22)

    Uma postura sustentvel baseia-se em alguns fatores dos quais asseguram a

    preocupao com o comportamento ambiental, e o respeito aos valores culturais das

    comunidades receptivas, pois para Almeida (2001) o turismo rural no representa a

    soluo para os problemas do campo, mas pode trazer efeitos econmicos positivos,

    conseguindo contrabalanar uma eventual desintegrao das atividades tradicionais.

    A procura pela visitao de ambientes naturais em meio rural notado pelas estatsticas dos rgos responsveis j que: O crescimento da demanda de turismo rural deve inscrever-se dentro do amplo fenmeno de conscientizao e reinvidicao ecolgica em que vivem as sociedades avanadas e altamente urbanizadas (...) um fenmeno de resposta degradao do meio ambiente em escala planetria e de marginalizao do no-urbano. (ALMEIDA et al. 2000 p.17)

    Outro fator de extrema importncia para a caracterizao da atividade com base na

    sustentabilidade o envolvimento de uma rede de pequenos produtores que no

    estaro recebendo diretamente o turista, mas ter o turismo como atividade de

    complementao de renda. Artesos e outros micro-produtores da localidade so

    exemplos dessa situao que contribuiro para a prtica de atividades pertencentes

    a essa segmentao econmica dentro do turismo, tais como hospedagem,

    alimentao, recepo visitao em propriedades rurais, recreao,

    entretenimento e atividades pedaggicas vinculadas ao contexto rural, artesanato,

    gastronomia, educao ambiental, outras atividades complementares s acima

    listadas, desde que praticadas no meio rural, que existam em funo do turismo ou

    que se constituam no motivo da visitao.

    Dessa forma, o uso do meio natural pelo turismo rural com base na sustentabilidade

    da atividade turstica contribui com o processo de valorizao da cultura dos

    elementos envolvidos, conservao do meio ambiente natural, alm de ser uma

    estratgia interessante de agregao de renda, gerando outras externalidades

  • positivas ao produtor rural como, por exemplo, a reduo do fluxo do xodo rural,

    decorrente das baixas oportunidades no meio rural.

    O TURISMO RURAL NA AGRICULTURA FAMILIAR NO PARAN: EM BUSCA DE UM DESENVOLVIMENTO SUSTENTVEL

    Dentro das segmentaes do mercado turstico, o chamado turismo rural merece

    lugar de destaque, devido ao grande nmero de propriedades que vem

    desenvolvendo j nos primeiros anos do sculo XXI.

    O conjunto das transformaes estruturais do sistema capitalista impactou fortemente o sistema agroalimentar, tanto em termos das relaes de produo como em termos do papel reservado ao espao rural. O uso intensivo do capital na agricultura tornou os agricultores mais dependentes de fatores no-agrcolas (mquinas, equipamentos e insumos qumicos), ao mesmo tempo que integrou a agricultura aos complexos agroindustriais, alterando progressivamente o seu papel na dinmica produtiva das reas rurais. (MATEI, 2005)

    Devido s dificuldades de gerao de renda dos pequenos proprietrios rurais frente

    a grandes propriedades altamente sofisticadas, as alternativas de sobrevivncia

    destas propriedades rurais, ficam cada vez mais escassas, sendo que em muitos

    casos, o turismo rural na agricultura familiar, tem sido a alternativa.

    Dentre as atividades que envolvem a prtica do turismo rural pode-se considerar:

    pousadas, pesque-pague, restaurantes tpicos, venda direta de produtos

    industrializados nas propriedades, atividades de lazer associadas paisagem

    natural, atividades baseadas nos elementos culturais de um local e/ou regio e

    atividades ecolgicas.

    No Estado do Paran, assim como em todo o Brasil, o nmero de propriedades

    rurais que vm desenvolvendo atividades ligadas ao turismo, aumenta ao passo que

    a atividade turstica no Estado se desenvolve.

    Segundo dados da Secretaria de Estado do Turismo, o Paran recebeu o fluxo de

    5.552.244 turistas no ano de 2002, o que gerou uma renda de U$ 899.463.470,00,

    sendo que 48% so provenientes do mesmo Estado, 17% estrangeiros e 35% de

    outras regies do Brasil.

