decreto n° 2 - ?· telecomunicação relacionadas em ato cotepe, decorrente de contrato de...

Download DECRETO N° 2 - ?· telecomunicação relacionadas em Ato Cotepe, decorrente de contrato de interconexão,…

Post on 28-Dec-2018

212 views

Category:

Documents

0 download

Embed Size (px)

TRANSCRIPT

DECRETO N 2.667

Publicado no Dirio Oficial N 7.722, de 16 / 05 / 2008

O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARAN, no uso das atribuies que lhe confere o art. 87, V, da Constituio Estadual, e considerando os Ajustes SINIEF e Convnios ICMS aprovados e os Protocolos ICMS firmados na 129 reunio ordinria do Conselho Nacional de Poltica Fazendria CONFAZ,

DECRETA:

Art. 1 Ficam introduzidas no Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto n. 1.980, de 21 de dezembro de 2007, as seguintes alteraes:

Alterao 39 Ficam acrescentados os artigos 233-A e 233-B:

Art. 233-A. Para efeito deste Regulamento, em relao prestao de servio de transporte, considera-se (Ajuste SINIEF 2/08):

I - remetente, a pessoa que promove a sada inicial da carga;

II - destinatrio, a pessoa a quem a carga destinada;

III - tomador do servio, a pessoa que contratualmente a responsvel pelo pagamento do servio de transporte, podendo ser o remetente, o destinatrio ou um terceiro interveniente;

IV - emitente, o prestador de servio de transporte que emite o documento fiscal relativo prestao do servio de transporte.

1 O remetente e o destinatrio sero consignados no documento fiscal relativo prestao do servio de transporte, conforme indicado na Nota Fiscal, quando exigida.

2 A subcontratao de servio de transporte ser firmada na origem da prestao do servio, por opo do prestador de servio de transporte em no realizar o servio por meio prprio.

3 Redespacho o contrato entre transportadores, em que um prestador de servio de transporte (redespachante) contrata outro prestador de servio de transporte (redespachado) para efetuar a prestao de servio de parte do trajeto.

Art. 233-B. Para a anulao de valores relativos prestao de servio de transporte de cargas, em virtude de erro devidamente comprovado, e desde que no descaracterize a prestao, dever ser observado (Ajuste SINIEF 02/08):

I - na hiptese de o tomador de servio ser contribuinte do ICMS:

a) o tomador dever emitir documento fiscal prprio, pelo valor total do servio, sem destaque do imposto, consignando como natureza da operao "Anulao

de valor relativo aquisio de servio de transporte", informando o nmero do documento fiscal emitido com erro, os valores anulados e o motivo da anulao, devendo a primeira via do documento ser enviada ao prestador de servio de transporte;

b) aps receber o documento referido na alnea "a", o prestador de servio de transporte dever emitir outro Conhecimento de Transporte, citando o original emitido com erro, consignando a expresso "Este documento est vinculado ao documento fiscal nmero ... e data ... em virtude de (especificar o motivo do erro)";

II - na hiptese de o tomador de servio no ser contribuinte do ICMS:

a) o tomador dever emitir declarao mencionando o nmero e data de emisso do documento fiscal original, bem como o motivo do erro;

b) aps receber o documento referido na alnea "a", o prestador de servio de transporte dever emitir Conhecimento de Transporte, pelo valor total do servio, sem destaque do imposto, consignando como natureza da operao "Anulao de valor relativo prestao de servio de transporte", informando o nmero do documento fiscal emitido com erro e o motivo;

c) o prestador de servio de transporte dever emitir outro Conhecimento de Transporte, citando o original emitido com erro, consignando a expresso "Este documento est vinculado ao documento fiscal nmero ... e data ... em virtude de (especificar o motivo do erro)".

1 O prestador de servio de transporte e o tomador devero estornar eventual dbito ou crdito relativo ao documento fiscal emitido com erro.

2 No se aplica o disposto neste artigo nas hipteses de erro passvel de correo mediante carta de correo ou emisso de documento fiscal complementar.

Alterao 40 O caput do art. 319 passa a vigorar com a seguinte redao:

Art. 319. As empresas prestadoras de servios de telecomunicao, relacionadas em Ato Cotepe, centralizaro, em um nico estabelecimento, a inscrio no CAD/ICMS, a escrita fiscal e o recolhimento do imposto correspondente s prestaes efetuadas por todos os seus estabelecimentos existentes no territrio paranaense (Convnios ICMS 126/98, 30/99 e 22/08).

Alterao 41 Os 5 e 6 do art. 322 passam a vigorar com a seguinte redao:

5 As Notas Fiscais de Servio de Telecomunicaes, e as Notas Fiscais de Servio de Comunicao, sero numeradas de 000.000.001 a 999.999.999, respectivamente, reiniciada a numerao quando atingido este limite.

6 Na hiptese de extravio da 1 via da Nota Fiscal de Servio de Telecomunicaes, ou da Nota Fiscal de Servio de Comunicao, fica autorizada a emisso de cpia da mesma, caso em que ser aposta a seguinte expresso: "Cpia da 1 Via - No gera direito a crdito".