  • De acordo com a Deliberao Normativa n 432/02 da EMBRATUR1, existem no

    Estado do Paran 128 municpios prioritrios para o desenvolvimento da atividade

    turstica. Fazendo parte destes municpios que vem desenvolvendo atividades

    tursticas no Estado do Paran, vale ressaltar os roteiros de turismo rural, que so

    circuitos integrados, onde propriedades rurais desenvolvem atividades tursticas j

    possuem considervel relevncia, sendo a regio metropolitana de Curitiba,

    detentora de vrios destes circuitos no Estado do Paran. Tal fator demonstra o

    grande interesse dos proprietrios rurais em desenvolver, bem como o interesse dos

    turistas em buscar este tipo de turismo.

    A atividade turstica em meio rural passou a ganhar destaque nas discusses sobre

    alternativas para a agricultura familiar, especialmente quando se trata do problema

    de renda e emprego. Esta viso acabou influenciando as prprias polticas pblicas,

    de tal modo que no ms de setembro de 2003, o Governo Federal lanou, atravs

    do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF), uma

    linha de crdito, chamada de "PRONAF Turismo Rural", para apoiar os agricultores

    familiares que pretendem implementar atividades tursticas no mbito das unidades

    familiares de produo.

    A criao do presente programa de incentivo ao pequeno agricultor se d, mesmo o

    Paran sendo um grande produtor agrcola, segundo dados da Secretaria de Estado

    do Turismo do Paran, o Estado participa com cerca de 23% da produo brasileira

    de gros e entre seus produtos destacam-se trigo, milho, algodo, aveia, soja, feijo,

    batata, mandioca, cana de acar e a erva mate.

    Esta alta produtividade agrcola est vinculada a grandes propriedades rurais do

    Estado, deixando os pequenos produtores margem de tais ndices, o que leva os

    mesmos a procurarem diversificar suas atividades, dentre as quais o turismo rural

    surge como alternativa vivel e competitiva.

    Segundo o PRONAF2 o baixo nvel de renda comumente constatado entre os

    agricultores e a autodesvalorizao dos hbitos e costumes em detrimento do ideal

    urbano, tem como uma das conseqncias o xodo rural. Diante desse quadro, o

    turismo possibilita a valorizao da agricultura familiar, uma vez que a sua cultura

    torna-se o prprio atrativo turstico, com efeitos diretos no aumento da auto-estima

    da populao.1 Instituto Brasileiro de Turismo.2 BRASIL. Ministrio do Desenvolvimento Agrrio. Programa de Turismo Rural na Agricultura Familiar. 2003.

  • Os benefcios sociais refletem-se na dinamizao da cultura rural, da necessidade de os agricultores familiares manterem sua identidade e autenticidade. desencadeado um resgate de valores, costumes, cdigos: orgulhar-se da sua ascendncia, relembrar histrias, resgatar a gastronomia, exibir objetos antigos antes considerados velhos e inteis, seu modo de falar, suas vestimentas, seu saber. Ressurgem, desse modo, as artes, as crenas, os cerimoniais, a linguagem, o patrimnio arquitetnico, que so restitudos ao cotidiano, transformados em atrativos tpicos usados como marcas locais interessantes para o turismo. (BRASIL, 2003. Disponvel em www.mda.gov.br)

    Iniciativas como a criao de tal programa pelo Ministrio do Desenvolvimento

    Agrrio corrobora com o objeto de estudo do presente artigo, no que tange

    relevncia da atividade turstica como forma de sustentabilidade ambiental,

    socioeconmica e histrico-cultural, j que a visitao de destinos rurais para os

    turistas faz com que se crie uma necessidade de valorizao e conservao da

    natureza da localidade visitada.

    Os estudos acerca de tais afirmaes podem ser visualizadas pelos estudos de

    Krippendorf (1997) quando menciona que ao visitar e vivenciar uma localidade o

    indivduo compartilha de valores e passa a assimilar novos conhecimentos e

    conceitos. Tal afirmativa demonstra a relevncia da sensibilizao para questes

    ambientais em localidades de realizao de turismo, em especial de localidades

    rurais.

  • CONSIDERAES FINAIS

    Faz-se relevante ressaltar que quaisquer atividades tursticas realizadas em meios

    naturais, necessitam de natureza e comunidade vivendo em harmonia, fazendo com

    que os conceitos de turismo sustentvel sejam o eixo norteador da explorao

    econmica das localidades receptoras.

    O desenvolvimento sustentvel de organizaes, comunidades e meio ambiente faz

    com que fatores impactantes sobre estes trs atores sejam minimizados e a

    convivncia entre turistas e proprietrios rurais acontea de forma a contemplar os

    pilares da sustentabilidade propostos por Sachs.

    No Estado do Paran possvel visualizar o crescimento da atividade turstica em

    especial do turismo rural. O presente artigo pretendeu-se realizar uma anlise prvia

    da atividade luz dos conceitos do desenvolvimento sustentvel, objetivando a

    prtica do turismo, no mais como algo exploratrio e sim como fator construtivo e

    responsvel, sendo uma forma de aproximao das mais diferentes classes sociais

    e estilos de vida.

    O desenvolvimento local por meio de uma atividade turstica em ambiente rural

    uma alternativa de sobrevivncia para os pequenos empreendedores rurais que no

    conseguem se manter competitivos frente s grandes propriedades rurais, e sendo

    assim questes como melhoria de renda, acesso educao, sade so alguns dos

    quesitos que a atividade pode impactar positivamente nas pequenas organizaes

    rurais.

    Acreditar que uma atividade econmica pode melhorar a qualidade de vida de

    pequenas comunidades rurais pode parecer algo utpico ou tendencioso, porm

    certo que o desenvolvimento de tal atividade de maneira ordenada, respeitando o

    meio ambiente, o patrimnio histrico e cultural, bem como inserindo os atores

    sociais no processo de desenvolvimento e planejamento da atividade, faz com que o

    resultado alcanado seja favorvel, utilizando os espaos naturais de forma a no

    prejudicar/impactar geraes futuras.

  • REFERNCIAS

    BELEN, Hans Michael van. Indicadores de sustentabilidade: uma anlise comparativa. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

    BENI, Mrio Carlos. Anlise estrutural do turismo. 5. ed. So Paulo: Editora SENAC, 2001.

    BRASIL. Ministrio do Desenvolvimento Agrrio. Programa de Turismo Rural na Agricultura Familiar. 2003.

    BRASIL. Ministrio do Turismo. Diretrizes para o Desenvolvimento do Turismo Rural no Brasil, 2004.

    KRIPPENDORF, Jost. Sociologia do turismo. Rio de Janeiro: Editora Civilizao Brasileira, 1998.

    MATEI, Lauro. Agricultura familiar e turismo rural: Evidncias empricas e perspectivas. Nead Ncleo de estudos agrrios e desenvolvimento rural Ministrio do desenvolvimento agrrio. Disponvel em http://www.nead.org.br Acesso em 20/01/2006

    OLIVA, Jaime; GIANSANTT, Roberto. Espao e modernidade: Temas da geografia mundial. So Paulo: Atual, 1995.

    OMT. Organizao Mundial do Turismo. Desenvolvimento sustentvel do ecoturismo: Uma compilao de boas prticas. So Paulo: Roca, 2004.

    PIMENTEL, Giuliano Gomes de Assis. Lazer e natureza no turismo rural. In MARINHO, Alcyane e BRUHNS, Heloisa Turini. Turismo, Lazer e Natureza. Barueri, SP: Manole, 2003.

    RUSCHMANN, Doris van de M. O turismo rural e o desenvolvimento sustentvel. In ALMEIDA, Joaquim Ancio; FROEHILICH, Jos Marcos; RIEDL, Mrio. Turismo rural e o desenvolvimento sustentvel. Campinas SP: Papirus, 2000.

    SAMPAIO. Carlos Alberto Cioce. Turismo: Sob anlise do desenvolvimento sustentvel. Turismo Viso e Ao. Ano 4 n8 abr/set2001. Itaja: Editora Univali. 2001.

    SANCHO, AMPARO. Necessidade de interveno pblica no mercado turstico. In: Introduo ao Turismo Organizao Mundial do turismo. So Paulo: Editora Roca, 2001

    SENE, Eustquio de. Geografia geral e do Brasil. So Paulo: Scipione, 1998.

    SILVEIRA, Marcos Aurlio T. Polticas de desenvolvimento e sustentabilidade: possibilidades e perspectivas. In. RAE GA. O espao geogrfico em anlise. n 2ano II, Editora UFPR. Curitiba: 1999.

    http://www.nead.org.br/

Recommended

View more >