Alterao 42 A alnea b do 1 do art. 323 passa a vigorar com a seguinte

redao:

b) no ltimo dia de cada ms, emitir a Nota Fiscal de Servio de Telecomunicaes, ou a Nota Fiscal de Servio de Comunicao, de subsrie especial, abrangendo todos os documentos internos emitidos no ms, com destaque do ICMS devido (Convnio ICMS 22/08).

Alterao 43 O art. 324 passa a vigorar com a seguinte redao:

Art. 324. Na prestao de servios de comunicao a empresas de telecomunicao relacionadas em Ato Cotepe, decorrente de contrato de interconexo, entre empresas prestadoras de Servio Telefnico Fixo Comutado - STFC, Servio Mvel Celular - SMC ou Servio Mvel Pessoal - SMP, o imposto incidente sobre a remunerao dos meios de rede e sobre o trfego cursado na interconexo ser devido apenas sobre o preo do servio cobrado do usurio final (Convnios ICMS 126/98, 31/01 e 22/08).

1 O disposto neste artigo aplica-se, tambm, a empresas de Servio Limitado Especializado - SLE, Servio Mvel Especializado - SME e Servio de Comunicao Multimdia - SCM, que tenham como tomadoras de servio as empresas relacionadas em Ato Cotepe, desde que observado, no que couber, o disposto no 7 do art. 202.

2 O tratamento previsto neste artigo fica condicionado elaborao do DETRAF contendo detalhamento do trfego cursado e indicao do nmero do contrato de interconexo no corpo da nota fiscal relativo ao faturamento destes servios.

Alterao 44 O art. 325 passa a vigorar com a seguinte redao:

Art. 325. Fica concedido regime especial de ICMS s empresas prestadoras de servios de telecomunicao relacionadas em Ato Cotepe, relativamente remessa de bem, integrado ao ativo permanente, destinado a operaes de interconexo com outras operadoras (Convnios ICMS 80/01 e 22/08).

Alterao 45 O caput, os incisos II e III, e o 2 do art. 328 passam a vigorar com a seguinte redao:

Art. 328. As empresas de telecomunicao podero imprimir suas Notas Fiscais de Servios de Telecomunicaes, ou Notas Fiscais de Servios de Comunicao, conjuntamente com as de outras empresas de telecomunicao em um nico documento de cobrana, desde que (Convnios ICMS 6/01, 97/05 e 22/08):

..................................................................................................................

II - ao menos uma das empresas envolvidas esteja relacionada em Ato Cotepe, podendo uma das partes ser prestadora de Servio Mvel Especializado SME, ou Servio de Comunicao Multimdia - SCM (Convnio ICMS 22/08);

III - as Notas Fiscais de Servios de Telecomunicaes, ou as Notas Fiscais de Servios de Comunicao, refiram-se ao mesmo usurio e ao mesmo perodo de apurao;

..................................................................................................................

2 Na hiptese do inciso II, quando apenas uma das empresas estiver relacionada em Ato Cotepe, a emisso do documento caber a essa empresa (Convnio ICMS 22/08).

Alterao 46 Os 1 e 2 do art. 515 passam a vigorar com a seguinte redao:

1 A responsabilidade pela reteno e recolhimento do imposto fica tambm atribuda aos estabelecimentos localizados nos Estados de Alagoas, Amap, Bahia, Esprito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraba, Pernambuco, Piau, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondnia, Santa Catarina, So Paulo, Sergipe, Tocantins e no Distrito Federal, inclusive atacadista ou distribuidor (Protocolos ICMS 31/05, 5/06, 8/07 e 40/08).

2 O disposto nesta clusula aplica-se aos sorvetes de qualquer espcie, inclusive sanduches de sorvete, classificados na posio 2105.00 da NCM e aos preparados para fabricao de sorvetes em mquinas, classificados nas posies 1806, 1901 e 2106 da NCM (Protocolo ICMS 26/08).

Alterao 47 A alnea a do 1 do art. 526 passa a vigorar com a seguinte redao:

a) aplica-se tambm a qualquer outro estabelecimento situado nos Estados do Acre, Alagoas, Amap, Amazonas, Bahia, Cear, Esprito Santo, Maranho, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Par, Paraba, Pernambuco, Piau, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondnia, Roraima, Santa Catarina, So Paulo, Sergipe e Tocantins, e no Distrito Federal, que efetuar operao destinada a contribuinte paranaense, para fins de comercializao (Protocolos ICMS 5/99, 27/99, 8/00, 15/00, 16/00, 24/00, 33/00, 46/02 e 31/08);

Alterao 48 A alnea a do 1 do art. 528 passa a vigorar com a seguinte redao:

a) aplica-se tambm a qualquer outro estabelecimento situado nos Estados do Acre, Alagoas, Amap, Amazonas, Bahia, Cear, Esprito Santo, Gois, Maranho, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Par, Paraba, Pernambuco, Piau, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondnia,

Recommended

View more >